quarta-feira, 16 de julho de 2014

Lugar de mistério


Madrugada distante do amanhecer... No entanto, fui convocado a orar. Não consigo traduzir em palavras as dificuldades que encontrei para me manter em atitude de oração perante o Senhor. Se alguém pensa que orar é fácil; ou está tendo um privilégio que eu jamais tive; ou está confundindo a real atmosfera da oração secreta. É difícil entender tanta barreira existente e tanta luta travada no lugar de oração... Todavia, por mais intenso que seja o combate para prevalecer neste lugar de mistério; a causa que nos leva a orar e o que pretendemos alcançar, compensa qualquer sacrifício para ali permanecer.
 
Enquanto eu tentava me aprofundar em oração, chorei pela derrota do Brasil; não a derrota do Brasil do futebol - para a Alemanha - nesta Copa do Mundo (nossa derrota menor); mas a derrota do Brasil de todos nós... Na Copa da Saúde; na Copa da Educação; na Copa da Habitação; na Copa dos Transportes públicos; na Copa da Segurança Pública; na Copa da Infraestrutura. Enfim, o Brasil não se tornou perdedor nesta triste terça-feira; mas, vem sendo perdedor a muito tempo... Para os grandes lobby infiltrados em todas as instâncias do Poder que rege o país - causa e efeito das nossas maiores derrotas.
 
Então... Não devemos nos indispor contra aqueles onze rapazes perdidos em campo - sem saberem o que fazer nem para onde correr - por não terem conseguido resistir à pressão do preço do esforço que os rapazes alemães pagaram para nos derrotar; pois, afinal, maior derrota sofremos, quando agentes públicos dos Poderes que regem uma nação como a nossa se rendem ante o preço pago pelos oportunistas de plantão que sinalizam com elevadas somas e, assim, conseguem pagar o preço pelo qual se vendem (talvez - parafraseando o Barão de Itararé - eles valham bem menos do que aquilo que recebem).
 
Sempre nos faz um bem tremendo refletir sobre as advertências de Jesus:
 
"E disse-lhes: Acautelai-vos e guardai-vos da avareza; porque a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui. E propôs-lhe uma parábola, dizendo: A herdade de um homem rico tinha produzido com abundância; E ele arrazoava consigo mesmo, dizendo: Que farei? Não tenho onde recolher os meus frutos. E disse: Farei isto: Derrubarei os meus celeiros, e edificarei outros maiores, e ali recolherei todas as minhas novidades e os meus bens; E direi a minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e folga. Mas Deus lhe disse: Louco! Esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus."
(Lucas 12.15-21)
 
Precisamos definir onde está o nosso tesouro, antes que seja tarde demais!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário