quinta-feira, 8 de abril de 2010

Marta, sempre Marta

"Ora, estava enfermo um homem chamado Lázaro, de Betânia, aldeira de Maria e de sua irmã Marta" (João 11.1)


Escrever sobre Marta - a Marta da Bíblia, a Marta de Betânia, a Marta irmã de Maria e Lázaro - é relativamente fácil, certo? Talvez, nem tanto como poderíamos pensar.

Não resta a menor dúvida que a humilde "família de Betânia", com suas características, pode gerar pelo menos três pressupostos interessantes: 1. O contexto passa a impressão que Maria era mais importante do que Marta (talvez por motivo de visível espiritualidade); 2. Também indica que Lázaro tornou-se o homem mais famoso do lugar; um dos mais famosos do seu tempo (provavelmente um dos mais famosos de todos os tempos). A razão era, digamos, sobrenatural: ressuscitara após quatro dias morto - um feito único na modalidade; 3. E acaba por penalizar a nossa Marta, que ficou estigmatizada devido ao episódio na sua cozinha em Betânia, quando preferiu cuidar da "comida material" do que priorizar a "comida espiritual".

No entanto, após cuidadosa observação, haveremos de ver que a coisa podia não ser bem assim: Marta não era o que parecia ser (aliás, as coisas e pessoas nem sempre são o que aparentam ser). E neste caso em especial, um exame mais atento irá revelar uma Marta firmada sobre valores fundamentais na vida cristã. Sua percepção das coisas espirituais estava bem acima da média, conforme haveremos de ver mais à frente. Ela carregava consigo convicções importantíssimas; as quais nem sempre percebemos, mesmo na vida de alguns cristãos acima de qualquer suspeita.

Na verdade, Marta sabia de coisas que muitos crentes não sabem. Ela demonstra isso, como veremos em nossa próxima palavra, de modo a não deixar dúvida em quem a ouvisse. Mesmo que não aparentasse interesse maior nas palavras do Mestre (Maria estava aos pés de Jesus e ela à beira do fogão), suas palavras em João 11 indicam que havia aprendido bem o "dever de casa". Algumas verdades que ela demonstra conhecer, são hoje uma raridade nas tribunas de algumas boas igrejas. Verdades que, por ignorância ou por omissão de alguns pregadores, deixam de enriquecer ouvintes ávidos pela revelação da Palavra de Deus.

Mas, se por um lado, ela revela conhecimento revelado; por outro lado, como geralmente acontece com todos nós, Marta também desconhecia verdades determinantes para uma mudança de vida; para uma vida com propósito, de nivel ainda mais elevado. E o fato é que o desconhecimento de pelo menos uma dessas verdades, quase serviu de impedimento a que o poder de Deus se manifestasse e algo grandioso acontecesse.

Mas sobre isso escreveremos amanhã.

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário