sábado, 2 de março de 2013

Razão-de-ser do chamado


Ao longo de minha jornada, tenho percebido que as experiências que adquirimos no dia-a-dia, podem trazer importantes lições de vida; as quais podem servir para enriquecer o nosso ministério. Nesta manhã, enquanto me preparava para postar; lembrei-me de uma ocasião em que perdi o rumo, em uma viagem que fiz alguns anos atrás, com Maria Célia e nossas netas - Isabela e Rafaela - de Rondônia para Valadares. Já passava da meia-noite e eu estava cansado de dirigir; então resolvi parar em um Posto entre João Monlevade e Nova Era. Depois de descansar alguns minutos, decidi continuar a viagem... Sem perceber que peguei o caminho de volta; que me fez viajar uns cem km a mais, por conta desse erro.
 
Em minha condição de líder da Igreja, tenho percebido que - no afã de fazer a obra de Deus - não é pequeno o número de crentes e até obreiros que, equivocada ou precipitadamente, estão indo "com muita sede ao pote"; muitas vezes se desviando do rumo sem se darem conta disso. E os que assim procedem, geralmente movidos por euforia, agem como se tivessem "descoberto" uma nova verdade; ou, sido promovidos por Deus ao estrelato. Não nego que vejo com preocupação este tipo de conduta, pois tenho visto como isto termina. E o pior é que, agindo assim, os tais colocam em risco o seu chamado, a sua família e a sua vida com Deus. E não é difícil identifica-los, devido ao grau de ansiedade que apresentam.
 
Geralmente, os que assim procedem se tornam alvos preferenciais dos profetas de ocasião; sendo por estes motivados a prosseguir em direção contrária. Então, influenciados por dentro e por fora, se fecham às vozes que tentam alerta-los; sem ao menos procurar ouvir os dois lados com o mesmo interesse. E eu sei muito bem o perigo que isto representa; pois no início do mistério, vivi um tempo de ansiedade por querer sucesso a qualquer custo... Até que pude entender este texto: "Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte;" (I Pedro 5.6). Foi quando encontrei a "razão-de-ser" do meu chamado: Ser útil sem me autopromover. Enfim, ser exemplo em dedicação e humildade!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário