segunda-feira, 13 de outubro de 2014

As promessas do Pai

Foto: Existem dias que trazem um peso diferenciado, tanto de preocupação como de inquietação; sem que haja uma razão aparente que justifique tais sentimentos. É quando nos inquietamos com certas notícias e com algumas probabilidades; quando nos sobressaltamos até mesmo com o cair de um objeto ou o bater de uma porta, como se houvesse perigo no ar. Penso que isto acontece com as pessoas, em qualquer lugar. Enquanto eu refletia sobre isto, o meu espírito se voltou para um cântico antigo: "Vindo sombras escuras no caminho teu; ó, não te desanimes, cante um hino à Deus. Cada nuvem escura um arco-iris traz, quando em teu coração reinar perfeita paz. Se o teu coração estiver em paz; bem contente, alegre, sempre te acharás; se o teu coração estiver em paz, tu verás que um arco-iris cada nuvem traz!" Esta recordação me fez pensar na presença de Deus em minha vida.

Na verdade, os seres humanos são frágeis e vulneráveis. Eles são afetados por tragédias e por circunstâncias corriqueiras; tais como: Mudança de clima, doença na família, desemprego; enfim, situações que os assustam e abatem. E são golpeados por tragédias inesperadas que chegam repentinamente, afligindo e fazendo sangrar o coração mais insensível. Então, fico a pensar: Enquanto escrevo estas linhas, quantos se sentem traídos, brutalizados, mal amados; enfim... Sem condição de esboçar um sorriso ou levantar a cabeça. Realmente, se olharmos sob o lado natural; tais suposições justificam inquietação e preocupação ao menor sinal de perigo. No entanto, existe um fator que deve ser considerado acima de qualquer outra coisa: As promessas do Pai, favoráveis à nós em Cristo Jesus; e a presença do Seu Espírito conosco, seja qual for a situação em que nós nos encontremos.

Existem dias que trazem um peso diferenciado, tanto de preocupação como de inquietação; sem que haja uma causa ou razão aparente que justifique tais sentimentos. E quando isto acontece - como se o abstrato se tornasse concreto - somos tendentes a nos inquietarmos com certas notícias que chegam; e até com algumas probabilidades que o medo e a insegurança conseguem construir no interior de uma mente dominada por apreensão. Então, como se o nosso mundo estivesse desabando, nos sobressaltamos até mesmo com o cair de um objeto ou o bater de uma porta; agindo como se houvesse perigo no ar. Penso que isto acontece com a grande maioria das pessoas, em qualquer lugar. Enquanto eu refletia sobre isto, o meu espírito se voltou para um cântico antigo: "Vindo sombras escuras no caminho teu; ó, não te desanimes, cante um hino à Deus. Cada nuvem escura um arco-íris traz, quando em teu coração reinar perfeita paz. Se o teu coração estiver em paz; bem contente, alegre, sempre te acharás; se o teu coração estiver em paz, tu verás que um arco-íris cada nuvem traz!" Esta recordação me fez pensar na importância de ter assegurada a presença de Deus em minha vida.
 
Na verdade, os seres humanos são frágeis e vulneráveis; desde o momento do seu nascimento, até o momento da sua morte. Eles são suscetíveis de abalo em sua estrutura emocional, até mesmo por tragédias e por circunstâncias corriqueiras, tais como: Mudança de clima, doença na família, desemprego; enfim, a grande maioria se deixa assustar e abater mesmo por coisas pequenas. E quando são golpeados por tragédias inesperadas e repentinas, chegam a pensar que a vida chegou ao fim. Então, fico a pensar: Enquanto escrevo estas linhas, quantas pessoas - mesmo crentes - estão entregues ao um desânimo total; ou por se  sentirem traídas; ou brutalizadas; ou por se sentirem mal amadas; enfim... Não demonstram a menor condição de esboçar um sorriso ou levantar a cabeça ante a adversidade. Realmente, se olharmos pelo lado natural; tais suposições justificam inquietação e preocupação ao menor sinal de perigo. No entanto, existe um fator que deve ser considerado acima de qualquer outra coisa: O fato de que as promessas do Pai são sempre favoráveis à nós em Cristo Jesus; confirmadas por Seu Espírito em nós, seja qual for a situação em que nos encontremos.
 
Este texto traz um grande bem ao coração aflito: "Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós. Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor." (Romanos 8.31-39). Como faz bem crer nas promessas de Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário