quinta-feira, 6 de junho de 2013

Omissão e comissão


Pai de amor; nesta manhã eu venho perante a Tua face, buscar ouvir Tua voz e sentir o Teu poder; pois preciso de Tua direção para entender melhor o sentido da minha própria existência. As vezes eu me admiro com pessoas que teriam tudo a ganhar em estar diante do Senhor em oração - perdendo apenas aquilo que precisam de fato perder - e no entanto, passam a vida e o tempo evitando o lugar de oração. Quanto a mim; não sei viver longe de Tua presença. Sinto-me sozinho e sem direção, quando Te procuro e não Te encontro. Ajuda-me, querido Pai; a estar sempre em Tua presença e a evitar tudo aquilo que procura me afastar dela.
 
Pai de graça; enquanto eu oro, percebo que preciso aprender a lidar com as pessoas que estão a minha volta; pois sei que não é tão simples como parece. Preciso, de um modo especial, aprender as lidar com aquelas pessoas que não conseguem me ver como um amigo; e com aquelas que me tem como inimigo. Ajuda-me a amar e a entender, sendo possível, aos que pensam assim a meu respeito. Sei que, a inimizade nem sempre é gratuita e que a amizade é algo que não se impõe. Assim, ajuda-me a estar pronto a amá-las e compreendê-las; a ajuda-las quando dependerem de mim, sem que eu me sinta mal com isso.
 
Pai de misericórdia; ajuda-me a entender a diferença que existe entre aqueles que me fazem mal e aqueles que não me fazem bem; para que eu não seja tentado a colocá-los num mesmo nível. Até porque, isso é questão de omissão e de comissão. Afinal de contas, vivemos em um mundo em que as pessoas são tendentes a pensar apenas em si. E quando elas se isolam em si mesmas, acabam deixando de fazer bem a quem quer que seja; optando por cuidar apenas de si. Isso não significa que queiram o meu mal; apenas, que não conseguem fazer o bem que poderiam. Quanto aos que procuram me fazer mal, ajuda-me a amá-los mesmo assim.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário