quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Perante o Deus do universo


Madrugada com temperatura amena em Valadares... E eu aqui, na sala do Pastor Sidenilson, orando com ele; ambos prostrados e quebrantados na presença do Deus eterno. Realmente... Neste mundo, não existe prazer maior. Glória a Deus! Pois, buscar a face do Senhor - em favor da família, dos amigos, e até dos adversários - é uma prática que deve se repedir diariamente; até mesmo quando nossa natureza humana se indispõe a orar. Na verdade. orar faz bem; mesmo quando tudo parece dizer que não. É como Simão disse à Jesus: "Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna." (João 6:68). Amém, Senhor!

Ainda em oração, senti o quanto Deus se faz presente! Jamais conseguiremos lhe encobrir os nossos reais sentimentos, e nossos pecados nunca lhe serão ocultos, Pois o Senhor tudo vê! Portanto, de nada valem os disfarces. Precisamos cair na real! Deus jamais se deixará enganar por intenções camufladas. Então, perante o Deus do universo; nada será melhor do que a verdade dos sentimentos e dos fatos. Obrigado, meu Senhor amado; por poder desnudar meu coração. Mas, mesmo que não o fizesse, não conseguiria encobrir aquilo que ele guarda; pois, seja em uma caverna ou no lugar mais secreto do mundo; tudo está patente aos teus olhos. Bendito seja Deus!

Este texto respalda tudo aquilo que, nesta manhã, tentei expressar: "Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face? Se subir ao céu, lá tu estás; se fizer no inferno a minha cama, eis que tu ali estás também. Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar, Até ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá. Se disser: Decerto que as trevas me encobrirão; então a noite será luz à roda de mim. Nem ainda as trevas me encobrem de ti; mas a noite resplandece como o dia; as trevas e a luz são para ti a mesma coisa;" (Salmos 139:7-12). Então, assim como não se pode conter a força da maré; também não se pode fugir do olhar do Pai.

Esta canção encerra muito bem esta reflexão:
https://youtu.be/K80BNksymco

Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Enquanto oramos


Que bênção é poder te buscar, querido Pai! Que bênção é poder me curvar ante a Tua presença, amado Senhor; em meio às lutas travadas a minha volta. Que bênção é poder ignorar as ameaças que nos são lançadas e a dor que teima em nos afligir. Que bênção é ouvir o nosso próprio gemido interior, sinalizando para a urgência de buscar a Tua face e ouvir a Tua voz! Que bênção é saber que, ao orarmos, sentimos como se o tempo parasse no lugar de oração; e somente aquilo que se passa neste local de encontro passa a ter sentido. Que bênção é poder orar, mesmo sem ter o que dizer, ó Pai. 

Enquanto oramos; As flores desabrocham, perfumando tudo a sua volta. Enquanto oramos; males são contidos e dores são levadas. Enquanto oramos; o mar se acalma, a tempestade se dissipa e a dureza da vida se amacia. Enquanto oramos; verdades se tornam conhecidas e dúvidas se tornam sem sentido. Enquanto oramos; os milagres acontecem e a vida segue o seu curso. Enquanto oramos; o céu desce até nós, a luz do sol resplende e irrompe através das nuvens, que dão passagem ao astro rei. Enquanto oramos; cresce nosso entendimento de que nada será capaz de impedir o teu agir em nós. 

Que experiência sobrenatural esta! "E eles, deixando a multidão, o levaram consigo, assim como estava, no barco; e havia também com ele outros barquinhos. E levantou-se grande temporal de vento, e subiam as ondas por cima do barco, de maneira que já se enchia. E ele estava na popa, dormindo sobre uma almofada, e despertaram-no, dizendo-lhe: Mestre, não se te dá que pereçamos? E ele, despertando, repreendeu o vento, e disse ao mar: Cala-te, aquieta-te. E o vento se aquietou, e houve grande bonança. E disse-lhes: Por que sois tão tímidos? Ainda não tendes fé?" (Marcos 4:36-40). Aleluia!

Esta canção me faz sentir o quanto sou protegido:
https://youtu.be/_AOK_aSiDmo

Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Meu primeiro amor

!

Na manhã de sábado, Maria Célia & eu continuamos nossa viagem, rumo a Governador Valadares, cidade mineira apelidada de "Princesa do Vale". Como eu me sinto feliz! Tanto pelo que dei, como pelo que recebi desta cidade! Nela, passaremos alguns dias, pregando em algumas igrejas nossas. Sempre que voltamos à Valadares; nos sentimos como se relêssemos um dos mais belos capítulos do nosso passado. Gloria a Deus! Pois Ele sempre abençoou nossa entrada e nossa saída, desde a primeira vez que nela entramos (em fins de 1972). Agradeço ao querido Pastor Sidenilson, por nos dar este presente.

Sempre que penso nesta cidade - polo do vale do rio doce - penso na cidade de Éfeso... Ah, Éfeso - cidade brindada com um grande avivamento, que destronou Diana, deusa dos efésios; cidade pisada por apóstolos, profetas, pastores e mestres; cidade premiada com uma bela carta apostólica... Cidade por Deus advertida, a retornar ao primeiro amor que jamais devia ter perdido. E ao fim desta grata recordação, penso no risco que todos nós corremos, de perder o primeiro amor. Então, agradeço a Deus por me ter conservado todo este tempo de minha vida, imerso em meu primeiro amor. Aleluia!

Leia esta carta ditada pelo próprio Deus:

"Escreve ao anjo da igreja de Éfeso: Isto diz aquele que tem na sua destra as sete estrelas, que anda no meio dos sete castiçais de ouro: Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua paciência, e que não podes sofrer os maus; e puseste à prova os que dizem ser apóstolos, e o não são, e tu os achaste mentirosos. E sofreste, e tens paciência; e trabalhaste pelo meu nome, e não te cansaste. Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres. Tens, porém, isto: que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso de Deus."
(Apocalipse 2:1-7)

Ela é um alerta, para todos nós cristãos.

Ao encerrar esta reflexão, desejei ouvir esta canção tão especial:
https://youtu.be/LaCibbI2WdM

Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 21 de agosto de 2016

Palco de risos e prantos


Pensativo, eu reflito sobre o que senti estendido em meu lugar de oração - palco de risos e prantos - onde meus conflitos e anelos se entrelaçam em ardente clamor. Então, minhas lembranças trazem a tona, fatos marcantes que testemunham o cuidado do Senhor para comigo. Quão abençoadas são as experiências vividas; pois elas - quando bem entendidas e guardadas nas memorias, podem desfiar belas histórias - de amor, de livramento, de provisão, de proteção... Histórias que nunca devemos esquecer, pois o tempo jamais poderá apagar.

A vida é feita de dias bons e dias maus, se intercalando enquanto aqui vivermos. Alguns, começam bem e terminam mal; outros, vice-versa. A Bíblia diz que "Melhor é o fim das coisas do que o princípio delas; melhor é o paciente de espírito do que o altivo de espírito." (Eclesiastes 7:8). Então, o melhor mesmo é investirmos tempo e recursos, pensando no fim da vida. Na verdade, não existe melhor modo de investir nossos talentos, do que colocando a nossa vida - presente e futura - nas mãos do Deus eterno, entregando o nosso coração a Jesus.

Que texto lindo este: "Confia no Senhor e faze o bem; habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado. Deleita-te também no Senhor, e te concederá os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará. E ele fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu juízo como o meio-dia. Descansa no Senhor, e espera nele; não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa astutos intentos." (Salmos 37:3-7). Então, pergunto: Por que não o por em prática?

Sempre vejo minha vida refletida nesta tão bela canção:
https://youtu.be/30Qy_dPmnBQ

Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 20 de agosto de 2016

Quem poderia imaginar


Nesta manhã, pensei no livro "O Peregrino", de John Bunyan; livro que li e reli, muitas vezes, em meus primeiros anos como pregador do evangelho. Quem poderia imaginar que, nos anos sombrios do século 16, estava sendo preparado por Deus um humilde funileiro chamado para ser um dedicado pastor. E assim, durante mais de doze anos passados nos fétidos cárceres ingleses; este homem de Deus escreveu este livro - obra que, segundo muitos, é a mais lida depois da Bíblia - que descreve em linguagem figurada, a jornada do cristão rumo à Canaã celestial. Como me enriqueci lendo esta obra!

Ao pensar neste fato; penso também em muitos obreiros do Senhor em nosso tempo... Os quais, no sincero desejo de aprimorar o nível de seu ministério; ingressam em uma faculdade em busca de um curso superior, para melhor servirem ao Mestre. Todavia, lamento o fato de, muitos deles, começarem a se encantar com os seus novos conhecimentos; até ao ponto de começarem a questionar a origem e razão da vocação e doutrina. Para minha surpresa, chego a ver alguns se desviarem do Caminho da Verdade; porém, convictos que seus valores espirituais foram enriquecidos. Meu Deus, que tristeza!

Procure ler atentamente este texto e seu contexto: "Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados. Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são; Para que nenhuma carne se glorie perante ele." (1 Coríntios 1:26-29). Nele fica bem claro que o único preparo indispensável é o de Deus.

Encontro importante conteúdo nesta canção cristã:
https://youtu.be/IbO51UynqvA

Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

O mal em forma humana


Ao me estender em oração, segui a orientação do "Pai Nosso" (que é nossa oração modelo); e pedi ao Senhor que nos livre do mal; pois o mal parece ter adquirido corpo e forma humana, tendo se tornado onipresente. E, em sua forma humana, ele está entrincheirado nas comunidades carentes e na alta sociedade; também se entrincheira nos parlamentos, nos tribunais e nos governos humanos. E, devido à este aparato, as vozes da corrupção e da violência exercem forte influencia em todas as esferas, impondo leis brandas contra o crime organizado e pesados impostos contra o cidadão comum. Enfim... Estamos em maus lençóis! E só temos Deus para nos defender.

Enquanto me rendo ao Senhor nosso Deus; fico a pensar no modo ingênuo como parecemos nos surpreender por aquilo que sabemos existir e se passar. A Palavra de Deus sempre sentenciou que este mundo jaz no maligno (o fim deste sistema iníquo é um jazigo, cuja lápide terá esta inscrição). Portanto, o que nos resta é escolher melhor os nossos representantes políticos (dentre os que carregam histórico de boa procedência e finalidade, distantes das manchetes de corrupção e violência). Sei muito bem, que tais cuidados não são garantia de acerto em nosso voto; todavia, são base de bom senso e certeza de consciência em paz; caso nos enganemos na escolha.

Veja o parecer dos apóstolos sobre a escolha de administradores: "Ora, naqueles dias, crescendo o número dos discípulos, houve uma murmuração dos gregos contra os hebreus, porque as suas viúvas eram desprezadas no ministério cotidiano. E os doze, convocando a multidão dos discípulos, disseram: Não é razoável que nós deixemos a palavra de Deus e sirvamos às mesas. Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio. Mas nós perseveraremos na oração e no ministério da palavra." (Atos 6:1-4). E na política, nosso procedimento não deve ser diferente.

Esta canção nos move a voltar às origens do cristianismo autêntico:
https://youtu.be/Isr3nVCVeP0

Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

O nosso fundamento


Hoje fiquei a pensar na tendência presente em todo ser humano, de buscar primeiro os seus interesses. Ouvimos muita gente dizendo: "Preciso pensar em mim; eu mereço ser feliz; chega de pensar nos outros" e outras impropriedades afins. É comum acharmos correto este modo de ver e de pensar das pessoas; especialmente quando ignoramos este texto bíblico: "Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas." (Mateus 6:33). Estas e muitas outras questões da vida, nos mostram que precisamos fazer da Palavra de Deus o nosso fundamento.

Preciso explicar que não ignoro a obrigação de sermos cuidadosos com a nossa saúde e bem estar; enfim, com deveres pessoais que todos nós temos. No entanto, precisamos entender que as pessoas e as coisas não giram à nossa volta, como se fôssemos o centro do universo. Todos temos deveres sociais e morais que interagem com as necessidades e aflições do nosso próximo. Sei muito bem, que todos nós temos lutas e provações. Todavia, não devemos cometer o erro de pensar que nossas dores são razões que justificam nossa omissão cristã, ao nos recusarmos em sentir a dor do nosso irmão.

Este é um trecho de uma triste história contada por Jesus: "Mas, um samaritano, que ia de viagem, chegou ao pé dele e, vendo-o, moveu-se de íntima compaixão; E, aproximando-se, atou-lhe as feridas, deitando-lhes azeite e vinho; e, pondo-o sobre o seu animal, levou-o para uma estalagem, e cuidou dele; E, partindo no outro dia, tirou dois dinheiros, e deu-os ao hospedeiro, e disse-lhe: Cuida dele; e tudo o que de mais gastares eu to pagarei quando voltar." (Lucas 10:33-35). E nesta história, aprendemos o modo de agir, ante uma vítima de maus tratos que encontremos em nosso caminho.

Aprendemos muito com a primeira canção deste LP:
https://youtu.be/lwxrOpdYZTI

Cordialmente;
Bispo Calegari