segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Refletindo sobre Porta & Caminho

Hoje pela manhã, enquanto eu orava a Deus, veio ao meu espírito este texto: "E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem" (Mateus 7:14). Busquei entender o que o Senhor procurava me falar através dele. Cheguei a este discernimento:

Sendo a porta estreita, muitas coisas que fizeram parte da nossa velha vida terão que ser descartadas - quer queiramos, quer não! Não há como conciliar os interesses sagrados do Deus eterno como os nossos interesses mesquinhos e levianos. Portanto, precisamos "aliviar o navio" (jargão marinheiro).

Sendo apertado o caminho, não há como transitar por ele levando bagagem em excesso. Como andar com liberdade por um caminho estreito, levando futilidades conosco? Precisamos separar aquilo que é indispensável daquilo que é descartável - e jogar o lixo fora! Pois, "lugar de lixo é no lixo" (jargão popular).

Ainda me lembro, quando era um crente novo iniciando na fé - no tempo em que os pregadores doutrinavam utilizando figuras simples da vida, assim como fez Jesus - de ter ouvido um homem de Deus dizer que "o caminho da vida é tão estreito; mas, tão estreito, que... Se alguém levar no bolso uma garrafa de aguardente ou um maço de cigarro, não consegue andar por ele". E este mesmo pregador também ensinou que "a porta da vida é tão baixinha; mas, tão baixinha, que... Só se consegue entrar por ela aquele que estiver de joelhos". Bons tempos aqueles...

Mas, os mestres se tornaram poderosos... E resolveram competir em grandeza e opulência com os poderosos deste mundo! Hoje ensinam que - para entrar pela porta do céu - você precisa fazê-lo como "vencedor" - em pompa e grande estilo! Ensinam também que - para transitar o caminho do céu - por que entrar despojado; se você pode percorrê-lo com um carro importado? Um BMW talvez... Isto, se tiver uma grande fé! Percebo que os tempos mudaram...

E me pergunto: A quem interessa mais estas mudanças de conceito? Quem se beneficia mais com esta fútil esperança... Serão os carismáticos promotores de "tudo isso e o céu também"? E... Até quando isso irá perdurar? No entanto, de uma coisa estou absolutamente convencido: Tais infundadas espectativas não conseguirão transpor os umbrais da morte!

"Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas" (Apocalipse 3.22).

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário