domingo, 26 de novembro de 2017

A cruz de Cristo era minha

A imagem pode conter: texto

Em minha vida cristã; uma das mais importantes lições que eu aprendi foi a de que é se prostrar diante de Deus é bem melhor do que se prostrar diante dos adversários e das adversidades. Sempre será uma coisa ou outra: Rendição perante o Senhor; ou rendição perante o inimigo. Nesta manhã, enquanto orava; veio ao meu espírito o quadro de Jesus vergado sob o peso da cruz... Dor e humilhação atroz. Todavia, sem se curvar ante os seus inimigos - intercedeu por eles, salvou um réu confesso, e rendeu ao Pai o seu espírito, consumando a obra de nossa eterna redenção.

Desde muito cedo, aprendi que a cruz de Cristo era na verdade minha (maldição que condenava minha natureza pecaminosa; sem que eu pudesse escapar por mérito ou virtude). Mas Jesus tomou sobre si o meu pecado e vergonha, em forma de cruz, e me absolveu da culpa. Glória a Deus! Sem se deixar abater por minha culpa, ele a cravou na cruz, destruindo a inimizade que havia entre mim e Deus. Aleluia! E redimido pelo seu sangue; posso gritar aos quatro ventos, que Jesus me salvou da morte eterna! Sim! Por ele, fui reconciliado e não temo mais a morte.

Jesus se doou por nós: "Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz, E pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades." (Efésios 2:13-16). E assim, nós também devemos nos doar por ele.

Esta é uma das belas e bíblicas canções que conheço:
https://youtu.be/Q5ID69MEBMM

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário