quarta-feira, 31 de julho de 2013

Campo missionário


Uma das alegrias que sempre carrego comigo é a de poder buscar a Deus em tantos lugares diferentes; exatamente como acabei de fazer aqui em Medeiros Neto, no extremo sul da Bahia, onde estivemos no último fim-de-semana. Maria Célia & eu chegamos, após um dia inteiro de viagem; tendo passado pela cidade de Sooretama - passagem ligeira - onde almoçamos com o Presbítero Toninho e sua família (Foi muito bom ver as instalações da IMW, estabelecida naquela cidade capixaba a alguns dias atrás). Nestas viagens que fazemos, os milagres se repetem no dia-a-dia. Realmente... Não há como entender ou explicar o modo como Deus cuida de nós ao longo de percursos cheios de risco. Infelizmente, alguns cristãos só decidem buscar a Deus quando o perigo se torna visível e inevitável. As vezes, nem imaginamos o quão importante é à todos nós, aprender com o Espírito a orar preventivamente!
 
Ontem, enquanto eu pregava no Congresso de Missões do Distrito de Teixeira de Freitas, Deus me levou a contemplar a campo missionário presente em nossas relações com o cotidiano; pois, enquanto nos movemos ao longo de um dia ou conversamos com alguém; ou, simplesmente, paramos em algum lugar, vidas necessitadas de um testemunho do poder de Deus estarão sempre presentes diante de nós. Ou será que os perdidos de outras nações - quer sejam eles adultos, jovens ou crianças - são menos valiosos do que as crianças, jovens e adultos perdidos que vivem ao nosso redor? Claro que não! Portanto, o verdadeiro campo missionário está bem mais próximo de nós do que imaginamos. Basta tão somente abrirmos os olhos para ver e os ouvidos para ouvir o clamor dos aflitos... E cumprirmos a missão de testemunhar. Pois, vidas sem Deus e sem salvação, podem ser encontradas em toda parte!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 30 de julho de 2013

Complacência e cumplicidade


Nesta manhã, o meu espírito se sentiu incomodado por duas palavras de fonética relativamente parecida, embora diametralmente opostas entre si quando ao seu significado. Eu me refiro às palavras complacência e cumplicidade. Sabemos o quanto Deus é complacente para conosco; embora, em momento algum aceite os nossos atos pecaminosos. Portanto, Deus sempre manteve, mantém e manterá distância entre estas duas atitudes. Assim, nenhum de nós deve esperar de Deus cumplicidade em nossos atos insanos e pecaminosos; ingenuamente baseados na premissa de que Ele nos ama.
 
No entanto, quanto aos cristãos; percebo que, em alguns relacionamentos, a distância entre a complacência e a cumplicidade é tão próxima, que chega a se tornar perigosa. São muitos cristãos que, em nome do amor devido aos homens, se aproximam tanto de cristãos de conduta reprovada; que sua complacência deixa de se restringir ao amor à pessoa; passando também a achar normal e aceitável sua vida pecaminosa. Alguns, inclusive, chegando às raias da cumplicidade, ao justificar e defender os atos pecaminosos daqueles por quem nutrem amizade e estima. Isto é muito perigoso!
 
Sei que, quando somos amigos de alguém, torna-se difícil manter a distância entre uma coisa e outra. Todavia, precisamos nutrir amor pelas pessoas, sem "absolver" os seus pecados cometidos por escolha. Alguns crentes, no afã de defender amigos que vivem no erro; chegam ao absurdo de tomar o seu partido, mesmo contra alguém prejudicado por atitudes dos mesmos. Todos precisamos saber que complacência não faz coro com cumplicidade. Assim, vejo a conduta ideal de um cristão deste modo: Ao pecador, nosso amor e complacência; aos seus pecados, nosso repúdio e advertência.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Misto de dor e prazer

 
Pai, hoje procurei estar bem cedo no lugar de oração, devido à longa viagem que Maria Célia Calegari & eu precisamos fazer. No entanto, o meu espírito deixou de se preocupar com a viagem, para se derramar em gratidão. Sim, meu amado Senhor: Gratidão! É que não consigo deixar de derramar lágrimas em profusão ao me dar conta de que Tu, sendo Quem és, me aceitas em Tua presença; mesmo sabendo quem sou. Meu Deus; ainda que me descartasses do céu... O teu amor e cuidado tem feito tanto em meu favor; que, considero razão suficiente para eu ser grato a Ti por toda a eternidade... Mesmo que - por um direito que somente a Ti pertence - eu não viesse a ser aceito em Teu glorioso Reino.

A verdade é que eu não consigo conter nem entender a minha alegria. É uma misto de dor e prazer... Dor por eu saber que vivo entre pessoas bem melhores do que eu; e, no entanto, me separaste para ser Teu. E prazer por saber que, a despeito de minha insignificância, sou Teu filho e Teu servo. Sou grato a Ti por minha querida esposa e por meus queridos filhos, noras, genro e netos. Vejo Tua mão agir constantemente em suas vidas. O que mais pode um ser como eu esperar além disso? No entanto, me cercaste de amigos e irmãos que enriquecem e alegram a minha vida! Ainda que eu passasse todo o resto de vida que ainda tenho, de joelhos, não conseguiria ser grato o bastante... Obrigado, Senhor!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 27 de julho de 2013

Unidade da igreja local


Nestes últimos dias, Deus me tem levado a refletir sobre a importância da unidade da igreja; não somente aquela unidade da Igreja em sua dimensão universal ou mesmo denominacional; mas, na unidade da igreja local. Para alguém como eu, que visita inúmeras igrejas ao longo de um ano inteiro de supervisão episcopal; a unidade, ou mesmo a falta dela, faz uma enorme diferença no nível de unção de Deus e no crescimento de uma igreja. Enquanto vou refletindo, tenho chegado à conclusão de que a falta de unidade dos crentes e a falta de inteligência e de consagração na vida de um líder, estão entre os mais importantes obstáculos ao crescimento de uma igreja local. Esforço algum resiste a estes dois entraves.
 
Tenho percebido o enorme esforço que algumas igrejas e seus líderes fazem, para acrescentar alguns membros a mais em seu rol. Alguns se esmeram em aplicar estratégias diversas, dentre as muitas que existem por aí. Sei também que existem aqueles que tentam mudar o local de reuniões da igreja; achando que, deste modo, conseguirão melhorar sua frequência e chegar ao tão desejado crescimento. Embora eu reconheça que estas iniciativas possam, de fato, auxiliar uma igreja em sua visibilidade e até mesmo a alcançar algum crescimento; todavia... Não existe melhor meio de crescimento de uma igreja local do que o trabalho sério e consagração do seu pastor, aliado à unidade efetiva dos seus membros.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Eu sei porque sou atacado

 
Pai de amor e de misericórdia; nesta manhã preciso estar diante de Ti um pouco mais cedo. E minha principal razão é uma só: Como enfrentar um novo dia, cheio de armadilhas e desafios, sem que eu esteja protegido e guardado por Ti? Portanto, em meio a tantas outras razões, preciso Te buscar para sobreviver a um dia que - mesmo nascendo com ares de serenidade e paz - pode vir a se tornar mal e sombrio à medida em que as horas forem passando. Preciso de Ti a cada hora ou minuto deste dia que nasce. Sou tão grato a Ti por me antecipar à alva para Te buscar!
 
Enquanto eu oro, Senhor; o Teu Espírito me faz saber que o mundo em que eu vivo não é constituído simplesmente de amigos e inimigos. E que as pessoas que me rodeiam, sejam elas favoráveis ou desfavoráveis, não passam de alvos preferenciais do Inimigo meu - aquele que não pode ser visto ou sentido - que vive a procura de vítimas; a fim de torná-las agressoras ou agredidas. Portanto, ao que está ao meu redor, devo ministrar a paz e o bem; mesmo que tal pessoa seja usada contra mim. Ela pode não saber por que me ataca... Mas, eu sei muito bem porque sou atacado.
 
É isso mesmo, Pai; sou um devedor do amor e não devo jamais me esquecer disso. Devo pagar minha dívida de amor até mesmo a quem me fere ou me quer mal. Afinal de contas, foi isso mesmo que Jesus fez, quando se rendeu dolorosamente; pendurado naquela cruz de dor e vergonha. Muitas vezes, as pessoas não sabem o mal que nos fazem; todavia, nós que vivemos e andamos Contigo, temos a obrigação de saber porque sofremos dores e provações neste mundo. E esta é a razão pela qual a Tua Palavra nos adverte que a nossa luta não é contra a carne e o sangue.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Visita ao Distrito de Ipatinga

 
No último fim-de-semana, minha querida esposa Maria Célia & eu estivemos envolvidos intensamente com os trabalhos agendados no Distrito de Ipatinga (Célia teve que se ausentar no sábado de manhã, para ministrar no Congresso de Pré-adolescentes promovido pelo Distrito de Governador Valadares). No sábado pela manhã, ministrei na consagração no Veneza; na tarde de sábado, ministrei aos pastores e obreiros do Distrito de Ipatinga. Havia também um grande número de representantes das IMW do Distrito. No Culto Distrital, tivemos a belíssima participação das igrejas; e, ao final, preguei a Palavra de Deus em clima de forte unção do Espírito. Foi maravilhoso!
 
No domingo de manhã, ministrei na classe bíblica no Veneza; em seguida, Célia & eu - juntamente com o Pastor Adriano Silva & sua esposa Tania Bezerra - fomos conduzidos por Alessandro Rosendo & Daniela Calegari, até a casa do Edmílson Teles, para almoçar com o grupo do "Ministério Promessas AO". Nos divertimos muito, enquanto nos deleitávamos com os deliciosos pratos preparados por Dayane e Camila Estevam. Após o almoço e a agradável tarde; estivemos dando uma olhada nas instalações da IMW no Bairro Betânia, que precisa de uma reforma urgente. Satã tem feito tudo para impedir a normalidade daquele trabalho. Mas, creio na vitória!
 
Terminamos o abençoado dia, pregando no culto vespertino da IMW de Vila Celeste (Daniela e Alessandro foram para o culto da IMW do Veneza, para estar um pouco mais com aqueles amados irmãos). Ao terminar o culto, nos despedimos dos queridos irmãos de Ipatinga e seguimos viagem para BH; onde um compromisso inadiável nos esperava as sete horas da manhã. Chegamos em Belo Horizonte por volta das três da madrugada; todavia, sentimos a mão de Deus em todo o percurso de cerca de quatro horas, na BR 262; quase sem sentir os efeitos do cansaço; pois a mão do Senhor nos guiava nesta estrada famosa pelos perigos que esconde em cada curva.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Coração agradecido


Pai; venho me prostrar nesta manhã, para buscar Tua face e me edificar em Tua presença. De quando em vez, fico a pensar em como seria a minha vida, caso não procurasse me manter diante de Ti em oração... Realmente, não dá para se ter ideia. Mas, de uma coisa tenho absoluta certeza: Seria algo cansativo, ruim e - à medida em que os anos fossem passando - iria se tornando um fardo de frustração e desesperança. Graças te dou, pois, esta perspectiva só existe mesmo no campo das hipóteses. E assim, hoje de manhã posso expressar louvor e gratidão ao ver o brilho do novo dia que vai nascendo. Aleluia!
 
O teu servo salmista; ao pensar em sua vida e relacionamento Contigo, emitiu este sentimento: "Que darei eu ao SENHOR, por todos os benefícios que me tem feito? Tomarei o cálice da salvação, e invocarei o nome do SENHOR. Pagarei os meus votos ao SENHOR, agora, na presença de todo o seu povo." (Salmo 116.12-14). E, nesta manhã, esta bela expressão de louvor encontra eco em meu coração agradecido. Realmente... Nem sempre podemos alterar efeitos maus de um passado ruim. Mas, quando nos dispomos a Te buscar, temos a oportunidade de investir em dias melhores no futuro. Glória a Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 23 de julho de 2013

Imoralidade mesclada com religiosidade


Alguns dias atrás, senti necessidade de orar um pouco mais cedo; pois, Maria Célia & eu teríamos que viajar para a cidade de Itabira; onde tínhamos uma agenda a cumprir (e cumprimos integralmente, graças a Deus). E pelo fato de que esta visita nos levava ao encontro do Pastor Isaque dos Santos e do Pastor Adriano Silva; comecei a refletir sobre a importância de termos homens de Deus - de caráter e reputação ilibada - ao nosso lado, enquanto caminhamos e trabalhamos na obra de Deus. Sou grato a Deus por estes, e por tantos outros homens de Deus que militam conosco nas fileiras wesleyanas. Em minha convivência com os obreiros, sinto-me feliz e fortalecido por aqueles que se preservam e realizam um trabalho coerente e edificante. Realmente... O mundo precisa tanto de homens assim.
 
E, por falar em coerência... Fico a pensar na necessidade urgente, nos dias de hoje, da sintonia que deve existir entre os ensinamentos e o comportamento de um verdadeiro homem de Deus. Digo isso, porque é muito comum convivermos com pessoas que demonstram grande facilidade para ensinar sobre conceitos e valores - tanto morais como espirituais - entretanto, vivendo em total dissonância com aquilo que ensinam com tanta eloquência. Infelizmente, como resultado desta incoerência, cresce o número daqueles que - atraídos por discurso fácil, pleno de carisma e triunfalismo dos que assim procedem - se tornam vítimas da decepção resultante do conflito entre a prédica e a prática. Penso que cada formador de opinião deve rever seu modo de ser e de viver, antes que seja tarde demais.
 
Deixo para a meditação de todos nós este texto do Evangelho de Mateus; que traz severa advertência quanto ao ato de ensinar sem que haja um testemunho cristão correspondente: "Então falou Jesus à multidão, e aos seus discípulos, Dizendo: Na cadeira de Moisés estão assentados os escribas e fariseus. Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem;" (Mateus 23.1-3). Aproveito o ensejo para recomendar a leitura de todo o capítulo 23 de Mateus (são apenas 39 versículos). Recomendo isso, pois em dias perniciosos como os de hoje - de tanta imoralidade mesclada com religiosidade - precisamos estar atentos às solenes advertências da Palavra de Deus.
 
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Conforto e incentivo


O início deste novo dia tem sido propício a um canto de gratidão a Deus que flui do meu coração adorador. Isso não quer dizer que tudo aquilo que me acontece seja favorável ou desejável. Na verdade, o meu canto de gratidão se fortalece em meio às provações naturais da vida. Todos os que conhecem a Bíblia, sabem que as aflições deste mundo - além de previstas - são realidade frequente na vida do cristão. E sabem também que Satã desfere ataques sistemáticos contra a vida daqueles que procuram servir a Deus em submissão e santidade; ataques direcionados contra a saúde e até contra a família (quais os pais que de quando em vez não sofrem ataque satânico contra algum filho ou contra a sua própria vida conjugal). Devemos nos regozijar sempre em Cristo que nos livra do mal!
 
Sempre que passo por alguma provação ou tentação, encontro conforto e incentivo nas Escrituras Sagradas; pois, nelas, está escrito: "Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada." (Romanos 8.18). Nelas, vejo o apóstolo Paulo "Confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus." (Atos 14.22). E leio que os cristãos primitivos "Retiraram-se, pois, da presença do conselho, regozijando-se de terem sido julgados dignos de padecer afronta pelo nome de Jesus." (Atos 5.41). Portanto, não ignoro aquilo que o dia-a-dia me reserva; mas; sinto-me preparado, em Deus que me sustenta, para lidar com o mal de cada dia!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 21 de julho de 2013

Meu pequeno ser se deleita

 
Pai, sou tão grato por encontrar um lugar onde posso estender o meu lugar de oração. Preciso te agradecer por aqueles que Tu colocaste ao meu lado neste ministério; obreiros que não medem esforços, na disposição de cumprir o Teu propósito. Eu te exalto pelo descanso da noite e pelo raiar do novo dia. Realmente... Não posso me conter, ao pensar no intenso brilho do sol e no reflexo da lua; e... O que dizer dos sinais luminosos emitidos pela estrelas na vastidão do firmamento?! Como sinto deleite e fascinação, quando vejo a magnitude do Teu amor e do Teu poder em tudo isso, Pai! Me deslumbra saber que Tua voz percorre, veloz, todos os cantos e recantos deste universo em expansão. Aleluia!
 
Sinto um mix de temor e prazer, enquanto me recordo do cuidado que Tens tido para com os meus. E sei muito bem que enquanto a noite e o dia intercalarem o seu ciclo de existência; o frio e o calor emitirem os seus raios em minha própria pele; as lágrima e o sorriso se revezarem em meu rosto... Isso significa que o ciclo da vida se prolonga e o meu pequeno ser se deleita em meio a esta esplêndida sinfonia. E me dou conta de que - sendo minha casa tão pequena - Tu me brindaste com o dom de ouvir Tua voz e perceber Teu agir. O que posso eu querer além disso, amado Pai?! Se não sou o mais feliz dos homens, tenho consciência de que estou entre os mais felizes habitantes deste belo e sofrido planeta! Aleluia!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 20 de julho de 2013

Visita ao Distrito de Ipatinga

Visita à IMW de Itabira

Nesta visita que estamos fazendo ao Distrito de Ipatinga, Maria Célia & eu tivemos o privilégio de participar do culto de quinta-feira na IMW de Itabira. O culto foi marcado por graça e unção - com participação dos Ministérios de Louvor e de Coreografia. Louvo a Deus pela idoneidade e dedicação responsável do Pastor Isaque Dos Santos e de sua esposa Lucimar Rezende Dos Santos. Após o culto, estivemos em casa da irmã Juliana; nos deliciando com um saboroso caldo de inhame com frango, feito por ela, sua mãe e suas irmãs. Louvo a Deus por esta igreja que foi motivo de minhas preocupações e atenções desde a nossa chegada à 2ª Região.

 
Visita à IMW do Vale do Sol (Ipatinga)

 Ontem, Deus nos deu a graça de visitar a IMW do Vale do Sol, em Ipatinga; igreja com uma bela história de dedicação na obra do Senhor. Em la chegando, pude abraçar o Pastor Gilmar e o Presbítero Valter. Dois SD estavam presentes no púlpito: Adriano Silva e Sidenilson Alvino Pereira. Louvo a Deus pelo Ministério Promessas, que participou com duas canções; Os ministérios, Círculo de Oração, El Shaday e Kadosh, também participaram. Maria Célia, Marcia Suzuki e Tania Bezerra também lá estavam. Fomos surpreendidos com a chegada de Daniela Calegari & Alessandro Rosendo. Muito me alegrei com tudo o que vi nestas igrejas!
 

Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Verdade eterna


Já perdi a conta das vezes em que me reportei à importância do lugar de oração. Tenho comigo a convicção de que, por mais difícil que seja um dia iniciado em oração; esse dia seria bem pior se eu não tivesse me apresentado no lugar de oração, para estar a sós com o Pai. E hoje, enquanto eu orava, fui conduzido pelo Espírito a meditar na vastidão da verdade de Deus. Não apenas aquela parte da verdade que conhecemos; mas, a imensidão da Verdade que se expande por todo o Universo. Ao meditar, não resisti ao pranto... Chorei, por constatar que a Verdade Eterna se manifesta por toda a criação, como raios luminosos que brilham repentinamente - seguidos pelo ribombar de um trovão - causando ao mesmo tempo fascinação e espanto. Então, em plena prostração, me deleitei com a importância daquilo que me foi mostrado. Como me senti fortalecido pela Verdade de Deus!
 
Enquanto eu orava e intercedia; não consegui me desprender daquilo que senti. E, percebi que homem algum - por mais sábio que seja quanto ao conhecimento de Deus - jamais chegará a entender plenamente a verdade em toda a sua dimensão. Enquanto meditava, me recordei de Daniel ao relatar sua experiência: "Eu, pois, ouvi, mas não entendi; por isso eu disse: Senhor meu, qual será o fim destas coisas? E ele disse: Vai, Daniel, porque estas palavras estão fechadas e seladas até ao tempo do fim." (Daniel 12.8-9). Então, sob o manto da minha pequenez, pensei no que disse Paulo: "Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos; mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado." (1 Cor 13.9-10). Enfim, senti-me seguro e tranquilo; pois, tenho Jesus - a Verdade que me salvou; e, tenho o Espírito Santo - que me conduz na Verdade revelada!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Etapa de resultado incerto


Nesta manhã estou pensando nos desafios que todos nós enfrentamos neste mundo; tanto sob a forma de alvos a serem alcançados e problemas a serem resolvidos. E são inúmeras as vezes, em que estes desafios nos abatem e afligem... Em alguns casos, quase nos levando ao mais completo desânimo. Então, pressionados pelos mesmos, somos levados a correr em busca de fórmulas e remédios disponíveis no mercado; procurando em livros ou em prateleiras, alguma solução que ponha fim a uma etapa de resultado incerto; cheia de dor,  preocupação e sofrimento.
 
Na verdade, sempre que procuro observar na linha do tempo, percebo que jamais encontrei soluções tão adequadas às lutas que tenho suportado e aos problemas que tenho enfrentado; como aquelas que encontro aos pés do Senhor, quando me prostro em oração perante Ele. Portanto, sou grato a Deus por ter descoberto - e não é de hoje - que as soluções que brotam de uma tentativa humana de acertar, com remédios e respostas nascidas dos recursos naturais e humanos, sempre trazem em seu bojo alguns efeitos colaterais muitas vezes piores do que o próprio mal que tanto nos aflige.
 
No entanto, ao longo de minha vida - bastante surrada e provada por desafios - tenho descoberto que algumas coisas devem nascer ou morrer no lugar de oração, na presença do Pai. E isto se refere, também, ao modo como lidamos com os desafios que surgem no dia-a-dia; seja sob a forma de insistente doença, conflito crônico ou dolorosa perda. E digo isso porque, já faz tempo, descobri que solução paliativa e de valor duvidoso, encontramos em qualquer lugar; todavia... Solução verdadeira só encontraremos na oração que fazemos, em nome de Jesus, diante do Pai.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Alguns erros comuns


Depois de me prostrar aos pés do Senhor Jesus, fui levado a refletir sobre alguns erros comuns que todos nós cometemos: O primeiro está relacionado com os conceitos de condenação e absolvição. Percebo que é bem simples o processo que nos leva a condenar alguém com quem não simpatizamos ou que nos serve de tropeço, quando este alguém está sendo acusado com justa causa. É também simples o processo que nos leva a absolver alguém quando o mesmo desfruta de nossa simpatia e amizade; quando este alguém está sendo injustamente acusado. No entanto, Deus me fez ver que qualquer decisão sobre absolvição ou acusação se torna parcial e injusta, quando aplicada por motivos errados.
 
O outro erro está relacionado com o Caminho do Senhor. Tenho notado que estou sempre pedindo a Deus que me ensine a andar no Seu Caminho. Então, me questionei quanto ao fato de estar sempre pedindo isso ao Senhor; como se eu nunca conseguisse aprender. Aí, aprendi que a questão não está relacionada com algum ensino padrão; e sim, com o fato do Caminho de Deus ser um caminho vivo, em constante movimento. Daí a necessidade de estarmos sempre a pedir que o Senhor nos ensine a percorrê-lo. Este é um procedimento semelhante a algumas senhas de acesso que, por medida de segurança, estão em constante mutação: Se não nos atualizarmos nas mesmas, perdemos o acesso.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 16 de julho de 2013

Real missão da Igreja


"Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia."
(João 15.19)
 
Hoje estou pensando na missão da Igreja; aliás, são três as preocupações mais frequentes que trago em meus pensamentos: O cuidado que devo ter com minha família, a responsabilidade que devo ter com o meu ministério e a real missão a ser cumprida por minha igreja. Quero aqui repetir algo que já tenho dito: Quando me refiro a "meu" ou "minha"; isso tem tudo a ver com razões afetivas, não com razões possessivas. Mas, como eu iniciei acima, preocupa-me - não a missão da Igreja claramente definida nas Escrituras - mas, o modo como alguns tentam impor um tipo de "missão" da Igreja; geralmente movidos por uma visão pessoal distorcida e por influência dos padrões de conduta deste mundo decadente.
 
É fácil perceber o modo de agir de alguns líderes cristãos; os quais demonstram o seu desejo de reformar a Igreja "por baixo"; para torná-la politicamente correta e socialmente aceita. Fala-se pouco na salvação dos perdidos, como se já não houvesse perdidos no mundo. Já não se vê nos dias de hoje discussões quanto a doutrina, usos e costumes; questões que sempre ocuparam espaço nos debates encetados pelas lideranças cristãs de ontem. As discussões de hoje são mais voltadas para a contextualização da Igreja, que corresponda aos tipos de adesão que vem recebendo (políticos, artistas, atletas); e, para o seu papel político e social em um mundo onde o mal é crescente e o pecado recebe outros nomes.
 
Quero deixar claro que, com este pensamento, não estou a lançar dúvida sobre a importância do papel político e social da Igreja; até porque, tenho procurado me lembrar do testemunho cristão, nestas e em outras esferas de ação e de conduta. Sei muito bem o valor do testemunho da Igreja demonstrado em ações políticas e sociais. Mas, este não é o seu principal papel no teatro da existência. Ouço líderes discutindo legitimidade de governos e defendendo a participação da Igreja nas esferas do poder secular, como se isso garantisse selo de autenticidade e probidade aos governantes e parlamentares surgidos desses manifestos. Todavia, a História bíblica e secular nos mostra que isso sempre terminou mal.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Obreiros à moda antiga


Meu querido Pai; sinto necessidade de orar, cheio de gratidão por ter completado mais um ano ao lado de Maria Célia Calegari; no entanto... Pesam em meu coração, nesta manhã, algumas preocupações que só podem ser resolvidas aos teus pés. Uma delas é a de ser enganado por meus próprios sentimentos. Eu me refiro à emoção de chorar ou sorrir em hora imprópria. Aprendi que devo me alegrar com os que se alegram e chorar com os que choram. Todavia, sei que existe a possibilidade de me alegrar com o fracasso de quem me quer mal; e, isso não pode acontecer. Portanto, eu te peço que me conceda um coração piedoso que me capacite a chorar pelo sofrimento dos meus adversários e a sentir prazer quando alcançam uma graça do Senhor; do mesmo modo com que choro ao ver meus amigos sofrerem; e, sorrio ao vê-los felizes com suas importantes conquistas.
 
Outra preocupação que trago comigo é com a evangelização e o pastoreio das ovelhas salvas por Jesus. Eu me refiro ao ministério daqueles obreiros que são chamados por Ti para cuidar do rebanho do Senhor. Jesus pediu que orássemos por obreiros; pois a seara é grande e os obreiros são poucos. No entanto, vejo tantos obreiros concentrados em um só lugar, como se ali fosse o seu campo de trabalho. Todavia, ao olhar bem de perto, percebo que as razões que os mantém cativos ao lugar, tem muito mais a ver com seus interesses do que com o Teu propósito e chamado. Alguns alegam a necessidade de estar em um lugar onde seus filhos possam estudar e crescer em meio ao progresso da terra; outros alegam a necessidade de estar em um local em que possam se divertir um pouco. Enquanto isso, existem lugares em que vidas estão à espera de um verdadeiro pastor.
 
Então, encontro no lugar de oração, o único lugar em que posso me esvaziar, destas e de outras preocupações; depositando-as no lugar certo. Pois, com a mesma intensidade com que oro por um coração piedoso, capaz de sorrir e chorar no momento certo; também oro por uma estirpe ungida, de obreiros à moda antiga. Eu me refiro àqueles obreiros - apóstolos, profetas, evangelistas, bispos, ministros, pastores, aspirantes, estagiários - cuja razão de atender ao Chamado, seja tão somente a salvação de vidas e o pastoreio das mesmas; com as qualidades implícitas na palavra de Jesus à Pedro: "Apascenta as minhas ovelhas". Enfim, meu Senhor, sinto paz ao orar; pois, uma nova estirpe de obreiros há de se levantar; se contrapondo a obreiros, cujo interesse no ministério se resume a um punhado de moedas que receberão ao fim de um mês de trabalho fácil.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 14 de julho de 2013

Tempos de maldade extrema


Hoje despertei preocupado... Pensando no que se passa nos dias de hoje. Não há como não perceber que os homens estão adormecidos, sem se darem conta do perigo que os rodeia nestes últimos dias. Até mesmo alguns daqueles crentes mais dedicados estão sendo enganados ou pegos de surpresa por alguns males que se destacam de modo crescente e envolvente. Alguns proclamam a necessidade do despertar da fé; e, fazem muito bem em despertar sua fé! Mas, precisamos também despertar no discernimento de espírito, para não sermos enganados com este mundo enlouquecido, em tempos de maldade extrema. Na verdade, vivemos um tempo de dores e de gritos contraditórios.
 
Este é um tempo de sucessivos golpes contra a Igreja de Cristo; mas também contra a família; tempo em que muitos pais estão perdendo os seus próprios filhos. Alguns estão perdendo os seus filhos para as drogas, pouco a pouco; outros perdem os seus filhos para os raptores, nunca mais os vendo; a maioria perde os seus filhos no silêncio de sua própria casa. E não há como conter os gritos provocado por tão dolorosas perdas. E nós, em meio a tudo isso, caminhamos açodados pelos gritos dos angustiados, dos revoltados e dos aproveitadores - vendilhões de sonhos de grandeza e de riqueza - em um mundo se afoga em um vale de lágrimas, enquanto se revolve no lodaçal do pecado.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 13 de julho de 2013

Pecado disfarçado

 

Meu Deus e meu Pai; antes de sair para mais uma viagem, venho me estender no lugar de oração. O meu corpo, mais uma vez, tentou me convencer de que merecia descansar um pouco mais; no entanto, prevaleceu a voz do meu espírito, me instando a orar ao Senhor. Sinto alegria em poder dar ouvidos à voz do espírito; pois sei que enquanto este conflito pessoal terminar deste modo, haverá segurança e paz em minha curta ou longa jornada. Sinto-me bem em descansar em Teus braços, querido Pai; pois, sei que enquanto eu oro e descanso; aprendo sobre valores e verdades que eu não conseguiria conhecer em outro lugar ou em outra companhia. Sou tão grato a Ti, meu Senhor!
 
E, mais uma vez, aprendo algo novo diante do Senhor: Que o pecado, tão insistente em seu objetivo de nos dominar, se torna ainda mais perigoso e letal quando tenta nos enganar, disfarçando-se de algo bom. E hoje, eu pude aprender que o pecado disfarçado de justiça e o pecado disfarçado de amor, são aqueles que mais vítimas tem feito entre crentes de boa fé. E deste modo, homens de bem - alguns de grande relevo em Tua obra - acabaram por se tornar cativos de Satã; quando deixaram de investigar na fonte, mediante a oração, a origem de tão estranho "amor" ou de tão estranha "justiça"; que, num instante, os envolveu e dominou. É realmente uma pena quando termina assim.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Ciranda de sofrimento

 

Hoje, enquanto eu ainda orava, comecei a pensar naqueles cristãos que não conseguem sair de um determinado ciclo vicioso; girando, girando e tornando sempre aos mesmos problemas que, em ocasiões anteriores, os feriram e fizeram outros sofrerem. Então pensei: "Ou eles gostam de sofrer e de fazer sofrer; ou, então, encontram-se presos em alguma prisão do tempo; sem se darem conta de que Satã os mantém engaiolados, tirando deles a chance de viver uma vida inteiramente nova, livres das prisões que - por meses ou anos - os mantém infelizes e infelicitadores". Esta é uma rotina por demais dolorosa.
 
Imbuído deste pensamento, logo me voltei para a Palavra de Deus. E, assim, fui levado a meditar em Eclesiastes. Logo, o primeiro texto que me veio foi o verso 9 do capítulo 1. Também meditei em todo o capítulo 3; mas, parei um pouquinho no verso 15. Ao refletir, notei que o Pregador considerava, estas e outras ações, males e tribulações da vida. Então, senti profunda compaixão daqueles que caem nesta ciranda de sofrimento - sempre voltando aos mesmos atos infelizes - não se apercebendo do seu estado de prisão e de incerteza. Será que em momento algum se dão conta do quanto sofrem e fazem sofrer?
 
Todavia, continuei a pensar na Palavra; e, ali, encontrei a fórmula criada por Deus para por um ponto final em destino tão trágico. Senti conforto ao ler 2 Coríntios 5.17; pois, revi o que conheço a anos: Que o novo nascimento é uma das causas da libertação; e a ruptura com este ciclo vicioso, um dos efeitos da libertação experimentada. E, do cimo desta meditação, pude ver a minha própria vida; e, nela, o sentido prático desta experiência: Que Deus me libertou do ciclo vicioso que me destruía aos poucos; ao me dar nova vida em Cristo, que me conduz à Vida Plena. Sou feliz e nem sei explicar como!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Bodas de Azeviche

 
Considero o dia de hoje um dia especial! Sei que eu teria muitos motivos para definir este dia como especial; pois, aquele que procura viver cada dia no Senhor terá sempre mil razões para ser grato a Deus. Entretanto, tenho este dia como especial, porque maria Célia & eu estamos completando 43 anos de casados hoje. Então... Me digam se este dia é ou não especial para nós?! Lembro-me dos detalhes daquele dia 11 julho de 1970... Dia que possibilitou ao Deus eterno nos agraciar com quatro filhos (Pastor Calegari, Elizeu, Ezequiel e Daniela; duas noras e genro (Simone, Synara e Alessandro); e, sete lindos netos: Isabela, Rafaela, Ana Carolina, Alexandra, Arthur, Eduardo e Beatriz - netos que fariam felizes todos os avós deste mundo!

Maria Célia é o outro lado da parelha que Deus constituiu, ao nos unir em Sua santa presença. Estamos trilhando juntos as estradas da vida, sem perder o rumo e o foco em momento algum. Sei que o nosso caso de amor é eterno! Existe algo interessante que posso confidenciar: Ao longo de todo este tempo, jamais um tentou anular ou dominar a personalidade do outro. Sempre houve amor e respeito entre nós; tanto nas convergências como nas divergências. Nosso amor, um pelo outro, esteve sempre acima de nossas questões pessoais - ou de tudo o mais que cruzasse o nosso caminho - só não esteve acima do nosso amor pelo Senhor. Enfim, ainda que eu passasse este dia tentando contabilizar as bênçãos recebidas do Pai, ao longo destes anos de vida conjugal; sei que seria tarefa impossível. Não sei dizer o quanto sou grato a Deus por este dia!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Deus perdoador

 
Hoje, ao me levantar para orar, encontrei bem próxima ao meu lugar de oração, minha querida esposa Maria Célia, lendo sua bíblia depois de ter orado ao Pai. Louvo a Deus por minha amada esposa! Enquanto eu orava, o Espírito me fazia lembrar dois textos bíblicos; ambos relacionados com oração. Sem perder o foco dos dois textos, comecei a pensar no cuidado de Deus para comigo e minha família... Então, entendi um pouco mais sobre a importância da oração como recurso preventivo. E posso afirmar que - na vida de um verdadeiro crente - a oração não é apenas algo indispensável; é também inadiável!
 
Mas... Voltemos aos dois textos: 1º) "Busquei ao SENHOR, e ele me respondeu; livrou-me de todos os meus temores." (Salmos 34.4). Realmente... O mundo em que vivemos é um mundo perigoso em todos os sentidos. E o pior é que a maior parte das ameaças vem disfarçada de algo bom e vantajoso; podendo até nos destruir, devido a nossa falta de atenção (não é tão fácil separar o bom, do "bom" aparente). Todavia, quando estamos em oração diante do Deus eterno, o medo vai embora, o discernimento chega e a paz se estabelece. Jamais conseguirei ser grato a Deus o bastante; por ser aceito em Sua presença!
 
Eis o segundo texto: "Das profundezas a ti clamo, ó SENHOR. Senhor, escuta a minha voz; sejam os teus ouvidos atentos à voz das minhas súplicas. Se tu, SENHOR, observares as iniqüidades, Senhor, quem subsistirá? Mas contigo está o perdão, para que sejas temido." (Salmo 130.1-4). Creio que não existe uma só pessoa que não se condene à si mesma, em algum momento da vida. Mas... O triste mesmo é quando não confrontamos o "pecado nosso do dia-a-dia"; achando "normal" alguns hábitos que cultivamos e certas coisas que fazemos. No entanto, o que nos vale é que o nosso Salvador é Deus perdoador.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 9 de julho de 2013

Multidão faminta


Entre as coisas que eu procuro sempre fazer, uma delas é agradecer a Deus por ter Sua Palavra ao meu alcance. Sua doutrinas, conceitos e advertências me fazem pensar em minha própria existência - no propósito de Deus para com a minha vida - muito mais do que naquilo que a Palavra pode fazer nas pessoas que vivem à minha volta. Não me lembro de um dia em minha vida de crente, em que a Palavra de Deus não me tenha causado profunda impressão; tanto por sua atualidade como por sua exatidão. É justamente por conhecê-la que não me surpreendo com as ocorrências que se sucedem no dia-a-dia. Antes, pelo contrário, em tais ocasiões, me surpreendo a mim mesmo, dizendo: "Isso já está previsto nas Escrituras Sagradas!"
 
Ao contemplar as multidões indo e vindo - em manifestações que ocorrem em toda a parte da terra - logo me vem à mente, as palavra que Deus disse ao profeta Daniel: "E tu, Daniel, encerra estas palavras e sela este livro, até ao fim do tempo; muitos correrão de uma parte para outra, e o conhecimento se multiplicará." (Daniel 12.4). Vejo o conhecimento se multiplicar de modo surpreendente; vejo, também, as multidões correrem de uma para outra parte, nos mais diversos países (islâmicos, budistas, cristãos, pobres e ricos); multidões anônimas, sedentas por algo que não se esgota com uma pauta de reivindicações; pois, na maioria das vezes, as verdadeiras razões deste clamor nem mesmo são conhecidas por aqueles que clamam.
 
Em meio a toda esta confusão em que o mundo vive, percebe-se uma multidão faminta. E, no entanto, nunca se viu em toda a História tantas pessoas correndo grande perigo causado pela obesidade mórbida. Um famoso Padre - ao defender o projeto "fome zero" - declarou que aqui no Brasil a fome é gorda (ao discorrer sobre os alimentos ingeridos pelos brasileiros mais pobres, sem nutrientes; mas isso se vê também nos países ricos). Porém, o que está enlouquecendo o mundo é outro tipo de fome: "Eis que vêm dias, diz o Senhor DEUS, em que enviarei fome sobre a terra; não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do SENHOR." (Amós 8.11). E esta fome só pode ser debelada com a pregação da Palavra de Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Oração e vida conjugal


Somente Deus sabe o quanto eu preciso me estender no lugar de oração; pois, nem eu mesmo sei até onde vai a minha necessidade de orar. Na verdade, sei que não devo deixar de orar por razão alguma. Mas, também sei que por mais que eu me esforce, nunca conseguirei orar o bastante. No entanto, isso não me preocupa tanto; porque, talvez, devido a isso, Deus não tenha definido uma medida mínima de oração; justamente para que todos nós saibamos que o importante mesmo é orar sempre.
 
E hoje, ainda escuro, me rendi aos pés do Senhor... E, mais uma vez, senti necessidade de agradecer, por me ter presenteado com uma tão bela e sábia esposa. Eu sempre acreditei no valor do matrimônio bíblico! Mesmo quando ainda não tinha noção da importância do mesmo. Todavia, desde muito cedo, aprendi que um casamento - para ser bem-sucedido - precisa ser cultivado no dia a dia, nutrido por gentileza e gestos de carinho, em um clima de amizade sincera e verdadeira entre os cônjuges.
 
Quando eu examino mais de perto a vida de grandes homens de Deus - do passado e do presente - não consigo imaginar suas conquistas e vida vitoriosa; sem que houvesse, nos bastidores, atividade intensa de oração. Assim como tenho forte convicção de que o fato de terem abandonado a atividade de oração, foi a causa do fracasso de muitos daqueles que já fizeram grandes coisas para Deus; mas, que acabaram submergindo - a si e aos seus - em dolorosa ruína, por terem deixado de orar.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 7 de julho de 2013

Três desejos muito comuns


Algum tempo atrás, recebi uma palavra assustadora da parte de Deus. Tão assustadora que não me senti em condição de postar. Posso dizer que ela tem tudo a ver com os crentes - especialmente os líderes - e estes últimos dias em que estamos vivendo. Senti um grande peso de temor; sem saber como lidar com esta revelação. Certo é que os dias se abreviam e já não temos muito tempo. É premente nos enriquecermos com textos bíblicos que advertem quando ao sexo, dinheiro e poder! Pois, cresce a cada dia o número de líderes incautos, seduzidos por ambição, se valendo de toda a sorte de engôdos para arrecadar dinheiro; inclusive, vendendo objetos de superstição para este fim. Alguns estão a ponto de submergir na ruína e nem percebem. Por favor, procurem meditar neste texto: I Timóteo 6.9-12.
 
Satã está procurando atingir o povo de Deus pelos flancos, sem que muitos se apercebam disso. No entanto, aqueles que querem servir a Deus em espírito e em verdade, precisam estar atentos às malhas de tentação que procurarão nos seduzir e aprisionar nestes últimos dias. Estas malhas trazem suas iscas relacionadas com três desejos muito comuns nas pessoas: O desejo de enriquecer a qualquer custo; o desejo de obter fama e prestígio, ao ponto de abandonar princípios por isso; e, o desejo de experimentar e praticar novas formas de sexo. Assim como no passado, existem sacerdotes do sexo, infiltrados até mesmo nas igrejas, ensinando metodos capazes de aumentar o prazer aos clientes deste mercado. E não são poucos os que estão sendo desencaminhados pelos ensinos de Jezabel (Apocalipse 2.20).
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 6 de julho de 2013

Honra de ser perdoado


A dias atrás, estendido no lugar de oração, senti desejo de agradecer a Deus pela grandeza do Seu perdão. Fiz isto por sentir o quanto o perdão de Deus foi importante em minha vida; para que eu pudesse me tornar neste homem em que me tornei. E mesmo sem poder medir o amor de Deus, estou consciente do quanto ele é grandioso ao ponto de conceder perdão ao pecador inveterado. Então, transpirando gratidão, agradeci ao Senhor por ter sido anistiado por Seu perdão ao ser salvo; pois, somente Deus, em Seu Filho Jesus, poderia mudar a minha condição de pecador perdido para pecador absolvido.
 
Enquanto eu orava, lembrei-me do culto de "Ceia da Unidade" realizado pelas igrejas do Distrito de Belo Horizonte (no sábado anterior, na IMW do Palmeiras) sob a direção do SD Pastor Marcus Ely Ribeiro. Maria Célia Calegari & eu fomos homenageados e presenteados, em nome de todos os pastores ali presentes, pelo Dia do Pastor Wesleyano; e em seguida, preguei sobre "Unidade" (Efésios 4.1-16); destacando a importância deste quesito para o crescimento da igreja em todos os sentidos. No entanto, faltou dizer que a unidade é um estado de comunhão somente possível onde houver perdão.
 
Em determinado momento, interrompi a oração para pensar na honra de ser perdoado pelo próprio Deus. Não pude deixar de pensar em meu passado... No quanto fui rebelde e desastrado. Graças a Deus que, ainda bem jovem, pude entender - pela pregação - o meu real estado (infelizmente alguns não se apercebem do estado de rebeldia em que vivem, vivendo de aparência). Então, isso foi suficiente para que eu me rendesse ao Deus eterno que me deu nova vida em Cristo Jesus. Foi quando o meu estado espiritual passou por milagrosa transformação: De pecador inveterado para pecador restaurado!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Eu cidadão desta nação

 
Hoje precisei acordar bem mais cedo (comecei a orar e terminei de orar ainda escuro). Na verdade, sou cidadão de uma nação que precisa muito de oração. Uma nação onde a aparência é mais importante, para muitos, do que a realidade que se vê por onde quer que andemos. Uma nação onde a mentira se estabelece, como se verdade fosse. Uma nação cuja imprensa finge ser livre; onde governantes fingem que executam e parlamentares fingem que legislam. Infelizmente, esta é uma nação onde tudo tem um preço (além do preço formal). Nação em que a verdade não é valorizada. Que pena.
 
 Entretanto, reconheço, todos nós brasileiros merecemos os parabéns pela conquista de mais uma Copa. Uma equipe eleita e muito bem preparada, conseguiu fazer o dever de casa: Jogar um bom futebol e conquistar o tetra da Copa das Confederações. Melhor seria se tivéssemos uma equipe desse naipe no Congresso Nacional e no Palácio do Planalto, trazendo conquistas sócio-econômicas e prosperidade para o povo brasileiro. Quem sabe, uma nova equipe eleita no próximo pleito possa fazer este dever de casa: Trazer saúde, paz e moradia ao povo brasileiro, já tão sofrido por sucessivas derrotas.
 
Enfim, a Copa terminou e uma outra Copa será promovida; e, no intervalo entre ambas, estádios finalmente descansam (devem até passar por novas reformas). Enquanto isso, a vida real continua por aqui: Estádios temporariamente vazios; hospitais entulhados de pacientes; o poder público esbanjando dinheiro; as enfermarias e emergências racionando remédio; desprovidas de quase tudo. Enfim, todos os lugares habituais frequentados por gente pobre estão nas piores condições (hospitais, transportes, escolas e... Até as prisões). E eu, cidadão desta nação, pergunto: Até quando isso vai continuar?
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Senti conforto após orar


Semanas atrás, fiz esta oração: "Pai bendito; venho buscar Tua face na manhã deste novo dia; antes de viajar para o Triângulo Mineiro. Meu coração já entoou o cântico de Bruna Karla, cujo estribilho diz: "Quando eu chorar, vou me lembrar que até aqui Tua mão me sustentou. Digo a minh'alma: Espera em Deus! Pois ainda o louvarei; eu o louvarei." Este hino sempre me ajuda, quando o fragor da luta se torna intenso e se aproxima em demasia. Graças te dou, Pai; por ter aprendido que não existe posição mais confortável neste mundo do que estar aos Teus pés, curvado em oração. Pois... É nesta posição que a incapacidade se transmuta, que a fraqueza adquire força e que os maltratados sentem alívio e cura. Obrigado, querido Pai, por me conduzir em segurança pelos caminhos desta vida!
 
Não tenho palavras para expressar gratidão que corresponda ao que Tens feito por mim. Nunca consegui entender minha fragilidade; mas, desde que passei a entender a Tua Palavra; percebi que a vida é simples e bela quando a vivemos em função do teu querer. Portanto, por mais que demônios e homens se levantem contra mim, não preciso me exasperar nem me desesperar. Pois, sei quem me dirige! Sei Quem me protege! sei em Quem confio! Tua cruz me ensina a amar quem me persegue; a orar por quem me maltrata; a abençoar a quem me amaldiçoa; enfim, a alimentar aqueles que são meus inimigos sem causa. Portanto, estando em mim, vou tentar ajudar a quem me fere; e não vou sequer admitir sentimento de prazer com a queda de quem me odeia." Senti conforto após orar assim.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 3 de julho de 2013

"Niver" da IMW Jardim Tropical


A dias atrás, enquanto Maria Célia Calegari e eu tomávamos café em casa do Pastor Luiz Carlos Silva e de sua esposa Maria Lúcia, conversamos muito sobre o que Deus tem feito na Segunda Região. Na justa medida em que eles testemunhavam sobre vários problemas que foram resolvidos e os avanços que a Região vem experimentando; fiquei a pensar nos problemas que ainda precisam ser resolvidos e nos avanços que - pela graça de Deus - ainda precisam acontecer. Creio que cada Região da IMW vive um bom momento; e que as lutas do dia-a-dia são desafios que nos motivam a seguir em frente.
 
Então, meus pensamentos se voltaram à noite anterior; quando celebramos juntos o culto de aniversário da IMW do Jardim tropical (este trabalho esteve fechado por algum tempo). A alegria do povo era contagiante! Enquanto louvávamos a Deus, o Pastor Antonio Neto - SD do Distrito - chamou a minha atenção para o semblante de felicidade no rosto de cada adorador; e, talvez sem perceber, disse algo que considerei muito importante: "O Distrito de Serra é um distrito alegre". Ao olhar o povo, confirmei a veracidade do que ele dissera. E ao pregar, senti fluir grande unção da parte de Deus!
 
Concluí meus pensamentos sobre este culto, contemplando na memória a presença de todos os pastores do Distrito; e também, pensando no carinho do casal que nos hospedou; em preparar um banquete de alto nível - cujo prato predominante era a famosa "moqueca capixaba"; tudo isso aliado ao prazer de ter conhecido o irmão Antonio (Toninho), sua esposa e sua filha, da cidade de Sooretama - a margem da BR 101, norte do Estado do Espírito Santo - onde a bandeira da IMW está sendo fincada (a inauguração do salão de cultos será no mês de julho). Louvo a Deus por meu ministério!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 2 de julho de 2013

Sinto segurança ao orar

 
Pai celeste; sou grato a Ti, por poder me erguer do sono, em plena noite escura; me antecipando ao brilho da alva, para poder Te buscar em oração. Sinto-me bem e confiante, ao trazer diante do Senhor a vida de minha esposa, meus três filhos e uma filha, minhas duas noras e um genro, minhas cinco netas e dois netos. Na verdade, sinto segurança ao orar; segurança por saber que Tu estás comigo; segurança por saber que Tu me ouves e cuidas de mim; e, segurança por saber que aqueles que tenho colocado sob os Teus cuidados, estão muito bem guardados.

Enquanto eu oro pelos pastores sob meus cuidados - nome por nome - sinto a consciência do dever que tenho para com eles; pois, sei muito bem que o Senhor os colocou sob minha guarda. No entanto, percebo que esta tarefa se torna cada dia mais difícil. Afinal de contas, orar por 24 Superintendentes e mais de duzentos Pastores exige um grande esforço de memória. Mas, não reclamo; pois ainda me sinto em condição de fazer isso: Interceder por eles e por seus familiares. Sem falar no tempo dispendido em orar por sete Bispos e cinco Secretários Gerais.

No entanto, me sinto responsável em orar por nossa nação; pois não sei o que o amanhã nos reserva. Tenho notado que o mal é um ser vivo; mas não é solitário. E que outros males sempre ficam na reserva, esperando que o mal vigente caia, para que outro mal o substitua. Como dói saber que quando um governo se corrompe e promove o engano, a injustiça se estabelece; e que, sob seu manto, os maus são promovidos e os bons exterminados. Todavia, como é bom saber que a oração ao Deus eterno pode mudar o mundo, quando consegue mudar a nós mesmos!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Tempos de edificação

 
Maria Célia e eu retornamos ontem a Governador Valadares, após termo passado uma boa parte do dia viajando. Entramos na cidade as 22 horas e fomos recebidos pelo Pastor Sidenilson Alvino Pereira e sua filha Andressa; posto que sua esposa Márcia se encontra em São Paulo, acompanhando o tratamento de sua filha Caroline. Sempre que voltamos a Valadares, nossa mente se volta para os dois períodos em que pastoreamos nesta cidade: de 1973 a 1978 e de 1986 a 1987. Foram dois períodos enriquecedores; períodos que definiram o rumo profético que nos conduziu até aqui. Aleluia!!

Dali fomos jantar em casa dos nossos amigos, Presbítero Elias e Neném, onde nos abraçamos e relembramos tempos de edificação e de unção de Deus, que mexeu com a vida de todos nós; e que nos deu muitos amigos nesta querida cidade. Abraçamos também a Elisane e a Marcela - suas filhas - e ficamos impressionados com o testemunho de Marcela; concernente ao ministério do Pastor Sidenilson. Ficamos comovidos... E lágrimas correram. Intimamente, agradeci a Deus por Seu cuidado para conosco; e por Seu direcionamento em decisões que temos tomado. Glória a Deus!

A caminho do descanso para a viagem do dia seguinte (já passava da meia-noite - passamos em casa de Lila e de Rubens, onde dormiam o meu filho Elizeu e sua (e minha) querida família; enquanto conversávamos um pouco com Lila, chegou o meu filho Pastor Calegari Filho e sua família (eles vieram para o casamento do Tony, um dos sobrinhos de minhas noras). Precisei me retirar, pois tinha que continuar a viagem pela manhã, até Serra. Então, agradeci ao Senhor por conduzir nossas vidas... E O louvei pela bênção de viver da Sua Graça e pela graça de desfrutar da Sua Bênção!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari