sexta-feira, 17 de março de 2017

Para os religiosos ingênuos

A imagem pode conter: céu, nuvem e texto

Levantei bem mais cedo para orar... Sim! E por que não? Se sobram motivos de oração! E se algum crente tem dúvida, quanto ao dever de buscar a face do Senhor; eu sugiro que dê uma olhadinha pela janela para o mundo... Quanta maldade! E, como se não bastasse o estado em que as pessoas (até muitos amigos e familiares nossos) estão levando sua vida; é só observar o recrudescimento das obras de satanás. O diabo tem dominado grande parte dos seres humanos (alguns deles, mais parecendo humanoides). Blasfêmia, ambição, jogos assassinos, drogas, decadência moral. Creio que o fim está chegando.

Para os religiosos ingênuos (os que pensam que a religião é capaz de melhorar o ser humano); eu afirmo que a religiosidade - quando destituída do amor de Jesus - se torna mentora de muitos desatinos praticados em nome de suas inúmeras formas de crença (budismo, islamismo, hinduísmo, espiritismo, animismo, paganismo, satanismo... E até alguns grupos cristãos); de uma religiosidade sem compromisso com os valores espirituais e morais ensinados pela Bíblia sagrada. E assim, vemos crescer males antigos, como a feitiçaria e a idolatria. Enfim; precisamos orar e levar a mensagem, enquanto ainda é dia.

Este texto denuncia muitos males de hoje: "Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te." (2 Timóteo 3:1-5). Portanto, nós cristãos, precisamos orar e vigiar! Pois, estes dias são maus.

Esta canção de Adhemar de Campos promoveu belos e edificantes momentos:
https://youtu.be/78LJZtB1KiY

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário