domingo, 31 de março de 2013

Ressurreição de Jesus

 
E, NO fim do sábado, quando já despontava o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro. E eis que houvera um grande terremoto, porque um anjo do Senhor, descendo do céu, chegou, removendo a pedra da porta, e sentou-se sobre ela. E o seu aspecto era como um relâmpago, e as suas vestes brancas como neve. E os guardas, com medo dele, ficaram muito assombrados, e como mortos. Mas o anjo, respondendo, disse às mulheres: Não tenhais medo; pois eu sei que buscais a Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui, porque já ressuscitou, como havia dito. Vinde, vede o lugar onde o Senhor jazia. Ide pois, imediatamente, e dizei aos seus discípulos que já ressuscitou dentre os mortos. E eis que ele vai adiante de vós para a Galiléia; ali o vereis. Eis que eu vo-lo tenho dito. E, saindo elas pressurosamente do sepulcro, com temor e grande alegria, correram a anunciá-lo aos seus discípulos. E, indo elas a dar as novas aos seus discípulos, eis que Jesus lhes sai ao encontro, dizendo: Eu vos saúdo. E elas, chegando, abraçaram os seus pés, e o adoraram. 10 Então Jesus disse-lhes: Não temais; ide dizer a meus irmãos que vão à Galiléia, e lá me verão."
(Mateus 28.1-10)
 
Este texto - e outros afins - não expressa simplesmente o testemunho de um discípulo entusiasmado em sua fé; ou mesmo o de um apóstolo plenamente convicto de um fato verídico. Na verdade, este é o testemunho de um ser celestial envolto em brilho; testemunho despido de qualquer conteúdo emocional ou religioso comum! Portanto, é inegável que temos o testemunho de anjos e de homens; de que Jesus ressuscitou dentre os mortos. Aleluia!
 
Naqueles dias, centenas de pessoas O viram ressurrecto; e, centenas de milhares de homens e mulheres foram profundamente impactados pelo testemunho de homens simples; porém, convictos de que Jesus ressuscitara e ascendera aos céus. E aonde eles iam, exaltando o Cristo vivo, os inimigos tentavam calar sua voz; mas, não lograram êxito. E quanto mais a Igreja sofria a opressão dos homens; mais ela recebia a unção de Deus. Amém!
 
Então, podemos afirmar que não temos a nosso favor apenas uma declaração de fé, baseada em uma confissão religiosa. Temos o testemunho do próprio Deus! Não importa o quanto os incrédulos tentem negar este glorioso fato. Jesus ressuscitou e ascendeu aos céus; de onde voltará para reunir em um só rebanho, todos aqueles que O esperam com fé e temor. E nesse glorioso dia, anjos e homens exultarão de prazer! Ora vem, Senhor Jesus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 29 de março de 2013

Paixão de Cristo


 



A Crucificação

33 E, quando chegaram ao lugar chamado a Caveira, ali o crucificaram, e aos malfeitores, um à direita e outro à esquerda. 34 E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. E, repartindo as suas vestes, lançaram sortes. 35 E o povo estava olhando. E também os príncipes zombavam dele, dizendo: Aos outros salvou, salve-se a si mesmo, se este é o Cristo, o escolhido de Deus. 36 E também os soldados o escarneciam, chegando-se a ele, e apresentando-lhe vinagre. 37 E dizendo: Se tu és o Rei dos Judeus, salva-te a ti mesmo. 38 E também por cima dele, estava um título, escrito em letras gregas, romanas, e hebraicas: ESTE É O REI DOS JUDEUS. 39 E um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo, e a nós. 40 Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação? 41 E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez. 42 E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino. 43 E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso. 44 E era já quase a hora sexta, e houve trevas em toda a terra até à hora nona, escurecendo-se o sol; 45 E rasgou-se ao meio o véu do templo. 46 E, clamando Jesus com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isto, expirou. 47 E o centurião, vendo o que tinha acontecido, deu glória a Deus, dizendo: Na verdade, este homem era justo."
(Lucas 17.33-47)

No dia de hoje levantei-me bem cedo; para fazer aquilo que sempre faço: Buscar a presença de Deus em meio aos rumores de guerras de nações; aos sucessos e fracassos de muitos; aos ufanismos e desânimos de tantos; e às dores e aflições de todos nós. Enfim... Nada de novo debaixo do sol! A bem da verdade, este seria um dia igual aos demais, caso não houvesse neste dia a comemoração de um fato que é motivo de esperança de melhores dias para todos os homens e mulheres que habitam este globo terrestre que ainda nos suporta: A paixão de Cristo!
 
E no dia de hoje, comemoramos aquele dia em que - sem que a humanidade soubesse - foi consumado o mais ousado plano de resgate do ser humano, jamais imaginado por quem quer que seja; transformando o seu Agente na figura mais importante de toda a história humana. E este plano redentor iria exigir o maior dos sacrifícios e a maior demonstração de amor já vista entre os homens. E naquela cruz de dor e sofrimento, o mundo se dividia em duas partes. Ali, finalmente, a miséria contagiante de Adão seria substituída pela riqueza contagiante de Jesus.
 
Assim, naquela cruz de sangue, se abria um portal para a eternidade; que se inicia a partir do "Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo." (João 1.29), que é o próprio Jesus crucificado; percorre "o caminho, e a verdade e a vida" (João 14.6), que é o próprio Jesus mediador; e termina diante do "Leão da tribo de Judá" (Apocalipse 5.5), que é o próprio Jesus entronizado. Dia bendito aquele - hoje comemorado - em que os meus pecados foram apagados e minha alma foi salva! Dia, sem o qual eu não seria hoje o que sou, pela graça do Deus eterno!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 27 de março de 2013

Natureza humana


Hoje me puz a pensar na mente e na natureza humana... E posso afirmar que esta não é uma reflexão simples. No entanto, tenho uma grande ajuda da Bíblia. Pois a Palavra de Deus revela dois tipos de mente e dois tipos de natureza: 1. Existe a mente condicionada e dirigida por conceitos e reflexões evolutivas; e existe também a mente dominada por surtos e transtornos. 2. Existe a natureza humana "in natura" - não renascida - que traz consigo a herança de Adão, resultante de sua queda no Éden; e também existe a natureza recriada - mediante o novo nascimento - que traz a herança transmitida por Jesus, resultante de sua morte na Cruz. E isto que digo é tão real como o ar que respiramos e a água que bebemos.
 
Quando um homem é direcionado pelos transtornos de sua mente, ele pode se tornar um perigo até para os seus familiares; pois, em um surto, pode ferir e até matar - mesmo a alguém que ama - sem se dar conta disso. Já tenho me deparado com casos de agressão violenta - quase resultante em tragédia - devido a piques de transtorno. E, infelizmente, mesmo um cristão fiel e consagrado pode ser tomado de fúria momentânea e perigosa. Temos até o exemplo de Pedro, quando este pegou uma espada e feriu alguém que estava presente na prisão de Jesus: "Então Simão Pedro, que tinha espada, desembainhou-a, e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita. E o nome do servo era Malco." (João 18.10)
 
No entanto, o homem condicionado por uma mente brilhante - sendo constituído de uma natureza caída e não renascida em Cristo - ainda que ele tenha uma boa formação e bons modos; o mesmo representa uma ameaça muito maior do que aquela proveniente da loucura; pois, quando dominado por egoismo e ganância, suas ações serão frias e premeditadas, visando apenas os seus interesses. E assim, quando em poder e evidência, pode matar sorrindo; pode devastar uma floresta inteira para auferir lucro indevido; pode degradar uma cidade ou nação, movido por vaidade; pode roubar e ainda ser aclamado como herói pelos que não conhecem a verdade a seu respeito... Enfim, pode destruir aos poucos a humanidade inteira, caso Deus não interfira.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 26 de março de 2013

Oração que floresce


Alguns dias atrás, hospedado em um hotel em Vitória da Conquista, tentei me dirigir ao lugar de oração; todavia, o meu corpo cansado tentou me convencer de que eu poderia orar uma outra hora. Mas o Espírito Santo veio e me ajudou a chegar e orar. Ele me convenceu, ao me fazer lembrar o agir e o falar de Deus no culto da noite anterior, na IMW de Vitória da Conquista; revelando que uma coisa é decorrente da outra! São momentos assim que me fazem ver o quanto é bom andar sempre na presença de Deus.
 
Enquanto eu orava, fui convencido pelo Espírito que não existe melhor remédio para curar nossas dores; ou, melhor resposta para nossas indagações; ou mesmo, melhor meio para vencermos nossas lutas, do que aquilo que recebemos de Deus enquanto oramos. Todavia, não estou me referindo ao nível comum e superficial de oração; e sim, à oração que floresce de um coração quebrantado e contrito... Oração que é feita diante do Deus eterno, em nome do Seu santo filho Jesus e sob a unção do Seu Espírito.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 25 de março de 2013

Desafio da Chapada Diamantina

Foto: Ontem eu tive o grande prazer de participar do culto na IMW de Jequié; encerrando assim o meu "giro episcopal" na sede do Distrito de Jequié. Deus me concedeu graça especial para esta visita. O texto que o Espírito Santo gravou em meu espírito - para pregar nas quatro igrejas visitadas - é o que está registrado no Evangelho de João 15.1-17. A mensagem divina por mim ministrada, versou sobre "Relacionamento": Com Deus e com os homens. Embora o texto tenha sido o mesmo; as mensagens foram diferentes, devido a poderosa unção que revestiu o meu coração para pregar a Palavra do Deus eterno.

Nestas visitas que fiz, pude constatar o nível de crescimento e de maturidade das igrejas visitadas. Tanto a IMW de Vitória da Conquista - sob os cuidados pastorais do Pastor José Barbosa e sua esposa Vera; como a IMW de Barra da Estiva - pastoreada pelo Pastor Edmar Ferreira e sua esposa Andréia; e a IMW de Lapão - presidida pelo Pastor Marcelo Souza Moraes e sua esposa Valdirene; culminando com a IMW de Jequié - sob o pastorado do Pastor Raimundo Matos e sua esposa Sonia... Enfim, igrejas cumprindo com alegria e frutos, o "ide" de Jesus.
 
Ontem eu tive o grande prazer de participar do culto na IMW de Jequié; encerrando assim o meu "giro episcopal" na sede do Distrito de Jequié. Louvei a Deus pela orquestra preparada e deixada pelo Daniel - filho do Pastor Raimundo Matos - antes de se ter mudado para o Rio Grande do Sul. Senti que Deus me concedeu graça especial para esta visita. O texto que o Espírito Santo gravou em meu espírito - para pregar nas quatro igrejas visitadas - é o que está registrado no Evangelho de João 15.1-17. A mensagem divina por mim ministrada, versou sobre "Relacionamento": Com Deus e com os homens. Embora o texto tenha sido o mesmo; as mensagens foram diferentes, devido a poderosa unção que revestiu o meu coração para pregar a Palavra do Deus eterno.
 
Nestas visitas que fiz, encontrei uma situação bem melhor do que eu imaginava encontrar; pois, pude ver o nível de crescimento e de maturidade existente nas igrejas visitadas. Pude ver que os seus obreiros estão bastante motivados. Tanto a IMW de Vitória da Conquista - sob os cuidados pastorais do Pastor José Barbosa e sua esposa Vera (eles são muito ajudados por suas filhas, Priscila e Poliana com seus respectivos esposos); como a IMW de Barra da Estiva - pastoreada pelo Pastor Edmar Ferreira e sua esposa Andréia; a IMW de Lapão - presidida pelo Pastor Marcelo Souza Moraes e sua esposa Valdirene; e a IMW de Jequié - sob o pastorado do Pastor Raimundo Matos e sua esposa Sônia... Enfim, igrejas cumprindo com alegria e frutos, o "ide" de Jesus.
 
Quando eu viajei para este "giro" estava preocupado com o estado geral da IMW de Lapão; todavia, Deus está revertendo a situação desfavorável e trazendo novo alento para aquela igreja. Em cada uma destas igrejas, eu pude ver o mover sobrenatural de Deus; sentindo em cada culto - com os templos repletos - uma atmosfera de renovação e prenúncio de avivamento. Percebi que Deus tem despertado homens e mulheres para promover a expansão da IMW nos diversos municípios espalhados em toda a extensão da Chapada Diamantina. Senti alegria por ver que tanto os Pastores como os seus obreiros locais transpiram visão missionária. Enfim, o ambiente está propício para a abertura de novas frentes de trabalho wesleyano nas cidades de Jequié e Vitória da Conquista.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 23 de março de 2013

Resistência do "eu"


Pai amado; ao me levantar esta madrugada para orar, precisei fazer um grande esforço interior. Em nossa vida, são tantas as necessidades que nos convocam para estar em oração; mas, são tantos os obstáculos a tentar nos impedir de orar... No entanto, o maior dentre eles está dentro de cada um de nós: Uma espécie de resistência do "eu". É nessas horas que entendo melhor o fato de que, dentre as pessoas que mais necessitam orar, estão aquelas que menos oram. E não estou pensando apenas naquele crente taxado de fraco ou de carnal; pois até mesmo certos obreiros de grande comprometimento com a Tua obra acabam se situando entre aqueles que menos oram. Preocupante isso!
 
Tenho plena convicção de que satã encontra um forte aliado em nossa natureza carnal, para enfraquecer e paralisar a nossa vida de oração. As vezes, somos tão bem dispostos para nos envolvermos com qualquer assunto ou diversão que surge; mas... Quando se trata de orar, parece que não temos tempo. E em função desta omissão, vemos nossa família se enfraquecer e desanimar; vemos nossa igreja se esfriar e definhar; vemos o nosso próprio espírito ser amordaçado e anulado por uma alma que clama por prazer e diversão; ativa e interativa com tanta coisa que não convém a líderes cristãos. E o pior, querido Pai, é que esta tendência vem crescendo à cada dia. Lamentável isso!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 22 de março de 2013

Visita em Nova Viçosa


Em meu giro episcopal, alguns dias atrás, Célia e eu estivemos em visita ao Pastor Dejair Abelha e sua esposa Marta Abelha; na cidade de Nova Viçosa, no extremo sul da Bahia. Chegamos em sua casa a tempo de almoçar com eles. Após um breve descanso, fomos dar uma volta por esta pequena e aconchegante cidade do litoral baiano; que já conhecíamos de visitas anteriores. Eles assumiram a IMW de Nova Viçosa em janeiro último e não conseguem esconder a satisfação que sentem nesta missão. Ali pudemos sentir a alegria do casal se traduzir em palavras de motivação, em todas as conversas que mantivemos.
 
A noite, a família pastoral recebeu a visita do casal Eliene e Paulo Machado, membros desta igreja, que vieram nos conhecer e trazer um abraço de sua filha e de seu genro Rodrigo - amigos de longa data do nosso filho Pastor Calegari e de nossa nora Simone. Conversamos bastante sobre a obra do Senhor e os desafios que estão diante do novo pastor. Intercalamos momentos de seriedade e sorriso durante todo o tempo da conversa. Ao final, fomos descansar; devido a viagem que teríamos de fazer no dia seguinte. E saímos dali plenos da convicção de que o ministério do Pastor Dejair será próspero em Nova Viçosa.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 21 de março de 2013

Não sou meu juiz


Obrigado, Senhor; por estar em Tua presença na manhã deste dia, sentindo em mim o mover do Teu Espírito, que me quebranta e me motiva. Sou grato a Ti por tudo o que sou e por tudo o que tenho. No entanto, sei muito bem que o homem nem sempre é aquilo que aparenta em seu exterior. Sei que uma vida não é necessariamente suja, simplesmente por estar exteriormente suja; e também sei que o fato de alguém se apresentar limpo e perfumado, isso não torna esse alguém limpo por dentro. Enfim, tenho aprendido que aquilo que vemos momentaneamente em alguém não define o seu real estado de alma e de espírito.
 
Talvez seja por isso que eu as vezes me sinta constrangido em Tua santa e gloriosa presença; pois, não trago em meu ser a leveza ou a perfeição dos anjos. Até porque carrego comigo os traços de humanidade que me limitam no tempo, no espaço; e... No padrão de santidade que eu deveria ter e não consigo. Não sou meu juiz; portanto, não me condeno nem me absolvo por ser alguém tão frágil e impotente em um mundo sem futuro, corrompido e decadente. Todavia, alegro-me sobremodo por saber que sou alguém que Te ama e Te busca, tendo sido achado e restaurado por Ti. Enfim, sou o que sou pela graça do Pai!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 19 de março de 2013

Então virá o fim


Na justa medida em que os dias vão passando, tenho percebido o quanto é difícil para um verdadeiro cristão, conciliar os valores espirituais e morais que adquiriu ao longo do tempo, com os deveres e responsabilidades que justificam sua existência neste mundo. Eu mesmo tenho procurado viver minha vida no padrão de qualidade que considero normal, em conformidade com a Palavra de Deus; mas, percebo que vida com Deus e conduta íntegra são hoje consideradas práticas anormais em um mundo que perdeu o rumo.

E assim, no crescente estado de confusão em que a humanidade caminha, a intolerância vem se tornando fenômeno crescente e assustador. E, por incrível que pareça, a maioria dos grupos nos quais ela predomina com maior intensidade, são justamente os grupos constituídos de algumas minorias; alguns dos quais vem procurando a qualquer custo, impor padrões de conduta bem distantes dos hábitos e tradições da maioria das pessoas. E como se isso não bastasse, já cresce a intolerância até para com a Palavra de Deus!
 
Parece que não falta muito para chegarmos ao padrão comum dos dias de Ló. Naqueles dias, era uma atitude de risco hospedar um anjo em casa. E preservar os princípios da família era u'a missão nem sempre bem sucedida. O próprio Ló não obteve sucesso em sua missão de manter a pureza de sua esposa e filhas; pois, no instante em que a crise "bateu à porta", elas fizeram escolhas erradas. E vemos diminuir as diferenças entre os nossos dias e aqueles. Só nos resta pedir a Deus que nos guarde do mal que está por vir!
 
"9 Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. 10 Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão. 11 E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. 12 E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará. 13 Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo. 14 E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim."
(Mateus 24.9-14) 
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 18 de março de 2013

Lugares que devo evitar


Amado Pai; ao estar no lugar de oração, buscando Tua face, pude sentir o quão bom e seguro é estar em Tua presença! É como se a paz do céu pudesse ser tocada neste lugar especial. Como me faz bem perceber que bondade e segurança flutuam por aqui - como cristais de neve esvoaçando ao sopro do vento - antes de chegarem ao solo fértil do lugar de oração. Lugar onde minhas orações são ouvidas e respondidas, embora eu saiba que não se trata de um lugar específico e sim uma atitude de coração sincero e quebrantado; pois... Todo lugar se torna solo sagrado, quando alguém nele se prostra na presença do Deus eterno; como estou fazendo agora! Obrigado Espírito Santo, por estar comigo aqui, intercedendo em meu favor!
 
No entanto, Pai de amor, este lugar em que devo sempre estar me faz lembrar de lugares que devo evitar. Já tenho me referido a lugares onde Tua graça não pode me proteger; e tenho sido até questionado por isso. Mas, infelizmente, tenho consciência de que o simples fato de alguém discordar de mim quanto a isso, não anula a triste verdade que exponho nesta afirmação. Pois, com efeito, estes lugares existem e são perigosos. E o seu perigo reside especialmente no fato de sua aparência ser festiva, cheia de luzes e cores; na maioria das vezes camuflando um ambiente lúgubre; a transpirar dor e sofrimento, sob uma prisão disfarçada de liberdade. E os sentimentos são disfarçados sob o ruído de uma alegria aparente.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 17 de março de 2013

Coisas de Pastor

 
Como já é do conhecimento de todos aqueles que seguem e acessam o meu blog, tenho por costume postar quase que diariamente minhas experiências com o Senhor e minha visão do reino de Deus; seja narrando as minhas visitas às igrejas da 2ª Região Eclesiástica, seja em forma de oração, ou mesmo mediante uma palavra pastoral. Hoje, no entanto, achei por bem postar este artigo do Pastor Douglass Suckow - pastor titular da IMW do bairro Cidade Nova, em Porto Velho - Rondônia.
 
Coisas de Pastor
 
"A igreja, ainda que seja uma instituição organizada, não pode ser confundida com uma empresa, quando o assunto é o oferecimento de serviços por uma equipe. O pastor não é o chefe e seu grupo de liderança não são os empregados. O pastor também não é um mero "coaching gospel".

O pastor tem que ser o grande facilitador do desenvolvimento de habilidades pessoais dos irmãos e deixá-los à vontade para exercitá-las em prol do bem estar de outros e em prol do Reino de Deus, encorajando-os a prestarem um serviço com excelência, amor e em equipe, mesmo lembrando que cada um responde de uma maneira, uns desenvolvendo mais e outros menos, mas todos desenvolvem e precisam fazê-lo. Nisto é necessário paciência, orientação, sensibilidade, insistência, perseverança, instrução, exercício, oração e AMOR.

Os resultados virão e serão a consequência da voluntariedade dos irmãos e de suas habilidades, quando integradas bem aplicadas e bem geridas, temperadas com boa motivação e muito amor. E não é só isso, ainda é muito mais... Quem quiser continuar, fique à vontade."
Pr. Douglass Suckow
 
E assim, espero ter dado alguma contribuição para o auxílio e a edificação dos pastores e de suas igrejas; ao estender aos meus amigos e seguidores deste blog, esta palavra edificadora que resume muito bem os limites de convivência e de responsabilidade, na relação pastor/ovelhas & líder/liderados.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 16 de março de 2013

Dimensão do clamor


Dias atrás, eu estava em Itanhém - no lugar de oração - prostrado diante do Deus eterno. Enquanto orava, tive a impressão de que os céus estavam nublados... Em alguns momentos parecia fechado. Mas insisti em buscar a face do Senhor, mesmo com a incômoda sensação de que o céu estava fechado e escuro. Todavia, não me deixei intimidar pelas barreiras espirituais existentes no momento de oração; preferi entrar na dimensão do clamor; mas... Nada parecido com aquele grito externo e ruidoso de um coração em luta; e sim, um grito no íntimo - não emitido não por voz ou no mundo físico - ecoando no mundo espiritual.
 
Creio ser importante que eu diga: Esta não é a primeira vez (e provavelmente não será a última) que passo por tão desagradável experiência. Em minha vida espiritual, desde muito cedo eu aprendi que nossa luta contra as forças do mal é constante. Afinal de contas, temos inúmeros opositores no mundo espiritual; e eles se utilizam de todos os meios possíveis para nos demover de buscar a face do Senhor. O próprio Jesus sofreu este tipo de atentado quando esteve no Getsêmani; e precisou lutar por três vezes seguidas, chegando a derramar sangue em forma de suor, até que a barreira fosse rompida e os céus se abrissem.
 
Jesus no Getsêmani
 
"39 E, saindo, foi, como costumava, para o Monte das Oliveiras; e também os seus discípulos o seguiram. 40 E quando chegou àquele lugar, disse-lhes: Orai, para que não entreis em tentação. 41 E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e, pondo-se de joelhos, orava, 42 Dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua. 43 E apareceu-lhe um anjo do céu, que o fortalecia. 44 E, posto em agonia, orava mais intensamente. E o seu suor tornou-se em grandes gotas de sangue, que corriam até ao chão. 45 E, levantando-se da oração, veio para os seus discípulos, e achou-os dormindo de tristeza. 46 E disse-lhes: Por que estais dormindo? Levantai-vos, e orai, para que não entreis em tentação."
(Lucas 22.39-46)
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 15 de março de 2013

Triunfalismo preocupante

 
"Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas."
(Mateus 11.29)
 
Tenho percebido que a Igreja evangélica vai sendo envolvida por uma atmosfera de triunfalismo; e esta atmosfera é nutrida e encorajada com a composição das mais diversas canções; muitas das quais, tanto podem ser consideradas geradoras deste sentimento; como também, promotoras de uma visão triunfalista. E me antecipo em afirmar que o meu objetivo não é criticar esta tendência; pois sei muito bem que a Palavra de Deus nos exorta a vencer em Cristo Jesus; a conquistar em Cristo Jesus; e a triunfar em Cristo Jesus. Logo, discordar desta esperança é discordar das promessas de Deus. Todavia, existem limites.
 
Nos dias de hoje, vejo uma ênfase demasiada e quase sempre equivocada em uma proposta triunfalista. Digo isso porque, em muitas canções deste gênero, o foco está voltado para prosperidade financeira, conquistas materiais e poder temporal. Algumas canções chegam mesmo a utilizar termos que transpiram provocação; como se estivéssemos em guerra com quem pensa diferente de nós; ou combatendo rivais e desafetos. Além disso, é triste ver que algumas canções cristãs estão propondo perigosas fórmulas de vida cristã; como uma espécie de plataforma doutrinária eivada de ensinos sem qualquer base bíblica.
 
No entanto, quando examino esta questão à luz das Escrituras, vejo com clareza que o triunfo ali proclamado segue uma outra vertente, muitas vezes ignorada em várias canções de louvor que primam por este foco. Então, fica claro aos meus olhos que - nas Escrituras Sagradas - o triunfo está, na maioria das vezes, ligado à vida futura e à eternidade. E que - na relação de causa e efeito - suas causas, de modo geral, estão relacionadas à vida com Deus e seus efeitos geralmente ligados à renúncia e perseverança; com forte ênfase da crucificação do "eu". Enfim, não estou simplesmente criticando; mas... Apenas alertando.
 
"não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais"
(Efésios 6.12)
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 13 de março de 2013

Visita à IMW de Medeiros Neto-BA




Neste giro episcopal que Célia e eu estamos fazendo no extremo sul da Bahia; estamos encerrando hoje a visita feita à cidade de Medeiros Neto. Tanto em Itanhém como aqui, Célia e eu temos visto o agir de Deus no trabalho da IMW. E louvamos a Deus pela dedicação destas duas famílias mineiras, servindo a Deus no sul da Bahia. Tanto o Pastor Jefferson Kelly como o Pastor Marcos Oliveira - juntamente com os seus familiares, têm dedicado alguns anos de sua vida a serviço destas cidades do extremo sul da Bahia.

E, como resultado desta entrega, é admirável ver os frutos colhidos pela IMW de Medeiros Neto: O templo central - de belíssima arquitetura - e seus anexos já concluídos; o templo de uma das congregações em adiantada fase de construção; outra congregação trabalhando a compra de sua propriedade; e mais duas congregações em cidades vizinhas. Existem ainda vinte células do GCEU em pleno funcionamento na cidade, com alvo previsto de trinta células GCEU na cidade até o final do ano. Glória a Deus!

Na segunda-feira, participamos de um jantar de trabalho com casais que fazem parte da liderança desta igreja, em um clima de fé e contagiante entusiasmo. Ontem, participamos de um culto marcado por maravilhosa unção de Deus, com o templo repleto; e com o culto infantil sendo realizado em simultâneo. Célia e eu agradecemos ao Daniel por nos ter cedido o seu quarto tão confortável; e a hospedagem "cinco estrelas" oferecida por esta querida família. Louvamos a Deus pela vida e ministério de vocês!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 12 de março de 2013

Exemplos de desvio


Pai santo, nesta manhã sinto tanta necessidade de Te buscar; como venho sentindo à medida em que o tempo passa. Como me faz bem Te adorar e exaltar logo pela manhã! Todavia, preciso também interceder por minha querida família - herança do Senhor em minha vida - que enfrenta os mesmos problemas e provações que outras famílias enfrentam neste mundo; muitas delas sob minha intercessão. Eu me refiro a certos tipos de lutas que se manifestam em muitas ocasiões - disfarçadas de doenças e aflições diferenciadas - como provas que precisam ser vencidas sem que saibamos como.
 
Pai justo, torna-se evidente que o mundo inteiro procura nos afastar de Ti; encetando ações sutis e de grande eficácia com este único objetivo. Como é comum vermos uma boa ação ocultar uma motivação ruim; ou um bem precioso ser o disfarce de um peçonhento réptil; ou uma amizade ingênua ocultar um perigoso escorpião. Digo isso, Pai, porque aprendi que Satanás consegue deturpar e corromper os mais nobres sentimentos. E o próprio Senhor Jesus nos ensina que o mal se apresenta a cada dia. E Tua Palavra está repleta de exemplos de desvios que sustentam com clareza aquilo que tento compartilhar.
 
Pai amoroso; Tua Palavra nos permite ver que o homem não teria sofrido queda no jardim do Éden, se não tivesse dado ouvidos a uma segunda opinião. Vemos também que Saul não teria se arruinado, se não tivesse se enciumado de quem lhe servia com dedicação; e que o próprio Davi não teria fracassado, se não tivesse por um instante olhado na direção errada; que Absalão não teria morte precoce, se não tive cobiçado um reino que não era seu; e, que Salomão não teria se desencaminhado, se não tivesse feito alianças impróprias e profanas. Por isso, Pai, precisamos permanecer em Tua presença!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 10 de março de 2013

Visita à IMW do Kennedy


Nesta quinta-feira, Célia e eu estivemos participando de um trabalho especial na IMW do Kennedy, em BH. É um trabalho que aquela igreja realiza todos os anos - sempre neste período do ano - durante algumas quintas-feiras seguidas, sob a responsabilidade do Presbítero Álvaro. Foi muito bom para mim, ver o desempenho do Pastor Francisco Quesado neste nova nomeação. Gostei também de ver o Pastor Onésimo, em sua condição de jubilado, participando com a família deste maravilhoso culto. Vejo o seu testemunho como referência para os jubilados; pois alguns talvez não saibam como lidar com este momento.
 
No ensejo desta visita, Gostei do estado da igreja. Percebi que a transferência ocorrida no último concílio regional, foi recebida com maturidade e grande senso de responsabilidade por parte da igreja. E que, em função disso, é agradável o nível de participação e de motivação que se verifica na mesma; desde a presença dos Presbíteros devidamente postados no púlpito, como é de praxe; até os membros - tanto jovens e adolescentes, como adultos - presentes no culto. Maria Célia trouxe uma Palavra de saudação e de encorajamento aos irmãos; e em seguida preguei sobre a presença de Jesus, neste texto da Palavra de Deus:
 
"E logo o Espírito o impeliu para o deserto. E ali esteve no deserto quarenta dias, tentado por Satanás. E vivia entre as feras, e os anjos o serviam... E, andando junto do mar da Galiléia, viu Simão, e André, seu irmão, que lançavam a rede ao mar, pois eram pescadores. E Jesus lhes disse: Vinde após mim, e eu farei que sejais pescadores de homens. E, deixando logo as suas redes, o seguiram. E, passando dali um pouco mais adiante, viu Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que estavam no barco consertando as redes, E logo os chamou. E eles, deixando o seu pai Zebedeu no barco com os jornaleiros, foram após ele."
(Marcos 1.12-13, 16-20).
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 9 de março de 2013

Rendição e intercessão


Pai, nesta manhã eu venho me prostrar aos Teus pés; para me render e interceder em favor daquelas vidas por quem costumo orar (como rendição e intercessão são exaustivas). Sei eu tivesse que optar entre uma das duas ocupações, não saberia dizer qual delas é a mais difícil de praticar. Digo isso, Pai, porque tenho descoberto que cantar e adorar a Ti - ou mesmo orar - são tarefas menos penosas do que uma rendição verdadeira e uma intercessão eficaz. Fico a pensar que, para muitos de nós que Te servimos, o ministério parece ser muito mais uma distração ou uma diversão, do que um genuíno sacrifício de amor.
 
Desde muito cedo, aprendi que a finalidade mais importante e urgente do ministério deve ser: Amar e servir ao Senhor e ao Seu povo, não à si mesmo. No entanto, descobri desde cedo que não é tão simples entender e praticar esta finalidade sem fugir aos seus reais objetivos. Pelo que vejo, parece ser algo bem comum incorrermos no erro de fazer concessões perigosas e ir mudando o foco aos poucos... Até chegarmos ao ponto de nos vermos como "estrelas de um espetáculo" (Alguns chegam inclusive a chamar eventos que deveriam ser para louvor e adoração a Ti, de "show gospel" e "espetáculo de fé").
 
Pai, por mais que eu procure fechar os olhos, continuo a ver u'a multidão sem forma e sem rosto seguindo pela estrada da vida - transbordante de esperança e fé - intercalando momentos de esfuziante alegria com espasmos angustiantes e depressivos; parecendo caminhar sem noção de norte ou sul, sem saber se estão indo ou voltando. E enquanto anda... Encontra ao longo do caminho, certos pregadores e libertadores de plantão; a oferecerem os mais diversos produtos rotulados de evangélicos, sem que se saiba ao certo qual sua real finalidade. Enfim, vejo pastores, ovelhas e... Lobos entre eles.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 8 de março de 2013

Dia Internaconal da Mulher

 
No dia comemorado como "Dia Internacional da Mulher", me ponho a pensar no importante papel que a mulher desempenha na construção da sociedade. Penso em sua posição no seio da família, cuidando daqueles afazeres que lhe são peculiares; traduzindo através de pequenos gestos e de grandes realizações, valores morais e espirituais que chegam aos integrantes do seu castelo chamado "lar", estabelecendo princípios e aprofundando raízes. Dando ao amor que dedica aos seus, as mais agradáveis formas e gostos: Ora em forma de um delicioso bolo confeitado; ou de um agradável arranjo floral.
 
Mulher, hoje o teu dia é comemorado; mas... Teus são todos os dias que Deus te concede viver! E, mesmo que você se manifeste sob as mais diversas e belas formas e sob os mais diversos nomes e idades... Eu me considero extremamente feliz por poder te chamar de: Maria Célia Calegari, querida esposa; Daniela Calegari, querida filha; Simone Calegari & Synara Bastos Calegari, queridas noras; Isabela, Rafaela, Ana Carolina, Alexandra & Beatriz, queridas netas. Vocês nem imaginam o quanto me sinto valorizado e honrado por fazer parte do vosso mundo de paz e felicidade. Louvo a Deus por vocês!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 7 de março de 2013

Provação ou disciplina


Num destes dias, após passar algum tempo em oração, fui levado a refletir sobre dois tratamentos; tão semelhantes entre si, mas com finalidades diferentes. Não é de hoje, tenho aprendido na Palavra que - aos Seus filhos - o Senhor tanto fortifica como corrige. A questão é que os procedimentos são tão parecidos em sua execução que, as vezes, ficamos sem saber quando é provação ou disciplina. Então, passei a ver da seguinte maneira, o modo como Deus nos trata: Em algumas ocasiões, Ele utiliza o deserto da provação para nos testar e fortalecer; outras vezes, utiliza a vara da correção para nos disciplinar.
 
Geralmente, disciplina e prova são respostas de Deus - mais freqüentes do que muitos pensam - a determinados procedimentos nossos, com o propósito de nos conduzir em Seu caminho. Existem ocasiões em que dois filhos de Deus parecem enfrentar as mesmas lutas e sofrer os mesmos conflitos; mas, os objetivos podem ser diferentes: Enquanto um está sendo provado, para ser preparado para desafios maiores; o outro está sendo disciplinado, devido ao modo como vem se conduzindo na vida. É como se ambos estivessem andando em um deserto, sofrendo as mesmas sensações, mas por razões diferentes.
 
Assim, por tudo aquilo que tenho visto e ouvido desde o dia em que me converti ao Senhor; tenho notado com relativa freqüência que alguns crentes - ao passarem por lutas e dificuldades - louvam e exaltam o Senhor, demonstrando gratidão a Deus por Seu amor e cuidado; Mas outros - passando pelas mesmas aflições - reagem negativamente, culpando e atribuindo o seu sofrimento a alguém; vociferando que suas lutas são fruto de inveja; ou de perseguição; ou mesmo de injustiças praticadas contra si. Enfim... Enquanto um exalta a Deus em meio a provação; o outro curte a sua disciplina em murmuração.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 6 de março de 2013

Não sobrevivo sem oração


 
Em uma dessas manhãs, como sempre tenho feito, fui me recolher no lugar de oração; para estar na presença do Deus de Quem eu sou e a Quem eu sirvo. É que logo em seguida eu teria que viajar; e já faz tempo que não me atrevo a dar um passo fora de casa, sem primeiro buscar a proteção do Senhor! Afinal de contas, qual cristão - por mais fiel que seja - é capaz de resistir aos "trancos" deste mundo em decadência, sem buscar a presença e a direção de Deus? Creio poder afirmar que isto não é possível!
 
Esta é a principal razão pela qual, muitos cristãos vivem fora do propósito de Deus. É comum vermos crentes - bispos, pastores e obreiros inclusive - tão desviados da vida de oração que mal conseguem manter sua bíblia debaixo do braço. Levam o seu colarinho clerical no pescoço; ou sua toga sacerdotal sobre seus ombros; ou então um conjunto de boas intenções em sua mente; e... Nada mais. Peço perdão a quem se sinta ofendido pelo que aqui escrevo. Não é minha intenção julgar as práticas de outrem.
 
Sim! Reitero não ser minha intenção apontar erros de quem quer que seja. Até porque, sou tão vulnerável quanto qualquer cristão; e provavelmente o mais frágil. Portanto, não tenho como objetivo levantar suspeitas sobre conduta de alguém. O que sinto neste instante é a necessidade de expor algumas das razões que me levam à prostração diante do meu Senhor. Sei muito bem que não posso definir os sentimentos dos outros; mas, posso afirmar que não sobrevivo sem estar em oração diante de Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 5 de março de 2013

Diferente de mim mesmo


Senhor meu Deus; mais uma vez eu venho me prostrar diante de ti, com o firme propósito de buscar a Tua face. Tenho muitas razões para crer que somente conseguirei prosseguir com temor e honra no caminho da Vida, se a Tua presença estiver comigo. Estou decidido a não me submeter ao mal e a me deixar tanger pelo bem; mas sei que não é algo fácil; e que isto só é possível com a Tua ajuda constante!
 
Neste momento de oração eu quero Te dar graças; pois me ensinaste que as virtudes que me fazem diferente, são encontradas somente em Tua presença. Preciso amar em contraposição ao ódio; preciso perdoar em contraposição à mágoa; preciso crer em contraposição à incredulidade... Enfim, preciso de Ti, Senhor! É que somente em Ti, poderei reunir neste ser que eu sou, os valores que me tornam diferente.
 
Enquanto oro, sei que preciso melhorar o meu perfil de homem de Deus. Posso até conseguir orando. Mas sei que a oração - mesmo sendo essencial - não é suficiente. Preciso buscar Tua presença; mas preciso também andar em Tua presença. Preciso ser diferente - não apenas dos que seguem outro rumo - ser diferente de mim mesmo. E que eu seja cada dia menos parecido comigo e mais parecido contigo!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 4 de março de 2013

Segunda Vinda de Jesus

 
Os falsos mestres

"1 E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. 2 E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade. 3 E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita."
(2 Pedro 2.1-3).

Ultimamente venho pensando na Segunda Vinda de Jesus. E não se trata de um pensamento motivado por algum fator emocional ou circunstancial e passageiro. Na verdade, percebo que o meu espírito sente e se comove ante a proximidade deste evento. Creio que aqueles que me conhecem de perto, devem perceber que procuro manter a emoção sob controle; tanto quanto procuro manter sob controle a minha razão e a a minha espiritualidade. Portanto, não creio que este pensamento esteja ligado a fatores terrenos.
 
Entretanto, não ignoro que diversos fatores terrenos são utilizados nas Escrituras Sagradas, como indicadores da proximidade da Vinda de Jesus. E alguns deles soam com peso profético tão claro e contextual, que chegam até mesmo a impressionar os melhores interpretes deste gênero de revelação nas Escrituras. É corrente entre os cristãos evangélicos que o desamor, o desvio da fé bíblica, as doutrinas de demônios e a violência contra a família estão entre eles... Todavia, os três fatores que mais se destacam em nossos dias são: O esfriamento do amor, a apostasia e a presença visível de Laodicéia e Filadélfia.
 
Creio que o esfriamento do amor é responsável pela banalização da família; a ponto de aumentarem a cada dia as estatísticas sobre cônjuges a desfazerem o seu casamento pelos motivos mais fúteis. E mesmo entre os cristãos mais conservadores, vai se tornando comum o terceiro e até o quarto casamento entre crentes tidos como consagrados. E a apostasia? Percebo que, sob o pretexto da necessidade de prosperar e conquistar, cresce o uso de "amuletos cristãos" no seio da igreja; com novidades vistas a cada instante. Enquanto isso, Filadélfia e Laodicéia vão "andando por aí"... Uma em plena luz, outra nas sombras.
 
Sexta carta, à igreja de Filadélfia

7 E ao anjo da igreja que está em Filadélfia escreve: Isto diz o que é santo, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi; o que abre, e ninguém fecha; e fecha, e ninguém abre: 8 Conheço as tuas obras; eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar; tendo pouca força, guardaste a minha palavra, e não negaste o meu nome. 9 Eis que eu farei aos da sinagoga de Satanás, aos que se dizem judeus, e não são, mas mentem: eis que eu farei que venham, e adorem prostrados a teus pés, e saibam que eu te amo. 10 Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra. 11 Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa. 12 A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome. 13 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas."
(Apocalipse 3.7-13)
 
Sétima carta, à igreja de Laodiceia
 
"14 E ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus: 15 Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente! 16 Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca. 17 Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; 18 Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas. 19 Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te. 20 Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo. 21 Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono. 22 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas."
(Apocalipse 3.14-22)
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 3 de março de 2013

Sustentado e protegido


Em um destes dias, após algum tempo em oração, pude aprender com o Deus eterno duas importantes lições que irão enriquecer e fortalecer ainda mais a minha vida; durante todo o tempo de minha existência neste mundo. Uma delas foi sobre base e cobertura: O Espírito Santo me fez saber que o Deus vivo, que enviou o Seu Santo Filho Jesus para me redimir e salvar, é em minha vida a base que me sustenta frente as lutas; e a cobertura que me protege do mal. Como foi bom ouvir isso de Deus, lá nas entranhas do meu ser tão pequeno e frágil. Como me senti sustentado e protegido por esta revelação! Como louvo a Deus por tudo o que Ele tem feito por mim; especialmente por ter enviado o meu Senhor e Salvador Jesus para me resgatar deste mundo condenado e me conduzir pela vida afora. Te louvo, amado Pai!
 
A outra lição é sobre a família que tenho: O Espírito revelou em meu íntimo uma verdade já minha conhecida... Daquelas verdades que nem sempre recordamos. Deus me fez ver que a minha família é herança dEle! Pois é... Enquanto o mundo fala sobre "mulher-melancia; mulher-jaca"; "mulher-pera"; Deus me fez ver que tenho a "mulher-herança". Glória a Deus! Minha esposa é herança do Senhor! E meus filhos... Enquanto muitos pais falam sobre "filho-problema"; filho-bastardo"; "filho-ingrato"; Deus me fez ver que tenho "filhos-herança". Sim, os meus filhos são herança do Senhor; E em sua condição de herança, eles já me renderam importantes dividendos com nome próprio: Simone, Synara, Alessandro, Isabela, Rafaela, Ana Carolina, Alexandra, Arthur, Eduardo e Beatriz. Por tudo isso, obrigado Senhor!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 2 de março de 2013

Razão-de-ser do chamado


Ao longo de minha jornada, tenho percebido que as experiências que adquirimos no dia-a-dia, podem trazer importantes lições de vida; as quais podem servir para enriquecer o nosso ministério. Nesta manhã, enquanto me preparava para postar; lembrei-me de uma ocasião em que perdi o rumo, em uma viagem que fiz alguns anos atrás, com Maria Célia e nossas netas - Isabela e Rafaela - de Rondônia para Valadares. Já passava da meia-noite e eu estava cansado de dirigir; então resolvi parar em um Posto entre João Monlevade e Nova Era. Depois de descansar alguns minutos, decidi continuar a viagem... Sem perceber que peguei o caminho de volta; que me fez viajar uns cem km a mais, por conta desse erro.
 
Em minha condição de líder da Igreja, tenho percebido que - no afã de fazer a obra de Deus - não é pequeno o número de crentes e até obreiros que, equivocada ou precipitadamente, estão indo "com muita sede ao pote"; muitas vezes se desviando do rumo sem se darem conta disso. E os que assim procedem, geralmente movidos por euforia, agem como se tivessem "descoberto" uma nova verdade; ou, sido promovidos por Deus ao estrelato. Não nego que vejo com preocupação este tipo de conduta, pois tenho visto como isto termina. E o pior é que, agindo assim, os tais colocam em risco o seu chamado, a sua família e a sua vida com Deus. E não é difícil identifica-los, devido ao grau de ansiedade que apresentam.
 
Geralmente, os que assim procedem se tornam alvos preferenciais dos profetas de ocasião; sendo por estes motivados a prosseguir em direção contrária. Então, influenciados por dentro e por fora, se fecham às vozes que tentam alerta-los; sem ao menos procurar ouvir os dois lados com o mesmo interesse. E eu sei muito bem o perigo que isto representa; pois no início do mistério, vivi um tempo de ansiedade por querer sucesso a qualquer custo... Até que pude entender este texto: "Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte;" (I Pedro 5.6). Foi quando encontrei a "razão-de-ser" do meu chamado: Ser útil sem me autopromover. Enfim, ser exemplo em dedicação e humildade!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 1 de março de 2013

Afligidos de dois modos


Pai querido, nesta manhã em que me prostro no lugar de oração; venho trazer diante de Ti uma situação que é bem comum na vida dos crentes, minha inclusive. É que me preocupa e incomoda a tendência natural de procurarmos trazer para nós a "glória" das nossas boas realizações, como se elas fossem fruto exclusivo do nosso esforço. E, deste modo, ouvimos com freqüência expressões do gênero: "Consegui com meu esforço"; e, "Eu ralei muito para alcançar este resultado e agora preciso desfrutar dele".
 
Outra questão ainda mais preocupante - tão danosa quanto a primeira - é a que nos leva a manter sempre na lembrança as injustiças que sofremos aqui-e-ali; lamentando o mal que alguém nos fez, sem a menor disposição de perdoar e esquecer. E, agindo assim, somos afligidos de dois modos: Sofremos pela dor infligida no momento da ofensa; e também sofremos sob o peso da mágoa que passamos a carregar a partir de então. E eu penso, Pai, que um grande número de crentes padece destes dois males.
 
Pai amado, sinto em meu espírito que quando agimos assim, cometemos dois pecados: Deixamos de transferir para o Senhor a glória resultante dos nossos feitos, cujo sucesso se deveu ao Teu agir em nosso favor, roubando assim a glória que somente a Ti pertence. E deixamos de transferir para o Senhor as dores produzidas pelas injustiças que julgamos ter sofrido; sem ao menos tentarmos tirar lições espirituais das mesmas. E assim, nos tornamos infelizes em dose dupla. Ajuda-nos, Pai, a corrigir tamanho desatino!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari