segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Perseverança é dever


É... O ano vai se findando. É mais um, dentre muitos, em minha valiosa coleção de anos; uns melhores que outros. Nesta manhã fui marcado por um sentimento (espécie de revelação); como se uma voz me dissesse, que a perseverança não é um favor; e sim, um dever. Então, de imediato, me veio à lembrança o sentimento de ufania que tenho visto nascer e crescer em bons cristãos, ao comemorarem 20, 30, 40 anos de vida cristã; como se o mérito estivesse no ato de perseverar. E não são poucos os que vejo se gabarem do seu "tempo de casa" (talvez eu seja um deles; e se for, preciso abrir mão de tal sentimento); todavia, eu sei que perseverança não é tudo na vida.

Quero aqui dizer, que sei do valor da perseverança! Porém, o seu valor está na pureza de seus motivos e na grandeza de seus resultados. Ou seja: A perseverança precisa ser santa e frutífera, para que tenha mérito aos olhos de quem tem o poder de julga-la. Isto significa que, na vida cristã, não basta "ir ficando" até que tudo termine. Até porque, há perseverança de caráter inglório; sem mérito ou razão de louvor. Como posso embasar tal conceito? Com esta palavra de Jesus: "Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto." (João 15:2). Então, para ser aceito; além de perseverante, preciso ser vara frutífera.

Neste texto bíblico, fica evidente que a frutificação dá valor e qualidade à perseverança:

"Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto. Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem. Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito. Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos."
(João 15:1-8)

Ele reforça a tese, de que não fomos salvos pelas boas obras; mas, para as boas obras.

Em dias de tanto egoismo, com tantos pensando em si mesmo; é bom ouvir esta canção - sobre semente e fruto - entoada pelo Grupo Logos:
https://youtu.be/PAXKx5U_lbA

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário