quinta-feira, 24 de novembro de 2011

"Soberania" e "Livre Arbítrio"

Nas diversas pesquisas teológicas que venho fazendo, a vários anos, tenho chegado a conclusão de que a maior e mais importante controvérsia teológica de todos os tempos - é aquela que coloca nas duas pontas de uma mesma mesa de debate, o "arminianismo" e o "calvinismo".

Sempre que estas duas correntes teológicas discutem suas posições - a base desta polêmica é a soberania divina e o livre arbítrio humano. E não há como separar estes dois oponentes em meio a esta discussão; visto que ambos se sentem plenamente seguros e fundamentados, quanto ao seu ponto-de-vista doutrinário.

O "arminianismo" se posiciona ao lado de Tiago Armínio - ardoroso defensor do livre arbítrio humano, como fator indispensável no processo redentor. Ao passo que o "calvinismo" se posiciona ao lado de João Calvino - teólogo que sistematizou a teologia da predestinação; a qual ensina que Deus, em sua soberania, predestinou - no alvorecer da história humana - aquele que se salvará e aquele que se perderá. E a polêmica entre ambos os posicionamentos se propaga entre outros temas importantes da doutrina cristã; tais como: justificação, graça, santificação, queda e reconciliação - só para citar alguns.

Geralmente, no calor da divergência, ambos os oponentes acabam por se acusarem mutuamente. Enquanto que os calvinistas atribuem aos arminianos a pecha de "pelagianos" (doutrina atribuída a Pelágio, pensador cristão do passado, que parece sugerir que o ser humano é bom em si mesmo - não carecendo de mudança de natureza; e sim de mudança de atitude) - os arminianos, por sua vez, acusam os calvinistas de serem deterministas (pelo fato de afirmarem que o destino eterno do homem está traçado - sem que ele possa fazer nada para mudá-lo).

Ambos os conceitos se fundamentam em um conjunto de princípios doutrinários, resumidos em cinco pontos: Existem os cinco artigos da teologia calvinista e os cinco artigos da teologia arminiana. Na verdade, eles representam a síntese sobre a qual a estrutura doutrinária de sua teologia se baseia. E a bandeira destas duas correntes teológicas está nas mãos de duas grandes comunidades cristãs mundiais: Enquanto os metodistas empunham com fervor a bandeira do "arminianismo" - os presbiterianos, com igual fervor, empunham a bandeira do "calvinismo".

Sobre este importante assunto poderei voltar a falar, em uma postagem futura, se o tempo e a inspiração me permitirem fazê-lo.

Cordialmente;
Bispo Calegari
(respeitoso por formação e arminiano por convicção)

Nenhum comentário:

Postar um comentário