quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Confiança em Deus


Tenho acreditado que preciso por no Senhor a minha confiança. E ao dizer isto, não estou me referindo ao sentimento um tanto ingênuo de confiar descuidadamente; como, infelizmente, vejo muitos crentes fazerem. É comum vermos cristãos manterem um estilo de vida desregrada, sem parâmetros - vivendo o improviso de cada dia - sem se aperceberem que a vida de um filho de Deus deve ser pautada em um modo previdente de ser e de agir. Conheço exemplos de crentes equivocados quanto ao conceito de confiança em Deus. Vejam só: Alguns cristãos acham que o fato de fazerem seguro para sua casa ou veículo é falta de fé no cuidado de Deus. Outros pensam que tomar um medicamento contra certos males sofridos, faz deles incrédulos.
 
Precisamos entender que a nossa confiança em Deus não nos dispensa de agirmos com sensatez. Vivemos em um mundo perigoso; no qual devemos tomar todo cuidado possível, em nosso dia a dia. O próprio Jesus, ao nos alertar quanto ao risco que corremos no mundo, assim nos advertiu: "Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca." (Marcos 14.38). Neste texto, vemos que vigilância vem antes de oração. O que entendo nesta ordem é que nossa oração corre o risco de ser neutralizada, caso não haja da nossa parte contínua vigilância. Então, devemos ver esta questão do seguinte modo: Oração é dependência; vigilância é previdência; e ambas, quando conjugadas, revelam confiança.
 
Este texto é marcado pelo valor da previdência: "Houve uma pequena cidade em que havia poucos homens, e veio contra ela um grande rei, e a cercou e levantou contra ela grandes baluartes; E encontrou-se nela um sábio pobre, que livrou aquela cidade pela sua sabedoria, e ninguém se lembrava daquele pobre homem. Então disse eu: Melhor é a sabedoria do que a força, ainda que a sabedoria do pobre foi desprezada, e as suas palavras não foram ouvidas. As palavras dos sábios devem em silêncio ser ouvidas, mais do que o clamor do que domina entre os tolos. Melhor é a sabedoria do que as armas de guerra, porém um só pecador destrói muitos bens." (Eclesiastes 9:14-18). Creio que a previdência não enfraquece a confiança em Deus.
 
Aproveite para refletir sobre o real sentido da confiança em Deus, demonstrado nesta canção entoada por Cristina Mel:
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário