terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Este mundo vai de mal a pior

Foto: Eu penso que a grande maioria das pessoas - inclusive cristãos - não se apercebe da gravidade do momento que atravessamos. Que o mundo jaz no maligno, eu sei desde que comecei a meditar nas Escrituras e a dar os meus primeiros passos no evangelho. No entanto, houve tempo em que se via uma certa ordem e respeito nas relações entre nações, famílias e pessoas... Algo que hoje quase não se vê. Não exagero ao dizer que este mundo segue como um barco a deriva; sem que tenhamos ideia de onde vai chegar. A maioria das pessoas agem por motivos injustos, torpes, profanos. O pecado já não é visto como um mal, por muita gente; até mesmo certos líderes cristãos. Na verdade, este mundo vai de mal a pior!

Sem querer ser pessimista, me atrevo a dizer que o mundo sofre de um mal sem remédio; posto que, o único remédio capaz de cura-lo, tem sido recusado em nome de uma liberdade que chega a ser obscena. Face à este quadro, a vida vem perdendo o sentido. Vejo o mundo chorar a morte de alguns decapitados e feridos por terroristas; todavia, não vejo o menor sinal de dor com o extermínio de milhares de cristãos por estes mesmos grupos. Aqui no Brasil, pessoas são brutalizadas, caçadas e mortas - em suas próprias casas, em seus locais de trabalho, nas ruas da cidade - tudo isso sob o manto de leis frouxas, com a conivência dos órgãos de segurança, da omissão dos legisladores e do descaso dos governantes. Será o fim?

Diante daquilo que vejo, penso que a grande maioria das pessoas - inclusive cristãos professos - não se apercebe da gravidade do momento que atravessamos. Que o mundo jaz no maligno é algo que sei desde que comecei a ler e meditar nas Escrituras, logo que dei os meus primeiros passos no evangelho. No entanto, ainda não vai longe o tempo em que se via uma certa ordem e respeito nas relações entre nações, famílias e pessoas... Algo que hoje quase não se vê. Não exagero ao dizer que este mundo segue como um barco a deriva; sem que tenhamos ideia de onde vai chegar. Cresce o número de pessoas que agem por motivos injustos, torpes, profanos. O pecado já não é visto, por muitos, como um mal - até mesmo por certos líderes cristãos. Assim, este mundo vai de mal a pior!
 
Sem querer ser pessimista, ouso dizer que este mundo sofre de um mal sem remédio; posto que, o único remédio capaz de cura-lo, tem sido sistematicamente recusado em nome de uma liberdade que chega às raias da obscenidade. E assim, face à esta loucura que se arvora de razão, a vida vem perdendo o sentido. Vejo o mundo chorar a morte de alguns decapitados e feridos por terroristas; todavia, não vejo o menor sinal de dor com o extermínio de milhares de cristãos por estes mesmos grupos. Aqui no Brasil, pessoas são brutalizadas, caçadas e mortas - em suas próprias casas, em seus locais de trabalho, nas ruas da cidade - tudo isso sob o manto de leis frouxas, com a conivência dos órgãos de segurança, da omissão dos legisladores e do descaso dos governantes. Será o fim?
 
As Escrituras sagradas denunciam a malignidade do pecado: "Se alguém vir pecar seu irmão, pecado que não é para morte, orará, e Deus dará a vida àqueles que não pecarem para morte. Há pecado para morte, e por esse não digo que ore. Toda a iniqüidade é pecado, e há pecado que não é para morte. Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca. Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno. E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para que conheçamos ao Verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna." (1 João 5:16-20). E julga os que por ele são dominados.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário