terça-feira, 26 de julho de 2016

Urgente oração de guerra


É muito importante que o crente saiba o quanto é necessário orar (me refiro à oração costumeira, praticada em seu momento devocional). Todavia, mais importante ainda é a necessidade que o crente tem, de saber quando orar se torna prioridade absoluta (penso naquelas situações especiais, urgentes; em que a oração se apresenta como único recurso capaz fazer frente aos vendavais intermitentes que, de quando em vez, ameaçam consumir nossa paz, nossa saúde e nossas conquistas). Creio que, aos que sentem e percebem aquilo que eu também sinto e percebo; deve ter ficado claro que me refiro à oração de guerra; o tipo de oração que define o desfecho da nossas lutas.

Samuel precisou fazer urgente oração de guerra; quando percebeu que os israelitas estavam em grande perigo (1 Samuel 7:9). Nossos dias são tão perigosos - talvez tão trágicos como os maus dias que o povo viveu no passado; e neste tempo, além dos perigos gerais; cada um de nós vive o seu drama pessoal (quem já sofreu grandes provas em seu lar ou em sua saúde - quando orar se torna o único recurso - sabe o que digo). Devo dizer, que oração de guerra difere da oração preventiva (oração que pode bloquear males futuros) e da oração remedial (na qual, choramos males que poderiam ter sido evitados, se tivéssemos orado mais). É guerra travada no furacão! 

Neste texto, vemos Samuel fazendo a sua oração de guerra: "Por isso disseram os filhos de Israel a Samuel: Não cesses de clamar ao Senhor nosso Deus por nós, para que nos livre da mão dos filisteus. Então tomou Samuel um cordeiro de mama, e sacrificou-o inteiro em holocausto ao Senhor; e clamou Samuel ao Senhor por Israel, e o Senhor lhe deu ouvidos. E sucedeu que, estando Samuel sacrificando o holocausto, os filisteus chegaram à peleja contra Israel; e trovejou o Senhor aquele dia com grande estrondo sobre os filisteus, e os confundiu de tal modo que foram derrotados diante dos filhos de Israel." (1 Samuel 7:7-10). É assim que também devemos agir.

Muitas vezes, em meio à oração de guerra, penso nesta canção:
https://youtu.be/KzvR1sG1YmY

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário