domingo, 5 de outubro de 2014

Existe um manto invisível

 Foto: Eu sempre soube que existem dias e dias... Diferentes entre si, nem sempre favoráveis. No entanto,algumas responsabilidades sociais e afetivas permanecem inalteráveis, seja qual for o estado do tempo. Responsabilidade com obrigações formais, cuidado especial com a família, tratamento cortês e respeitoso para com as pessoas e, até mesmo, com os animais estão entre os deveres que devemos manter  sempre em evidência; tanto em nosso modo de ser, como em nosso modo de tratar. E quando digo isso, não estou pensando apenas nos crentes; mas, nos seres humanos em geral; embora, nos cristãos, a convivência pacífica e responsável seja cobrada até mesmo por aqueles que se destacam pelo seu modo bruto de ser. Afinal de contas, nem mesmo os mais rudes conseguem suportar o desamor.

Ao pensar na importância do meu testemunho; resolvi estender minha reflexão para o que a Bíblia diz sobre o dia a dia de alguém que procura andar no temor a Deus. E mais uma vez percebi que as propostas feitas por Jesus aos Seus seguidores - se forem dosadas e medidas - não estão entre as mais atraentes do planeta. Cito dois exemplos: "Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me;" (Mateus 16.24); "Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." (João 16.33). São propostas bem diferentes daquelas que, hoje, são apresentadas em muitos púlpitos. No entanto, há muito tempo eu sei que existe um manto invisível, sobrenatural, sobre todos aqueles que aceitam segui-Lo em espírito e em verdade!

Eu sempre soube que existem dias e dias... Diferentes entre si, nem sempre favoráveis. No entanto, algumas responsabilidades sociais e afetivas permanecem inalteráveis, seja qual for o estado do tempo. Responsabilidade com obrigações formais, cuidado especial com a família, tratamento cortês e respeitoso para com as pessoas e, até mesmo, com os animais estão entre os deveres que devemos manter sempre em evidência; tanto em nosso modo de ser, como em nosso modo de tratar. E quando digo isso, não estou pensando apenas nos crentes; mas, nos seres humanos em geral; embora, nos cristãos, a convivência pacífica e responsável seja cobrada até mesmo por aqueles que se destacam pelo seu modo bruto de ser; porque, afinal de contas, nem mesmo os pessoas mais grosseiras conseguem suportar o desamor.
 
Ao pensar em meu dever de amar e servir; resolvi estender minha reflexão ao que a Bíblia diz sobre o dia a dia de alguém que procura andar no temor a Deus. E mais uma vez percebi que as propostas feitas por Jesus aos Seus seguidores - se forem dosadas e medidas - não estão entre as mais atraentes do planeta. Cito dois exemplos: "Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me;" (Mateus 16.24); "Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." (João 16.33). Elas são bem diferentes daquelas que são apresentadas em muitos púlpitos. No entanto, há muito tempo eu sei que existe um manto invisível, sobrenatural, sobre aqueles que aceitam segui-Lo em espírito e em verdade!
 
Em minha vida, desde muito cedo, este texto foi sempre um importante fundamento para minha firmeza e motivação: "PORTANTO nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus." (Hebreus 12.1-2). Sabemos que os nossos dias apresentam um quadro moral ainda mais grave do que os dias de dias de Sodoma e Gomorra. Portanto, precisamos manter os nossos olhos em referências bíblicas que nos fortifiquem; enquanto lidamos com lutas e provações que afligem os filhos de Deus.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário