sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Entradas do meu ser


Depois de uma longa viagem, finalmente acordamos em Belo Horizonte. Algumas vezes, sinto saudades de minha cama; mas, sei que não devo me prender à ela. Maria Célia Calegari também sente isso... E carrega os nossos travesseiros conosco, para sentir algum vínculo com nossa casa, pelo menos enquanto dormimos em algum lugar por onde passamos. O Pastor Sidenilson e sua esposa Márcia estão pousando conosco, antes de retornarem para a Imw Central de Governador Valadares. Esta viagem missionária foi deveras cansativa; mas compensadora em todos os sentidos - tanto pelo sentimento de dever cumprido, como pela legião de amigos e irmãos que foram sendo encontrados e deixados ao longo dos quatro mil quilômetros percorridos. No entanto... A saudade insistiu em nos acompanhar na viagem de volta; e não tivemos como impedi-la de viajar em nossa companhia.
 
Nossa estada em S. Antônio do Descoberto, foi uma boa oportunidade para rever os pastores do Distrito de Goiânia. Tivemos uma abençoada reunião administrativa (ou de avivamento?) pela manhã; e no culto distrital, a "Mesa do Senhor" pôs fim - em grande estilo e poderosa unção - às visitas que fizemos, por cerca de vinte dias corridos. Me impressionou o modo como Deus falou e agiu em nosso meio! Pude sentir o quanto os crentes wesleyanos foram despertados e preparados para se achegar a Deus e resistir ao diabo. É verdade! Eu vi isso estampado no rosto e brilhando nos olhos dos pastores, obreiros, adultos, jovens, adolescentes e crianças. Observei comovido, o Presbítero Manoel, da IMW de Caldas Novas - com seus noventa e cinco anos de idade - após uma viagem de cerca de 300 km, exibir alegria, saúde e unção enquanto louvava e adorava a Deus conosco.
 
E, na manhã seguinte, senti prazer em retornar ao lugar de oração habitual, em Belo Horizonte, mesmo sentindo um forte desejo de continuar na cama; ainda bem que o Senhor me ensinou a separar as coisas... Portanto, a minha cama é o lugar do meu descanso; mas o meu lugar de oração é o meu lugar de comunhão. E preciso manter ambos ocupados, cada um em seu devido tempo! Enquanto eu orava, a poucos instantes, louvei a Deus por manter seladas as entradas do meu ser (olhos, ouvidos e lábios); tingindo-as de vermelho, para que Satã não tenha meios de romper minhas defesas. Em oração, senti a agradável sensação do vento em meu interior; sinal da presença do Espírito Santo, trazendo conforto e segurança a um crente enfraquecido pelo esforço. E isso me fez lembrar que só estou de pé porque este Ser sobrenatural habita em mim, inundando minha vida de luz e de paz!
 
Enquanto refletia sobre a importância de valores nem sempre notados; o meu coração foi levado a meditar nas Escrituras. Então, ao examinar este texto, percebi que o mesmo merece profunda reflexão da nossa parte: "E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito;" (Efésios 5.18). E, se investirmos um pouco mais nesta linha de meditação, nos daremos conta de que não é apenas o vinho que embriaga; existe também embriagues causada por ambição de poder e ambição de riqueza; e também a embriagues provocada por desejos carnais e paixões proibidas, que insistem em querer se introduzir na vida de um homem ou uma mulher de Deus, para então afastá-lo completamente do caminho do Senhor. E o único meio de evitarmos isso é nos enchermos do Espírito, através de uma vida de oração; pois, em um vaso cheio não cabe mais nada!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Um comentário:

  1. Encher-se do Espírito é a certeza de estar no centro da vontade de Deus, cercado por seus anjos e guardado por seu amor. Obgd pelo texto Bispo, é uma benção!

    ResponderExcluir