segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Necessidade ou sede

O corpo humano carece de água; sem a qual se desidrata muito rapidamente - podendo definhar e morrer, caso não seja prontamente socorrido. E esta é uma necessidade que o acompanha até o fim de sua vida. Sem água - tal e qual uma flor - ele murcha e seca. Conheço algumas pessoas; que, por falta de sede, foram deixando de beber água - até chegarem a um quadro clínico de problemas renais graves.

Geralmente, aqueles que não dão valor a importância da água - ou são desavisados; ou tão somente descuidados. Alguns chegam a dizer com visível traço de orgulho - como se estivessem praticando um ato heróico: "Eu não gosto de beber água; nem sinto falta!". Ledo engano; que pode custar tão caro quanto o valor da vida. O princípio que deve determinar a ingestão deste precioso líquido é simples: não ingerimos água porque sentimos sede; e sim, porque temos necessidade dela.

Mas este princípio - sobre necessidade e sede - pode também ser aplicado a outros fatores não menos importantes (alguns, até mais importantes). É natural que um bom copo d`água cai maravilhosamente bem; quando o ingerimos, cheios de sede, em um dia de intenso calor. No entanto; nunca devemos esquecer que - mais importante do que o prazer da sede, é a necessidade de beber água.

O meu objetivo aqui; é chamar a atenção para a nossa relação Deus - como Sua criação em geral e Seus filhos em especial. E coloco aqui a mesma indagação que fiz, na relação corpo e água: Devemos buscar a Deus - quando temos sede dEle? Ou, por termos necessidade dEle? Este é o cerne desta postagem.

José buscava a Deus

José buscava a Deus - quando tinha sede; ou por necessidade? Pelo desenrolar de sua história, percebo claramente que José o buscava sempre - tendo ou não sede de Deus. Tenho plena convicção quanto ao fato de que José não teria a menor condição de lidar - como lidou - com a traição de seus irmãos; com o assédio da mulher de Potifar e com a ingratidão do mesmo; e com o reencontro com seus irmãos no Egito; caso não vivesse sempre buscando a Deus - não apenas quando sentia sede - mas movido por sua imperiosa necessidade.

Daniel buscava a Deus

Daniel buscava a Deus - quando tinha sede; ou por necessidade? Este é outro personagem da Bíblia, que não teria a menor chance de enfrentar os conflitos que enfrentou - dentro e fora dele - caso buscasse a Deus apenas quando sentisse sede. Acredito que sua ascensão em três impérios - tornando-se um líder amado e respeitado; somente foi possível, devido ao fato de buscar a Deus - sentindo sede ou não - por uma questão de sobrevivência.

A experiência de Davi

Davi - nos salmos - utiliza por diversas vezes uma expressão que já inspirou e ainda inspira belíssimas canções evangélicas: "Minha alma tem sede de Deus"; "minha alma tem sede de ti"; etc. As vezes fico a pensar que, talvez - só talvez; o banho de sol de Bate-seba não tivesse atraído a curiosidade de Davi - caso Davi, naquele dia, tivesse buscado a Deus, movido por sua necessidade de Deus; sem depender de um ocasional impulso - que pode não ter ocorrido naquele dia - provocado por uma sede que ele buscasse saciar.

Meu testemunho

Em minha vida de crente; muitas vezes busquei a Deus sem a menor vontade. E, ainda hoje, há dias em que preciso fazer um esforço enorme para buscá-lo. Quando o busco, movido pela sede, costumo chorar muito - as vezes intercalando o pranto com o riso - sem o menor desejo de sair da Sua presença. Realmente, buscar a Deus movido pela sede, pode nos trazer sentimentos inenarráveis, tanto de prazer como de deslumbramento

Entretanto, quando o busco sem sentir sede (e isso acontece inúmeras vezes), não sinto o mesmo tipo de emoção. As vezes fica em mim a impressão de que Deus está distante (na verdade quem está distante sou eu). É como se o ar fosse feito de chumbo. Ou então, como se eu estivesse subindo uma montanha, com um enorme peso nas costas. Mas... lá vou eu - a passo trôpego - na firme disposição de buscar ao Deus da minha vida - o único capaz de me conduzir pelo vale da sombra da morte; ou, por labirintos intermináveis; e de me sustentar em tempo de fome e sede. Glória a Deus!

E em ambas as circunstâncias, sempre saio da presença de Deus - fortalecido e motivado para continuar caminhando e lutando, em nome de Jesus. Afinal de contas, com sede ou sem sede, sei perfeitamente o quanto necessito buscá-Lo. Aleluia!

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário