sábado, 18 de outubro de 2014

Procurei me certificar

Foto: Hoje, em horário bem mais cedo que de costume, levantei e fui para o lugar de oração... Senti cansaço até chegar; mas, ao me curvar, o cansaço foi se retirando de mansinho. Algo que tenho aprendido e posso afirmar; é que - seja qual for a resposta alcançada pela oração - é sempre tonificante e gratificante buscar a face do Senhor! Enquanto eu orava, procurei me certificar de que meus sentimentos e objetivos eram puros e verdadeiros (é que estes dois elementos algumas vezes se disfarçam sob manto de santidade ou verdade aparente); pois estou ciente de que, se há um lugar onde mentira e disfarce de nada valem; nem são sequer admitidos, este lugar e a presença de Deus. Então, com a pauta livre de qualquer inverdade ou camuflagem, me derramei perante Jesus, Salvador e Senhor da minha vida!

Diante do Deus eterno, expressei meu receio de continuar em atividade além do tempo permitido; ou de recuar antes da hora. Tentei deixar claro que em minha vida com o Senhor, tudo deve ficar em segundo plano; mesmo família e desejo de fazer a obra (Moisés não entrou em Canaã, por ter se excedido em seu modo de lidar com a Rocha). Então, procurei expor o meu desejo de  viver conforme este sentimento de Paulo: "Segundo a minha intensa expectação e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a confiança, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte. Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho." (Filipenses 1.20-21). Portanto, não temo a vida ou a morte; e sim, viver fora do Seu querer; ou morrer em colisão com Sua vontade.

Hoje, em horário bem mais cedo que de costume, eu me levantei e fui para o lugar de oração... Senti cansaço até chegar; mas, ao me curvar, o cansaço foi se retirando de mansinho. Algo que tenho aprendido e posso afirmar; é que - seja qual for a resposta alcançada pela oração - é sempre tonificante e gratificante buscar a face do Senhor! Enquanto eu orava, procurei me certificar de que meus sentimentos e objetivos eram puros e verdadeiros (é que estes dois elementos algumas vezes se disfarçam sob manto de santidade ou verdade aparente); pois estou ciente de que, se há um lugar onde mentira e disfarce de nada valem - nem são sequer admitidos - este lugar e a presença de Deus. Então, com a pauta de oração livre de qualquer inverdade ou camuflagem, me derramei perante Jesus, Salvador da minha vida!
 
Diante do Deus eterno, expressei meu receio de continuar em atividade além do tempo permitido; ou de recuar antes da hora. Tentei deixar claro que em minha vida com o Senhor, tudo deve ficar em segundo plano; mesmo família e desejo de fazer a obra (Moisés não entrou em Canaã, por ter se excedido em seu modo de lidar com a Rocha). Então, procurei expor o meu desejo de viver conforme este sentimento de Paulo: "Segundo a minha intensa expectação e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a confiança, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte. Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho." (Filipenses 1.20-21). Portanto, não temo a vida ou a morte; e sim, viver fora do Seu querer; ou morrer em colisão com Sua vontade.
 
Este texto nos adverte que não devemos permitir que o sentimento se imponha, quando estamos fazendo a obra de Deus: "Então Moisés tomou a vara de diante do SENHOR, como lhe tinha ordenado. E Moisés e Arão reuniram a congregação diante da rocha, e Moisés disse-lhes: Ouvi agora, rebeldes, porventura tiraremos água desta rocha para vós? Então Moisés levantou a sua mão, e feriu a rocha duas vezes com a sua vara, e saiu muita água; e bebeu a congregação e os seus animais. E o SENHOR disse a Moisés e a Arão: Porquanto não crestes em mim, para me santificardes diante dos filhos de Israel, por isso não introduzireis esta congregação na terra que lhes tenho dado." (Números 20.9-12). Pelo fato de ter deixado o sentimento interferir, Moisés não perdeu o céu; mas foi impedido de entrar na terra de Canaã.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário