terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Transformação gradativa


Nesta manhã Deus me fez lembrar a importância de me derramar a Seus pés. Então, mais uma vez eu percebi que não há como viver ou entender a novidade de vida em Cristo Jesus, sem manter a vida em oração aos pés do Senhor. Não esperei ser chamado uma segunda vez; corri para o lugar de oração; pois, nele, o Espírito de Deus se manifesta e o espírito humano se despoja. Pude também entender que não há como entender o novo de Deus sem a doce presença do Espírito de Deus. E concluí que foi a falta desta Presença que levou fariseus e sacerdotes a se apegarem obstinadamente ao novo de Deus revelado no Sinai, que envelhecera; negando-se a aceitar o novo de Deus revelado no Gólgota, que entrara em vigor.
 
Fui mais uma vez convencido de que estar ante a face do Senhor, representa minha libertação de conceitos deturpados; e minha transformação gradativa até a estatura de varão perfeito. Deus me fez ver que o mundo só será transformado por minhas pregações; se, antes, minhas orações se tornarem em instrumento de minha própria transformação. Então, louvei a Deus! Pois, sempre que me curvo diante do Pai, saio dali um pouco melhor do que era no instante que antecedera a minha prostração. E isso não se deve à oração em si mesma; e sim, ao Espírito que age enquanto eu oro com mente renovada e coração disposto a buscar - não confirmação do que penso ser melhor - mas, Sua direção para minha vida.
 
Nos, pregadores - de quando em vez - devemos meditar neste testemunho de Paulo: "E EU, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria. Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado. E eu estive convosco em fraqueza, e em temor, e em grande tremor. A minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder; Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus. Todavia falamos sabedoria entre os perfeitos; não, porém, a sabedoria deste mundo, nem dos príncipes deste mundo, que se aniquilam; Mas falamos a sabedoria de Deus, oculta em mistério, a qual Deus ordenou antes dos séculos para nossa glória; A qual nenhum dos príncipes deste mundo conheceu; porque, se a conhecessem, nunca crucificariam ao Senhor da glória. Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam. Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus." ((1 Coríntios 2.1-10). Penso que esta posição apostólica dispensa qualquer comentário!
 
Cordialmente
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário