quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Provações amigas minhas


Hoje, ao buscar a presença do Senhor, senti um forte impulso para agradecer a Deus por ter me sustentado todo este tempo (estou me referindo a cinquenta anos de vida cristã bem vivida). Foram muitas as provações; tantas quantas foram as realizações. Porém, corri muito mais perigo com os resultados do meu trabalho, do que com as perigos enfrentados no entrevero. Me recordei dos dias em que minha vida de oração diminuiu o ritmo, devido à "folga" que me dei a mim mesmo, após grandes lutas. É... Nessas ocasiões, só não sucumbi devido ao cuidado do Senhor para comigo - menino ainda ingênuo (talvez seja ingênuo ate hoje) - sem noção do fragor da tempestade que vem após a calmaria. Pois é... Importa saber que lidar com a provação pode ser menos perigoso que lidar com a consagração.
 
Lagrimas correram dos meus olhos, ao me dar conta de que minhas provações sempre foram "amigas"... Pois, sempre me "empurraram" para o lugar de oração, refúgio garantido contra o mal recorrente. No entanto, antes de continuar, preciso afirmar que não estou generalizando. Entretanto, nas provações da vida, existe a tendência quase natural de nos refugiarmos no altar; ao passo que, após uma grande vitória, ou missão bem sucedida, é mais provável "festejarmos" em uma pizzaria ou algo do gênero. Talvez seja por isso, que demorei a perceber que minhas provações não são minhas maiores adversárias (alguns homens de Deus caíram enquanto descansavam). Obrigado, meu amado Pai, por teres me guardado em meio aos festejos da vitória; tanto quanto me guardaste, quando sob intenso fogo de cruel perseguição.
 
As exortações da Palavra sempre visam um fim proveitoso. Esta tem o dom de colocar nossos sentimentos em seu devido lugar: "Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um." (Romanos 12:1-3). Se observarmos bem, veremos que ela aponta para o fato de que jamais devemos nos opor às correções do Senhor.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

A vida do crente que ora


Sábado, durante toda a manhã, acompanhei o trabalho da Comissão Ministerial em seu atendimento à segunda turma de aspirantes ao pastorado da IMW 2ª Região Eclesiástica. Realmente, um trabalho do mais alto nível; o qual entregará à Igreja, pastores devidamente provados e aprovados. À noite, tive a oportunidade de estar no culto do Congresso Inter distrital de Adolescentes, que reuniu congressistas de Belo Horizonte, Betim e Contagem. Estiveram comigo - além de minha querida esposa Maria Célia Calegari - o Pastor Renato Jabor Campos e sua esposa Ducilea Jabor. Foi evidente o agir de Deus em nosso meio. Ante o modo como Deus agiu enquanto a Palavra era ministrada, fiquei a pensar na eficácia da oração em sua prerrogativa de regar com unção a vida do crente que ora.
 
Em dado momento, o Espírito me fez lembrar a diferença entre as diversas vezes em que me rendi aos Seus pés, em profunda contrição; e as vezes em que tão somente fiz meditação consoante o culto em que pregaria, sem ter procurado demonstrar plena dependência do Pai. Realmente... Não há como comparar! Como a obra de Deus seria diferente, caso todos aqueles que estão nela envolvidos, se dessem ao trabalho de buscar Sua face com verdadeiro temor e profundo fervor. Sob tais condições, não precisaríamos ficar "inventando" nada, na tentativa de dar ao povo a impressão de que o culto é marcado pelo sobrenatural de Deus. É verdade! no culto prestado ao Deus eterno; quanto mais Deus se revela, menos o homem precisa aparecer. E quando Deus se revela, as marcas são permanentes.
 
Este texto revela o momento pós descida do Espírito sobre os discípulos, no Pentecostes: "E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo; Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar. E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa. De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas, E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos." (Atos 2:38-43). Como aqueles discípulos poderiam imaginar os efeitos que isto causaria?
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Minha vida de oração


Sei que alguns pensam e chegam a dizer que eu oro muito; mas... Se isto fosse verdade, eu não estaria sempre a tentar ampliar os limites de minha vida de oração. Na verdade, não acredito que alguém consiga orar "muito". Até porque, por mais que oremos, nunca oramos o bastante. Hoje, por exemplo, me estendi no lugar de oração procurando conter minha alma; tamanha a avidez com que ela tentava impor alguma distração ou ocupação que me afastasse daquele lugar. É assim mesmo! A alma humana não se sente confortável em lugar onde ela não consegue se impor. Portanto, se ela não conseguir ditar as normas; então, prefere mudar de lugar ou de companhia.
 
Enquanto eu ainda orava, o meu espírito se voltou para as lembranças da noite anterior; e me senti grato a Deus por ter estado no culto da IMW em Conselheiro Lafaiete-MG. Naquela igreja, pude perceber o quanto o Pastor José Márcio e sua esposa Glauciane amam e são amados por aquele rebanho. Então, achei por bem orar por eles; pois sei das lutas que um pastor enfrenta, quando se dedica com amor e respeito ao rebanho à si confiado pelo Senhor. É bem verdade que existem pastores que não têm o mesmo nível de dedicação às ovelhas, os quais também enfrentam lutas; porém... Em um nível bem diferente, que sinto não valer a pena aqui comentar.
 
Podemos aprender com Davi, a conter a alma ansiosa e abatida:
 
"Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação da sua face. Ó meu Deus, dentro de mim a minha alma está abatida; por isso lembro-me de ti desde a terra do Jordão, e desde os hermonitas, desde o pequeno monte. Um abismo chama outro abismo, ao ruído das tuas catadupas; todas as tuas ondas e as tuas vagas têm passado sobre mim. Contudo o Senhor mandará a sua misericórdia de dia, e de noite a sua canção estará comigo, uma oração ao Deus da minha vida. Direi a Deus, minha rocha: Por que te esqueceste de mim? Por que ando lamentando por causa da opressão do inimigo? Com ferida mortal em meus ossos me afrontam os meus adversários, quando todo dia me dizem: Onde está o teu Deus? Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus."
(Salmos 42:5-11)
 
Penso não haver quem não tenha este tipo de problema a resolver.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Proximidade do eterno Deus


Finalmente, concluímos os trabalhos do Conselho Ministerial Regional após três dias - intercalando momentos de comunhão e lazer com tarefas administrativas - no ambiente bucólico do acampamento wesleyano em Itatiaiuçú. Foram dias de paz e sossego, onde os Superintendentes Distritais (alguns acompanhados da esposa) definiram alguns pontos que ajudarão bastante as atividades do XVII Concílio Regional da IMW 2ª Região Eclesiástica. Em alguns momentos, nos sentíamos como em um retiro espiritual, tamanha a manifestação do amor e da graça de Deus sobre todos nós.
 
Creio que o nosso concílio regional se tornará importante divisor de águas (uma espécie de "antes e depois") mediante aquilo que o nosso Deus realizará em nosso meio, nos dias 10 a 13 de dezembro. Durante as madrugadas em que estive em oração, pude sentir a proximidade do eterno Deus; e a plena certeza quanto ao Seu agir na 2ª Região. Outro ponto importante é que a comunhão entre os líderes regionais cresceu visivelmente, aleluia! Foi gratificante ver Maria Célia, Ducilea Jabor, Cláudia Simões, Ingrid Flores e Jorgina Quesado, nos servindo com suas habilidades culinárias.
 
Maravilhosa esta reunião de Paulo com os líderes da Igreja em Éfeso:
 
"E de Mileto mandou a Éfeso, a chamar os anciãos da igreja. E, logo que chegaram junto dele, disse-lhes: Vós bem sabeis, desde o primeiro dia em que entrei na Ásia, como em todo esse tempo me portei no meio de vós, Servindo ao Senhor com toda a humildade, e com muitas lágrimas e tentações, que pelas ciladas dos judeus me sobrevieram; Como nada, que útil seja, deixei de vos anunciar, e ensinar publicamente e pelas casas, Testificando, tanto aos judeus como aos gregos, a conversão a Deus, e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo. E agora, eis que, ligado eu pelo espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que lá me há de acontecer, Senão o que o Espírito Santo de cidade em cidade me revela, dizendo que me esperam prisões e tribulações. Mas de nada faço questão, nem tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus."
(Atos 20:17-24)
 
Ela é uma referência para reuniões de obreiros em todos os tempos.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 16 de novembro de 2014

Intenções e motivações


Nesta madrugada, estamos nos pondo na estrada de regresso à BH. Mas, não sem antes me curvar perante a face do Senhor e expor minha condição e a de tantos outros servos Seus, que vivem em busca de uma qualidade melhor de vida espiritual. Enquanto orei, não pude deixar de pensar no fato que Deus nos contempla em toda a extensão do nosso ser. Assim, Ele vê o nosso real estado e conhece a verdade sobre cada um de nós; de tal modo, que não temos a menor chance de ocultar aos Seus olhos nossas reais intenções e motivações. Neste momento, senti crescer o nível de contrição em meu coração, na mesma proporção das lágrimas em meus olhos.
 
Então, me quebrantei ainda mais... Ao me dar conta de que somos seres ínfimos, em meio a bilhões de seres tão pequenos como nós (ainda que alguns, dentre eles, detentores de grande fama e prestígio). No entanto, meu espírito foi advertido; pois, por um instante deixei de levar em conta que o amor de Deus por cada um de nós, contempla e busca o indivíduo em meio à multidão. Neste ponto, não resisti... Pois fui lembrado que o meu novo nome é conhecido no céu, desde que Jesus veio a este mundo para morrer em meu lugar; e que o amor de Deus trabalha em meu favor, bem antes que eu fosse formado no ventre materno. Aleluia! Louvado seja Deus!
 
Sinto grande prazer ao meditar sobre neste texto:
 
"E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência; Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também. Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus; Para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus."
(Efésios 2:1-7)
 
Pois, ele me revela o grande amor de Deus por mim.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 15 de novembro de 2014

Valores da fé bíblica


Hoje, enquanto eu meditava, recebi uma palavra da parte de Deus; palavra de conforto e encorajamento, cheia de amor e de unção. Na verdade, todos os que pretendem permanecer no caminho do Senhor, mesmo em meio às provas que procuram se interpor entre eles e o Senhor; precisam ter ciência de que as barreiras que precisam transpor são altas e difíceis de suplantar. Fato é que, em se tratando de priorizar as coisas de Deus, nunca existiu caminho fácil; antes, pelo contrário, até mesmo pequenas circunstâncias naturais se transformam em grandes obstruções aos valores da fé bíblica. Daí, a necessidade de buscarmos a direção de Deus ao longo do caminho a ser percorrido.
 
Enquanto eu procurava processar em meu espírito a direção do Senhor para o meu dia; fui outra vez lembrado dos desafios que preciso enfrentar; eles surgem em forma de tentações que preciso vencer ou evitar e das estratégias que preciso entender e adotar; portanto, se eu quiser me manter firme em solo sagrado, preciso estar atento ao falar de Deus. Enfim, não devo me deixar influenciar por propostas que o lusco-fusco que precede as trevas procura me impor. Não sei se existiu outro período na história, em que os verdadeiros servos de Deus correram tanto perigo; mas estou convencido de que os dias de hoje, eivados de maldade e opressão maligna, são ameaçadores à fé cristã.
 
Este texto nos fala com uma clareza indiscutível: "Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo, é nascido de Deus; e todo aquele que ama ao que o gerou também ama ao que dele é nascido. Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus, quando amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos. Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são pesados. Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé. Quem é que vence o mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus?" (1 João 5:1-5). E também nos revela que o ato de crer em Jesus é a base da vitória que idealizamos!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 9 de novembro de 2014

Orar é sempre uma luta

Foto: Hoje não foi fácil manter minha vida no lugar de oração (já tenho dito que, algumas vezes, isto é bem difícil). Mas consegui perseverar, contrariando sentimento e raciocínio, me deixando tanger pelo bordão do Espírito. Aliás, orar é sempre uma luta travada contra a natureza arredia; até que se torne descanso aos pés do Senhor. Meu Deus! Fico a pensar em Daniel... Que figura admirável! Ele cultivava a vida de oração, como se fosse uma planta frágil, regando-a três vezes ao dia. Esta prática - além de manter Daniel em constante sintonia com o Pai - o capacitava a conviver diariamente com o ambiente hostil em meio ao qual servia; lidando com seus inimigos e opositores (nem sempre um opositor é um inimigo) com amor, respeito e nobreza. Ele enfrentou inúmeros perigos, mas sempre guardado pelo Senhor. Este é o homem Daniel, que Deus transformou em Profeta!

Mas... Voltando ao meu lugar de oração... Consegui expor os sentimentos certos, e encontrar as palavras certas; até ao ponto de ser aceito e respondido diante do Pai. Orei por minha família (não posso sequer admitir que um filho de Deus não se derrame em oração em favor de seu lar); e orei por quase todos os pastores e obreiros da 2ª Região (talvez uns 90%); infelizmente, não consegui lembrar o nome de alguns). Entretanto, preciso repetir que um cristão de verdade precisa orar por sua família; pois, o mundo escureceu rapidamente e não há como conter a onda de maldade que acua e golpeia sem piedade as pessoas de bem (os que são do mal já estão subjugados). É... Muitas vezes atravessamos pelo vale da sombra da morte, sem darmos conta de que ele é real, ainda que nem sempre visível; o qual se desloca e se interpõe com frequência em nosso caminho.

Hoje não foi fácil manter minha vida no lugar de oração (já tenho dito que, algumas vezes, isto é bem difícil). Mas consegui perseverar, contrariando sentimento e raciocínio, me deixando tanger pelo bordão do Espírito. Aliás, orar é sempre uma luta travada contra a natureza arredia; até que se torne descanso aos pés do Senhor. Meu Deus! Fico a pensar em Daniel... Que figura admirável! Ele cultivava a vida de oração, como se fosse uma planta frágil, regando-a três vezes ao dia. Esta prática - além de manter Daniel em constante sintonia com o Pai - o capacitava a conviver diariamente com o ambiente hostil em meio ao qual servia; lidando com seus inimigos e opositores (nem sempre um opositor é um inimigo) com amor, respeito e nobreza. Ele enfrentou inúmeros perigos, mas sempre guardado pelo Senhor. Este é o homem Daniel, que Deus transformou em Profeta!
 
Mas... Voltando ao meu lugar de oração... Consegui expor os sentimentos certos, e encontrar as palavras certas; até ao ponto de ser aceito e respondido diante do Pai. Orei por minha família (não posso sequer admitir que um filho de Deus não se derrame em oração em favor de seu lar); e orei por quase todos os pastores e obreiros da 2ª Região (talvez uns 90%); infelizmente, não consegui lembrar o nome de alguns. Entretanto, preciso repetir que um cristão de verdade precisa orar por sua família; pois, o mundo escureceu rapidamente e não há como conter a onda de maldade que acua e golpeia sem piedade as pessoas de bem (os que são do mal já estão subjugados). É... Muitas vezes atravessamos pelo vale da sombra da morte, sem darmos conta de que ele é real, ainda que nem sempre visível; o qual se desloca e se interpõe com frequência em nosso caminho.
 
Este texto embasa uma boa reflexão: "A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira. A língua dos sábios adorna a sabedoria, mas a boca dos tolos derrama a estultícia. Os olhos do Senhor estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons. A língua benigna é árvore de vida, mas a perversidade nela deprime o espírito. O tolo despreza a instrução de seu pai, mas o que observa a repreensão se haverá prudentemente. Na casa do justo há um grande tesouro, mas nos ganhos do ímpio há perturbação. Os lábios dos sábios derramam o conhecimento, mas o coração dos tolos não faz assim. O sacrifício dos ímpios é abominável ao Senhor, mas a oração dos retos é o seu contentamento. O caminho do ímpio é abominável ao Senhor, mas ao que segue a justiça ele ama." (Provérbios 15:1-9). Dentre outra coisas, ele revela alegria de Deus com a oração dos santos.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari