quinta-feira, 7 de abril de 2011

Sofrimento - o que é isso? (parte I)

"Se pelo nome de Cristo sois vituperados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória, o Espírito de Deus. Que nenhum de vós, entretanto, padeça como homicida, ou ladrão, ou malfeitor, ou como quem se entremete em negócios alheios; mas, se padece como cristão, não se envergonhe, antes glorifique a Deus neste nome" (1 Pedro 4.14-16)

No dia 29 de janeiro, postei um artigo com o tema: " Sofrimento - como lidar com isso". Em minha observações, percebi que uma das unanimidades quanto a presença do sofrimento na natureza humana - é que o mesmo representa uma das facetas mais perturbadoras na experiência humana.

Nas pesquisas que tenho feito sobre este tema, tenho concluído que o sofrimento é um sintoma presente na vida humana, desde o alvorecer da civilização - do seu nascimento até o seu falecimento. Não há como evitá-lo! Esta experiência dolorosa é tão normal e frequente, como outras experiências; tais como alegria e outras sensações experimentadas por qualquer pessoa, ao longo de sua vida.

O sofrimento pode ser causado por diversos fatores. Tanto pode ser relacionado a razões pontuais, tais como: Doença ou morte na família; prejuízos sofridos; agressões físicas infligidas por alguém; ou dedicação a uma causa nobre - como pode também ser cronico, devido a traumas da infância; defeito físico; discriminação e ofensa frequente; ou vida desregrada. O que se percebe é que as dores causadas pelo mesmo podem ser temporárias ou demoradas - afetando profundamente, tanto o ser físico como o ser moral.

No entanto, é nas Escrituras Sagradas que encontramos fundamentos claros para entender o sofrimento humano - sua origem e efeitos. Na Bíblia, percebemos que a causa primária do sofrimento é a queda do homem no Edem. Portanto, quando analisamos a doutrina da "Queda", nos damos conta das consequências desastrosas que esta experiência projetou sobre toda a humanidade. É assim que Deus se dirige ao primeiro casal: "E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a dor da tua conceição; em dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará. E ao homem disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei dizendo: Não comerás dela; maldita é a terra por tua causa; em fadiga comerás dela todos os dias da tua vida" (Gênesis 3.16.17). Em assim sendo, se considerarmos a relação de causa e efeito:, podemos admitir que o pecado é a causa e o sofrimento o efeito.

Portanto, se descartarmos os aspectos científicos e objetivos que definem este fenômeno - nos voltando apenas para o aspecto religioso, para definir o conceito; podemos propor que o sofrimento, de modo geral, é resultante de dois fatores principais; os quais produzem dois tipos de sofrimento - diferenciados entre si - sendo eles: O sofrimento provocado por falta do Evangelho na vida de uma grande parcela da humanidade. E o sofrimento provocado por causa do Evangelho na vida daqueles que servem a Deus. Na próxima postagem sobre este assunto, tentarei explicar melhor estes dois conceitos:

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário