quinta-feira, 5 de julho de 2018

Somos ouvidos


Existem dias tão desfavoráveis que, até as palavras liberadas em meio aos soluços da oração, causam dor. Hoje mesmo, ao orar, perguntei ao Senhor: Meu Pai, o que seria de nós, se fôssemos privados do recurso da oração? O tempo empregado em oração é tão importante que, mesmo quando não temos o que dizer, somos ouvidos pelo Pai; pois ele consegue ouvir o som do silêncio - tanto quanto ouve o som das vozes. Portanto... Orei por meus deveres e afazeres; orei por meus familiares e meus amigos; enfim, orei por ovelhas que pastoreio. E fiz oração até mesmo por meus inimigos (se é que os tenho).

Penso que os filhos devem ser prioridade na oração; pois, muitos pais estão perdendo os seus filhos. Alguns deles perdem seus filhos para as drogas, pouco a pouco; outros perdem os seus filhos para os raptores, num piscar de olhos; a maioria perde os seus filhos dentro de sua própria casa, sem perceber. Como conter os gritos provocado por tão dolorosas perdas? Enfim... Vivemos açodados pelo grito dos angustiados, dos revoltados e dos aproveitadores (mercadores de sonhos vãos, de glória e riqueza); num mundo que se afoga num vale de lágrimas, enquanto se revolve no lodaçal do pecado.

Repare que o texto escolhido destaca, em seu abrir e fechar, o valor da oração: "Orai sem cessar. Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias. Examinai tudo. Retende o bem. Abstende-vos de toda a aparência do mal. E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. Fiel é o que vos chama, o qual também o fará. Irmãos, orai por nós." (1 Tessalonicenses 5:17-25). Orar sempre ajuda.

No lugar secreto da oração, encontramos o Senhor:
https://youtu.be/by8j7vwPuXk

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário