sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Tempo de absurdos

Foto: Vivemos em um tempo que os que se julgam e se declaram cristãos, precisam definir sua posição em Cristo e sua inconformação com o mundo. Este é um tempo de absurdos vistos e aceitos como algo normal. Tempo de honestidade punida e desonestidade aplaudida; de desonra assumida e de honra apreensiva. Tempo de maus tratos crescentes; tempo em que este texto da bíblia predomina: "E o irmão entregará à morte o irmão, e o pai o filho; e os filhos se levantarão contra os pais, e os matarão. E odiados de todos sereis por causa do meu nome; mas aquele que perseverar até ao fim será salvo." (Mateus 10.21-22). É importante ao crente saber, que os homens serão julgados - mesmo os crentes - não por suas intenções, mas por suas atitudes. Quanto ao mundo em que vivemos; ele jaz no maligno e está em fase terminal, pois já foi julgado e condenado.

Então, é importante ao crente saber que Deus demonstra o Seu amor para com os seres humanos de muitos modos: Ele inunda a terra de luz, que traz calor e conforto a bons e maus; e derrama a chuva que rega a esperança de bons e maus; também deu o Seu amado filho Jesus, para ser Redentor da humanidade; apto para salvar todo aquele que a Ele se rende e que o confessa como Senhor e Salvador. Entretanto, não pense o cristão que a simples confissão do nome de Jesus lhe garante segurança eterna; pois a confissão de fé deve ser precedida por atos de arrependimento e sucedida por frutos de transformação; de tal modo, que amar a Deus exige deixar de amar o mundo; e viver para Deus significa morrer para o mundo. Céu e mundo estão em extremos opostos; de modo, que quando mais nos aproximamos de um deles, mais nos distanciamos do outro.

Vivemos em um tempo que os que se julgam e se declaram cristãos, precisam definir sua posição em Cristo e sua inconformação com o mundo. Este é um tempo de absurdos vistos e aceitos como algo normal. Tempo de honestidade punida e desonestidade aplaudida; de desonra assumida e de honra apreensiva. Tempo de maus tratos crescentes; tempo em que este texto da bíblia predomina: "E o irmão entregará à morte o irmão, e o pai o filho; e os filhos se levantarão contra os pais, e os matarão. E odiados de todos sereis por causa do meu nome; mas aquele que perseverar até ao fim será salvo." (Mateus 10.21-22). É importante ao crente saber, que os homens serão julgados - mesmo os crentes - não por suas intenções, mas por suas atitudes. Quanto ao mundo em que vivemos; ele jaz no maligno e está em fase terminal, pois já foi julgado e condenado.

Então, é importante ao crente saber que Deus demonstra o Seu amor para com os seres humanos de muitos modos: Ele inunda a terra de luz, que traz calor e conforto a bons e maus; e derrama a chuva que rega a esperança de bons e maus; também deu o Seu amado filho Jesus, para ser Redentor da humanidade; apto para salvar todo aquele que a Ele se rende e que o confessa como Senhor e Salvador. Entretanto, não pense o cristão que a simples confissão do nome de Jesus lhe garante segurança eterna; pois a confissão de fé deve ser precedida por atos de arrependimento e sucedida por frutos de transformação; de tal modo, que amar a Deus exige deixar de amar o mundo; e viver para Deus significa morrer para o mundo. Céu e mundo estão em extremos opostos; de modo, que quando mais nos aproximamos de um deles, mais nos distanciamos do outro.

Este texto revela a diferença entre o crente convencido e o crente convertido: "Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo. Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade." (Mateus 7.15-23). Assim como os frutos definem a qualidade da árvore, as práticas definem a qualidade do crente.

Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Não existe compromisso maior

Foto: Tenho pensado... A coisa mais importante a ser feita, logo no início de cada dia, é buscar a presença de Deus em oração. Sei que é comum nos levantarmos "em cima da hora" para o cumprimento de alguns compromissos; todavia... Sei também que não existe compromisso maior do que o que deve nos levar ao lugar de oração; e isto é tão verdadeiro e transparente como a água que bebi nesta manhã. Creio não ser ignorado por cristão algum (mesmo por aqueles que vivem tentando andar com um pé na igreja e outro pé no mundo) que este mundo é hostil contra os que querem viver piamente em Cristo Jesus. Aprendi nas Escrituras sagradas que este mundo jaz no maligno; portanto, sua principal ocupação é procurar atrair crentes, incrédulos e ateus para o profundo jazigo em que se encontra. Assim, ser crente de verdade é seguir na contra-mão do mundo, com os olhos postos nas promessas de Deus.

Percebo que no lugar de oração (quando a motivação é santa), mudanças sempre acontecem; quando não acontecem no lado de fora, acontecem do lado de dentro. Porque, afinal de contas, Deus se mantém atento aos que O buscam em espírito e em verdade; aos que valorizam o tempo passado em Sua presença. Então, em meio ao caos em que este mundo vive; Ele envia o Seu Espírito sobre as brumas do caos, para conduzir em segurança aquele que depositou sua fé e esperança nEle. Como conforta saber que Deus, mediante nosso salvador Jesus, é o único capaz de transformar o pior dos pecadores, no mais santo dos cristãos. Isto aconteceu no passado e acontece no presente; apesar daqueles que, seduzidos pelo espírito do engano, tentam associar o Seu reino eterno a conceitos e valores que não têm afinidade alguma com ele; oferecendo bens necessários, porém mesclados com nocivas e enganosas motivações.

Tenho pensado... A coisa mais importante a ser feita, logo no início de cada dia, é buscar a presença de Deus em oração. Sei que é comum nos levantarmos "em cima da hora" para o cumprimento de alguns compromissos; todavia... Sei também que não existe compromisso maior do que o que deve nos levar ao lugar de oração; e isto é tão verdadeiro e transparente como a água que bebi nesta manhã. Creio não ser ignorado por cristão algum (mesmo por aqueles que vivem tentando andar com um pé na igreja e outro pé no mundo) que este mundo é hostil contra os que querem viver piamente em Cristo Jesus. Aprendi nas Escrituras sagradas que este mundo jaz no maligno; portanto, sua principal ocupação é procurar atrair crentes, incrédulos e ateus para o profundo jazigo em que se encontra. Assim, ser crente de verdade é seguir na contra-mão do mundo, com os olhos postos nas promessas de Deus.
 
Percebo que no lugar de oração (quando a motivação é santa), mudanças sempre acontecem; quando não acontecem no lado de fora, acontecem do lado de dentro. Porque, afinal de contas, Deus se mantém atento aos que O buscam em espírito e em verdade; aos que valorizam o tempo passado em Sua presença. Então, em meio ao caos em que este mundo vive; Ele envia o Seu Espírito sobre as brumas do caos, para conduzir em segurança aquele que depositou sua fé e esperança nEle. Como me conforta saber que Deus, mediante nosso salvador Jesus, é o único capaz de transformar o pior dos pecadores, no mais santo dos cristãos. Isto aconteceu no passado e acontece no presente; apesar daqueles que, seduzidos pelo espírito do engano, tentam associar o Seu reino eterno a conceitos e valores que não têm afinidade alguma com ele; oferecendo bens necessários, porém, mesclados com nocivas e enganosas motivações.
 
Este texto da Bíblia tem o poder de jogar por terra, bases e conceitos falsos sobre os quais muitas vidas são criadas: "E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas. Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado. Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós." (I João 1.5-10). Na verdade, nossa natureza pecaminosa se opõe ao tratamento de Deus; porém quando nos rendemos de verdade a Jesus, nossos pecados são cancelados e nossa vida é recriada.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Esaú negociou seu direito


Dou graças a Deus, por Seu cuidado para conosco e por nos usar para Sua glória e edificação do Seu povo. Isto aconteceu ontem na abertura da "Semana Acadêmica" promovida pelo polo do CEFORTE em Volta Redonda. Como faz bem a qualquer filho de Deus saber que, em certos momentos, o Senhor pode transformar sua boca em "boca de Deus", para pronunciar verdades que precisam ser ditas; ou para fazer soar advertências e encorajamentos que o Seu povo precisa ouvir. Não tenho a menor dúvida de que isto aconteceu ontem, aqui na sede do CEFORTE. Sou admirador dos belos e profundos cânticos compostos por alguns compositores e cantores que compõem o que crêem e cantam o que vivem. Dentre eles, faço menção do Fernandinho, quando proclama que apesar dos homens que "se desviaram e profetas se venderam", ainda "existem aqueles que não de dobraram ante outros deuses"; e cito Anderson Freire - Oficial, que canta a "identidade" do servo do Senhor; buscando exemplo nos amigos de Daniel.
 
Vivemos dias de comércio e negociação de valores que deveriam ser inegociáveis. Do mesmo modo como se vende de tudo hoje em dia - tanto no mercado popular, nos grandes magazines; como nas feiras livres e nos grandes atacadões - também existem pessoas que vendem seus corpos, sua honra, suas almas; julgando ter o direito de fazer negócios deste tipo. Esaú negociou seu direito à "bênção da primogenitura", pensando na ocasião ter feito um bom negócio. Judas negociou sua lealdade ao Mestre, vendendo Jesus a pronta entrega pelo preço combinado de "trinta moedas de prata". Alguns vendem seus próprios filhos para comércio da prostituição. No entanto, ignoram existir valores que são inegociáveis, pois o seu preço vale uma vida eterna. Portanto, a um homem ou mulher de Deus a quem Deus confiou talentos tais; cabe a missão de desenvolver e preservar um patrimônio sagrado que não é seu - em forma de honra, dignidade, credibilidade, santidade - em um mundo que procura sempre nos seduzir.
 
Por não aceitarem negociar princípios, os amigos de Daniel foram condenados à morte:
 
"Responderam Sadraque, Mesaque e Abednego, e disseram ao rei Nabucodonosor: Não necessitamos de te responder sobre este negócio. Eis que o nosso Deus, a quem nós servimos, é que nos pode livrar; ele nos livrará da fornalha de fogo ardente, e da tua mão, ó rei. E, se não, fica sabendo ó rei, que não serviremos a teus deuses nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste. Então Nabucodonosor se encheu de furor, e mudou-se o aspecto do seu semblante contra Sadraque, Mesaque e Abednego; falou, e ordenou que a fornalha se aquecesse sete vezes mais do que se costumava aquecer. E ordenou aos homens mais poderosos, que estavam no seu exército, que atassem a Sadraque, Mesaque e Abednego, para lançá-los na fornalha de fogo ardente. Então estes homens foram atados, vestidos com as suas capas, suas túnicas, e seus chapéus, e demais roupas, e foram lançados dentro da fornalha de fogo ardente."
(Daniel 3.16-21)
 
Todavia, um homem ou mulher de Deus, podem ser preservados em meio às ameaças.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Nação envolta em sombras


Amado Pai celeste; obrigado por poder estar aqui em Volta Redonda, na casa dos meus queridos cunhados e sobrinhos: Pastor Murilo Araújo & Hallison Salles, Heitor Salles e Júlia. Obrigado por Maria Célia Calegari & eu termos sido vasos ungidos, no sábado pela manhã, falando aos pastores e obreiros & suas respectivas esposas. Obrigado por termos sido acolhidos com tanto amor e carinho, no culto ao Senhor promovido pela abençoada juventude da IMW de Vila Elmira. Obrigado pelo ministério ungido do querido Pastor Eugênio, titular desta querida igreja. Obrigado pela vida do casal Dino e Sheila Silva que nos acolheram em sua casa, mesmo sem nos conhecer; e que nos deram tratamento tal, como se fôssemos anjos do Senhor visitando o seu lar. Obrigado, querido Pai, por podermos desfrutar deste amor que nos atrai e desta graça que nos inspira a continuar percorrendo o caminho do céu, amando e servindo vidas pelas quais Jesus deu Sua Vida.
 
Mas, nesta manhã, não posso deixar de interceder por minha querida família e por meus queridos irmãos espalhados por este Brasil afora... Não posso deixar de orar em favor de uma nação envolta em sombras de maldições que tentam sufocá-la... Maldições sob a forma de pragas antigas e novas; sob a forma de clima hostil sem a menor chance de controle; e eclosão de fenômenos conhecidos e desconhecidos, que assustam a humanidade enlouquecida e sem futuro... Maldições atraídas pelo desacato às leis eternas e aos valores morais e sagrados pelos quais o povo cristão vem se pautando ao longo dos séculos; e pelo descaso para com a vida e para com o meio ambiente... Maldições provocadas por prática de sexo desleal, hediondo e ultrajante... Maldições nascidas de uma religiosidade sem futuro, a serviço de ídolos e demônios, negociada por um punhado de moedas... Enfim, Pai; livra-nos do mal; pois Teu é o reino, o poder e a glória para sempre, amém!
 
Me situo entre os que acreditam que este texto é contextual com os dias que vivemos:
 
"Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai. E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem. Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro; Estando duas moendo no moinho, será levada uma, e deixada outra. Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor. Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa. Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis."
(Mateus 24.36-44)
 
Creio que os dias se abreviam com tanta rapidez, que já não temos muito mais tempo.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 26 de outubro de 2014

Me converti a Cristo

Foto: Apesar da importância deste dia 26 de outubro, para o Brasil; e das sombras que encobrem nossa nação - ferida em sua honra e vocação - não pretendo me estender sobre aquilo que vejo se desenrolar ante o silêncio dos "inocentes" e a cumplicidade dos "coniventes". E isto se deve a uma razão simples... Mas, de grande valor para a minha vida: É que hoje faz 50 anos que me converti a Cristo! Me lembro como se fosse hoje, do instante em que - atendendo a um convite feito após mensagem - levantei-me do lugar em que estava assentado e me ajoelhei no altar daquele templo; deixando ali uma vida carregada de pecado e maldição. É... Nasci de novo e nem percebi o significado do que havia acontecido naquele santo lugar.

Naquele dia 26 de outubro de 1964 - em uma noite fria de segunda-feira - Deus me alcançou através de Jesus meu Salvador. Mas isto foi apenas o começo de uma história que jamais terminará! Naquela noite, Deus não me deu apenas salvação: Ele me fez parte de Sua família; Ele me deu a chance iniciar uma vida inteiramente nova; Ele me chamou para o santo ministério da Palavra; Ele me deu a melhor das esposas que eu poderia ter; me deu os filhos, noras, genro e netos que constituem minha pequena casa. Enfim... Como deixar de agradecer por tudo quanto Ele tem feito por mim? Sou grato a Deus e não escondo isto de ninguém! Sei de onde Ele me tirou e para onde me conduz. Sou de Deus e jamais me envergonharei disto!

Apesar da importância deste dia 26 de outubro, para o Brasil; e das sombras que encobrem nossa nação - ferida em sua honra e vocação - não pretendo me estender sobre aquilo que vejo se desenrolar ante o silêncio dos "inocentes" e a cumplicidade dos "coniventes". E isto se deve a uma razão simples... Mas, de grande valor para a minha vida: É que hoje faz 50 anos que me converti a Cristo! Me lembro como se fosse hoje, do instante em que - atendendo a um convite feito após mensagem - levantei-me do lugar em que estava assentado e me ajoelhei no altar daquele templo; deixando ali uma vida carregada de pecado e maldição. É... Nasci de novo e nem percebi o significado do que havia acontecido naquele santo lugar.
 
Naquele dia 26 de outubro de 1964 - noite fria de segunda-feira - Deus me alcançou através de Jesus meu Salvador. Mas isto foi apenas o começo de uma história que jamais terá fim! Naquela noite, Deus não me deu apenas salvação: Ele me fez parte de Sua família; Ele me deu a chance de iniciar uma vida inteiramente nova; Ele me chamou para o santo ministério da Palavra; Ele me deu a melhor das esposas que eu poderia ter; me deu os filhos, noras, genro e netos que formam a minha pequena casa. Enfim... Como não agradecer por tudo quanto Ele tem feito por mim? Sou grato a Deus e não escondo isto de ninguém! Sei de onde Ele me tirou e para onde me leva. Sou de Deus e nunca me envergonharei disto!
 
Este texto diz tudo o que eu disse; e até o que não consegui dizer:
 
"TENDO sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo; Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus. E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, E a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira."
(Romanos 5.1-9)
 
Seguir a Cristo foi a melhor decisão que já tomei em minha vida!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 25 de outubro de 2014

Relutância interior


Na maioria das vezes em que me aproximo do lugar de oração, preciso lutar contra uma certa relutância interior; como se orar fosse uma tarefa árdua, que pudesse ser descartada, ou adiada para outra ocasião. Então, querido Pai, preciso lidar com o grande desafio de orar; e estar disposto a percorrer o caminho que me conduz à Tua presença, levando sempre comigo os meus conflitos existenciais e as minhas convicções espirituais. Eu sempre soube, por experiência própria, que orar não é tarefa fácil; pois, se fosse, todos os crentes orariam bastante; pois qualquer crente minimamente comprometido, sabe que orar é por demais importante. Penso que não haja um cristão sequer, que não tenha que lutar do começo ao fim para permanecer no lugar de oração. Não sei se é conspiração do inferno ou se é acomodação da alma, ou se ambas as coisas; mas que esta luta existe, isto eu sei com toda certeza!
 
E assim, me rendo em oração; ciente de que minha sobrevivência como homem de Deus depende disso. É que não consigo conceber a ideia de que vida cristã real seja simples opção religiosa; ainda que a maioria dos cristãos pense deste jeito. Ao seguir o caminho da Vida, preciso me certificar de que levo comigo os recursos sobrenaturais que me tornam capaz de enfrentar qualquer obstáculo que se levante. Um deles, que me mantém no rumo; é este imperativo profético, sempre a me incentivar: "E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda." (Isaías 30.21) o outro, é o imperativo do próprio Jesus, ao me exortar dizendo: "E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim." (Mateus 10.38). Então, com os olhos postos em Jesus, vou seguindo em frente!
 
Gosto de meditar nesta advertência de Jesus: "Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus. Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus. Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada; Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra; E assim os inimigos do homem serão os seus familiares. Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim. E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim. Quem achar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a sua vida, por amor de mim, achá-la-á." (Mateus 10.32-39). Ela sempre me fortalece e me alerta sobre a importância da confissão do nome de Jesus.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Precisamos continuar acreditando


Que o Brasil é conhecido internacionalmente com o "país do futebol e do carnaval", já estamos cansados de saber. E que até este momento, ele é um país com nível de influência e riquezas próprias de um país de primeiro mundo; mas com assistencialismo barato, sistema de saúde e educação, e uso e abuso do dinheiro público próprio de um país do final da fila do terceiro mundo, isto é lembrado até provocar revolta, sempre que precisamos do SUS e da escola pública, ou tropeçamos nas grandes obras inacabadas espalhadas por todo o território nacional. Entretanto, nos últimos anos, o Brasil - com o seu alinhamento internacional e com seu estilo de governo - vem se tornando cada dia mais parecido com a Venezuela "chavista" e com a Cuba "Castrista"... E isto fica cada dia mais claro aos olhos de quem tem um mínimo de senso de observação e senso crítico independente. Do jeito que as coisas vão, não sei como o Brasil ficará após o dia 26; todavia, precisamos continuar acreditando que o Brasil é viável.
 
Mas, Já não é de hoje (a dois mil anos, aconteceu em Jerusalém), o povo define suas preferências, influenciado por propaganda enganosa e tendência conformista (é assim que o Congresso Nacional se mantém, com os quadros de sempre, salvo raras exceções). É sabido em toda a nação que o Brasil acumula, ao longo destes últimos anos, descaso para com a coisa pública e graves escândalos de corrupção ativa e passiva, parecido com governos passados; porém... Jamais vistos em tamanha magnitude e voracidade. Na verdade, jamais se tentou interferir na família brasileira - com crescente tentativa de imposição de usos e costumes inconvenientes - como tem sido feito nos últimos anos. Medidas discriminatórias e retrógradas estão sendo impostas com insistência, no afã de corromper valores morais tradicionais. E me surpreende a conivência de cristãos - que não dependem do "pão e circo" oferecido por este governo - complacentes que são com seu modo de agir.
 
Este texto tem como título, a extrema corrupção nos últimos tempos:
 
"SABE, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te. Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade. E, como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé. Não irão, porém, avante; porque a todos será manifesto o seu desvario, como também o foi o daqueles."
(II Timóteo 3.1-9)
 
E este tempo que vivemos, pode ser enquadrado nas advertências deste texto.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Valorizo a unção de Deus

Foto: Ainda que eu tivesse os melhores recursos de homilética (coisa que não tenho), associados à habilidade de sistematizar uma visão teológica complexa (que não tenho) "turbinados" pela arte da oratória (também não tenho); não haveria como expor a Palavra e a grandeza de Deus, do modo e com o conteúdo que Deus ministrou ao meu coração neste fim de semana. E digo mais: Ainda que alguém tentasse me convencer do contrário; eu simplesmente ignoraria tal possibilidade; pois eu me conheço o bastante, até ao ponto de saber que ninguém pode receber e compartilhar tais ministrações, se do céu não lhe forem dadas. E não estou a pensar na palavra liberada no sábado de manhã e de noite, ou por ocasião do batismo distrital. Estou a pensar é no agir de Deus ontem a noite na IMW central.

Portanto, preciso dizer que valorizo a unção de Deus em minha vida; pois ela pode me dar aquilo que não tenho; e pode me capacitar a fazer aquilo que eu não conseguiria fazer de outro modo. E com esta certeza, quero reafirmar que não há como ser vaso útil e preparado, sem que haja presença regular no lugar de oração. Alguém simples como eu, pode se tornar um pregador apto a entender e ensinar; caso seja capaz de permanecer aos pés do Senhor o tempo necessário para receber do céu aquilo que pretende pregar na terra. Tentação mais comum do que se possa pensar; é aquela que procura nos convencer de que "o auditório hoje não exige grande preparo"; ou "hoje preciso me preparar dobrado, devido ao nível de ouvintes que terei". Enfim, seja qual for o grupo de ouvintes; orar é sempre a necessidade maior.

Ainda que eu tivesse os melhores recursos de homilética (coisa que não tenho), associados à habilidade de sistematizar uma visão teológica complexa (que não tenho) "turbinados" pela arte da oratória (também não tenho); não haveria como expor a Palavra e a grandeza de Deus, do modo e com o conteúdo que Deus ministrou ao meu coração neste fim de semana. E digo mais: Ainda que alguém tentasse me convencer do contrário, eu simplesmente ignoraria tal possibilidade; pois eu me conheço o bastante, até ao ponto de saber que ninguém pode receber e compartilhar tais ministrações, se do céu não lhe forem dadas. E não estou a pensar na palavra liberada no sábado de manhã e de noite, ou por ocasião do batismo distrital. Estou a pensar é no agir de Deus ontem a noite na IMW Central de Valadares.
 
Portanto, preciso dizer que valorizo a unção de Deus em minha vida; pois ela pode me dar aquilo que não tenho; e pode me capacitar a fazer aquilo que eu não conseguiria fazer de outro modo. E com esta certeza, quero reafirmar que não há como ser vaso útil e preparado, sem que haja presença regular no lugar de oração. Alguém simples como eu, pode se tornar um pregador apto a entender e ensinar; caso seja capaz de permanecer aos pés do Senhor o tempo necessário para receber do céu aquilo que pretende pregar na terra. Tentação mais comum do que se possa pensar; é aquela que procura nos convencer de que "o auditório hoje não exige grande preparo"; ou "hoje preciso me preparar dobrado, devido ao nível de ouvintes que terei". Enfim, seja qual for o grupo de ouvintes; orar é sempre a necessidade maior.
 
Creio que este testemunho de Paulo diz tudo o que aqui pretendi dizer:
 
"Primeiramente dou graças ao meu Deus por Jesus Cristo, acerca de vós todos, porque em todo o mundo é anunciada a vossa fé. Porque Deus, a quem sirvo em meu espírito, no evangelho de seu Filho, me é testemunha de como incessantemente faço menção de vós, Pedindo sempre em minhas orações que nalgum tempo, pela vontade de Deus, se me ofereça boa ocasião de ir ter convosco. Porque desejo ver-vos, para vos comunicar algum dom espiritual, a fim de que sejais confortados; Isto é, para que juntamente convosco eu seja consolado pela fé mútua, assim vossa como minha. Não quero, porém, irmãos, que ignoreis que muitas vezes propus ir ter convosco (mas até agora tenho sido impedido) para também ter entre vós algum fruto, como também entre os demais gentios. Eu sou devedor, tanto a gregos como a bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes. E assim, quanto está em mim, estou pronto para também vos anunciar o evangelho, a vós que estais em Roma."
(Romanos 1.8-15)
 
Acredito que não existe nada melhor do que respaldar a visão na Palavra.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Oração e recolhimento


Hoje precisei orar bem mais cedo; pois creio que os dias estão de fato se abreviando... E bem mais rápido do que algum dia imaginei. Tenho entendido que - ao menor sinal de inquietação do meu espírito - devo me curvar e beber da Fonte que tem o dom de me tranquilizar. E foi isto que eu fiz durante a madrugada. Tenho razões de sobra para crer que estamos nos estertores de um mundo que entrou em processo de decadência já faz tempo; mas que, neste dias, chega a um nível de engano e sedução nunca antes visto. A tentativa de mesclar valores sagrados com conceitos profanos é tão evidente, mesmo por parte de alguns que se autoafirmam cristãos, que chega às raias do absurdo. Então... Oração e recolhimento são recomendáveis.
 
Enquanto eu ainda orava, percebia a rudeza do conflito existente ao redor... Como um vento forte que chega antes de uma tempestade. Dou graças a Deus por ser um crente que procura pautar a vida em alguns valores indispensáveis. Confiança em Deus e esperança futura são dois deles! No entanto, não confio no mundo em que vivo; nem alimento esperança de que ele melhore. Na verdade, o que procuro fazer é trabalhar pela protelação do mal que se aproxima e se agiganta. Sei que nem todos conseguem perceber isto; mas... Entendo sua dificuldade. Até porque, todos nós desejamos um futuro alvissareiro para as pessoas que amamos. No entanto, não nos iludamos com aparência de paz e prosperidade! Pois o tempo se abrevia.
 
Este texto, dentre os assuntos relevantes que aborda, fala com clareza sobre perdão e vitória:
 
"Filhinhos, escrevo-vos, porque pelo seu nome vos são perdoados os pecados. Pais, escrevo-vos, porque conhecestes aquele que é desde o princípio. Jovens, escrevo-vos, porque vencestes o maligno. Eu vos escrevi, filhos, porque conhecestes o Pai. Eu vos escrevi, pais, porque já conhecestes aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno. Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre."
(I João 2.12-17)
 
Mas também adverte que não devemos amar o mundo, pois a aparência do mundo é passageira.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Servos, chamados, separados


Manhã de domingo, dia do Senhor! Já me prostrei e adorei; me desmanchei em gratidão pelo que o Senhor fez ontem, pelo modo como falou conosco. Se alguém me perguntar como é ouvida a voz de Deus; prontamente respondo: A voz de Deus é ouvida no íntimo, como um discreto sussurro; de tal modo, que somente o espírito humano rendido e contrito consegue interpretá-la em sua plenitude. De outro modo, quando a mesma soa externamente; seu som pode parecer com o ribombar de um trovão, ou como um vento tempestuoso em meio á forte tempestade. Assim, em qualquer dos casos; não há como discerni-la sem a ajuda do Santo Espírito. Porém, estou convencido de que Deus nos falou ontem - de modo inequívoco - tanto de manhã como de noite!
 
Pela manhã, tivemos reunião com os pastores e obreiros do Distrito de Governador Valadares. Alertei quanto ao fato de que ainda noto resistência ao mover do Senhor em nosso meio por parte de alguns. E alertei quanto ao risco que corremos nos dias de hoje, com perigo de fracasso e queda para aquele obreiro que não manter a tríplice convicção definida por Paulo em Romanos 1.1: "SERVO de Jesus Cristo, CHAMADO para apóstolo, SEPARADO para o evangelho de Deus." No culto distrital, a noite, na quadra do Colégio Presbiteriano; tivemos a Ceia da Unidade, repleta de membros das diversas IMW da cidade. Onde destaquei I Timóteo 1.15: "Cristo Jesus VEIO ao mundo, para SALVAR os PECADORES" (os que assim se reconhecem).
 
Ao lermos este texto bíblico, precisamos procurar compreender o mesmo, todo o seu significado:
 
"Porque o amor de Cristo nos constrange, julgando nós assim: que, se um morreu por todos, logo todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. Assim que daqui por diante a ninguém conhecemos segundo a carne, e, ainda que também tenhamos conhecido Cristo segundo a carne, contudo agora já não o conhecemos deste modo. Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação; Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação."
(II Coríntios 5.14-19)
 
Pois somente o compreendendo claramente, poderemos perceber a real grandeza deste sacrifício!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Rumo definido pelo Senhor


Nesta manhã, procurei estender meu lugar de oração na sala do Pastor Sidenilson Alvino Pereira e Márcia Suzuki; para buscar de Deus algo que possa transmitir, na reunião que teremos nesta manhã, aos pastores e obreiros que estarão reunidos na IMW - Distrito de Governador Valadares. A Palavra de Deus diz que "O homem não pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do céu." (João 3.27); portanto, preciso buscar suprimento na única fonte que pode me qualificar a exercer um ministério que seja segundo o propósito de Deus. Sei que o fato de orar, não tira a me priva de pensar ou de questionar... No entanto, tais atividades da mente são melhor administradas; de modo a não interferir com a vontade de Deus em minha vida. Aliás, o grande risco que um cristão corre, ao fica a mercê de pensamentos e opiniões "in natura", é ser levado a algum desvio de conduta, seja de interpretação, seja de escolha.
 
Mas... Voltando ao meu momento de oração (a melhor coisa que ainda posso fazer nesta vida): Enquanto procurava conhecer um pouco mais as minhas possibilidades e fragilidades; me dei conta de que não existe um dia sequer em que não corramos o risco de nos desviar da Verdade; de nos perder nos bastidores de um raciocínio propenso a definir por si mesmo o que é certo ou errado. De fato, as circunstâncias de vida podem afetar nossa razão; até ao ponto de nos afastar do rumo definido pelo Senhor para cada um de nós. Então, ainda prostrado, depois de agradecer ao Senhor por minha querida família e por ter sido vaso separado por Ele para um fim proveitoso; agradeci também por ter me brindado com Sua salvação consumada em Jesus; e por Seu cuidado para comigo; expresso por meio da compaixão com que me acolhe, do amor com que me cativa e da graça com que me sustenta.
 
Gosto de meditar na Bíblia, como estas palavras do grande apóstolo Paulo: "ALÉM disto, eu, Paulo, vos rogo, pela mansidão e benignidade de Cristo, eu que, na verdade, quando presente entre vós, sou humilde, mas ausente, ousado para convosco; Rogo-vos, pois, que, quando estiver presente, não me veja obrigado a usar com confiança da ousadia que espero ter com alguns, que nos julgam, como se andássemos segundo a carne. Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas; Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo" (II Coríntios 10.1-5). São palavras enriquecedoras, que me ajudam; porque elas me convencem de que preciso manter meu raciocínio prisioneiro da Verdade.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 19 de outubro de 2014

Eles são transitórios


Quero hoje repetir: Não tenho os candidatos como exemplo; nem sei o que são na vida privada. No entanto, me preocupo com seu modo de ver os valores da democracia. Na verdade, o modo de viver dos governantes só diz respeito a eles mesmos; contanto que não interfiram em nosso modo de viver e praticar nossa crença, nem conspirem contra as liberdades democráticas consagradas na Constituição da República. Acredito na possibilidade de coexistência pacífica entre cristãos, ateus, negros, brancos, árabes, judeus, homossexuais, heterossexuais... Até porque, sei que cada um dará contas de si mesmo a Deus - pelas escolhas que fizerem; não pelo que outros pensam a seu respeito - pois do julgamento de Deus ninguém pode se esquivar; nem mesmo aqueles que não acreditam em Sua existência.
 
Portanto, vejo como algo natural a coexistência entre pessoas diferentes em seu modo de pensar, falar e agir - todas convivendo sob os ares da democracia - contanto que saibam se respeitar, mesmo discordantes umas das outras. É importante que as pessoas não se sintam ameaçadas umas pelas outras, sabendo divergir sem se agredir. Quanto à Igreja de Cristo: Ela é agente de Deus para anunciar as boas novas da salvação aos que estão a sua volta; e cada crente em Jesus deve ser o "bom cheiro de Cristo", entre os que se salvam e os que se perdem. Quanto aos governos: Eles são transitórios - sendo bons ou maus - devendo responder perante seus eleitores, por seus mandos e desmandos. Eles não têm a obrigação de ser cristãos; mas têm a obrigação de ser honestos; e de respeitar a lei e a ordem.
 
Alguém ainda duvida que estamos vivendo este tempo?
 
"SABE, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te. Tu, porém, tens seguido a minha doutrina, modo de viver, intenção, fé, longanimidade, amor, paciência, Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados. Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido, E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus."
(II Timóteo 3.1-5,10,13-15)
 
Realmente... Vivemos dias aflitivos e angustioso!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 18 de outubro de 2014

Procurei me certificar

Foto: Hoje, em horário bem mais cedo que de costume, levantei e fui para o lugar de oração... Senti cansaço até chegar; mas, ao me curvar, o cansaço foi se retirando de mansinho. Algo que tenho aprendido e posso afirmar; é que - seja qual for a resposta alcançada pela oração - é sempre tonificante e gratificante buscar a face do Senhor! Enquanto eu orava, procurei me certificar de que meus sentimentos e objetivos eram puros e verdadeiros (é que estes dois elementos algumas vezes se disfarçam sob manto de santidade ou verdade aparente); pois estou ciente de que, se há um lugar onde mentira e disfarce de nada valem; nem são sequer admitidos, este lugar e a presença de Deus. Então, com a pauta livre de qualquer inverdade ou camuflagem, me derramei perante Jesus, Salvador e Senhor da minha vida!

Diante do Deus eterno, expressei meu receio de continuar em atividade além do tempo permitido; ou de recuar antes da hora. Tentei deixar claro que em minha vida com o Senhor, tudo deve ficar em segundo plano; mesmo família e desejo de fazer a obra (Moisés não entrou em Canaã, por ter se excedido em seu modo de lidar com a Rocha). Então, procurei expor o meu desejo de  viver conforme este sentimento de Paulo: "Segundo a minha intensa expectação e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a confiança, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte. Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho." (Filipenses 1.20-21). Portanto, não temo a vida ou a morte; e sim, viver fora do Seu querer; ou morrer em colisão com Sua vontade.

Hoje, em horário bem mais cedo que de costume, eu me levantei e fui para o lugar de oração... Senti cansaço até chegar; mas, ao me curvar, o cansaço foi se retirando de mansinho. Algo que tenho aprendido e posso afirmar; é que - seja qual for a resposta alcançada pela oração - é sempre tonificante e gratificante buscar a face do Senhor! Enquanto eu orava, procurei me certificar de que meus sentimentos e objetivos eram puros e verdadeiros (é que estes dois elementos algumas vezes se disfarçam sob manto de santidade ou verdade aparente); pois estou ciente de que, se há um lugar onde mentira e disfarce de nada valem - nem são sequer admitidos - este lugar e a presença de Deus. Então, com a pauta de oração livre de qualquer inverdade ou camuflagem, me derramei perante Jesus, Salvador da minha vida!
 
Diante do Deus eterno, expressei meu receio de continuar em atividade além do tempo permitido; ou de recuar antes da hora. Tentei deixar claro que em minha vida com o Senhor, tudo deve ficar em segundo plano; mesmo família e desejo de fazer a obra (Moisés não entrou em Canaã, por ter se excedido em seu modo de lidar com a Rocha). Então, procurei expor o meu desejo de viver conforme este sentimento de Paulo: "Segundo a minha intensa expectação e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a confiança, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte. Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho." (Filipenses 1.20-21). Portanto, não temo a vida ou a morte; e sim, viver fora do Seu querer; ou morrer em colisão com Sua vontade.
 
Este texto nos adverte que não devemos permitir que o sentimento se imponha, quando estamos fazendo a obra de Deus: "Então Moisés tomou a vara de diante do SENHOR, como lhe tinha ordenado. E Moisés e Arão reuniram a congregação diante da rocha, e Moisés disse-lhes: Ouvi agora, rebeldes, porventura tiraremos água desta rocha para vós? Então Moisés levantou a sua mão, e feriu a rocha duas vezes com a sua vara, e saiu muita água; e bebeu a congregação e os seus animais. E o SENHOR disse a Moisés e a Arão: Porquanto não crestes em mim, para me santificardes diante dos filhos de Israel, por isso não introduzireis esta congregação na terra que lhes tenho dado." (Números 20.9-12). Pelo fato de ter deixado o sentimento interferir, Moisés não perdeu o céu; mas foi impedido de entrar na terra de Canaã.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Apenas uma voz que soa


No domingo passado, Deus me deu a oportunidade de estar na congregação wesleyana do Landi, ligada à IMW de Venda Nova e dirigida pelo Pastor Luiz Guilherme. Senti grande prazer ao ver as melhorias realizadas no templo, desde a última vez em que lá estive; e também por sentir o clima de satisfação existente nos membros desta congregação. O culto foi marcado por graça especial do Senhor, com louvor e adoração na justa medida. Temos pouco mais de cento e setenta congregações, como esta, na IMW 2ª Região; que - por sua vez - estão vinculadas a quase duzentas igrejas. E como me faz bem sentir quando estas igrejas estão sendo presididas e cuidadas por um pastor que traz em suas entranhas o sentimento de Cristo por suas ovelhas. Sei que o galardão é grande para o pastor fiel, a Deus e ao rebanho.
 
Enquanto eu meditava na importância de estendermos a obra até onde Deus nos permitir chegar, como fruto do esforço evangelístico e missionário da IMW; fiquei a pensar no trabalho de um verdadeiro pastor de almas... Um pastor que vela por seu rebanho, procurando apascentar com amor, mesmo as ovelhas mais difíceis. Infelizmente, em nossos dias, percebe-se crescer um conceito de "profissionalismo clerical" entre aqueles que se dizem chamados por Deus; até ao ponto de sumir do coração de alguns pastores, aquele sentimento de renúncia e doação; semelhante ao sentimento de Jesus, ao dar a Sua vida pelas ovelhas. Ainda bem que existem vidas comprometidas com a grandeza e a nobreza do chamado para o ministério; não se negando a alimentar e socorrer aqueles que estão sob sua aba pastoral.
 
É necessário que eu diga: Não sou e nem me sinto juiz de pastores... Nem juiz de quem quer que seja (Nem a mim mesmo me julgo). Sou apenas uma voz - dentre as muita que soam - procurando advertir os desavisados. Só lamento que, naquele dia, muitos finalmente descobrirão que de nada valeu ostentarem títulos cristãos - mesmo bíblico - pois o juízo de Deus é justo, inevitável; e será rigoroso sobre aqueles que usaram indevidamente o ministério e tomaram o Seu santo nome em vão. Entretanto, tenho sido abençoado com a existência de inúmeros pastores e obreiros consagrados; cuja vida abnegada é dedicada ao cumprimento integral do propósito do Deus vivo que os chamou para o ministério. Estes não precisam temer o dia do acerto de contas; pois o Senhor conhece os que são realmente Seus.
 
Penso que nós, pastores, devemos meditar neste texto:
 
"PERMANEÇA o amor fraternal. Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por ela alguns, não o sabendo, hospedaram anjos. Lembrai-vos dos presos, como se estivésseis presos com eles, e dos maltratados, como sendo-o vós mesmos também no corpo. Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém, aos que se dão à prostituição, e aos adúlteros, Deus os julgará. Sejam vossos costumes sem avareza, contentando-vos com o que tendes; porque ele disse: Não te deixarei, nem te desampararei. E assim com confiança ousemos dizer: O SENHOR é o meu ajudador, e não temerei O que me possa fazer o homem. Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver. Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente."
(Hebreus 13.1-8)
 
Ele pode nos levar a repensar nossa conduta pastoral.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Tentações camufladas

Foto: Hoje eu venho me prostrar no lugar de oração, plenamente convencido de que, nem idade madura enfraquece a tendência pecaminosa; nem experiência de vida é capaz de blindar contra os ardis de Satã. Na própria Bíblia, encontramos provas da veracidade daquilo que estou dizendo; e, em nosso tempo, conhecemos diversos casos de homens de Deus que fracassaram na velhice. Portanto, preciso buscar sempre a proteção de Deus, para não cair nas tentações camufladas, que chegam com sutileza, como se bênçãos fossem; que podem destruir a vida e a carreira de bons homens de Deus, que - cheios de autoconfiança - deixaram de vigiar e orar como deviam.

Então, prostrado aos pés do Senhor, pedi que me guarde em segurança à sombra da cruz e sob a cobertura do sangue de Jesus; pois neste tipo de guerra não existe valente; mas, sim, perseverante e protegido. Não é de hoje, estou ciente de que não existe rota de escape para aquele que se vê cercado pelo mal; a não ser o socorro que vem de Cima. No entanto, este socorro só é eficaz para aquele que clama pela ajuda de Deus. Não existe força moral ou espiritual que seja capaz, por si mesma, de garantir sucesso nesta luta; pois somente o nosso Deus - socorro bem presente na vida daquele que busca é crê - pode nos livrar e guardar do pecado que sempre nos assedia.

Hoje eu venho me prostrar no lugar de oração, plenamente convencido de que, nem idade madura enfraquece a tendência pecaminosa; nem experiência de vida é capaz de blindar contra os ardis de Satã. Na própria Bíblia, encontramos provas da veracidade daquilo que estou dizendo; e, em nosso tempo, conhecemos diversos casos de homens de Deus que fracassaram na velhice. Portanto, preciso buscar sempre a proteção de Deus, para não cair nas tentações camufladas, que chegam com sutileza, como se bênçãos fossem; que podem destruir a vida e a carreira de bons homens de Deus, que - cheios de autoconfiança - deixaram de vigiar e orar como deviam.
 
Então, prostrado aos pés do Senhor, pedi que me guarde em segurança à sombra da cruz e sob a cobertura do sangue de Jesus; pois neste tipo de guerra não existe valente; mas, sim, perseverante e protegido. Não é de hoje, estou ciente de que não existe rota de escape para aquele que se vê cercado pelo mal; a não ser o socorro que vem de Cima. No entanto, este socorro só é eficaz para aquele que clama pela ajuda de Deus. Não existe força moral ou espiritual que seja capaz, por si mesma, de garantir sucesso nesta luta; pois somente o nosso Deus - socorro bem presente na vida daquele que busca é crê - pode nos livrar e guardar do pecado que sempre nos assedia e ameaça.
 
Este texto da Bíblia é como uma bússola que carrego sempre comigo, aonde quer que eu vá:
 
"PORTANTO nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus. Considerai, pois, aquele que suportou tais contradições dos pecadores contra si mesmo, para que não enfraqueçais, desfalecendo em vossos ânimos. Ainda não resististes até ao sangue, combatendo contra o pecado."
(Hebreus 12.1-4)
 
Precisamos ter este recurso sempre à mão; pois o mundo em que vivemos é perigoso e hostil.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

As promessas do Pai

Foto: Existem dias que trazem um peso diferenciado, tanto de preocupação como de inquietação; sem que haja uma razão aparente que justifique tais sentimentos. É quando nos inquietamos com certas notícias e com algumas probabilidades; quando nos sobressaltamos até mesmo com o cair de um objeto ou o bater de uma porta, como se houvesse perigo no ar. Penso que isto acontece com as pessoas, em qualquer lugar. Enquanto eu refletia sobre isto, o meu espírito se voltou para um cântico antigo: "Vindo sombras escuras no caminho teu; ó, não te desanimes, cante um hino à Deus. Cada nuvem escura um arco-iris traz, quando em teu coração reinar perfeita paz. Se o teu coração estiver em paz; bem contente, alegre, sempre te acharás; se o teu coração estiver em paz, tu verás que um arco-iris cada nuvem traz!" Esta recordação me fez pensar na presença de Deus em minha vida.

Na verdade, os seres humanos são frágeis e vulneráveis. Eles são afetados por tragédias e por circunstâncias corriqueiras; tais como: Mudança de clima, doença na família, desemprego; enfim, situações que os assustam e abatem. E são golpeados por tragédias inesperadas que chegam repentinamente, afligindo e fazendo sangrar o coração mais insensível. Então, fico a pensar: Enquanto escrevo estas linhas, quantos se sentem traídos, brutalizados, mal amados; enfim... Sem condição de esboçar um sorriso ou levantar a cabeça. Realmente, se olharmos sob o lado natural; tais suposições justificam inquietação e preocupação ao menor sinal de perigo. No entanto, existe um fator que deve ser considerado acima de qualquer outra coisa: As promessas do Pai, favoráveis à nós em Cristo Jesus; e a presença do Seu Espírito conosco, seja qual for a situação em que nós nos encontremos.

Existem dias que trazem um peso diferenciado, tanto de preocupação como de inquietação; sem que haja uma causa ou razão aparente que justifique tais sentimentos. E quando isto acontece - como se o abstrato se tornasse concreto - somos tendentes a nos inquietarmos com certas notícias que chegam; e até com algumas probabilidades que o medo e a insegurança conseguem construir no interior de uma mente dominada por apreensão. Então, como se o nosso mundo estivesse desabando, nos sobressaltamos até mesmo com o cair de um objeto ou o bater de uma porta; agindo como se houvesse perigo no ar. Penso que isto acontece com a grande maioria das pessoas, em qualquer lugar. Enquanto eu refletia sobre isto, o meu espírito se voltou para um cântico antigo: "Vindo sombras escuras no caminho teu; ó, não te desanimes, cante um hino à Deus. Cada nuvem escura um arco-íris traz, quando em teu coração reinar perfeita paz. Se o teu coração estiver em paz; bem contente, alegre, sempre te acharás; se o teu coração estiver em paz, tu verás que um arco-íris cada nuvem traz!" Esta recordação me fez pensar na importância de ter assegurada a presença de Deus em minha vida.
 
Na verdade, os seres humanos são frágeis e vulneráveis; desde o momento do seu nascimento, até o momento da sua morte. Eles são suscetíveis de abalo em sua estrutura emocional, até mesmo por tragédias e por circunstâncias corriqueiras, tais como: Mudança de clima, doença na família, desemprego; enfim, a grande maioria se deixa assustar e abater mesmo por coisas pequenas. E quando são golpeados por tragédias inesperadas e repentinas, chegam a pensar que a vida chegou ao fim. Então, fico a pensar: Enquanto escrevo estas linhas, quantas pessoas - mesmo crentes - estão entregues ao um desânimo total; ou por se  sentirem traídas; ou brutalizadas; ou por se sentirem mal amadas; enfim... Não demonstram a menor condição de esboçar um sorriso ou levantar a cabeça ante a adversidade. Realmente, se olharmos pelo lado natural; tais suposições justificam inquietação e preocupação ao menor sinal de perigo. No entanto, existe um fator que deve ser considerado acima de qualquer outra coisa: O fato de que as promessas do Pai são sempre favoráveis à nós em Cristo Jesus; confirmadas por Seu Espírito em nós, seja qual for a situação em que nos encontremos.
 
Este texto traz um grande bem ao coração aflito: "Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós. Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor." (Romanos 8.31-39). Como faz bem crer nas promessas de Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 12 de outubro de 2014

Importância do domingo

Foto: Hoje de manhã, fui movido a fazer uma espécie de varredura em minha vida com Deus. Na verdade, o domingo é sempre um bom dia para fazermos uma real avaliação do nosso nível de relacionamento com o Senhor. Em primeiro lugar, porque é um dia em que o tempo de que dispomos é favorável; e também, porque o domingo é um dia que se difere dos demais, no tocante às motivações espirituais das famílias e igrejas. Ao refletir, eu me dei conta de que existe em nós aquela tendência ou tradição que - em um dia assim - leva os cristãos em todo o mundo, a dedicar mais tempo às coisas do Senhor.

Assim, enquanto eu orava neste sentido, várias questões foram consideradas em meu espírito; dentre elas, destaco o nível de relacionamento familiar; pois ele tem muito a ver com nossa motivação para com as coisas de Deus e com a alegria e paz interior que todo crente precisa ter. Então, agradeci a Deus pela família que tenho. E senti necessidade de sabedoria e graça para lidar com os obstáculos que se interpõem entre nós e o nosso Deus. Também pedi ao Senhor que me livre de ver nos obstáculos perseguições ou problemas; mas, sim, desafios que preciso enfrentar e superar, com humildade e fé.

Hoje de manhã, ainda no lugar de oração; fui movido a fazer uma espécie de varredura em minha vida espiritual e em meu relacionamento com Deus. Não é de hoje que sei, que o domingo é sempre um bom dia para fazermos uma real avaliação do nosso nível de relacionamento com o Senhor. Em primeiro lugar, porque é um dia em que o tempo de que dispomos é sempre favorável; e também, porque o domingo é um dia que se difere dos demais, especialmente no tocante às motivações espirituais das famílias e igrejas. Ao refletir sobre a importância do domingo, eu me dei conta de que existe em nós uma espécie de tendência ou tradição que - em um dia assim - leva os cristãos em todo o mundo, a dedicar mais tempo à família e às coisas do Senhor.
 
Assim, enquanto eu orava neste sentido, várias questões foram consideradas em meu espírito; dentre elas, destaco o nível de relacionamento familiar, pois ele tem muito a ver com o nosso nível de dedicação para com as coisas de Deus; e também com a alegria e paz interior que todo crente precisa ter. Então, agradeci ao Senhor pela família que tenho, pois ela tem sido instrumento de Deus para o meu fortalecimento e motivação. Em meio aos sentimentos, senti necessidade de buscar no Senhor sabedoria e graça para lidar com os obstáculos que se interpõem entre nós e o nosso Deus. Também pedi ao Senhor que me livre de ver nos obstáculos, perseguições ou problemas; mas, sim, desafios que preciso enfrentar e superar, com uma boa dose de humildade e fé.
 
Uma vida decididamente cristã, não deve se deixar envolver por embaraços: "TU, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus. E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros. Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo. Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra. E, se alguém também milita, não é coroado se não militar legitimamente. O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a gozar dos frutos. Considera o que digo, porque o Senhor te dará entendimento em tudo." (II Timóteo 2.1-7). Pois é seu dever suportar as provações, e servir a Deus e ao próximo com idoneidade.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 11 de outubro de 2014

Andar de fé em fé

 Foto: Desde que me tornei um crente e me senti chamado, este texto passou a fazer parte de minha vida: "E de Mileto mandou a Éfeso, a chamar os anciãos da igreja. E, logo que chegaram junto dele, disse-lhes: Vós bem sabeis, desde o primeiro dia em que entrei na Ásia, como em todo esse tempo me portei no meio de vós, Servindo ao Senhor com toda a humildade, e com muitas lágrimas e tentações, que pelas ciladas dos judeus me sobrevieram; Como nada, que útil seja, deixei de vos anunciar, e ensinar publicamente e pelas casas, Testificando, tanto aos judeus como aos gregos, a conversão a Deus, e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo. E agora, eis que, ligado eu pelo espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que lá me há de acontecer, Senão o que o Espírito Santo de cidade em cidade me revela, dizendo que me esperam prisões e tribulações. Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus." (Atos 20.17-24). Como me identifico com ele! Eu me sinto por ele motivado, incentivado, em meio às provações ao longo do Caminho! Glória a Deus!

Desde que me tornei um crente e me senti chamado, este texto passou a fazer parte de minha vida: "E de Mileto mandou a Éfeso, a chamar os anciãos da igreja. E, logo que chegaram junto dele, disse-lhes: Vós bem sabeis, desde o primeiro dia em que entrei na Ásia, como em todo esse tempo me portei no meio de vós, Servindo ao Senhor com toda a humildade, e com muitas lágrimas e tentações, que pelas ciladas dos judeus me sobrevieram; Como nada, que útil seja, deixei de vos anunciar, e ensinar publicamente e pelas casas, Testificando, tanto aos judeus como aos gregos, a conversão a Deus, e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo. E agora, eis que, ligado eu pelo espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que lá me há de acontecer, Senão o que o Espírito Santo de cidade em cidade me revela, dizendo que me esperam prisões e tribulações. Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus." (Atos 20.17-24). Como me identifico com ele! Eu me sinto por ele motivado, incentivado, em meio às provações ao longo do Caminho! Aleluia!
 
Ao longo de minha vida de crente e obreiro, tenho procurado viver e trabalhar sob este imperativo: "Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer. Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda. Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros. Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim." (João 15.14-18). Portanto, andando sob este manto, procurarei andar de fé em fé, mantendo a promessa do Deus eterno sempre diante dos olhos! Glória a Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Instrumento de construção

Foto: Manhã de sol, prenúncio de um dia favorável; mas... Não devo me deixar levar pela aparência. Portanto, como sempre procuro fazer, me curvei em oração diante do Pai. Hoje teremos mais uma reunião aqui em Xerém; e esta é mais uma das muitas razões que tenho para buscar a face do Senhor. Chorei diante do meu Deus, por alguns motivos que sempre temos para chorar; todavia, nossa estrutura emocional não resiste à visitação do Senhor; e isto aconteceu comigo. E em ocasiões assim; chorar ou rir é uma reação espontânea, inevitável. Há muitos anos, aprendi que o espírito humano pode ser treinado a falar a linguagem da fé e a se expressar - tanto diante de Deus como diante dos homens - com as palavras apropriadas, em condição de se comunicar do modo correto. Sempre acreditei que o modo correto de se comunicar, facilita o acesso ao favor de Deus e compreensão dos homens.

Que a oração é uma espécie de chave que abre portas trancadas, eu soube assim que iniciei minha carreira cristã; e me causa admiração, o modo como muitos bons crentes tratam a oração; relegando-a a um segundo, terceiro plano. No entanto, a oração - chorada e gemida - não é apenas chave de acesso à porta do livramento e da solução; ela é também o mais eficiente instrumento de construção de uma vida de temor e quebrantamento; provocando a sensibilidade que nos leva a viver uma vida no Espírito e a entender a Palavra de Deus em toda a esfera de revelação que nos diz respeito. Portanto, não devemos usar outros meios para resolver problemas que não conseguimos resolver por meio da oração. A questão é simples: Se nossas orações não resultaram na solução de certos problemas; ou é porque estamos a pedir mal; ou é porque ainda existe razão para a dor que nos aflige

Manhã de sol, prenúncio de um dia favorável; mas... Não devo me deixar levar pela aparência. Portanto, como sempre procuro fazer, me curvei em oração diante do Pai. Hoje teremos mais uma reunião aqui em Xerém; e esta é mais uma das muitas razões que tenho para buscar a face do Senhor. Chorei diante do meu Deus, por alguns motivos que sempre temos para chorar; todavia, nossa estrutura emocional não resiste à visitação do Senhor; e isto aconteceu comigo. E em ocasiões assim; chorar ou rir é uma reação espontânea, inevitável. Há muitos anos, aprendi que o espírito humano pode ser treinado a falar a linguagem da fé e a se expressar - tanto diante de Deus como diante dos homens - com as palavras apropriadas, em condição de se comunicar do modo correto. Sempre acreditei que o modo correto de se comunicar, facilita o acesso ao favor de Deus e compreensão dos homens.
 
Que a oração é uma espécie de chave que abre portas trancadas, eu soube assim que iniciei minha carreira cristã; e me causa admiração, o modo como muitos bons crentes tratam a oração; relegando-a a um segundo, terceiro plano. No entanto, a oração - chorada e gemida - não é apenas chave de acesso à porta do livramento e da solução; ela é também o mais eficiente instrumento de construção de uma vida de temor e quebrantamento; provocando a sensibilidade que nos leva a viver uma vida no Espírito e a entender a Palavra de Deus em toda a esfera de revelação que nos diz respeito. Portanto, não devemos usar outros meios para resolver problemas que não conseguimos resolver por meio da oração. A questão é simples: Se nossas orações não resultaram na solução de certos problemas; ou é porque estamos a pedir mal; ou é porque ainda existe razão para a dor que nos aflige.
 
Neste texto, Esdras demonstra compromisso com o testemunho que dera sobre o cuidado de Deus. Vivemos dias em que esta atitude de Esdras precisa ser considerada e imitada: "Então apregoei ali um jejum junto ao rio Aava, para nos humilharmos diante da face de nosso Deus, para lhe pedirmos caminho seguro para nós, para nossos filhos e para todos os nossos bens. Porque tive vergonha de pedir ao rei, exército e cavaleiros para nos defenderem do inimigo pelo caminho; porquanto tínhamos falado ao rei, dizendo: A mão do nosso Deus é sobre todos os que o buscam, para o bem deles; mas o seu poder e a sua ira contra todos os que o deixam. Nós, pois, jejuamos, e pedimos isto ao nosso Deus, e moveu-se pelas nossas orações." (Esdras 8.21-23). Assim como Esdras, nossas atitudes de confiança precisam ser coerentes com nossas declarações de fé no cuidado e proteção de Deus.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Ainda não foi desta vez


Ainda não foi desta vez... Que o nosso Brasil - tendo chance real de eleger uma governante comprometida com a Bíblia, a fé cristã e a família - conseguiu eleger um governante que possa ir além do populismo e das bandeiras sociais (obrigação de qualquer governante minimamente responsável). Infelizmente, mesmo para muitos líderes cristãos, pão (bolsa família) e circo (copa e olimpíada) ainda são mais importantes do que os valores da democracia e da própria moral cristã. Na verdade, até entendo estas preferências nada originais; pois vejo se reeditar na história de nossos dias, a cumplicidade que existiu entre o imperador César, o Senado romano e o povo ávido por diversão; que martirizou tantos cristãos, tachados de "homofóbicos" e inimigos do estado.
 
Todavia, ainda resta o plano "b"... Que é a oportunidade de eleger um governante que demonstra afinidade com a liberdade de expressão e respeito pelo estado de direito e democrático; sem deixar de erguer as bandeiras sociais tão necessárias em um Brasil rico, mas transbordante de pobreza e de miséria (parece que a janela para este "brasil", está fechada no castelo de alguns magistrados, parlamentares e governantes). Devo dizer que não sou admirador do Aécio Neves; porém... Sou admirador dos ares da liberdade de expressão, que circulam em um país onde a democracia plena acolhe tendências políticas diversas; mesmo as que lhe são hostis. E tenho viva esperança de que Aécio irá honrar e fortalecer os princípios democráticos consagrados na Constituição.
 
Sinto prazer em refletir sobre este texto da Bíblia: "Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor." (Romanos 8.35-39). Pois sei que ele pode repor nos trilhos, qualquer cristão que esteja em processo de desvio.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Deus achou prazer em mim

 Foto: Ontem tivemos uma abençoada reunião da Comissão de Legislação, que se estenderá ao longo deste dia. Mesmo sem a unanimidade raramente vista entre os seres humanos, houve cordialidade e consenso em larga escala. Sou grato a Deus pelos amigos e irmãos que venho granjeando e cultivando ao longo dos anos! E, também sou grato a Deus por ser quem sou e por fazer o que faço. É tonificante acordar na manhã de um novo dia e saber que Existe um Deus no céu - único e verdadeiro - e que este Deus achou prazer em mim... Não tenho palavras para descrever o que sinto, ao pensar em tamanhã ventura! Sei que sou um pecador que por graça foi redimido; portanto, hoje sou um pecador que pode falar de salvação e vida eterna; sem constrangimento pelo que fui, ou sentimento de medo e insegurança.

Ao longo de minha vida, pude perceber que o mérito que me fez aceito e renascido não está em minhas habilidades ou em meu jeito de ser. Na verdade, o pecado que me condenava só foi anulado, porque Jesus olhou através dele e viu um ser carente e condenado; então, tomou sobre Si minhas culpas e dores; e me deu uma nova vida e um novo nome. Portanto, tenho uma nova história de vida; não tenho medo do passado, nem do futuro; pois Jesus mudou minha natureza e anulou minha sentença. Logo, o mérito é dEle e a gratidão é minha; pois estou plenamente convencido de que sou um dos filhos de Deus. E assim, a cada novo dia que nasce, posso exaltar de coração o Deus eterno e continuar dando os passos que me aproximam do meu futuro e me distanciam do meu passado. Glória a Deus por tão grande salvação!

Ontem tivemos uma abençoada reunião da Comissão de Legislação, que se estenderá ao longo deste dia. Mesmo sem a unanimidade raramente vista entre os seres humanos, houve cordialidade e consenso em larga escala. Sou grato a Deus pelos amigos e irmãos que venho granjeando e cultivando ao longo dos anos! E, também sou grato a Deus por ser quem sou e por fazer o que faço. É tonificante acordar na manhã de um novo dia e saber que Existe um Deus no céu - único e verdadeiro - e que este Deus achou prazer em mim... Não tenho palavras para descrever o que sinto, ao pensar em tamanha ventura! Sei que sou um pecador que por graça foi redimido; portanto, hoje sou um pecador que pode falar de salvação e vida eterna a qualquer um; sem constrangimento pelo que fui, ou sentimento de medo e insegurança.
 
Ao longo de minha vida, pude perceber que o mérito que me fez aceito e renascido não está em minhas habilidades ou em meu jeito de ser. Na verdade, o pecado que me condenava só foi anulado, porque Jesus olhou através dele e viu um ser carente e condenado; então, tomou sobre Si minhas culpas e dores; e me deu uma nova vida e um novo nome. Portanto, tenho uma nova história de vida; não tenho medo do passado, nem do futuro; pois Jesus mudou minha natureza e anulou minha sentença. Logo, o mérito é dEle e a gratidão é minha; pois estou plenamente convencido de que sou um dos filhos de Deus. E assim, a cada novo dia que nasce, posso exaltar de coração o Deus eterno e continuar dando os passos que me aproximam do meu futuro e me distanciam do meu passado. Glória a Deus por tão grande salvação!
 
Este texto sempre me faz lembrar do ponto em que tudo começou, em que minha vida renasceu:
 
"Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus; Para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus. Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie; Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas."
(Efésios 2.4-10)
 
Jamais esquecerei o que Deus fez por mim, ao me perdoar em salvar em Cristo Jesus!
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Estado de decadência


Uma das coisas que procuro fazer, em cada manhã; é agradecer a Deus pela oportunidade mesclada com prazer, de despertar para um novo dia. Admito que aqueles que não crêem em Deus ou não atribuem a Ele o dom da vida, devem achar sem sentido minha gratidão... E não são poucos os que se negam a atribuir ao Deus eterno sua existência; pois vêem o seu nascimento apenas fruto de uma conjunção carnal. É uma pena pensarem assim; pois perdem a chance de cultivar em Deus, tanto sua fé como seus valores morais. Infelizmente, este modo de ver a vida tem levado o mundo ao estado de decadência em que se encontra. Fato é que, cada dia que nasce é uma dádiva de Deus ao ser humano - seja ele crédulo ou incrédulo - que não deve ser desperdiçada com ociosidade ou com ocupações vãs ou nocivas.
 
Creio que um dia pleno e proveitoso não deve ser medido apenas pelo comer, beber, trabalhar ou se divertir. Estas atividades básicas nos tornam semelhantes aos animais; pois eles têm o seu modo de cumprir estas atividades básicas e instintivas, sem deixarem de ser irracionais. Na verdade, um dia não pode ser tido como plenamente proveitoso; se não buscarmos desenvolver nossos valores morais e espirituais (se é que os temos). Portanto, gastemos o nosso tempo com atividades nobres e honrosas (vida em família, leitura sadia, trabalho honesto, fraternidade) conjugado com atividades espirituais (amar a Deus acima de tudo, cultuá-Lo em família e no templo, meditar em Sua Palavra, testemunhar do nome de Jesus); Enfim, dando "a César o que é de César; sem deixar de "dar a Deus o que é de Deus".
 
Este é um bom texto para meditarmos neste dia:
 
"ROGO-VOS, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um. Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma operação, Assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros. De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; Se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; Ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria."
(Romanos 12.1-8)
 
A Palavra de Deus sempre nos encoraja e enriquece.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Do céu veio a resposta

Foto: Hoje de manhã orei por minha família; preciso dizer que faço isto todos os dias, mas... Existem dias em que o apelo do Espírito à intercessão pelo lar difere daquela rotina de oração pela família que sempre fazemos. Então, precisamos estar sempre atentos à Voz que nos conclama à intercessão em favor dos nossos. Creio no poder da oração quebrantada e fervorosa; portanto, devemos por em uso este poder em todo tempo; mesmo quando achamos que está tudo bem (se tudo estiver bem de fato, depois de orarmos ficará ainda melhor). Devemos ter o cuidado de gastar tempo em oração por vidas carentes de intercessores; e também por nossos familiares. No entanto, existem dias em que a oração por alguém se torna urgente, inadiável.

Nesta manhã, enquanto eu orava, o Espírito me conduziu em uma intercessão imersa em paz; algo como se tudo estivesse sendo acatado e atendido. Gosto de sentir alívio após orar... E foi este sentimento que predominou em meu espírito nesta manhã. Eu aprendi que a paz gerada pela oração tem efeito semelhante ao da paz nascida da justificação: Ambas trazem sensação de alívio quase imediato. Creio que foi a busca por este sentimento, que levou Jesus a se prostrar três vezes seguidas no Getsêmani; até que do céu veio a resposta. As vezes vemos crentes saírem do lugar de oração, indiferentes, como se isto fosse algo corriqueiro. Quanto a mim, entendo que perseverar em oração é tão importante quanto perseverar na fé.

Hoje de manhã orei por minha família; preciso dizer que faço isto todos os dias, mas... Existem dias em que o apelo do Espírito à intercessão pelo lar difere daquela rotina de oração pela família que sempre fazemos. Então, precisamos estar sempre atentos à Voz que nos conclama à intercessão em favor dos nossos. Creio no poder da oração quebrantada e fervorosa; logo, devemos por em uso este poder em todo tempo; mesmo quando achamos que está tudo bem (se tudo estiver bem de fato, depois de orarmos ficará melhor). Devemos ter o cuidado de gastar tempo em oração por vidas carentes de intercessores; e também por nossos familiares. Porém, existem dias em que a oração por alguém se torna urgente.
 
Nesta manhã, enquanto eu orava, o Espírito me conduziu em uma intercessão imersa em paz; algo como se tudo estivesse sendo acatado e atendido. Gosto de sentir alívio após orar... E foi este sentimento que predominou em meu espírito nesta manhã. Eu aprendi que a paz gerada pela oração tem efeito semelhante ao da paz nascida da justificação: Ambas trazem alívio quase imediato. Creio que foi a busca por este sentimento, que levou Jesus a se prostrar três vezes seguidas no Getsêmani; até que do céu veio a resposta. As vezes vemos crentes saírem do lugar de oração indiferentes, como se isto fosse algo corriqueiro. Quanto a mim, entendo que perseverar em oração é tão importante quanto perseverar na fé.
 
Momento angustiante este, que que Jesus adverte o seu discípulo mais fervoroso sobre a hora da tentação que viria sobre ele: "Disse também o Senhor: Simão, Simão, eis que Satanás vos pediu para vos cirandar como trigo; Mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; e tu, quando te converteres, confirma teus irmãos. E ele lhe disse: Senhor, estou pronto a ir contigo até à prisão e à morte. Mas ele disse: Digo-te, Pedro, que não cantará hoje o galo antes que três vezes negues que me conheces." (Lucas 22.31-34). Assim como sua intercessão ajudou o discípulo enfraquecido pelos últimos acontecimentos; as nossas orações podem ajudar, em muito, aqueles que dependem de intercessão para viver e sobreviver.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 5 de outubro de 2014

Existe um manto invisível

 Foto: Eu sempre soube que existem dias e dias... Diferentes entre si, nem sempre favoráveis. No entanto,algumas responsabilidades sociais e afetivas permanecem inalteráveis, seja qual for o estado do tempo. Responsabilidade com obrigações formais, cuidado especial com a família, tratamento cortês e respeitoso para com as pessoas e, até mesmo, com os animais estão entre os deveres que devemos manter  sempre em evidência; tanto em nosso modo de ser, como em nosso modo de tratar. E quando digo isso, não estou pensando apenas nos crentes; mas, nos seres humanos em geral; embora, nos cristãos, a convivência pacífica e responsável seja cobrada até mesmo por aqueles que se destacam pelo seu modo bruto de ser. Afinal de contas, nem mesmo os mais rudes conseguem suportar o desamor.

Ao pensar na importância do meu testemunho; resolvi estender minha reflexão para o que a Bíblia diz sobre o dia a dia de alguém que procura andar no temor a Deus. E mais uma vez percebi que as propostas feitas por Jesus aos Seus seguidores - se forem dosadas e medidas - não estão entre as mais atraentes do planeta. Cito dois exemplos: "Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me;" (Mateus 16.24); "Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." (João 16.33). São propostas bem diferentes daquelas que, hoje, são apresentadas em muitos púlpitos. No entanto, há muito tempo eu sei que existe um manto invisível, sobrenatural, sobre todos aqueles que aceitam segui-Lo em espírito e em verdade!

Eu sempre soube que existem dias e dias... Diferentes entre si, nem sempre favoráveis. No entanto, algumas responsabilidades sociais e afetivas permanecem inalteráveis, seja qual for o estado do tempo. Responsabilidade com obrigações formais, cuidado especial com a família, tratamento cortês e respeitoso para com as pessoas e, até mesmo, com os animais estão entre os deveres que devemos manter sempre em evidência; tanto em nosso modo de ser, como em nosso modo de tratar. E quando digo isso, não estou pensando apenas nos crentes; mas, nos seres humanos em geral; embora, nos cristãos, a convivência pacífica e responsável seja cobrada até mesmo por aqueles que se destacam pelo seu modo bruto de ser; porque, afinal de contas, nem mesmo os pessoas mais grosseiras conseguem suportar o desamor.
 
Ao pensar em meu dever de amar e servir; resolvi estender minha reflexão ao que a Bíblia diz sobre o dia a dia de alguém que procura andar no temor a Deus. E mais uma vez percebi que as propostas feitas por Jesus aos Seus seguidores - se forem dosadas e medidas - não estão entre as mais atraentes do planeta. Cito dois exemplos: "Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me;" (Mateus 16.24); "Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." (João 16.33). Elas são bem diferentes daquelas que são apresentadas em muitos púlpitos. No entanto, há muito tempo eu sei que existe um manto invisível, sobrenatural, sobre aqueles que aceitam segui-Lo em espírito e em verdade!
 
Em minha vida, desde muito cedo, este texto foi sempre um importante fundamento para minha firmeza e motivação: "PORTANTO nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus." (Hebreus 12.1-2). Sabemos que os nossos dias apresentam um quadro moral ainda mais grave do que os dias de dias de Sodoma e Gomorra. Portanto, precisamos manter os nossos olhos em referências bíblicas que nos fortifiquem; enquanto lidamos com lutas e provações que afligem os filhos de Deus.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari