terça-feira, 7 de agosto de 2018

O nível de oração


Percebo que, na medida em que envelheço, a minha vida de oração vai ficando mais difícil. Portanto, hoje mais do que nunca, preciso investir mais em minha vida de oração - não só em tempo; mas, sobretudo em qualidade; pois a Bíblia nos adverte quanto à nulidade de uma oração egoísta e sem propósito divino (uma oração sem qualidade): "Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites." (Tiago 4:3). Então, como a oração determina o resultado do meu trabalho e o nível das minhas conquistas. Preciso investir no tempo e, sobretudo, na qualidade de minha oração.

Na verdade, não é apenas a oração com finalidade egoísta que não é aceita. Também a oração com traços de arrogância não tem a menor chance diante do Deus que tudo sabe e tudo vê. Exemplo disso é a oração do fariseu (Lucas 18.11). Outra oração que não recebe é a oração que nada pede: "Até agora nada pedistes em meu nome; pedi, e recebereis, para que o vosso gozo se cumpra." (João 16:24). Sei que, na vida, preciso trabalhar (e muito); porém, não é o esforço despendido em um "trabalho suado" que define o sucesso daquilo que eu faço; mas, sim, o nível de oração que mantenho em meu viver diário.

Em meu ministério perdi a conta, das vezes que preguei sobre este texto: "Confia no Senhor e faze o bem; habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado. Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará. E ele fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu juízo como o meio-dia. Descansa no Senhor, e espera nele; não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa astutos intentos." (Salmos 37:3-7). Na Bíblia eu aprendi que oração aceita é a oração agradável ao Pai.

A oração aceita é a oração que é agradável ao Pai:
https://youtu.be/dxQzsbztA8o

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário