sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Direção e Perdão


Ao estar diante do Pai, duas palavras ecoaram no fundo do meu coração: Direção e perdão. E o meu entendimento foi iluminado com a convicção de que todo cristão deve adotar estas duas palavras em seu vocabulário; uma para ser utilizada pela manhã, outra para ser usada quando a noite cai (é preciso que se diga que se invertermos a ordem dos fatores, não haverá efeitos colaterais). Sei que isto soa como prescrição médica, como se fossem remédios a serem tomados. E, em parte, é isso mesmo. Um remédio para curar grandes males do corpo e da alma.
 
Enquanto direção e perdão ainda ressoavam, o meu espírito apreendeu os dois sentidos desta revelação. A fórmula é tão simples, que, parece inócua. E deve funcionar assim: Pela manhã, antes de iniciar as atividades do novo dia; devemos buscar a DIREÇÃO de Deus. Direção para fazermos bem o nosso trabalho; para fazermos bem o que é correto; para não fazermos algum mal, ainda que sem intenção; e para não cairmos em tentação, rejeitando com veemência o pecado que tão de perto nos rodeia e assedia, tentando nos arruinar e destruir.
 
Acontece que, ao longo de um dia inteiro, é comum cometermos alguma falta ou pecado. Umas provocadas por erro de avaliação; outras causadas por erro de escolha. Mas, o pior mesmo é quando incorremos em pecado; caindo em uma das muitas armadilhas que Satã espalha ao longo do caminho que percorremos. Armadilha do sexo (atração fatal); da maldade arquitetada contra alguém; armadilha da murmuração. Então, caso fracassemos, não devemos deixar o dia se por, sem buscar com dor e arrependimento o PERDÃO do Pai, em nome de Jesus.
 
Meditemos neste texto bíblico:
 
"ORA, pois, já que Cristo padeceu por nós na carne, armai-vos também vós com este pensamento, que aquele que padeceu na carne já cessou do pecado; Para que, no tempo que vos resta na carne, não vivais mais segundo as concupiscências dos homens, mas segundo a vontade de Deus. Porque é bastante que no tempo passado da vida fizéssemos a vontade dos gentios, andando em dissoluções, concupiscências, borrachices, glutonarias, bebedices e abomináveis idolatrias; E acham estranho não correrdes com eles no mesmo desenfreamento de dissolução, blasfemando de vós. Os quais hão de dar conta ao que está preparado para julgar os vivos e os mortos."
(1 Pedro 4.1-5)
 
Procuremos nele a direção de Deus para nossa vida.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário