segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Marcas e lembranças

 
Ontem, Maria Célia Calegari e eu estivemos no culto ao Senhor, na IMW Central de Cabo Frio. Enquanto entoávamos os cânticos de adoração e louvor, não pude deixar de pensar nos anos que passamos pastoreando esta querida igreja. Foi um tempo de entrega e dedicação ao rebanho, procurando ajudar em suas cargas e conflitos, isso eu posso afirmar. Exatamente como tem ocorrido em outros lugares onde temos passado - antes e depois - procuramos focar toda a nossa atenção no estado das vidas e famílias entregues aos nossos cuidados pastorais; sem procurar inventar nada que estivesse além das obrigações definidas por Deus para um pastor de almas. Enquanto cumpríamos esta sagrada missão; orando, pregando e visitando; vimos o rebanho se multiplicar e lares serem alcançados pela graça do Pai - para a nossa alegria e para a glória de Deus - disso eu tenho perfeita consciência.
 
Ainda sob o manto do culto à Deus, não pude deixar no Pastor Neemias Rodrigues Pereira, cujo falecimento se dera algumas horas antes. Seu pastorado em Cabo Frio deixou marcas e lembranças que não serão esquecidas tão depressa; nem nesta vida nem na outra. Também pensei nos estigmas produzidos ao longo da vida de um pastor (todos nós, pastores, os carregamos conosco) enquanto cumpre sua singular missão. Então estremeci por dentro! Não pelo simples fato do desafio da missão; ou, por errar ou acertar, lidando com pessoas tão diferentes entre si. Os meus tremores tinham uma causa que não estava entre os que me cercam. Na verdade, o meu espírito se voltou para aquele dia - breve ou distante - em que irei comparecer perante o Sumo Pastor e Autor da criação. Então, percebi que tenho que me policiar; pois, ali, terei que dar contas de cada vida que esteve sob minha guarda.
 
Este é um texto que ajuda pastores e ovelhas:
 
"Porque não temos aqui cidade permanente, mas buscamos a futura. Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome. E não vos esqueçais da beneficência e comunicação, porque com tais sacrifícios Deus se agrada. Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil. Orai por nós, porque confiamos que temos boa consciência, como aqueles que em tudo querem portar-se honestamente. E rogo-vos com instância que assim o façais, para que eu mais depressa vos seja restituído. Ora, o Deus de paz, que pelo sangue da aliança eterna tornou a trazer dos mortos a nosso Senhor Jesus Cristo, grande pastor das ovelhas, Vos aperfeiçoe em toda a boa obra, para fazerdes a sua vontade, operando em vós o que perante ele é agradável por Cristo Jesus, ao qual seja glória para todo o sempre. Amém."
(Hebreus 13.14-21)
 
Através dele, podemos entender os imperativos e limites do relacionamento pastor/ovelha.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário