sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Porção diária da graça


Cada dia em que me dirijo ao lugar de oração, em busca da porção diária da graça que me mantém de pé; sinto em meu espírito a necessidade de me manter na presença do Senhor, seja qual for a razão que tente me afastar dela. Creio que não há como ignorar o agravamento das tensões em todo o mundo; de tal modo que, mesmo aqueles países de cultura e tradições milenares estão a sofrer os efeitos das transformações assustadoras pelas quais este mundo está passando. Em alguns lugares deste planeta, cristãos estão sob intensa perseguição; e para estes, o desafio maior é o de permanecerem vivos até o dia seguinte; e de permanecerem fiéis em meio ao terrível modo como são caçados e torturados. Enquanto isso, em nosso país, muitos crentes são ensinados a ter como desafio maior a aquisição de um novo carro ou de uma casa nova... Como se o paraíso fosse aqui.
 
Enquanto eu estava em oração diante do Pai, intercedi pelos meus irmãos; me refiro àqueles que estão sob intensa provação em países do oriente, da Ásia e da África (já se somam em milhares os que estão padecendo por sua crença cristã). Não pude deixar de chorar... No entanto, chorei um pouco mais, pelo estado de espírito dos crentes que vivem em um país como o nosso; cujos conflitos são de outra natureza; tais como: Como conseguir sorte no amor; ou, como manter seus filhos em colégio particular; ou, como conseguir um melhor emprego; ou mesmo, como encontrar um templo que tenha espaço ou estacionamento favorável à segurança de seu carro (não estou insinuando que estes não sejam problemas; mas, tão somente, que não são tão prioritários como nós pensamos). Enfim... Em meio a esta estranha sensação, orei ao Senhor por dias mais seguros para Seu povo.
 
Este texto, em sua abordagem, não diz tudo:
 
"Tenho-vos dito estas coisas para que vos não escandalizeis. Expulsar-vos-ão das sinagogas; vem mesmo a hora em que qualquer que vos matar cuidará fazer um serviço a Deus. E isto vos farão, porque não conheceram ao Pai nem a mim. Mas tenho-vos dito isto, a fim de que, quando chegar aquela hora, vos lembreis de que já vo-lo tinha dito. E eu não vos disse isto desde o princípio, porque estava convosco. E agora vou para aquele que me enviou; e nenhum de vós me pergunta: Para onde vais? Antes, porque isto vos tenho dito, o vosso coração se encheu de tristeza. Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei. E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. Do pecado, porque não crêem em mim; Da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais; E do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado. Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora. Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir."
(João 16:1-13)
 
Todavia, ele diz tudo o que precisamos ouvir.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário