sábado, 31 de maio de 2014

Novamente em casa


Ao voltar do Sul de Minas, estive aos pés do Senhor, agradecendo a Deus por tudo aquilo que vi nas igrejas daquela micro-região. Na verdade, sinto que um novo mover começa a se delinear (não sei se em todas as igrejas). Naquelas que visitei, pude sentir o agir sobrenatural de Deus; algo como se uma plataforma estivesse sendo montada, para o alavancar de uma grande obra (eu diria, nos moldes daquilo que está acontecendo na zona da mata mineira). Foram dias em que minha atuação na rede ficou comprometida; todavia, minha atuação no Reino foi maravilhosamente compensada! Pude também entrevistar dois pastores que sentiram desejo de se filiar ao nosso Ministério; servos como nós, dispostos a "suar a camisa" em prol dos perdidos e achados.
 
O Pastor Natanael (SD do Distrito de S. Lourenço) e sua esposa Meire Oliveira, me deram o suporte necessário à esta importante visita episcopal. É verdade: Minha ida - tanto à Metodista Wesleyana de Itamonte, pastoreada pelo Pastor Gilberto Leite; como à Metodista Wesleyana Alagoa-mg, pastoreada pelo Pastor Jairzinho Sena - foi regada com a unção do Espírito de Deus. Mesmo que eu me esforçasse, não conseguiria traduzir aquilo que senti em meio aos queridos irmãos de ambas as igrejas. A atenção que recebi por parte de cada irmão, me fez sentir como se fôssemos irmãos de sangue se reencontrando após uma longa ausência. Senti profunda comunhão e alegria transpirar em cada abraço e cada conversa que mantivemos. Glória a Deus!
 
Sempre sinto profunda gratidão a Deus por estar novamente em casa; e no itinerário traçado, depois de uma viagem em que precisei tomar dois ônibus. Na estrada montanhosa que separa as cidades de Alagoa e Itamonte, vi a mão de Deus nos poupar, quando o carro do irmão André Salomão derrapou na lama da estrada e foi contido pelo Senhor bem à beira do barranco. Agradeço muito a Deus pela vida deste querido irmão; pois fez uma viagem de ida e volta - em percurso de trinta km e tempo chuvoso - gastando duas horas de viagem, apenas para me deixar em Itamonte. Meu filho Elizeu Calegari foi me buscar na rodoviária de Petrópolis; então pudemos nos abraçar e colocar o "papo em dia". Enfim, pude abraçar e beijar minha querida esposa Maria Célia Calegari.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário