quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Não existe compromisso maior

Foto: Tenho pensado... A coisa mais importante a ser feita, logo no início de cada dia, é buscar a presença de Deus em oração. Sei que é comum nos levantarmos "em cima da hora" para o cumprimento de alguns compromissos; todavia... Sei também que não existe compromisso maior do que o que deve nos levar ao lugar de oração; e isto é tão verdadeiro e transparente como a água que bebi nesta manhã. Creio não ser ignorado por cristão algum (mesmo por aqueles que vivem tentando andar com um pé na igreja e outro pé no mundo) que este mundo é hostil contra os que querem viver piamente em Cristo Jesus. Aprendi nas Escrituras sagradas que este mundo jaz no maligno; portanto, sua principal ocupação é procurar atrair crentes, incrédulos e ateus para o profundo jazigo em que se encontra. Assim, ser crente de verdade é seguir na contra-mão do mundo, com os olhos postos nas promessas de Deus.

Percebo que no lugar de oração (quando a motivação é santa), mudanças sempre acontecem; quando não acontecem no lado de fora, acontecem do lado de dentro. Porque, afinal de contas, Deus se mantém atento aos que O buscam em espírito e em verdade; aos que valorizam o tempo passado em Sua presença. Então, em meio ao caos em que este mundo vive; Ele envia o Seu Espírito sobre as brumas do caos, para conduzir em segurança aquele que depositou sua fé e esperança nEle. Como conforta saber que Deus, mediante nosso salvador Jesus, é o único capaz de transformar o pior dos pecadores, no mais santo dos cristãos. Isto aconteceu no passado e acontece no presente; apesar daqueles que, seduzidos pelo espírito do engano, tentam associar o Seu reino eterno a conceitos e valores que não têm afinidade alguma com ele; oferecendo bens necessários, porém mesclados com nocivas e enganosas motivações.

Tenho pensado... A coisa mais importante a ser feita, logo no início de cada dia, é buscar a presença de Deus em oração. Sei que é comum nos levantarmos "em cima da hora" para o cumprimento de alguns compromissos; todavia... Sei também que não existe compromisso maior do que o que deve nos levar ao lugar de oração; e isto é tão verdadeiro e transparente como a água que bebi nesta manhã. Creio não ser ignorado por cristão algum (mesmo por aqueles que vivem tentando andar com um pé na igreja e outro pé no mundo) que este mundo é hostil contra os que querem viver piamente em Cristo Jesus. Aprendi nas Escrituras sagradas que este mundo jaz no maligno; portanto, sua principal ocupação é procurar atrair crentes, incrédulos e ateus para o profundo jazigo em que se encontra. Assim, ser crente de verdade é seguir na contra-mão do mundo, com os olhos postos nas promessas de Deus.
 
Percebo que no lugar de oração (quando a motivação é santa), mudanças sempre acontecem; quando não acontecem no lado de fora, acontecem do lado de dentro. Porque, afinal de contas, Deus se mantém atento aos que O buscam em espírito e em verdade; aos que valorizam o tempo passado em Sua presença. Então, em meio ao caos em que este mundo vive; Ele envia o Seu Espírito sobre as brumas do caos, para conduzir em segurança aquele que depositou sua fé e esperança nEle. Como me conforta saber que Deus, mediante nosso salvador Jesus, é o único capaz de transformar o pior dos pecadores, no mais santo dos cristãos. Isto aconteceu no passado e acontece no presente; apesar daqueles que, seduzidos pelo espírito do engano, tentam associar o Seu reino eterno a conceitos e valores que não têm afinidade alguma com ele; oferecendo bens necessários, porém, mesclados com nocivas e enganosas motivações.
 
Este texto da Bíblia tem o poder de jogar por terra, bases e conceitos falsos sobre os quais muitas vidas são criadas: "E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas. Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado. Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós." (I João 1.5-10). Na verdade, nossa natureza pecaminosa se opõe ao tratamento de Deus; porém quando nos rendemos de verdade a Jesus, nossos pecados são cancelados e nossa vida é recriada.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Esaú negociou seu direito


Dou graças a Deus, por Seu cuidado para conosco e por nos usar para Sua glória e edificação do Seu povo. Isto aconteceu ontem na abertura da "Semana Acadêmica" promovida pelo polo do CEFORTE em Volta Redonda. Como faz bem a qualquer filho de Deus saber que, em certos momentos, o Senhor pode transformar sua boca em "boca de Deus", para pronunciar verdades que precisam ser ditas; ou para fazer soar advertências e encorajamentos que o Seu povo precisa ouvir. Não tenho a menor dúvida de que isto aconteceu ontem, aqui na sede do CEFORTE. Sou admirador dos belos e profundos cânticos compostos por alguns compositores e cantores que compõem o que crêem e cantam o que vivem. Dentre eles, faço menção do Fernandinho, quando proclama que apesar dos homens que "se desviaram e profetas se venderam", ainda "existem aqueles que não de dobraram ante outros deuses"; e cito Anderson Freire - Oficial, que canta a "identidade" do servo do Senhor; buscando exemplo nos amigos de Daniel.
 
Vivemos dias de comércio e negociação de valores que deveriam ser inegociáveis. Do mesmo modo como se vende de tudo hoje em dia - tanto no mercado popular, nos grandes magazines; como nas feiras livres e nos grandes atacadões - também existem pessoas que vendem seus corpos, sua honra, suas almas; julgando ter o direito de fazer negócios deste tipo. Esaú negociou seu direito à "bênção da primogenitura", pensando na ocasião ter feito um bom negócio. Judas negociou sua lealdade ao Mestre, vendendo Jesus a pronta entrega pelo preço combinado de "trinta moedas de prata". Alguns vendem seus próprios filhos para comércio da prostituição. No entanto, ignoram existir valores que são inegociáveis, pois o seu preço vale uma vida eterna. Portanto, a um homem ou mulher de Deus a quem Deus confiou talentos tais; cabe a missão de desenvolver e preservar um patrimônio sagrado que não é seu - em forma de honra, dignidade, credibilidade, santidade - em um mundo que procura sempre nos seduzir.
 
Por não aceitarem negociar princípios, os amigos de Daniel foram condenados à morte:
 
"Responderam Sadraque, Mesaque e Abednego, e disseram ao rei Nabucodonosor: Não necessitamos de te responder sobre este negócio. Eis que o nosso Deus, a quem nós servimos, é que nos pode livrar; ele nos livrará da fornalha de fogo ardente, e da tua mão, ó rei. E, se não, fica sabendo ó rei, que não serviremos a teus deuses nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste. Então Nabucodonosor se encheu de furor, e mudou-se o aspecto do seu semblante contra Sadraque, Mesaque e Abednego; falou, e ordenou que a fornalha se aquecesse sete vezes mais do que se costumava aquecer. E ordenou aos homens mais poderosos, que estavam no seu exército, que atassem a Sadraque, Mesaque e Abednego, para lançá-los na fornalha de fogo ardente. Então estes homens foram atados, vestidos com as suas capas, suas túnicas, e seus chapéus, e demais roupas, e foram lançados dentro da fornalha de fogo ardente."
(Daniel 3.16-21)
 
Todavia, um homem ou mulher de Deus, podem ser preservados em meio às ameaças.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Nação envolta em sombras


Amado Pai celeste; obrigado por poder estar aqui em Volta Redonda, na casa dos meus queridos cunhados e sobrinhos: Pastor Murilo Araújo & Hallison Salles, Heitor Salles e Júlia. Obrigado por Maria Célia Calegari & eu termos sido vasos ungidos, no sábado pela manhã, falando aos pastores e obreiros & suas respectivas esposas. Obrigado por termos sido acolhidos com tanto amor e carinho, no culto ao Senhor promovido pela abençoada juventude da IMW de Vila Elmira. Obrigado pelo ministério ungido do querido Pastor Eugênio, titular desta querida igreja. Obrigado pela vida do casal Dino e Sheila Silva que nos acolheram em sua casa, mesmo sem nos conhecer; e que nos deram tratamento tal, como se fôssemos anjos do Senhor visitando o seu lar. Obrigado, querido Pai, por podermos desfrutar deste amor que nos atrai e desta graça que nos inspira a continuar percorrendo o caminho do céu, amando e servindo vidas pelas quais Jesus deu Sua Vida.
 
Mas, nesta manhã, não posso deixar de interceder por minha querida família e por meus queridos irmãos espalhados por este Brasil afora... Não posso deixar de orar em favor de uma nação envolta em sombras de maldições que tentam sufocá-la... Maldições sob a forma de pragas antigas e novas; sob a forma de clima hostil sem a menor chance de controle; e eclosão de fenômenos conhecidos e desconhecidos, que assustam a humanidade enlouquecida e sem futuro... Maldições atraídas pelo desacato às leis eternas e aos valores morais e sagrados pelos quais o povo cristão vem se pautando ao longo dos séculos; e pelo descaso para com a vida e para com o meio ambiente... Maldições provocadas por prática de sexo desleal, hediondo e ultrajante... Maldições nascidas de uma religiosidade sem futuro, a serviço de ídolos e demônios, negociada por um punhado de moedas... Enfim, Pai; livra-nos do mal; pois Teu é o reino, o poder e a glória para sempre, amém!
 
Me situo entre os que acreditam que este texto é contextual com os dias que vivemos:
 
"Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai. E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem. Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro; Estando duas moendo no moinho, será levada uma, e deixada outra. Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor. Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa. Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis."
(Mateus 24.36-44)
 
Creio que os dias se abreviam com tanta rapidez, que já não temos muito mais tempo.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 26 de outubro de 2014

Me converti a Cristo

Foto: Apesar da importância deste dia 26 de outubro, para o Brasil; e das sombras que encobrem nossa nação - ferida em sua honra e vocação - não pretendo me estender sobre aquilo que vejo se desenrolar ante o silêncio dos "inocentes" e a cumplicidade dos "coniventes". E isto se deve a uma razão simples... Mas, de grande valor para a minha vida: É que hoje faz 50 anos que me converti a Cristo! Me lembro como se fosse hoje, do instante em que - atendendo a um convite feito após mensagem - levantei-me do lugar em que estava assentado e me ajoelhei no altar daquele templo; deixando ali uma vida carregada de pecado e maldição. É... Nasci de novo e nem percebi o significado do que havia acontecido naquele santo lugar.

Naquele dia 26 de outubro de 1964 - em uma noite fria de segunda-feira - Deus me alcançou através de Jesus meu Salvador. Mas isto foi apenas o começo de uma história que jamais terminará! Naquela noite, Deus não me deu apenas salvação: Ele me fez parte de Sua família; Ele me deu a chance iniciar uma vida inteiramente nova; Ele me chamou para o santo ministério da Palavra; Ele me deu a melhor das esposas que eu poderia ter; me deu os filhos, noras, genro e netos que constituem minha pequena casa. Enfim... Como deixar de agradecer por tudo quanto Ele tem feito por mim? Sou grato a Deus e não escondo isto de ninguém! Sei de onde Ele me tirou e para onde me conduz. Sou de Deus e jamais me envergonharei disto!

Apesar da importância deste dia 26 de outubro, para o Brasil; e das sombras que encobrem nossa nação - ferida em sua honra e vocação - não pretendo me estender sobre aquilo que vejo se desenrolar ante o silêncio dos "inocentes" e a cumplicidade dos "coniventes". E isto se deve a uma razão simples... Mas, de grande valor para a minha vida: É que hoje faz 50 anos que me converti a Cristo! Me lembro como se fosse hoje, do instante em que - atendendo a um convite feito após mensagem - levantei-me do lugar em que estava assentado e me ajoelhei no altar daquele templo; deixando ali uma vida carregada de pecado e maldição. É... Nasci de novo e nem percebi o significado do que havia acontecido naquele santo lugar.
 
Naquele dia 26 de outubro de 1964 - noite fria de segunda-feira - Deus me alcançou através de Jesus meu Salvador. Mas isto foi apenas o começo de uma história que jamais terá fim! Naquela noite, Deus não me deu apenas salvação: Ele me fez parte de Sua família; Ele me deu a chance de iniciar uma vida inteiramente nova; Ele me chamou para o santo ministério da Palavra; Ele me deu a melhor das esposas que eu poderia ter; me deu os filhos, noras, genro e netos que formam a minha pequena casa. Enfim... Como não agradecer por tudo quanto Ele tem feito por mim? Sou grato a Deus e não escondo isto de ninguém! Sei de onde Ele me tirou e para onde me leva. Sou de Deus e nunca me envergonharei disto!
 
Este texto diz tudo o que eu disse; e até o que não consegui dizer:
 
"TENDO sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo; Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus. E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, E a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira."
(Romanos 5.1-9)
 
Seguir a Cristo foi a melhor decisão que já tomei em minha vida!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 25 de outubro de 2014

Relutância interior


Na maioria das vezes em que me aproximo do lugar de oração, preciso lutar contra uma certa relutância interior; como se orar fosse uma tarefa árdua, que pudesse ser descartada, ou adiada para outra ocasião. Então, querido Pai, preciso lidar com o grande desafio de orar; e estar disposto a percorrer o caminho que me conduz à Tua presença, levando sempre comigo os meus conflitos existenciais e as minhas convicções espirituais. Eu sempre soube, por experiência própria, que orar não é tarefa fácil; pois, se fosse, todos os crentes orariam bastante; pois qualquer crente minimamente comprometido, sabe que orar é por demais importante. Penso que não haja um cristão sequer, que não tenha que lutar do começo ao fim para permanecer no lugar de oração. Não sei se é conspiração do inferno ou se é acomodação da alma, ou se ambas as coisas; mas que esta luta existe, isto eu sei com toda certeza!
 
E assim, me rendo em oração; ciente de que minha sobrevivência como homem de Deus depende disso. É que não consigo conceber a ideia de que vida cristã real seja simples opção religiosa; ainda que a maioria dos cristãos pense deste jeito. Ao seguir o caminho da Vida, preciso me certificar de que levo comigo os recursos sobrenaturais que me tornam capaz de enfrentar qualquer obstáculo que se levante. Um deles, que me mantém no rumo; é este imperativo profético, sempre a me incentivar: "E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda." (Isaías 30.21) o outro, é o imperativo do próprio Jesus, ao me exortar dizendo: "E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim." (Mateus 10.38). Então, com os olhos postos em Jesus, vou seguindo em frente!
 
Gosto de meditar nesta advertência de Jesus: "Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus. Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus. Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada; Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra; E assim os inimigos do homem serão os seus familiares. Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim. E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim. Quem achar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a sua vida, por amor de mim, achá-la-á." (Mateus 10.32-39). Ela sempre me fortalece e me alerta sobre a importância da confissão do nome de Jesus.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Precisamos continuar acreditando


Que o Brasil é conhecido internacionalmente com o "país do futebol e do carnaval", já estamos cansados de saber. E que até este momento, ele é um país com nível de influência e riquezas próprias de um país de primeiro mundo; mas com assistencialismo barato, sistema de saúde e educação, e uso e abuso do dinheiro público próprio de um país do final da fila do terceiro mundo, isto é lembrado até provocar revolta, sempre que precisamos do SUS e da escola pública, ou tropeçamos nas grandes obras inacabadas espalhadas por todo o território nacional. Entretanto, nos últimos anos, o Brasil - com o seu alinhamento internacional e com seu estilo de governo - vem se tornando cada dia mais parecido com a Venezuela "chavista" e com a Cuba "Castrista"... E isto fica cada dia mais claro aos olhos de quem tem um mínimo de senso de observação e senso crítico independente. Do jeito que as coisas vão, não sei como o Brasil ficará após o dia 26; todavia, precisamos continuar acreditando que o Brasil é viável.
 
Mas, Já não é de hoje (a dois mil anos, aconteceu em Jerusalém), o povo define suas preferências, influenciado por propaganda enganosa e tendência conformista (é assim que o Congresso Nacional se mantém, com os quadros de sempre, salvo raras exceções). É sabido em toda a nação que o Brasil acumula, ao longo destes últimos anos, descaso para com a coisa pública e graves escândalos de corrupção ativa e passiva, parecido com governos passados; porém... Jamais vistos em tamanha magnitude e voracidade. Na verdade, jamais se tentou interferir na família brasileira - com crescente tentativa de imposição de usos e costumes inconvenientes - como tem sido feito nos últimos anos. Medidas discriminatórias e retrógradas estão sendo impostas com insistência, no afã de corromper valores morais tradicionais. E me surpreende a conivência de cristãos - que não dependem do "pão e circo" oferecido por este governo - complacentes que são com seu modo de agir.
 
Este texto tem como título, a extrema corrupção nos últimos tempos:
 
"SABE, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te. Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade. E, como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé. Não irão, porém, avante; porque a todos será manifesto o seu desvario, como também o foi o daqueles."
(II Timóteo 3.1-9)
 
E este tempo que vivemos, pode ser enquadrado nas advertências deste texto.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Valorizo a unção de Deus

Foto: Ainda que eu tivesse os melhores recursos de homilética (coisa que não tenho), associados à habilidade de sistematizar uma visão teológica complexa (que não tenho) "turbinados" pela arte da oratória (também não tenho); não haveria como expor a Palavra e a grandeza de Deus, do modo e com o conteúdo que Deus ministrou ao meu coração neste fim de semana. E digo mais: Ainda que alguém tentasse me convencer do contrário; eu simplesmente ignoraria tal possibilidade; pois eu me conheço o bastante, até ao ponto de saber que ninguém pode receber e compartilhar tais ministrações, se do céu não lhe forem dadas. E não estou a pensar na palavra liberada no sábado de manhã e de noite, ou por ocasião do batismo distrital. Estou a pensar é no agir de Deus ontem a noite na IMW central.

Portanto, preciso dizer que valorizo a unção de Deus em minha vida; pois ela pode me dar aquilo que não tenho; e pode me capacitar a fazer aquilo que eu não conseguiria fazer de outro modo. E com esta certeza, quero reafirmar que não há como ser vaso útil e preparado, sem que haja presença regular no lugar de oração. Alguém simples como eu, pode se tornar um pregador apto a entender e ensinar; caso seja capaz de permanecer aos pés do Senhor o tempo necessário para receber do céu aquilo que pretende pregar na terra. Tentação mais comum do que se possa pensar; é aquela que procura nos convencer de que "o auditório hoje não exige grande preparo"; ou "hoje preciso me preparar dobrado, devido ao nível de ouvintes que terei". Enfim, seja qual for o grupo de ouvintes; orar é sempre a necessidade maior.

Ainda que eu tivesse os melhores recursos de homilética (coisa que não tenho), associados à habilidade de sistematizar uma visão teológica complexa (que não tenho) "turbinados" pela arte da oratória (também não tenho); não haveria como expor a Palavra e a grandeza de Deus, do modo e com o conteúdo que Deus ministrou ao meu coração neste fim de semana. E digo mais: Ainda que alguém tentasse me convencer do contrário, eu simplesmente ignoraria tal possibilidade; pois eu me conheço o bastante, até ao ponto de saber que ninguém pode receber e compartilhar tais ministrações, se do céu não lhe forem dadas. E não estou a pensar na palavra liberada no sábado de manhã e de noite, ou por ocasião do batismo distrital. Estou a pensar é no agir de Deus ontem a noite na IMW Central de Valadares.
 
Portanto, preciso dizer que valorizo a unção de Deus em minha vida; pois ela pode me dar aquilo que não tenho; e pode me capacitar a fazer aquilo que eu não conseguiria fazer de outro modo. E com esta certeza, quero reafirmar que não há como ser vaso útil e preparado, sem que haja presença regular no lugar de oração. Alguém simples como eu, pode se tornar um pregador apto a entender e ensinar; caso seja capaz de permanecer aos pés do Senhor o tempo necessário para receber do céu aquilo que pretende pregar na terra. Tentação mais comum do que se possa pensar; é aquela que procura nos convencer de que "o auditório hoje não exige grande preparo"; ou "hoje preciso me preparar dobrado, devido ao nível de ouvintes que terei". Enfim, seja qual for o grupo de ouvintes; orar é sempre a necessidade maior.
 
Creio que este testemunho de Paulo diz tudo o que aqui pretendi dizer:
 
"Primeiramente dou graças ao meu Deus por Jesus Cristo, acerca de vós todos, porque em todo o mundo é anunciada a vossa fé. Porque Deus, a quem sirvo em meu espírito, no evangelho de seu Filho, me é testemunha de como incessantemente faço menção de vós, Pedindo sempre em minhas orações que nalgum tempo, pela vontade de Deus, se me ofereça boa ocasião de ir ter convosco. Porque desejo ver-vos, para vos comunicar algum dom espiritual, a fim de que sejais confortados; Isto é, para que juntamente convosco eu seja consolado pela fé mútua, assim vossa como minha. Não quero, porém, irmãos, que ignoreis que muitas vezes propus ir ter convosco (mas até agora tenho sido impedido) para também ter entre vós algum fruto, como também entre os demais gentios. Eu sou devedor, tanto a gregos como a bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes. E assim, quanto está em mim, estou pronto para também vos anunciar o evangelho, a vós que estais em Roma."
(Romanos 1.8-15)
 
Acredito que não existe nada melhor do que respaldar a visão na Palavra.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari