sábado, 28 de março de 2015

Promessa de Sua vinda


Madrugada perante o Senhor é sempre um bom momento! Enquanto eu procurava me aconchegar e orar, comecei a cantar este cântico: "Te adoramos, ó Deus Rei do universo! Toda glória e louvor te sejam dados!" Em meio a um misto de emoções e pensamentos, me preocupei com todos aqueles que não levam Deus em conta. Ate mesmo com certos tipos de crente que, mesmo crendo em Deus, não buscam direção do Senhor nas decisões que tomam; e, pior ainda, aqueles que - alegando que "o que Deus quer mesmo é o coração" - fazem as piores coisas com o resto do seu corpo, criado por Deus para ser "templo do Espírito". É... Não consigo deixar de pensar naqueles que vivem e agem, como se existisse prazer apenas em coisas mundanas; e se todos os interesses e questões da existência, estivessem restritos apenas a este mundo. Será que não se apercebem do erro que cometem?
 
Então, ao refletir sobre tudo isto, pensei naquilo que Jesus afirmou: "Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também." (João 14:2-3). E fiquei a pensar na perda que sofrem os que pensam apenas nesta vida. E o pior é que a grande maioria só se dará conta do prejuízo quando já for tarde demais! Todos os dias morrem pessoas... E a grande maioria com destino incerto. Muitos daqueles que vivem em nosso tempo, se declaram ateus. E pergunto: Como pode alguém chegar a tão temerária conclusão? Baseados em quais fatos, tomam decisão tão comprometedora? Que mestre lhes deu provas de que, após a vida, só existe o nada? Neste momento, louvei a Deus por poder cultivar a fé bíblica!
 
Neste texto fica evidente a intenção de Jesus em procurar tranquilizar seus discípulos, com a promessa de que um dia voltará: "Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também. Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho. Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho? Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." (João 14:1-6). Portanto, nela baseados, devemos crer e prosseguir sempre, sem jamais esmorecer; mantendo os nossos olhos fitos no céu e nossa esperança em sua segunda vinda; ainda que pareça tardia!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 27 de março de 2015

Um lugar de refúgio


Quando penso no lugar de oração; não o vejo apenas como um lugar para orar... Na verdade, o lugar em que nos prostramos para buscar a face do Senhor é também um lugar de refúgio; e, sobretudo, um lugar de comunhão com Deus! E também vejo o lugar de oração, como um lugar em que a unção é renovada na vida de um pregador; onde a cura pode se manifestar na vida de um enfermo; enfim... Um lugar onde casamentos são restaurados, vidas são alcançadas, mistérios são revelados e... O que mais posso dizer? Uma vez que, quando buscamos a Deus em oração, uma linha direta é estabelecida por mediação de Jesus Cristo; e se dá o mais importante meio de comunicação que uma pessoa pode estabelecer neste mundo. Ali, enquanto este mundo tenta a todo custo, nos seduzir ou nos destruir; Deus nos responde com presença e proteção. Então, somos por Ele guardados!
 
Hoje mesmo, aconteceu assim comigo. Chegando ao lugar de oração, eu me curvei diante do Pai e senti paz e segurança enquanto orava. É lógico que não ignorei o caos em que este mundo se encontra; violência, insegurança, desespero; enfim... Perigo por todos os lados! Mas fui consolado pelo Espírito Santo, ao me fazer lembrar dos três rapazes na Babilônia... Então, me dei conta de que existe um mal maior do que aqueles que citei: A incredulidade que nos afasta de Deus e de Suas promessas! Sadraque, Mesaque e Abednego tinham apenas sua fé no Senhor como arma - sem um ponta sequer de incredulidade - e as promessas de Deus como conforto! Estando assim revestidos, de que mais eles precisavam? Pois eles sabiam que apenas a presença do Senhor poderia livrá-los do ódio daqueles homens, e do calor da fornalha. E não deu outra coisa!
 
Não sei dizer quantas vezes refleti sobre este texto: "E estes três homens, Sadraque, Mesaque e Abednego, caíram atados dentro da fornalha de fogo ardente. Então o rei Nabucodonosor se espantou, e se levantou depressa; falou, dizendo aos seus conselheiros: Não lançamos nós, dentro do fogo, três homens atados? Responderam e disseram ao rei: É verdade, ó rei. Respondeu, dizendo: Eu, porém, vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, sem sofrer nenhum dano; e o aspecto do quarto é semelhante ao Filho de Deus. Então chegando-se Nabucodonosor à porta da fornalha de fogo ardente, falou, dizendo: Sadraque, Mesaque e Abednego, servos do Deus Altíssimo, saí e vinde! Então Sadraque, Mesaque e Abednego saíram do meio do fogo." (Daniel 3:23-26). Também perdi a conta das vezes em que busquei a Deus e fui por Ele socorrido!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 26 de março de 2015

Cultivo da vida de santidade


Hoje despertei com o seguinte texto em meu coração: "Mas para mim, bom é aproximar-me de Deus; pus a minha confiança no Senhor DEUS, para anunciar todas as tuas obras." (Salmos 73:28). Enquanto eu refletia sobre ele; veio aos meus lábios este louvor correspondente: "Que doce é estar em tua presença, Contemplando a formosura da Tua majestade, E reconhecendo que Tu és o Senhor todo poderoso e o grande 'Eu Sou'..." (cantado por Marcos Góes). Realmente, faz um bem muito grande à nossa alma poder degustar espiritualmente mistura tão poderosa e santa - como é o louvor a Deus e a meditação em sua Palavra! Eu acredito que a vida cristã só pode ser vivida plenamente, quando o nosso coração ferve com boas palavras e nossos lábios se abrem para entoar belas canções de louvor; como a que me edificou.
 
Infelizmente, vivemos hoje no perigoso limite entre o santo e o profano (na maioria das vezes - para nosso mal - mais profano que santo). Na verdade, todos nós cristãos definidos quanto aos fundamentos bíblicos de nossa crença; precisamos nos manter em atmosfera de louvor e adoração, enquanto transitamos neste mundo perdido - residindo em um corpo que não passa de habitação temporária - pois o contrário disto é um padrão de vida carnal e superficial, vivido pela grande maioria das pessoas, que chega a assustar. Portanto, se pretendemos herdar o reino que nos foi preparado por Cristo, precisamos saber onde ficam os limites do nosso mover e existir; para não ultrapassarmos os mesmos, incorrendo no desagrado do Senhor. Pois jamais veremos a Deus, sem o cultivo da santidade que Ele nos propôs.
 
Leia este texto tão claro e objetivo: "Portanto, tornai a levantar as mãos cansadas, e os joelhos desconjuntados, E fazei veredas direitas para os vossos pés, para que o que manqueja não se desvie inteiramente, antes seja sarado. Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor; Tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem. E ninguém seja devasso, ou profano, como Esaú, que por uma refeição vendeu o seu direito de primogenitura. Porque bem sabeis que, querendo ele ainda depois herdar a bênção, foi rejeitado, porque não achou lugar de arrependimento, ainda que com lágrimas o buscou." (Hebreus 12:12-17). Como pode um cristão verdadeiro, ignorar sua proposta?
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 25 de março de 2015

Israel e Igreja estarão juntos


Estou a pensar no fato de que meu corpo, literalmente, fugiu da cama ainda no início da madrugada. Quando isto acontece, o lugar de oração é a próxima parada. Não sei se já aconteceu contigo, que me segue no blog ou no facebook (na ‎linha do tempo‬ ou na ‪fanpage); comigo, uma vez e outra acontece. Não havia uma razão objetiva para estar ali... Apenas o desejo de estar! Então... Pensei nas grande obras do Senhor! Deus, anterior à História e posterior a ela. Ele estava no alvorecer da criação e estará em sua consumação. Nem mesmo a eternidade o viu surgir; posto que é Pai da eternidade; não tem início, sendo Início de tudo! Aos Seus olhos, passado, presente e futuro não tem o mesmo sentido que para nós. Quão grande é o Senhor, digno de toda honra e glória! Ele é santo, eterno! Fiel para sempre é o nosso Deus!
 
Me aproximei timidamente, com louvor nos lábios e temor no coração. Pensei em Israel, povo nascido da entrega do homem Abraão; e pensei na Igreja, povo nascido da entrega do Deus Jesus! Como não estremecer, ante tais pensamentos? Israel e Igreja: Dois povos com história similar, destino idêntico; mas, vocações distintas. Glória a Deus! Israel e Igreja: Dois povos que caminham em linhas paralelas, que abençoam o mundo, que se unirão ao fim da missão distinta que temporariamente os separa. Israel e Igreja: Sinais proféticos de Deus à humanidade tão amada, doente, vivendo em um mundo sem remédio, condenado. Um e outro se tornarão um só, mas não agora. E quanto tudo terminar; patriarcas, profetas, sacerdotes, apóstolos, pastores, ovelhas estarão juntos no mesmo lugar: Perante Jesus, o Rei dos reis!
 
Neste texto percebemos o objetivo profético do endurecimento de Israel: "Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas para contigo, benignidade, se permaneceres na sua benignidade; de outra maneira também tu serás cortado. E também eles, se não permanecerem na incredulidade, serão enxertados; porque poderoso é Deus para os tornar a enxertar. Porque, se tu foste cortado do natural zambujeiro e, contra a natureza, enxertado na boa oliveira, quanto mais esses, que são naturais, serão enxertados na sua própria oliveira! Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado. E assim todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, E desviará de Jacó as impiedades. E esta será a minha aliança com eles, Quando eu tirar os seus pecados. Assim que, quanto ao evangelho, são inimigos por causa de vós; mas, quanto à eleição, amados por causa dos pais." (Romanos 11:22-28). Aleluia!
 
Quanto à Igreja, ela sucede o endurecimento de Israel; pois é o zambujeiro bravo enxertado na boa oliveira; formada pelos gentios redimidos no sangue de Jesus: "Portanto, lembrai-vos de que vós noutro tempo éreis gentios na carne, e chamados incircuncisão pelos que na carne se chamam circuncisão feita pela mão dos homens; Que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo. Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz, E pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades." (Efésios 2:11-16). Então, no futuro, Israel e Igreja estarão juntos perante o Deus eterno; quando finalmente, ligados em Jesus, serão um só povo!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 24 de março de 2015

Brinde, lágrimas e sorrisos


Ontem de manhã, na IMW de Village da Luz (4ª de Cachoeiro), Maria Célia ministrou para as mulheres e eu ministrei para os homens. Foi muito bom, termos tomado o café da manhã com todos aqueles irmãos. Todavia, a melhor parte veio depois, na casa pastoral; onde tivemos a oportunidade de almoçar com o Pastor Rafael, sua esposa Severina e seu filho Tiago. Foi um daqueles momentos, que sabemos como se inicia; mas nem sempre sabemos como termina... Severina abriu o coração e expôs feridas causadas por algo que eu disse a ambos - alguns anos atrás - lá em Tocantins. Tive rica oportunidade de lhe pedir perdão por seu prolongado sofrimento. Mas procurei demonstrar o conjunto de benefícios produzidos por aquele doloroso momento; que resultou em crescimento e frutificação para suas vidas. E a graça que ali se manifestou, nos brindou com lágrimas e sorrisos.
 
Ao sair dali, refleti sobre comunhão e proximidade... E me dei conta de que, muitas vezes, pela proximidade que mantemos com pessoas (da família, da igreja ou do próprio trabalho); podemos ferir ou mesmo ser feridos sem perceber; até ao ponto de ficarmos sangrando por muito tempo. Geralmente em ocasiões assim quem fere ou magoa esquece mais rápido do que quem é ferido. Todavia, mediante os laços de comunhão que conseguem resistir aos embates, podemos superar os maus momentos; e sair fortalecidos e revigorados de um magoativo confronto; até ao ponto de entender, e praticar ainda mais, o amor que devemos uns aos outros; sem deixar de renovar a comunhão que, muitas vezes, acaba por ser a primeira vítima do desgaste causado ante a proximidade vivida por aqueles que se amam. Enfim... Humildade e renúncia são essenciais no processo de cura e restauração.
 
Este texto troveja nas Escrituras: "Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e qualquer que disser a seu irmão: Raca, será réu do sinédrio; e qualquer que lhe disser: Louco, será réu do fogo do inferno. Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, Deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta. Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele, para que não aconteça que o adversário te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao oficial, e te encerrem na prisão. Em verdade te digo que de maneira nenhuma sairás dali enquanto não pagares o último ceitil." (Mateus 5:22-26). Realmente... Pedir e liberar perdão é remédio de múltiplas aplicações, na vida de qualquer cristão.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 23 de março de 2015

Me tornei menos eu


Enquanto me rendo um pouco mais ao Senhor; agradeço a Ele por Seu evidente cuidado para conosco; pelo modo como tem ungido e usado minha querida esposa Maria Célia Calegari; por me permitir conversar com pastores e esposas; enfim... Por estar aqui no Distrito de Guaçuí e poder fazer do closet do Pastor Marcelo Dias & Veronica Castro o meu lugar de oração. Procuro aproveitar o bom momento, para derramar perante o Senhor a minha súplica; pois orar a Deus proporciona a extensão da própria vida, na mesma medida em que expande o conhecimento dos valores agregados à fé bíblica. Me senti ainda menor do que sou; ao entender melhor a passiva resistência de Moisés, e suas ponderações perante a sarça, alegando total incapacidade para cumprir a nobre missão imposta.
 
Pensei em alguns dos poucos homens que, segundo minha avaliação, chegaram mais perto da sombra de Moisés; e percebi algo que um homem ou mulher de Deus só pode perceber ao longo do tempo de vida com o Senhor: Que jamais seremos dignos do chamado de Deus, para fazermos algo em Seu nome. Então chorei muito e me senti menor do que penso ser! Mas... Que interessante! Tal sentimento me trouxe uma indescritível sensação de prazer! Pois ali, no lugar de oração, senti que me tornei menos eu. E, na mesma proporção em que cresceu o sentimento de dependência; diminuiu a dimensão do ego e o sentimento de vaidade. Sei que nem todos perceberão a razão do meu prazer; mas... Como me senti bem! Só não gritei de emoção por ser madrugada! E, intercedi pela família, amigos e irmãos.
 
A Bíblia nos dá uma ideia clara da dimensão da graça e do amor de Deus. E este cântico apostólico de adoração nos ajuda entender um pouco mais a grandeza do próprio Deus: "Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Por que quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém." (Romanos 11:33-36). Todavia, por mais que cantemos belos cânticos de louvor e expressemos gratidão diária e constante ao Senhor; jamais conseguiremos entender plenamente, o quão maravilhoso é servir ao Deus único e eterno!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 22 de março de 2015

Babilônia sob juízo de Deus


Hoje de manhã, precisei levantar bem mais cedo para buscar a face do Senhor; pois, Maria Célia Calegari e eu, temos que viajar pela manhã, em visita ao Distrito de Alegre; e também estaremos no domingo, na 4ª IMW de Cachoeiro de Itapemirim (Village da Luz). Mas... Fiquei a pensar no foco dado, nestes últimos dias, à Babilônia. Será que as pessoas nunca entenderão que, enquanto buscam satisfação em Babilônia; os olhos do céu e o futuro risonho estão centrados em Jerusalém? Será que o mundo não conseguirá finalmente ver que um momento com Deus vale mil vezes mais do que os prazeres obtidos na orgia e na luxuria? Todavia, os crentes têm a obrigação de entender a diferença entre as duas cidades!
 
Quando será que os homens vão perceber que devem voltar seus olhos para Jerusalém; pois Jerusalém está situada bem acima do último andar do elevador do tempo; e que Babilônia, ao contrário, está bem abaixo do poço do abismo - passando pelo Hades - envolta nas chamas do lago de fogo?! Misericórdia!
 
A cada dia que passa, sinto as forças do inferno se agitarem e investirem com crescente fúria contra os escolhidos de Deus. Em assim sendo, preciso me preservar deste mundo mau, buscando renovar minhas forças na Palavra e na oração. Que o juízo de Deus é inevitável, isto já sei a muito tempo! Todavia, preciso resistir à tendência humana e carnal, com seu desejo pelas promoções e novidades encontradas no shopping center da crença e na feira das vaidades. Também, preciso me precaver dos ardis de Satã, dos assédios do mundo e dos anseios da carne; pois conspiram contra a minha vida com Deus, tentando me derrubar. Todavia, para esta sedução, o meu mais eficaz antídoto é a santa Palavra e o Espírito Santo.
 
Este texto da Bíblia diz quase tudo sobre esta cidade perdida:
 
"E depois destas coisas vi descer do céu outro anjo, que tinha grande poder, e a terra foi iluminada com a sua glória. E clamou fortemente com grande voz, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia, e se tornou morada de demônios, e coito de todo espírito imundo, e coito de toda ave imunda e odiável. Porque todas as nações beberam do vinho da ira da sua fornicação, e os reis da terra fornicaram com ela; e os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias. E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas. Porque já os seus pecados se acumularam até ao céu, e Deus se lembrou das iniquidades dela."
(Apocalipse 18:1-5)
 
Todavia, isto é tudo o que precisamos saber sobre Babilônia!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari