quarta-feira, 23 de julho de 2014

Clausura auto imposta


Sábado pela manhã, enquanto eu me preparava para mais uma viagem (neste fim de semana estivemos visitando igrejas do Distrito de Mantena); fiquei a pensar naquelas pessoas - mesmo crentes - que resolveram se enclausurar dentro de si mesmas (e não são poucas). Em meu momento de oração, já havia levado ao Pai este problema; sentindo uma certa aflição por aqueles que assim procedem. Então, aprendi que o interior do ser humano é como um ambiente úmido, escuro; lugar impróprio para alguém se enfurnar; algo como se auto soterrar dentro de si mesmo. Na verdade, o propósito de Deus é nos libertar, inclusive desta prisão desconfortável e solitária; na qual os grilhões nela existentes são bem piores do que os feitos de ferro e aço.
 
Ao considerar este quadro; o fiz ciente de que Deus quer nos levar a ver a vida com outros olhos. E para tornar isto possível, o Seu Espírito quer nos conduzir - umas vezes pelo deserto, para amadurecer nossa paciência e perseverança; outras vezes por montanhas, para ampliar a nossa visão dos valores espirituais. Porém, na grande maioria das vezes, o Espírito Santo nos conduz em aparente rotina; para nos mostrar os detalhes do dia a dia; revelando a todos nós que precisamos desenvolver uma visão periférica. Ou seja, precisamos aprender a apreciar as coisas belas da vida, tais como: O canto mavioso dos pássaros, o perfumado desabrochar de uma flor; e... As pessoas que encontramos pela vida afora, a espera de nossa empatia e solidariedade.
 
Na verdade, quando passamos a viver uma vida com propósito - mais preocupados com o bem estar do nosso semelhante do que com nosso próprio bem estar - passamos a perceber alguns detalhes simples da vida; passando a dar especial atenção ao "MIX" de sorrisos e lágrimas de uma inocente criança; ao semblante visionário e desafiador de um jovem; aos traços de ansiedade e preocupação de um adulto; ao olhar cheio de mistério e nostalgia de um idoso. Enfim, aprendemos a discernir os conflitos existentes no coração das pessoas com quem convivemos; podendo ajudar em sua solução e libertação. E isso somente se torna possível, quando nos libertamos do nosso "ego", com tendências de intolerância e melancolia, e nos rendemos ao amor de Deus.
 
Se atentarmos para este testemunho de Deus a Abraão, veremos que existe nele uma exortação  implícita; nos desafiando a sair do enclausuramento a que nos auto impomos; pois Seu propósito é nos libertar de nós mesmos: "E eis que veio a palavra do SENHOR a ele dizendo: Este não será o teu herdeiro; mas aquele que de tuas entranhas sair, este será o teu herdeiro. Então o levou fora, e disse: Olha agora para os céus, e conta as estrelas, se as podes contar. E disse-lhe: Assim será a tua descendência. E creu ele no SENHOR, e imputou-lhe isto por justiça. Disse-lhe mais: Eu sou o SENHOR, que te tirei de Ur dos caldeus, para dar-te a ti esta terra, para herdá-la." (Gênesis 15.4-7). Não existe nada melhor do que ouvimos e obedecermos a voz de Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário