quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Devocional costumeira

A imagem pode conter: texto

Algumas vezes, nossa devocional costumeira sofre alterações não previstas (as vezes, pra melhor; as vezes, pra pior). Hoje mesmo, o meu momento de oração foi alterado sem que eu sequer me desse conta. Todavia, importa que nossa vida de oração seja preservada, pois disto vai depender o resto do nosso dia; ou mesmo, o restante de nossa vida. Enquanto eu orava, senti que minha mente tentava desenvolver atividade paralela; mas, não aceitei e reagi no espírito; então, consegui focar o alvo de minha súplica. Glorificado seja Deus!

Tenho me esforçado para perseverar em oração; embora isto seja sempre dificultado por nossa natural tendência à abstração. Porém, não devemos esmorecer; pois orar revitaliza nosso homem interior, abrindo horizontes a serem explorados pelo mesmo. De quando em vez, me surpreendo ao ver bons crentes "ciscando" na superfície do terreno em que vive, tentando encontrar algo interessante no lixo existente a sua volta. E, assim agindo, nem percebem que devem é garimpar; pois nosso real tesouro está nas profundezas do Senhor.

Ao lermos este texto, vemos que ele dá a ideia daquilo que eu quis dizer: "Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Por que quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém." (Romanos 11:33-36). Pois é nas profundezas de Deus que está nossa riqueza.

Glória a Deus! Louvo ao Senhor por esta canção:
https://youtu.be/KzvR1sG1YmY

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário