sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

Tendência de julgar


Sempre que eu oro, não tenho como não pensar na fragilidade humana. A Palavra de Deus diz que Ele vê loucura nos homens e até nos anjos (Jó 4:18). A própria Bíblia denuncia homens santos que - movidos por atitude passional - cometeram erros irreparáveis. E esta oração de Davi expõe nosso demérito: "Se tu, Senhor, observares as iniquidades, Senhor, quem subsistirá? Mas contigo está o perdão, para que sejas temido." (Salmo 130:3-4). Somos frágeis e incapazes. Porém, o divino perdão, liberado por Jesus, pode absolver dos atos pecaminosos e palavras impensadas os que se rendem contritos aos pés do Senhor.

Na verdade, todos temos a tendência de julgar pela aparência. E assim, corremos o risco de condenar alguém que Deus perdoou e justificou - esquecendo que nossa missão é anunciar a graça salvadora ao pecador, por mais delituosos que sejam seus pecados. Enfim, as boas novas do perdão devem ser direcionadas - tanto ao crente vencido pelo pecado; como ao pecador inveterado. Como é bom saber que em Jesus Cristo não há pecador que não possa ser salvo, nem pecado que não possa ser perdoado. Como é bom crer que, em Cristo, o caminho de volta ao Pai pode ser trilhado pelo crente remido por Jesus.

A Bíblia diz: "Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar. Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos." (Isaías 55:6-9). Isto devemos fazer.

Por seu amor Jesus nos salva, perdoa, e liberta do pecado:
https://youtu.be/8rqY_syLN9Y

Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Boas lembranças


Como faz bem acordar com boas lembranças! Pois elas melhoram os sentimentos; uma vez que nosso coração se sente confortado e renovado com as lembranças que sempre nos edificaram. Como faz bem ocupar a nossa mente com coisas edificantes! Lembranças que sabermos serem verdadeiras e que nos inspiram a perpetuar nos bastidores da memória, bens e pessoas que nos edificam. Mas, infelizmente, alguns preferem manter em sua memória, lembranças magoantes que nenhum bem faz à quem as possui.

Na vida, são tantas as vezes que nos sentimos abatidos por dores morais que doem mais que dores físicas... Aliás, das dores físicas nos esquecemos mais depressa. Em minha vida, sempre que me senti assim, lembrei que o Senhor é meu refúgio e meu descanso em meios às lutas. Tantas vezes, me senti enfraquecido, prestes a cair - sob o fogo intenso da tentação e afrontado pelo ardil de satanás. Mas Deus, em seu amor por mim, me guardou em segurança dirigindo meus passos à uma posição bem mais segura.

Deus nos ouve: "Amo ao SENHOR, porque ele ouviu a minha voz e a minha súplica. Porque inclinou a mim os seus ouvidos; portanto, o invocarei enquanto viver. Os cordéis da morte me cercaram, e angústias do inferno se apoderaram de mim; encontrei aperto e tristeza. Então invoquei o nome do Senhor, dizendo: Ó Senhor, livra a minha alma. Piedoso é o Senhor e justo; o nosso Deus tem misericórdia. O Senhor guarda aos símplices; fui abatido, mas ele me livrou." (Salmos 116:1-6). Aleluia!

Que benção! Deus é meu refúgio e fortaleza. Louvado seja o seu nome!
https://youtu.be/HWVuBlxj0Fg?list=RDby8j7vwPuXk

Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Aliança fortalecida


Em oração, devemos expor diante de Deus, a insegurança e o medo que aflige à todos nós. Nossas preocupações - mesmo sendo infundadas, precisam ser levadas e deixadas em nosso lugar de oração. A família - sendo a parte mais importante da vida de todos nós, deve ser sustentada e resguardada em oração; bem como os nossos amigos e os nossos valores. Também devemos orar por nosso trabalho; pois nele, granjeamos o nosso sustento. Ah... E precisamos também buscar em Deus, forças para perdoar quem nos trai; pois só o perdão pode libertar da angústia que decepção sempre impõe.

Aprendi que é mais fácil amar inimigos do que perdoar amigos. Pois a traição de um amigo, além de abalar nossas estruturas espirituais, pode nos provocar mágoa crônica. Trabalhando com casais em crise, tenho visto a devastação que a infidelidade conjugal pode causar. Nela, os amantes não se incomodam em dividir a cama com os cônjuge de ambos. Pois esta terrível relação não se baseia em aliança sagrada; mas sim, em uma cumplicidade ilícita nutrida por paixão doentia. Enfim... Os cônjuges e os amigos têm entre si uma aliança exclusiva; que, quando quebrada, é como se nosso mundo caísse.

A Palavra de Deus registra um dos episódios mais tristes, na saga dos patriarcas; que foi a terrível traição dos irmãos de José. As Escrituras sagradas relatam que "os patriarcas, movidos de inveja, venderam José para o Egito; mas Deus era com ele. E livrou-o de todas as suas tribulações, e lhe deu graça e sabedoria ante Faraó, rei do Egito, que o constituiu governador sobre o Egito e toda a sua casa." (Atos 7:8-10). José sofreu prisão, açoites, abandono e injustiças diversas. Porém, isto não o impediu de se manter fiel à Deus e à tradição de seus pais. Que benção! Deus o libertou e fez dele governador do Egito.

Traição produz dor tão cruel que só o perdão alivia:
https://youtu.be/zx7QrUOScXw

Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 3 de dezembro de 2019

Vazio existencial

Ainda falando sobre a pequenez humana, declaro que minha pequenez não me aflige; pois sei que ela é como um casulo, menor que o homem interior que nela habita; casulo este, cada dia mais apertado por conter este ser eterno que não para de crescer: O meu "eu" verdadeiro que é imagem e traz as marcas de seu Criador. Assim, não me confundo com minha frágil aparência; pois sei que sou maior do que pareço ser. Mas... Não tão grande como Satã tenta me convencer que sou; ou como, ingenuamente, alguns admiradores pensam que sou. Pois sou barro convertido em gente, elevado à posição de filho de Deus!

Na verdade, no outro extremo da mania de grandeza gerada pela vaidade humana, está a falta de autoestima de muitos, que não se dão o menor valor - mesmo sabendo que são filhos de Deus; ou no mínimo, suas criaturas. Enquanto sigo admirando a beleza da criação, multicor e multiforme; vejo gente (até mesmo bons, mas desorientados cristãos) olhar com pessimismo a vida (como se o seu real valor fosse o que lhe damos ou o modo como a vemos) e se tornar seu próprio carrasco, buscando na morte fuga para sua dor e fracasso... Cruel engano! Pois, só em Jesus é que nos livramos do vazio existencial.

O nosso corpo, assim como nossa alma e espírito, pertence ao Senhor:

"Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, A obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo. Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo." (1 Coríntios 3:11-17). "Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?"
(1 Coríntios 6:19)

Portanto, somente o Senhor tem o direito de lhe pôr fim à sua existência.

Aleluia! Grande é Jeová! Faz tão bem ouvir esta linda canção que enaltece o nosso Deus:
https://www.facebook.com/coraleorquestraabda/videos/469576213577689/

Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

As nossas lágrimas


Em dias tão confusos, como os que vivemos, precisamos continuar em oração - buscando em Deus entender os sentimentos de fragilidade e impotência que nos rodeiam e tentam nos invadir. Na verdade, não somos por nós mesmos capazes de entender a fraqueza que as vezes sentimos. O que não podemos é permitir que ela se imponha sobre o propósito de Deus para a nossa vida. Portanto, não podemos deixar que ela fragilize nosso interior; pois, nas profundezas do nosso espírito reside a nossa força.

Precisamos nos vestir com esta certeza: Não há mal que o Senhor não possa curar e problemas que ele não possa resolver. E como oração nunca é demais, devemos orar sempre. Se as lágrimas brotarem, não devemos impedi-las; pois é delas a missão de lubrificar nossos olhos, regar nosso rosto, e aliviar nossa alma aflita. Então, elas precisam escorrer pela nossa face seguindo em direção à "taça de ouro" que as levará à presença de Deus. Enfim... Não devo impedi-las de seguirem o seu glorioso destino.

Pensemos nisto:

"SENHOR, tu me sondaste, e me conheces. Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento. Cercas o meu andar, e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos. Não havendo ainda palavra alguma na minha língua, eis que logo, ó Senhor, tudo conheces." (Salmos 139:1-4). "Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno." 
Salmos 139:23,24)

Busquemos isto!

Prostrado ao pé da cruz, clamo o sangue de Jesus:
https://youtu.be/eXsrUykIpIQ

Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 1 de dezembro de 2019

Boa convivência


Sinto tristeza, quando percebo alguns que não conseguem viver em paz com seu próximo. Na verdade, os que assim procedem não se dão conta do que perdem por não conseguirem conviver respeitosamente com sua família e seus amigos (e tantos vivem assim). Mas, para vivermos uma vida abençoada na terra; precisamos viver bem - com Deus, com a família, e com os amigos. E para que isto seja possível, precisamos cumprir as obrigações e respeitar os limites que permeiam as relações humanas. As vezes perdemos pessoas que amamos, por não entendermos nossos limites e deveres.

Família e amigos são tesouros que precisamos amar e preservar. Então, devemos poupá-los de nosso mau humor e dos desgastes produzidos por convivência próxima; pois se não soubermos conter nosso temperamento irascível; nossos queridos vão aos poucos se afastando de nós. Devemos poupar o nosso próximo do nosso destempero; pois família e amigos são dádivas de Deus que devem ser cultivadas e preservadas. Enfim... Precisamos alivia-los de nossas cargas. Algumas vezes, a medida do respeito à uma boa amizade chega ao limite do razoável e do suportável, sem que percebamos.

Este é um maravilhoso é este ensino bíblico: "Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem. E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção. Toda a amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmia e toda a malícia sejam tiradas dentre vós, Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo." (Efésios 4:29-32). Este ensino, se praticado, pode aproximar de nós parentes e amigos.

Nossa comunhão e amizade, custou a vida de Jesus:
https://youtu.be/zb7rNY5TjW4

Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 30 de novembro de 2019

Provisão antecipada


Tenho experimentado que a oração pode nos levar a fazer e alcançar coisas que a vontade e esforço humano nem sequer imaginam. Na verdade, a oração pode antecipar o agir de Deus, provocando respostas para a solução de problemas ainda não acontecidos e cura de males ainda não sofridos. A oração, em alguns aspectos da vida, pode atrair passado e antecipar futuro. Digo isto, por saber que Deus está sempre atento ao clamor daquele que ora, respondendo suas orações sempre que julgar necessário.

Não tenho a menor dúvida ao dizer que Deus, em sua onisciência, pode responder até mesmo àquela oração que ainda vai ser feita. Como? Face às circunstâncias em que algumas orações são feitas (a depender da urgência de sua resposta e do tempo necessário à produção daquilo que elas pretendem) Deus pode atende-las antes de serem formuladas. Enfim, nossa resposta vai sendo formada (sem que saibamos) até o tempo da necessidade (quando a oração é feita). Muitos crentes já experimentaram isto.

Assim Jesus falou:

"E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará  publicamente. E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos. Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes."
(Mateus 6:5-8)

Assim eu acredito!

Novos sonhos, novas realizações... O novo de Deus:
https://youtu.be/3tMVBc-hRnU

Cordialmente;
Bispo Calegari