domingo, 1 de dezembro de 2013

Ações e intenções


Tenho pensado no modo como Deus falou e agiu; tanto no culto de aniversário dos 10 anos da IMW de S. Marcos, em Serra - sob liderança do Pastor Rogério Quaresma; como no aniversário de 32 anos da IMW de Jardim Colorado, em Vila velha - sob liderança do Pastor Valdívio Correia. No entanto, lamentei não ter podido estar no culto de inauguração da 2ª IMW de Imw Guarapari Espirito Santo - sob liderança do Pastor Calegari; tendo sido representado por minha querida esposa Maria Célia (fui por ela informado que - em plena segunda-feira encharcada por forte chuva - o salão para mais de trezentos e cinquenta lugares estava completamente cheio). Não posso deixar de louvar e engrandecer ao Deus eterno, por liberar o Seu Santo Espírito para prosperar a obra de nossas mãos; dando vida e sentido ao trabalho que fazemos - em nome de Jesus - para Sua glória e louvor.
 
No dia seguinte, Maria Célia e eu, viajamos de volta a Belo Horizonte. Antes da viagem, aprendi uma grande lição com o meu Senhor: Aprendi que uma decisão errada baseada em motivos certos é tão perigosa e nociva quanto uma decisão certa baseada em motivos errados. Então, entendi que, as vezes, sofremos ao fazermos algo com a melhor das intenções; ficando confusos ao sofrer efeitos colaterais inesperados. E também, achamos injusto sofrermos males causados por uma boa ação que praticamos; sem perceber que nossas intenções erradas podem ser causadoras de consequências indesejáveis. Então, pedi ao Senhor que me ajude a julgar minhas ações e motivações; para que eu não seja pego na armadilha dos sentimentos equivocados e da razão corrompida. Preciso de boa dose de discernimento, para entender previamente minhas reais intenções e atitudes.
 
Não tenho a menor dúvida de que - para vencermos os conflitos em nosso interior - precisamos seguir as recomendações apostólicas. Estes dois textos nos ensinam que devemos ter a mente e os sentimentos de Cristo: "Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros. De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus" (Filipenses 2.3-5). "Porque, quem conheceu a mente do SENHOR, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo." (I Coríntios 2.16). Pois, somente com a mente e os sentimentos de Cristo, conseguiremos vencer a nós mesmos. Eu creio nisso!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário