terça-feira, 20 de abril de 2010

Marta sempre Marta (final)

"Disse Jesus: Tirai a pedra. Marta, irmã do defunto, disse-lhe: Senhor, já cheira mal, porque está morto a quase quatro dias. Respondeu-lhe Jesus: Não te disse que, se creres, verás a glória de Deus?" (João 11.39-40)

Ao finalizarmos a parte II de "Marta sempre Marta" antecipamos que havia uma coisa que ela não sabia: algo que fazia a diferença entre a mudança e a estagnação - entre a Morte e a Vida. Nós bem sabemos que o simples fato de desconhecermos algumas verdades, não significa que nosso futuro esteja comprometido. Especialmente, se as verdades que ignoramos não são verdades estruturais ou fundamentais.
Por exêmplo: Desconhecer a idade de Cristo ou o dia em que Ele nasceu ou morreu, e outros detalhes secundários da doutrina, não altera a gozo de uma vida eterna no céu, com Deus, se estamos firmados nas verdades fundamentais que sustentam esta promessa (novo nascimento em Cristo; remissão pelo Seu sangue; justificação pela fé; etc).

Uma Pedra no Caminho do Poder de Deus

Como vimos na palavra anterior, Marta conhecia quatro verdades sagradas que dão consistência a uma vida cristã segura e abençoada por Deus. Contudo, ela desconhecia uma verdade que poderia ter mudado o rumo da história, pelo menos em sua vida e na de sua irmã Maria: Ela não sabia que uma pedra no caminho do poder de Deus poderia ter deletado das Escrituras um dos mais importantes milagres da Bíblia! E, o mais importante: ela não imaginava que sua atitude negativa, caso impedisse a remoção daquela pedra, poderia privá-la do direito de ter seu irmão de volta, redivivo. E o mundo cristão seria menos rico, um pouco menos esperançoso, caso isso viesse a acontecer.

Jesus podia e desejava trazer Lázaro à vida naquele dia, mas havia uma pedra no caminho;
Um corpo apodrecido poderia se recompor naquele dia, mas havia uma pedra no caminho;
Jesus queria despojar o império da morte, mas havia uma pedra no caminho do poder de Deus!
E Jesus deixa bem claro que aquela pedra deveria ser removida!

Muitas vezes, mantemos selados em um tumulo imaginário, pecados ocultos, vícios secretos e outros cadáveres que nos contaminam e consomem. Na grande maioria das vezes, não nos sentimos motivados a remover a pedra que sela este terrivel túmulo, porque nos sentimos envergonhados e constrangidos. Todavia, a ordem de Jesus soa clara como um cristal: "Tirai a pedra!".

Geralmente, nossa incredulidade se constitui em um dos maiores obstáculos a que esta pedra seja removida. Achamos que não vale a pena; que não vai dar resultado; que o mau cheiro dos nossos valores que morreram deve ser mantido confinado naquele túmulo fétido e escuro. Todavia, a palavra de Jesus insiste: "Não te disse que, se creres, verás a glória de Deus?".

Graças a Deus, Marta despertou de sua letargia, de seu desânimo e incredulidade, e concordou com a ordem de Jesus. Logo em seguida, a pedra foi removida e o milagre aconteceu. E quanto a nós, quando iremos facilitar o acesso da Palavra de ordem de Jesus ao túmulo dos nossos segredos mais bem guardados? Daqueles segredos que nos mantém ligados a um estado de morte permanente? Pecados jamais confessados. Pecados que sustentam e controlam o lado negro de nossa vida.

Marta livrou-se do seu defunto. Estava livre do pesadelo! E que seu exemplo de submissão a Jesus possa contribuir para nossa completa vitória sobre a morte e seus derivados.

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário