segunda-feira, 19 de maio de 2014

Privações temporárias


Hoje, manhã bem cedo, fui chegando devagarinho ao lugar de oração. É bom dormir em casa, após vários dias sem poder me recostar ao lado de minha querida esposa, em nossa abençoada cama. Estive em Teixeira de Freitas, Eunápolis e Petrópolis (nesta última, participando de três reuniões administrativas muito abençoadas, sem deixar de serem exaustivas). Não podemos evitar que nossa vida, enquanto humanos, seja marcada por privações transitórias... No entanto, procuro tirar delas algo de bom; aproveitando a distância temporária, para fortalecer os laços de amor, comunhão e afeto que me unem às pessoas com quem convivo. Existem também as perdas que nos são infringidas - por nossa negligência ou desatenção. Existem pessoas que sofrem muito com perdas dolorosas. Eu afirmo que algumas delas podem ser restituídas; contudo, sua restituição vai depender do modo como procederem diante de Deus.
 
Enquanto eu ainda orava; veio a minha lembrança, nossos missionários que estão em diversos países (alguns hostis) testemunhando do amor de Deus revelado em Cristo Jesus. Muitas vezes sofrem retaliações - na saúde, família e ministério - sendo as vezes atacados por demônios disfarçados de seres humanos. Enquanto eu orava por eles, senti em meu íntimo que - em alguns casos - nossas orações serão as únicas defesas que terão contra as forças do mal. No entanto, nenhuma intercessão pontual suprirá a falta de intercessão por determinados objetivos. Por exemplo: Por mais que oremos pelos outros; não podemos jamais nos esquecer de orar por nossos familiares; pois, o simples fato de estarem próximos a nós não os torna mais protegidos. Não tenho a menor dúvida de que oração é indispensável arma nesta guerra contra o mal. Na verdade, a oração tanto nos aproxima de Deus; como também nos afasta do mal.
 
A Bíblia esta repleta de textos alusivos aos males deste tempo; que nos advertem quanto aos perigos:
 
"De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam? Cobiçais, e nada tendes; matais, e sois invejosos, e nada podeis alcançar; combateis e guerreais, e nada tendes, porque não pedis. Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites. Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus. Ou cuidais vós que em vão diz a Escritura: O Espírito que em nós habita tem ciúmes? Antes, ele dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Alimpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações."
(Tiago 4.1-8)
 
Vale a pena meditar neste texto e tirar lições práticas para o nosso viver diário.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário