sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Retalhos e lembranças

Foto: Existem dias em que, em oramos; mal conseguimos formular uma frase, face ao pranto inevitável. Hoje foi assim comigo. No entanto, sempre aprendemos algo em ocasiões assim. E hoje, como se uma janela panorâmica se abrisse, pude ver e aprender algumas coisas. Na verdade, qualquer lágrima derramada e esforço feito - quando se traduz em revelação e conhecimento - se torna altamente compensador ao coração que se deixa quebrantar e invadir pelo agir de Deus. Aleluia! Estou certo de que a eternidade será de algum modo marcada pelos retalhos e lembranças que levamos conosco, de momentos de profunda comunhão com Deus quando fazemos como Maria de Betânia; nos quedando, mansos e contritos, aos pés do Senhor.

Hoje, assim posicionado, percebi algo em que ainda não havia sequer pensado. E pude entender melhor a dor causada por traumas e lembranças do passado. Isso mesmo! A mágoa que se apega ao coração humano, assim como as cracas ao calado de um barco, vive a atualizar as dores causadas por fatos que não mais existem; a não ser na lembrança de quem teima em mante-los em vivos. Ao refletir sobre isto, o Espírito Santo me mostrou que as dores causadas por agressões e injustiças são dores pontuais, circunscritas ao momento em que se manifestaram. Então, aprendi que elas devem ser deixadas lá atrás, sem nos acompanhar ao longo da vida. Enfim, devem ser varridas com firmeza para o espaço exterior do nosso ser.

Existem dias em que, ao começarmos a orar, mal conseguimos formular uma frase; embargados que somos face ao pranto inevitável. Hoje foi assim comigo. No entanto, sempre aprendemos algo em ocasiões assim. E hoje foi como se uma janela panorâmica se abrisse; então, pude ver e aprender algumas lições importantes. Na verdade, qualquer lágrima derramada ou esforço feito - quando se traduz em revelação e conhecimento - se torna altamente compensador ao coração que se deixa quebrantar e invadir pelo agir de Deus. Aleluia! Estou certo de que a eternidade será de algum modo marcada pelos retalhos e lembranças que levamos conosco, de momentos de profunda comunhão com Deus; quando fazemos como Maria em Betânia; nos quedando, mansos e contritos, aos pés do Senhor.
 
Hoje, assim posicionado, percebi algo em que eu ainda não havia sequer pensado. Então, pude entender melhor a dor causada por traumas e lembranças de um passado conturbado. Isso mesmo! Aquela mágoa que se apega ao coração humano - assim como as cracas ao calado de um barco - vive sempre a atualizar as dores causadas por fatos que não mais existem, a não ser na lembrança de quem insiste em conservar os mesmos vivos em seu íntimo. Ao refletir sobre isto, o Espírito Santo me mostrou que as dores causadas por agressões e injustiças são dores pontuais, circunscritas ao momento em que se manifestaram. Então, aprendi que elas devem ser deixadas lá atrás, sem nos acompanhar ao longo da vida. Enfim, devem ser varridas com firmeza para o espaço exterior do nosso ser.
 
Portanto, este deve ser o modo de um filho de Deus proceder: "Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos. Seja a vossa eqüidade notória a todos os homens. Perto está o SENHOR. Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus. Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai." (Filipenses 4.4-8). Enfim, uma vida cheia destes valores, não terá lugar para ressentimento e mágoa em seu interior.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário