domingo, 27 de abril de 2014

Razão para ser feliz


Enquanto o Pastor Jorge Perim se encaminhou para o templo da IMW Central de Uberlândia, para sua oração diária da madrugada; eu me estendi em sua sala, diante do Pai, para manter minha chama acesa e crepitante. Já tenho dito, muitas vezes, que a oração deve ser uma atitude preventiva antes de ser uma atitude remedial. E, geralmente, a oração preventiva deve ser feita antes que o dia comece. Um dos sentimentos que me invade no lugar de oração; é o de saber que Deus me pôs entre os homens mais felizes deste mundo; e isto nada tem a ver com alguma conquista bombástica ou por algum bem adquirido. Na verdade, me sinto entre os felizardos, por saber que o caminho em que sigo me leva a uma ponte para a eternidade. E não tenho a menor sombra de dúvida quanto a isso.
 
Sou feliz por saber a Quem sigo! E esta alegria, ninguém pode tirar de mim. Também sei, que, enquanto eu mantiver os meus olhos postos no Autor da Vida - Jesus de Nazaré - não corro o menor risco de me perder, enquanto ando por lugares nem sempre favoráveis. E sinto um enorme prazer em poder orar ao Pai, na certeza de que minhas orações são ouvidas; não porque elas sejam melhores ou excelentes; mas, sim, porque a um quebrantado coração - consciente de sua pequenez e insignificância - Deus jamais deixará de ouvir. Portanto, sinto segurança por saber que, além de estar entre os mais felizes, estou também entre os menores. Enquanto em Sua presença intercedendo, procuro trazer comigo minha querida família; pois sei que na presença do Senhor, até o pranto tem sabor de "quero mais".
 
No entanto, preciso dizer aos que insistem em me julgar à seu critério: Seu julgamento não me incomoda nem um pouco. E digo isso porque sei, que, se sou fraco ou forte, pequeno ou grande, santo ou pecador; isso não será definido pelo modo como sou julgado pelos homens... E isso, ao mesmo tempo em que me traz alívio; também me assusta; pois, sei que Deus é o Justo Juiz que não terá o culpado por inocente. Portanto, preciso buscar andar em Sua presença e perseverar em Seu propósito; fazendo Sua vontade na medida do possível (dadas as minhas limitações) mas, convencido de que o Seu amor procura o meu bem e Sua graça trabalha em meu favor. Que bênção é andar sob o olhar do Pai, com os olhos postos em Jesus, sendo conduzido pelo Espírito Santo. Tenho ou não tenho razão para ser feliz?!

Creio que, quanto à questão do juízo temerário, este texto é bem esclarecedor:
 
"Que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus. Além disso, requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel. Todavia, a mim mui pouco se me dá de ser julgado por vós, ou por algum juízo humano; nem eu tampouco a mim mesmo me julgo. Porque em nada me sinto culpado; mas nem por isso me considero justificado, pois quem me julga é o SENHOR. Portanto, nada julgueis antes de tempo, até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas, e manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o louvor."
(1 Coríntios 4.1-5)
 
Assim, todos seremos julgados pelo Senhor; não somente quanto aos atos que praticamos; mas também quanto aos desígnios de um coração nem sempre puro.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário