sexta-feira, 5 de julho de 2013

Eu cidadão desta nação

 
Hoje precisei acordar bem mais cedo (comecei a orar e terminei de orar ainda escuro). Na verdade, sou cidadão de uma nação que precisa muito de oração. Uma nação onde a aparência é mais importante, para muitos, do que a realidade que se vê por onde quer que andemos. Uma nação onde a mentira se estabelece, como se verdade fosse. Uma nação cuja imprensa finge ser livre; onde governantes fingem que executam e parlamentares fingem que legislam. Infelizmente, esta é uma nação onde tudo tem um preço (além do preço formal). Nação em que a verdade não é valorizada. Que pena.
 
 Entretanto, reconheço, todos nós brasileiros merecemos os parabéns pela conquista de mais uma Copa. Uma equipe eleita e muito bem preparada, conseguiu fazer o dever de casa: Jogar um bom futebol e conquistar o tetra da Copa das Confederações. Melhor seria se tivéssemos uma equipe desse naipe no Congresso Nacional e no Palácio do Planalto, trazendo conquistas sócio-econômicas e prosperidade para o povo brasileiro. Quem sabe, uma nova equipe eleita no próximo pleito possa fazer este dever de casa: Trazer saúde, paz e moradia ao povo brasileiro, já tão sofrido por sucessivas derrotas.
 
Enfim, a Copa terminou e uma outra Copa será promovida; e, no intervalo entre ambas, estádios finalmente descansam (devem até passar por novas reformas). Enquanto isso, a vida real continua por aqui: Estádios temporariamente vazios; hospitais entulhados de pacientes; o poder público esbanjando dinheiro; as enfermarias e emergências racionando remédio; desprovidas de quase tudo. Enfim, todos os lugares habituais frequentados por gente pobre estão nas piores condições (hospitais, transportes, escolas e... Até as prisões). E eu, cidadão desta nação, pergunto: Até quando isso vai continuar?
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário