domingo, 15 de agosto de 2010

Patrícia, a menina que sonhava ser veterinária

O caso que hoje vou narrar, revela o modo como nosso Deus age, para poupar Seus filhos das consequências de terríveis tragédias. Ou mesmo para reverter os efeitos de algo ruim que tenha acontecido com os Seus. Este maravilhoso caso ocorreu, quando fui pastor na IMW de Vila Nivi, no ano de 1985. O Senhor havia me trazido de Portugal a pouco tempo; e esta fora minha primeira nomeação após o regresso. A esta gloriosa experiência, darei o título de:

O livramento de Patrícia, "a meninazinha que sonhava ser veterinária".

Fui pastor de diversas famílias em Vila Nivi, com as quais sempre mantive um relacionamento pastoral afetivo e motivador, mesmo tendo sido seu pastor por tão pouco tempo. Uma das famílias que tive o privilégio de pastorear nessa ocasião, foi a família do Presbítero Amandio. O irmão Amandio era um homem excessivamente dedicado ao trabalho, sempre procurando algo que fazer, tanto em seu comércio, como em seu sítio. No entanto, suas multiplas ocupações não o impediam de estar em todas as reuniões, sendo sempre um dos mais pontuais na frequência aos cultos em Vila Nivi.

Logo de início, percebi que era um homem transparente e muito sincero. além de sua bela casa, que costumavamos frequentar de quando em vez, estive por diversas vezes em seu sítio, juntamente com Maria Célia, para passar momentos com Deus. Aliás, foi em seu sítio, que o Bispo Gessé, de saudosa memória, presidiu a primeira reunião do Colégio Episcopal, para elaborar o primeiro "Parecer dos Bispos". Sua esposa Fátima e suas filhas - Raquel, Eliana, Miriam e Patrícia, eram pessoas dóceis e sempre próximas do Pastor. Patrícia era a menorzinha - talvez uns três ou quatro anos, mas muito comunicativa. Ela afirmava sempre em alto e bom som: "quando crescer, quero ser veterinária, para cuidar dos bichinhos". E no seu dia-a-dia, percebia-se o carinho que nutria para com os mesmos. Gatinhos e cachorrinhos feridos; passaros maltratados; enfim... Todo animalzinho que encontrava, por mais ferido que estivesse, trazia com desvelo para o ambulatório que construira em sua imaginação infantil. Era mesmo uma veterinária em formação!

Num belo domingo, após o encerramento da Escola Dominical, desci para o salão social e fiquei conversando com alguns irmãos. De repente, desce o irmão Amândio pela escada de acesso (aquela escada que liga o salão social ao templo), com Patrícia no colo, demonstrando desespero. Ao perceber marcas de rodas em seu corpinho; em diagonal, de um lado a outro, entre o estômago e a coxa, ví que o caso era grave. Ele, chorando, me entregou a menina e eu levantei-a nos braços, repreendendo todo o mal em nome de Jesus, e declarando a vitória do Senhor sobre aquela criança. Em seguida, fomos para o hospital. No trajeto, ele foi contando o que acontecera: uma irmã, em seu carro cheio de crianças, estava manobrando para sair da vaga, do outro lado da rua, em frente à igreja. Ela não percebera que Patrícia, do outro lado do carro, tentava se comunicar com as crianças que estavam dentro. Ao fazer a manobra para sair da vaga, o pneu do veículo, além de derrubar Patrícia ao chão, passou por cima do seu corpinho. Foi um infeliz acidente. Chegamos ao hospital com Patrícia práticamente desmaiada. Lembro-me perfeitamente que o médico de plantão, a ver a extensão das marcas da roda, fez cara de desalento. Em seguida, encaminhou a menina para o raio-x. Após algum tempo, ele mesmo deu a notícia: Nenhum órgão se rompera; nenhuma fratura. Era como se nada tivesse acontecido. Patrícia retornou, bem disposta e livre de perigo. Deus agira e tudo se normalizara!

Lembro-me perfeitamente do sentimento de gratidão estampado no rosto do Presbítero Amândio e da irmã Fátima. Deus, naquele dia, os poupara de lágrimas de dor e agonia. E a Patrícia? É hoje uma competente Médica Veterinária, como sempre afirmara que seria. Experiências assim, me fazem cair prostrado aos pés do meu Senhor, em profunda gratidão a Ele; por poder nutrir com elas os bastidores da minha memória.

Cordialmente;
Bispo Calegari

3 comentários:

  1. Poxa... fiquei emocionada em lembrar da minha historia e de como Deus cuida da nossa vida nos MINIMOS detalhes!!! Saudades da familia Calegari na casa dos meus pais!!! Fica na Paz!

    ResponderExcluir
  2. Deus protege seus escolhidos por onde quer q ele for...Histórias como a de Patricia só me fazem cada vez ter mais certeza de que o Deus que sirvo opera milagres e não desampara um escolhido seu em nenhum momento.A paz!
    Luciana Oliveira

    ResponderExcluir
  3. Deus protege seus escolhidos por onde quer q ele for...Histórias como a de Patricia só me fazem cada vez ter mais certeza de que o Deus que sirvo opera milagres e não desampara um escolhido seu em nenhum momento.A paz!Luciana Oliveira

    ResponderExcluir