sábado, 18 de janeiro de 2014

Mal ainda maior


Hoje pela manhã, ao buscar a presença do Pai; senti o desejo de buscar direção específica para a minha vida e jornada. Pedi ao Senhor que me ajude a discernir para saber distinguir o próprio rumo da vida, dos demais rumos que as contingências da vida tentam me impor. É que, muitas vezes, nos julgamos capazes de entender com clareza e rapidez aquilo que sucede em certos momentos. Então, baseados nesse pressuposto, respondemos de modo inadvertido e prematuro às questões; correndo o risco de ficarmos mal com familiares, amigos e com nossa consciência; a qual anda sempre um passo atrás da nossa precipitação. Busquei a Deus sobre este assunto; porque, as vezes, achamos poder resolver certas coisas por nós mesmos; correndo o risco de desagradarmos ao próprio Deus que julgamos servir.
 
As vezes, fico a pensar naquilo que é dito sobre os idosos: Uns dizem que com os idosos está a sabedoria (geralmente, dito pelos próprios idosos); outros dizem que o idoso precisa dar lugar aos mais jovens (geralmente, dito pelos mais jovens). Quanto a mim - idoso na idade e nem tanto na reflexão - penso que a verdade está no meio; ou seja: Com os idosos está a razão... Enquanto ainda não afetada por esclerose, alzaimer e outros limbos, que costumam Ficar à espreita dos que vão chegando à terceira idade. Os idosos precisam se recolher, sim; no entanto... Os jovens precisam amadurecer o suficiente para suprir a lacuna deixada pelos mesmos. Digo isso porque descobri que existe um mal ainda maior do que um idoso confuso e lento; que é um jovem confuso e apressado, achando que sabe tudo.
 
Enquanto orava, fui levado a pensar que o jovem que mais precisa do idoso é aquele que viver a dizer que sabe andar sozinho; e que o que está menos preparado para substituir o idoso é geralmente aquele que se julga preparado para ocupar sua vaga. Digo isso, porque passei por três fases: Fui um jovenzinho que se sentia inseguro para comandar a própria vida; depois, tornei-me um jovem seguro até demais - me sentindo preparado para o que desse e viesse - todavia destemperado o bastante para ser mantido à distância, mesmo pelos bons amigos. Enfim, tornei-me um idoso convicto de que cada dia menos sei; e, que, tudo o que faço corre o risco de não dar certo, caso Deus não interfira. Existe ainda uma quarta fase; mas, espero no Senhor não chegar à ela. Daí, minha necessidade de estar sempre orando.
 
Serei eternamente grato ao Senhor, pelos conselhos de Paulo ao jovem Timóteo:
 
"Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor. E rejeita as questões loucas, e sem instrução, sabendo que produzem contendas. E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor; Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade, E tornarem a despertar, desprendendo-se dos laços do diabo, em que à vontade dele estão presos."
(2 Timóteo 2.22-26).
 
Fui grandemente ajudado por eles, quando ainda jovem obreiro em formação.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário