segunda-feira, 30 de junho de 2014

Pecado aos olhos de Deus


Mesmo com os crescentes problemas familiares observados em tantos lares cristãos, nestes tempos difíceis, ainda me surpreendo com a pressa de alguns em desfazer sua família, pondo fim ao casamento. Penso que o modo banal a que se reduziu este assunto, tem contribuído para dar aos casais em conflito, a ideia errônea de que a solução dos problemas de desajuste conjugal, está diante de um juiz. Infelizmente, aqueles que optam por este tipo de solução não percebem que, mesmo sendo este o último passo para a dissolução dos laços conjugais; pode ser também o primeiro passo para um nível mais agressivo de problema (mescla de boas e más recordações, filhos convivendo com um drama contagiante, futuro incerto, e por aí vai).
 
Entendo que, em certos casos, dores causadas por agressão verbal e física afetam profundamente o vínculo conjugal; agregando tristeza e angústia a ambas as partes, especialmente o cônjuge ofendido e maltratado pela violência de cônjuge. Em casos assim, o caminho mais indicado é recorrer ao auxílio do pastor ou de irmãos experientes, em busca de oração e aconselhamento. Existem também casos de infidelidade entre casais, quando as partes procuram desafogar suas mágoas em uma aventura extra conjugal. Tal ato não é só loucura; pois a quebra dos votos conjugais é pecado aos olhos de Deus; ainda que justificada por razões de consciência. Em qualquer dos casos, o melhor remédio ainda é o perdão e a reconciliação!
 
Embora o texto em destaque, foque a atitude do esposo; no entanto, ele se aplica também à esposa:
 
"Ainda fazeis isto outra vez, cobrindo o altar do SENHOR de lágrimas, com choro e com gemidos; de sorte que ele não olha mais para a oferta, nem a aceitará com prazer da vossa mão. E dizeis: Por quê? Porque o SENHOR foi testemunha entre ti e a mulher da tua mocidade, com a qual tu foste desleal, sendo ela a tua companheira, e a mulher da tua aliança. E não fez ele somente um, ainda que lhe sobrava o espírito? E por que somente um? Ele buscava uma descendência para Deus. Portanto guardai-vos em vosso espírito, e ninguém seja infiel para com a mulher da sua mocidade. Porque o SENHOR, o Deus de Israel diz que odeia o repúdio, e aquele que encobre a violência com a sua roupa, diz o SENHOR dos Exércitos; portanto guardai-vos em vosso espírito, e não sejais desleais. Enfadais ao SENHOR com vossas palavras; e ainda dizeis: Em que o enfadamos? Nisto que dizeis: Qualquer que faz o mal passa por bom aos olhos do SENHOR, e desses é que ele se agrada, ou, onde está o Deus do juízo?"
(Malaquias 2.13-17)
 
Na verdade, o cumprimento dos votos de fidelidade, feitos pelos cônjuges, são responsabilidade de ambos.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário