sábado, 1 de fevereiro de 2014

Perdão e reconciliação


Enquanto eu me encaminho para o lugar de oração, um tanto cansado pela viagem que fiz ontem, chegando bem tarde em casa; sou lembrado que dois fatores me "empurram" para o lugar de oração: O primeiro deles é a busca por socorro do Pai, pois sei que o inimigo ataca sem parar aqueles que servem a Deus; usando homens, demônios e circunstâncias com o objetivo de roubar, matar e destruir. O segundo, o prazer que sinto quando me prostro aos pés do Senhor em oração. E eu me sinto muito bem por entender a importância do dever e do prazer; e seguro em saber que qualquer um destes fatores é forte o bastante para me fazer orar!
 
Enquanto eu orava ao Pai; fui invadido por um sentimento... Por que existem pessoas que odeiam sem causa? (não estou querendo dizer que existe causa que justifique o ódio). Por que existem pessoas que procuram infringir dor a outras pessoas, desferindo golpes impiedosos sobre suas cicatrizes de um passado de sofrimento? Enfim... Procurei levar à Deus este meu conflito; porque, afinal, todos nós - homens e mulheres de Deus - trazemos em nossas vidas, marcas de um passado que nem sempre nos honra ou favorece. Aliás, foi justamente devido a tais marcas que nos rendemos à Jesus, que nos resgatou do presente século mau.
 
Então, Deus me falou. Ainda orando, ouvi que Davi não se tornou menos ungido, ao dar a Satã o dardo que o feriu e a vara que o vergastou, ao se deixar trair pelo sentimento no episódio de Urias; nem se tornou menos rei ao se deixar amaldiçoar por Simei - quando fugia de seu filho Absalão - perseguido pela sanha daquele que amava. Deus me fez ver que ele - embora marcado por dores de um passado acusador - conservava em sua vida algo que o tornara diferente de muitos, desde que o Senhor o levantara para servi-lo: Era um homem segundo o coração de Deus! E isso, nem o seu passado, nem a afronta de seus algozes poderia mudar.
 
A Palavra de Deus tem me ensinado tudo o que preciso saber sobre perdão. Serei sempre grato a Deus por esta Palavra: "E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas. Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado." (1 João 1.5-7). Ela me faz saber e sentir que Deus se preocupa com o ser humano; até ao ponto de entregar Seu Filho para sua eterna redenção!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário