segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Divino fim proposto

A imagem pode conter: texto e natureza

Hoje senti necessidade de buscar reforço no Senhor, para poder lidar com sentimentos que tentam se infiltrar no 'santuário de Deus' existente em nós (muitos já devem ter passado por algo assim). Ao orar, veio ao meu espírito que a dor e o sofrimento, foram sempre os responsáveis diretos pelas mais belas canções e poesias. Então, pedi ao Senhor que me ajude a transformar algumas dores sofridas em julho de 2015, em instrumentos - de louvor a Deus e edificação aos homens; pois, creio que elas já cumpriram em minha vida, sua finalidade de me aprimorar e amadurecer. Ao orar com esta finalidade, senti doce paz.

Acredito ser esta, uma das finalidades da oração: Buscar suporte às dores e aflições que a vida nos reserva. O Pastor Silmar Coelho, em um de seus livros, nos encoraja a transformar lágrimas em vinho; e isto é biblicamente possível, quando nos abrigamos no esconderijo do Altíssimo e descansamos à sombra do Onipotente. Uma antiga canção nos ensina que "não há dor que seja sem divino fim"; portanto, precisamos encontrar o divino fim proposto nas provações intensas; para não sermos dominados pelo gérmen do ressentimento e da amargura (estado em que muitos crentes vivem). E isto, só com oração!

A Palavra diz que "toda a correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela. Portanto, tornai a levantar as mãos cansadas, e os joelhos desconjuntados, E fazei veredas direitas para os vossos pés, para que o que manqueja não se desvie inteiramente, antes seja sarado. Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor; Tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem." (Hebreus 12:11-15). Louvado seja o Senhor!

Aleluia! Perdi a conta, das vezes que cantei este antigo hino:
https://youtu.be/HdGyHfEpB60

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário