terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Pensando no recomeço


No dia de hoje, ainda escuro; após orar, fiquei a pensar no recomeço. Não me refiro ao recomeço de algum projeto interrompido ou mal acabado; nem a uma nova atividade profissional, após o esgotamento de uma profissão anterior. Pensei, sim, no início de cada dia. No modo como o dia nasce e se expande; na luz do sol percorrendo a terra, inundando e aquecendo as partes expostas do nosso mundo; formando um halo de luz brilhante que traça um círculo no horizonte, ao findar do dia. Pois é... Após uma noite escura, na qual o mundo se aquieta e apenas as criaturas da noite se apresentam; o novo dia surge em sua força! E, com ele, o recomeço de atividades que, por mais importantes que sejam, são de curta duração.
 
Ao pensar no recomeço, meditei no ciclo da vida; nesse vai&vem sem fim. Não pude deixar de refletir sobre minha própria vida e família; nos valores mediante os quais nos movemos e existimos. Ao contemplar a chegada do amanhecer, meditei nos deveres e responsabilidades que saúdam o meu recomeço. Pensei em minha respiração, transpiração e inspiração; atividades voluntárias, inevitáveis, enquanto em mim fôlego de vida houver. Aí, chorei um pouco, cantei duas canções de louvor e glorifiquei a Deus; por me permitir participar do ciclo da vida, cercado de valores superiores ao ouro e à prata. Sim! Exaltei ao Deus do céu - poderoso e santo - que me cinge de alegria e de força.
 
Como é lindo o modo como Deus fala e age!
 
"Fala aos filhos de Israel, e toma deles uma vara para cada casa paterna de todos os seus príncipes, segundo as casas de seus pais, doze varas; e escreverás o nome de cada um sobre a sua vara. Porém o nome de Arão escreverás sobre a vara de Levi; porque cada cabeça da casa de seus pais terá uma vara. E as porás na tenda da congregação, perante o testemunho, onde eu virei a vós. E será que a vara do homem que eu tiver escolhido florescerá; assim farei cessar as murmurações dos filhos de Israel contra mim, com que murmuram contra vós. Falou, pois, Moisés aos filhos de Israel; e todos os seus príncipes deram-lhe cada um uma vara, para cada príncipe uma vara, segundo as casas de seus pais, doze varas; e a vara de Arão estava entre as deles. E Moisés pôs estas varas perante o SENHOR na tenda do testemunho. Sucedeu, pois, que no dia seguinte Moisés entrou na tenda do testemunho, e eis que a vara de Arão, pela casa de Levi, florescia; porque produzira flores e brotara renovos e dera amêndoas. Então Moisés tirou todas as varas de diante do SENHOR a todos os filhos de Israel; e eles o viram, e tomaram cada um a sua vara."
(Números 17.6-9)
 
Que minha vida seja uma vara a florescer e frutificar, no alvorecer de cada dia!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário