quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Eu vou ali orar

Com esta postagem, estou criando um novo "marcador" para o meu blog - com o titulo de: ORAÇÃO. Este não é o meu primeiro post sobre oração; já editei algumas postagens sobre oração ("Ensina-nos a orar"; "Oração, indispensável oração"; e "Sobre o dever de orar sempre"). Mas é o primeiro com o novo marcador.

"Então foi Jesus com eles a um lugar chamado Getsêmani, e disse aos discípulos: Sentai-vos aqui, enquanto eu vou ali orar" (Mateus 26.36).

De quando em vez, tenho sido cobrado em meu espírito, por um forte sentimento quanto a necessidade de oração. Não me refiro àquela oração formal ou superficial; e sim uma oração objetiva e profética - talvez uma oração de guerra. Mas, sobretudo, uma oração de profunda comunhão com o Pai e de intercessão continua pelos homens.

Quero chamar sua atenção para três expressões, neste texto, que me causaram uma profunda impressão:

1. Foi Jesus com eles

O termo indica que Jesus os levou a um lugar especial. Eles foram a caminho do Getsêmani. Penso ser importante destacar que, pouco antes do Getsêmani, Jesus havia estado em dois lugares de extraordinário significado: A aldeia de Betânia e o Cenáculo em Jerusalém. Estes dois lugares evocam lembranças comoventes para todos os cristãos, em todos os lugares do mundo, devido aos fatos ali vivenciados pelo Senhor Jesus.

Mas o Getsêmani torna-se muito especial, porque ali Jesus "derramou-se" em oração. Lágrimas, suor, e até sangue, esvaíram-se do seu corpo; corpo este super-aquecido pela profunda oração ali derramada. Jesus "foi com eles" ao lugar da oração. Quando nos dirigimos a este santo lugar, nunca chegamos sozinhos! Jesus sempre vai conosco, aleluia!

2. Sentai-vos aqui

O lugar secreto da oração mais profunda é, antes de tudo, um lugar de descanso. O maior peso da batalha da oração, é suportado primeiramente pelo Senhor (com lágrimas, suor e sangue); e depois, pelo Seu espírito (com gemidos inexprimíveis). Neste primeiro estágio da oração secreta, os três discípulos seriam os "estagiários". Cabia a eles, devidamente assentados, contemplar e aprender com aquele dramático momento que antecedeu as "dores do Messias".

Entretanto, o lugar não era apenas para descanso. Eles precisariam estar atentos ao que ali iria se passar. Na verdade, o lugar de assento era também um lugar de observação e aprendizado (algo parecido com a posição de Maria, em Betânia, assentada aos pés do Mestre - descansando e aprendendo).

3. Eu vou ali orar

Este é o ponto culminante desta postagem! Na verdade, somente Jesus conhece o ponto ideal da oração revestida de unção sobrenatural. Algumas vezes, não oramos; outras vezes, oramos pouco; e na maioria das vezes, oramos mal. É devido a isso que, em nossa condição de "estagiários", precisamos ficar atentos aos atos proféticos executados no "altar da oração secreta". Não podemos dormir - nem mesmo cochilar - em momento tão especial!

Sabemos, mediante a narrativa do texto, que os três privilegiados discípulos adormeceram no local (Jesus, inclusive, os exortou quanto a isso). Cansados como estavam, deixaram-se vencer pelo sono. É bem provavel que tenham perdido lições importantes, devido a essa desatenção. E nós não podemos incorrer em erro semelhante!

Cordialmente;
Bispo Calegari

Um comentário:

  1. MARAVILHOSA ESTA POSTAGEM SR. BISPO !OS AFAZERES DO DIA DIA ,MUINTAS VEZES NOS COLOCA NESSA CONDIÇÃO EM QUE OS DICÍPULOS ESTAVAM, PRESCIZAMOS FICAR ATENTOS AOS LAÇOS DO INIMIGO ,E SAIR DA INÉRCIA ESPIRITUAL !

    PAZ BISPO QUE O NOSSO DEUS CONTINUE A TE ABENÇOAR COM ESSAS MARAVILHOSAS MENSAGENS.

    ResponderExcluir