quarta-feira, 5 de outubro de 2011

O vale escuro

Salmo de Davi

"1 O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. 2 Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas. 3 Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome. 4 Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam. 5 Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda. 6 Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do SENHOR por longos dias" (Salmo 23)

Era uma vez... Um vale muito escuro

Este vale era tão escuro, que chegava até mesmo a assustar os mais intrépidos e corajosos guerreiros. Segundo as histórias escritas acerca desse vale sombrio - não foram poucos os que perderam sua pureza e saúde, ao passarem pelo mesmo. Alguns chegaram a pagar com a própria vida, ao resolverem transitar descuidadamente e por sua própria conta - por este perigoso vale.

No entanto, a muito tempo atrás, um jovem humilde e idealista, acabou sendo "empurrado" para este vale escuro; devido ao ciume e inveja de quem não se alegrava nem um pouquinho com o seu talento e simplicidade. É que circulava uma profecia. E nela constava que Deus levantaria um novo rei, que governaria com justiça e paz aquele pobre povo. Mas aquele jovem, alheio a tudo isso, ocupava o seu tempo entre o cuidado de um pequeno rebanho de ovelhas de seu pai e a missão de compor e cantar. É verdade! Ele era dotado de rara habilidade para compor belos e eternos poemas e dedilhar sua harpa, tirando dela o mavioso som produzido por seu dom divino. Segundo narrativas feitas a seu respeito; até mesmo as criaturas malignas - habitantes do vale escuro - temiam e se aplacavam, quando ele tangia sua harpa e cantava os seus suaves salmos.

E assim, perseguido pela inveja de quem não lhe queria bem - empurrado em direção ao vale escuro - foi obrigado a enveredar por suas trilhas sombrias. Ele não diz isso claramente... Todavia, ao examinarmos o "diário de sua vida", somos levados a crer que ele atravessou todo esse vale assustador, movido tão somente por sua fé no Deus de seus pais. E, nesta perigosa travessia; teve o cuidado de usar como referência, a poesia e o som dos mais belos salmos que conduziam os seus passos pelo vale da sombra da morte.

E assim, ele - mesmo ferido e quase destruído - conseguiu sobreviver e reencontrar o caminho do seu destino em Deus. Tornou-se um grande guerreiro e um monarca justo e piedoso, que procurou sempre o bem do povo por ele governado. Durante o seu reinado, tornou aquela terra tão prospera; que causava inveja até mesmo em nações longínquas. E, ao mesmo tempo, tão temida por seus adversários, que ninguém ousava intentar contra ela. Finalmente, ao terminar os seus longos dias, cercado do respeito e do amor de seus súditos; deixou ao seu sucessor uma herança de valor incalculável.

E assim termina esta história. O vale escuro não conseguiu destruir sua vida; nem impedir sua missão. E as profecias a seu respeito? Todas se cumpriram! O seu nome ainda se propaga por aquelas terras - registrado na história de sua nação - como um dos mais brilhantes governantes que este mundo já conheceu. E tudo isso, tão somente porque crera no Deus de seus pais e a Ele se apegara com amor e paixão.

É sabido por muitos, que este vale escuro ainda está por aí - assustando os viajantes sem rumo e, também, aqueles peregrinos com destino certo. As feras e seres da noite que nele se encontram, continuam a ameaçar e assustar - tanto os que são para este vale empurrados, como também os que resolvem nele perambular por vontade própria. Todavia... Aqueles que neste vale se encontram, só poderão sobreviver se forem guardados pelo Deus deste glorioso rei.

Ao resolver escrever esta história verdadeira, me recordei que fui obrigado a percorrer este vale algumas vezes - desde os meus dias de jovem pastor. Me lembro então de um cântico que tem tudo a ver com ela! Um cântico que cantei muitas vezes - a frente da pequena igreja sob meus cuidados pastorais, no tempo da minha juventude. Medite em sua letra:

"Pelo vale escuro, seguirei Jesus.
Mas por ti seguro, vendo a tua luz;
O meu passo incerto tu dirigirás.
Ao sentir-te perto, nunca perco a paz!

Breve a noite desce, noite de Emaús;
E meu ser carece de te ver Jesus.
Companheiro amigo, ao meu lado vem.
Fica ó Deus comigo - infinito bem!

Os espinhos tantos que me vem sangrar;
São remédio santo para me curar.
Onde existe a graça do bondoso Deus,
Tudo o que se passa me conduz ao céu!

Não há dor que seja sem divino fim.
Faze, ó Deus, que a Igreja compreenda assim;
Que, apesar das trevas, possa ver Senhor;
Que tu mesmo a levas, com imenso amor"!

Cordialmente;
Bispo Calegari

Um comentário:

  1. É, meu Pastor e Bispo, o vale é sempre arriscado e perigoso. Bom é estarmos nas montanhas e nos planaltos.Porém, tenho aprendido que a vida possui mais vales do que parece. Bem aventurado o homem que, com o Espírito Santo, caminha pelos vales, sem temor. A luz, do Senhor, o ilumina e aquece e ele prossegue, vitorioso e firme, até cumprir a sua missão. Amém ? Maranata !

    ResponderExcluir