segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Independência do Brasil


Neste feriado, levantei bem cedo para orar... E achei por bem orar pelo Brasil. Na verdade, creio ser um, dentre os muitos cristãos que se preocupam com o rumo em que segue a nossa nação, tal e qual um barco a deriva. Assim, neste Dia da Independência do Brasil... Não há muito que se comemorar. Especialmente se considerarmos, que já vivemos dias melhores do que os que hoje vivemos. E o país segue, afundado em dívidas e males causados pela ambição desmedida de homens e mulheres que poderiam ter trabalhado pela ordem e progresso do Brasil; caso não tivessem se deixado corromper, em apetite desenfreado por luxo, poder e riqueza. E assim agindo, em sua condição de governantes e legisladores; aceitaram um preço por sua honra e cidadania, se tornando cúmplices dos insaciáveis saqueadores do tesouro nacional.
 
Quanto a nós, filhos de Deus; situações assim - antes de nos causarem surpresa -devem nos manter em alerta. Pois as declarações proféticas da Palavra de Deus apontam para o estado de calamidade em que a humanidade vive - uns, reféns em sua própria terra; outros, procurando no exílio uma melhor sorte - desaguando em um tempo de crescente ameaça, de mais uma grande guerra; e desta vez, com o perigo de se acender o fogo atômico capaz de consumir grande parte de uma humanidade desanimada, cansada e empobrecida por suas infelizes escolhas. Nações maltratadas e confusas, adormecidas nos braços de deuses pagãos e falsos profetas; narcotizadas e cegas, enganadas; incapazes de perceber o quanto poderiam ser abençoadas e felizes; se tão somente aceitassem o Senhor Jesus, Salvador dos que creem.
 
Esta é uma das profecias bíblicas sobre o tempo do fim: "Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são o princípio de dores. Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão. E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo. E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim." (Mateus 24:7-14). Creio que vivemos este tempo, que exige perseverança do crente!
 
Este hino, do Guilherme Kerr, tem sido cantado no mundo inteiro; sempre relacionado com paixão missionária. Ele foi bastante cantado no congresso de evangelização mundial, na Coreia, em 1995 (Maria Célia e eu estávamos lá):
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário