domingo, 31 de janeiro de 2016

Me senti fortalecido


Hoje acordei pensando, no quão vulneráveis somos... Pois, o ser humano se engana ao pensar que, simplesmente ignorando as ameaças que o rodeiam no dia a dia, estará livre delas. Será ele tão ingênuo, ao ponto de não perceber que tanto pode ser vítima das ameaças gigantescas que pairam sobre ele; como pode ser afligido por várias ameaças microscópicas, invisíveis aos olhos? Afinal, estando em áreas infestadas ou afetadas; como pode alguém ter certeza de escapar de um terremoto, de um tsunami; ou... De uma carga de radiação ou de um vírus letal? Portanto, ai do homem que confia em si mesmo; ou, que confia nos seus amigos e nos bens que possui. A Palavra de Deus nos assevera que a carne é fraca. Como, então, podemos confiar nela?

Enquanto assim pensava; fui confortado com a presença e a promessa do Senhor... E me senti fortalecido. Afinal, se a Bíblia diz que maldito é o homem que confia no homem; ela também diz que bendito é o homem que confia no Senhor! Aleluia! Então, não devo perder a fé nos homens; mesmo ciente de que são frágeis, imperfeitos. Todavia, minha confiança deve ser posta inteiramente no Senhor; pois dele vem o meu socorro e provisão. E não digo isto por pressentir algo mal ou perverso da parte daqueles que me rodeiam. Não mesmo! O que senti foi o desejo de aqui expressar a minha plena convicção, de que devo amar às pessoas sem ignorar seus defeitos; porém, confiança plena, devo depositar somente no Senhor Jesus que me amou e salvou.

Gosto muito de meditar em textos, como este; para entender a real importância da confiança no Senhor: "Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor! Porque será como a tamargueira no deserto, e não verá quando vem o bem; antes morará nos lugares secos do deserto, na terra salgada e inabitável. Bendito o homem que confia no Senhor, e cuja confiança é o Senhor. Porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto." (Jeremias 17:5-8). E o salmo primeiro nos oferece um conteúdo bem similar a este.

Ouço, nesta canção do Anderson Freire, o clamor por socorro - pleno de carência e contradição - do ser humano, vulnerável e incapaz:
https://youtu.be/Y8QWKwo5Vw8

Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 30 de janeiro de 2016

Discernimento capaz


Não conheço melhor fonte do que aquela que corre do trono de Deus e que sempre passa pelo lugar de oração. Portanto, nossa prostração perante o Senhor deve ser frequente e perseverante. Afinal, como beber desta fonte sem orar; e como crescer espiritualmente, sem beber desta fonte? Assim, nesta madrugada, agradeci ao Senhor por me manter sob a graça que me salva e a unção que me valida. Aleluia! E também, por me dar entendimento sobre esta tão importante cobertura; pois, devido ao mistério inerente ao agir de Deus; nós os seres humanos, temos a tendência de confundir a origem daquilo que, neste mundo, nos torna relevantes. E assim, por não entender este mistério; é comum fazermos atribuições e julgamentos equivocados.

Realmente... Por falta de entendimento; é tão comum atribuirmos à Deus, coisas que são do diabo; e ao diabo, coisas que são de Deus. Eu explico: Quantas vezes - ao obtermos uma vantagem que é claramente errada - nos apressamos em dizer que foi Deus quem deu. E, de igual modo, é comum alguém - ao ser provado ou corrigido por Deus - dizer que é o diabo quem o está fazendo sofrer. Ah... Também costumamos atribuir ao homem, coisas que Deus fez. Pois é; tais coisas acontecem devido à falta de entendimento. Então, ainda prostrado, pedi a Deus que me dê um discernimento capaz de distinguir corretamente a causa e origem de certas coisas que acontecem comigo. E saí do lugar de oração, na certeza de ter sido atendido pelo Senhor. Aleluia!

Creio que este texto explica tudo aquilo que eu quis dizer:

"Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus. Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus. As quais também falamos, não com palavras que a sabedoria humana ensina, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais. Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido."
(1 Coríntios 2:11-15)

Portanto, precisamos avaliar as coisas com a mente de Cristo.

Creio que esta canção do Grupo Logos, também ajuda a entender o que eu quis dizer: https://youtu.be/5olR2uaI1Vo

Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Com Abraão foi assim


Nas últimas horas, tenho pensado em Abraão... Como tenho sido edificado! Afinal, se trata de uma vida pautada na vontade de Deus! Enquanto a fé de tantos, em seu tempo, os afastaram do Deus vivo, os levando à inúmeros deuses e demônios; a fé de Abraão o manteve no propósito de Deus. É uma bênção, quando nossa fé se deixa tanger e guiar pelo caminho da verdade sagrada. Com Abraão foi assim: Teve sua vida mantida e ordenada pela fé na Palavra de Deus. Então, feliz é a vida que se deixa conduzir em sua fé, à presença de Deus, pelo Seu Espírito. Deus chamou Abraão a sair de sua terra, de sua nação, de sua tenda... E ele sempre obedeceu a voz de Deus.

Na vida, corremos grande risco quando saímos, de algum lugar, por nossa própria conta. Todavia, o risco não é menor quando deixamos de sair em obediência à voz de Deus. Abraão e Elias... Ambos foram exortados a sair: Abraão, de sua tenda onde estava descansando; Elias, da caverna em que estava se escondendo. Em ambos os casos - por razões diferentes - dois homens de Deus foram chamados à sair para fora. Em ambos os casos, a voz de Deus prevaleceu sobre o desejo humano. Então, não pude deixar de agradecer a Deus, pelas vezes em que fui chamado a obedecer; e a sair... Enfim, louvei a Deus, por Seu chamado ter prevalecido sobre a minha vontade.

Pense nisto: "E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições. Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados. Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido, E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus. Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra." (2 Timóteo 3:12-17). Amém!

Este é um bom momento para ouvir e meditar nesta canção:
https://youtu.be/mIWxPgGnVFU

Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Lágrimas de gratidão


Enquanto eu me prostro, no mesmo lugar em que tantas vezes orei, aqui em Belo Horizonte; vem ao meu espírito esta palavra dita por João Batista: "O homem não pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do céu." (João 3:27). Esta lembrança me conduziu a buscar de Deus direção para os meus passos. Estou convencido de que cada minuto diante do Senhor, vale por uma hora inteira de esforço para obter alguma coisa útil e proveitosa. Talvez seja esta a razão pela qual um obreiro, com pequeno esforço, consegue fazer tanto; ao passo que muitos, mesmo dispendendo grande esforço, não chegam a alcançar resultado positivo. Como senti segurança nesta reflexão!

Aproveitei para empregar bem o meu tempo na presença do Senhor... E procurei orar por minha pequena casa e por Seu grande povo. E na oração, pedi que guarde os que são Seus, das paixões infames e doentias; e que nos guarde, a todos, do mal de cada dia. Também pedi, que nos ajude a valorizar e multiplicar as coisas, que do céu nos foram dadas; e que não esmoreçamos em nossa finalidade serviçal. Senti correrem lágrimas, pelo canto dos olhos... Todavia, não senti dor ou sofrimento enquanto elas escorregavam de mansinho pelas maças do meu rosto. Foi quanto entendi que, na verdade, aquelas eram lágrimas de gratidão liberadas por meu coração.

Este salmo sempre me edificou:

"Bem-aventurado o homem cuja força está em ti, em cujo coração estão os caminhos aplanados. Que, passando pelo vale de Baca, faz dele uma fonte; a chuva também enche os tanques. Vão indo de força em força; cada um deles em Sião aparece perante Deus. Senhor Deus dos Exércitos, escuta a minha oração; inclina os ouvidos, ó Deus de Jacó! (Selá.) Olha, ó Deus, escudo nosso, e contempla o rosto do teu ungido. Porque vale mais um dia nos teus átrios do que mil. Preferiria estar à porta da casa do meu Deus, a habitar nas tendas dos ímpios. Porque o Senhor Deus é um sol e escudo; o Senhor dará graça e glória; não retirará bem algum aos que andam na retidão. Senhor dos Exércitos, bem-aventurado o homem que em ti põe a sua confiança."
(Salmos 84:5-12)

Como me faz bem meditar nele!

Jamais saberia quantas vezes cantei esta canção com a igreja:
https://youtu.be/Xv0_RDVIK9w

Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Vejo crentes se queixarem


Sempre que penso na vida cristã, imagino a diversidade de circunstâncias e desafios que orbitam ao redor de um filho de Deus. A Bíblia sagrada fala de um caminho estreito, difícil de ser percorrido; que - tal e qual uma rodovia - é marcado por trechos perigosos, ao longo de toda a sua trajetória. Portanto, não devemos ficar surpresos com algumas situações desfavoráveis que, as vezes, surgem pela frente; pois isto faz parte da jornada de um cristão. Na verdade, as curvas perigosas e os trechos que exigem maior atenção, estão muito sinalizados na caminho da vida; de tal modo, que qualquer pessoa - até mesmo uma criança - pode ver; todavia, é preciso crer na Palavra de Deus.

Vejo com frequência, crentes se queixarem das injúrias e decepções que sofrem - até mesmo causadas por amigos e familiares - como se isto fosse algo incomum. Alguns servos de Deus ficam tão abatidos com tais situações que chegam à beira do desânimo; como se sua vida perdesse o sentido. É como se desconhecessem o que Jesus disse, nesta exortação envolta em promessa: "Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." (João 16:33). Esta palavra da parte do Senhor, está em vigor na vida de qualquer crente; e não é preciso nem ser um estudioso ou profundo conhecedor da Bíblia para entender isto.

Medite nesta maravilhosa palavra: "Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai. O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados. Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada." (Romanos 8:15-18). Ela diz muito sobre o sentido, das lutas e provas aqui sofridas.

Vamos ouvir, mais uma vez, esta linda canção entoada por Giselli Cristina:
https://youtu.be/_AOK_aSiDmo

Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Alegria sem excesso


Manhã abençoada, de uma segunda-feira que se apresenta propícia... E o meu espírito se apresentou perante o Pai eterno. Glória a Deus! A tônica predominante foi adoração. Que bênção! Senti que adoração fluiu até pelos meus poros. Logo em seguida, com igual intensidade, veio gratidão. Aleluia! Enquanto eu orava, ao som do riacho que corre do outro lado da rua em que moro (embora a passagem de suas águas entre as pedras emita um som de uma só nota, gosto de ouvir sua canção de louvor); agradeci ao Pai, por poder adorar com entendimento, voluntariedade e alegria; pois, Ele me deu ouvidos aptos, mente lúcida e língua desembaraçada. Sei que Ele é tão bom, que a falta de um dos sentidos é sempre compensada com a evolução dos demais. Todavia; sou grato por ter todos os meus sentidos funcionando.

Estando em oração, fui tomado por alegria sem excesso... Dosada com uma atitude de avaliação. Pensei naquilo que o Senhor tem feito em meu favor; e no modo como tem cuidado de minha pequena casa; guardando-a do mal, do passado e do presente; e sinalizando proteção para os dias vindouros. Bem sei que, enquanto o mundo gira em torno de si mesmo, Sua graça nos circunda... Como um halo brilhante, somente visível pela fé; pois à vera fé, tudo é possível! E Jesus testifica disto, ao declarar que "tudo é possível ao que crê." (Marcos 9:23). Ontem, em pleno culto, Maria Célia pediu a palavra; para testemunhar que Deus lhe disse algo, que edificou toda igreja; mas ela disse apenas parte daquilo que ouviu (nem comigo ela falou sobre tudo que ouviu). E a alegria do Senhor prevaleceu em todo o culto!

Em meu ministério, este é um dos textos sobre os quais mais preguei. E, cada vez que preguei sobre ele, senti a unção inerente à esta poderosa história: "E levantou-se grande temporal de vento, e subiam as ondas por cima do barco, de maneira que já se enchia. E ele estava na popa, dormindo sobre uma almofada, e despertaram-no, dizendo-lhe: Mestre, não se te dá que pereçamos? E ele, despertando, repreendeu o vento, e disse ao mar: Cala-te, aquieta-te. E o vento se aquietou, e houve grande bonança. E disse-lhes: Por que sois tão tímidos? Ainda não tendes fé? E sentiram um grande temor, e diziam uns aos outros: Mas quem é este, que até o vento e o mar lhe obedecem?" (Marcos 4:37-41). Como é bom saber, que o nosso Deus enviou Seu Filho ao mundo; e que a própria natureza reconhece sua autoridade e poder.

Como é bom ouvir e cantar esta canção, aqui entoada pela Comunidade Evangélica de Maringá:
https://youtu.be/wOzj2OI_KPU

Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

A cruz é remédio


Nesta madrugada, tenho pensado na dor como componente da vida. E não penso apenas na dor física; mas, na dor moral e na dor espiritual... Ambas tão magoantes, como as que sofremos em nosso físico. Existe também a dor por afinidade (aquela que um cônjuge sofre pelo outro; ou que os pais sofrem por seus filhos). Sei de pessoas que sofrem dores crônicas, que as acompanham ao longo da vida (dores traumáticas, dores nervosas, dores psíquicas); enfim... Não é difícil perceber que as dores caminham junto com a vida, como um de seus componentes. Já tenho até chorado por dores alheias; e posso dizer que elas doem tanto como as nossas próprias dores.

Enquanto reflito sobre isto, sou confortado com a Palavra do Senhor; que nos consola ao dizer que, na cruz do calvário, Jesus levou sobre si, tanto as nossas dores como os nossos pecados. Portanto, se dor é castigo, a cruz é remédio. Aleluia! Pois, nela, Jesus curou nossas feridas e absolveu nossas culpas. Glória a Deus! Considero sobremodo importante o fato, que Jesus tinha plena consciência do motivo de Sua ida à cruz; e que, ao percorrer a via dolorosa, sabia perfeitamente que suas chagas iriam sarar as nossas dores. Quão grande amor de Deus por nós! Capaz de dar o Seu próprio filho para morrer a nossa morte e nos dar a vida eterna, que agora podemos desfrutar.

Este texto bíblico nos traz um grande conforto:

"Porque é coisa agradável, que alguém, por causa da consciência para com Deus, sofra agravos, padecendo injustamente.Porque, que glória será essa, se, pecando, sois esbofeteados e sofreis? Mas se, fazendo o bem, sois afligidos e o sofreis, isso é agradável a Deus. Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas. O qual não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano. O qual, quando o injuriavam, não injuriava, e quando padecia não ameaçava, mas entregava-se àquele que julga justamente; Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados."
(1 Pedro 2:19-24)

Ele demonstra a eficácia do sacrifício de Cristo.

Como faz bem ao coração ouvir esta canção - "Pão da Vida" - entoada por Nélson Ned:
https://youtu.be/Q5ID69MEBMM

Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 24 de janeiro de 2016

Em busca de renovação


Madrugada fria em Petrópolis; que não me impediu de me render aos pés do Senhor em oração. O meu espírito foi em busca de renovação (onde encontrarei melhor renovo, que na Fonte que concede boa dádiva e dom perfeito?). Enquanto eu orava, fiz menção da fragilidade humana, visível até em Seus melhores servos. Então, senti que, conjunto de santas intenções, ou envólucro de santidade, não e suficiente para guardar alguém que não permanece em constante vigilância. Aí, cresceu dentro de mim a admiração que nutro pela vida de José, que recusou os afagos da esposa infiel de um marido ausente; e de Daniel, que recusou as iguarias da mesa impura de um governante impotente. Precisamos saber onde e quando dizer não!

Ainda prostrado aos pés do Senhor, louvei a Deus, por homens e mulheres que se dedicam à causa santa; sem se descuidarem da oração e vigilância. Ainda que ninguém perceba sua importância no reino de Deus; ou, que sua vida se mova discretamente entre aqueles a quem servem; no entanto, são olhados e amados pelo Senhor de um modo especial. E os que procedem deste modo, são aqueles sobre os quais Deus pode dizer a Satã, o mesmo que disse sobre um antigo servo: "Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal." (Jó 1:8). Vidas assim podem até gerar inveja no coração dos que desejam ser o que elas são; mas... Sem pagar o preço!

Na verdade, a inveja de seus irmãos, levou José ao exílio e escravidão: "Então lhe disseram seus irmãos: Tu, pois, deveras reinarás sobre nós? Tu deveras terás domínio sobre nós? Por isso ainda mais o odiavam por seus sonhos e por suas palavras. E teve José outro sonho, e o contou a seus irmãos, e disse: Eis que tive ainda outro sonho; e eis que o sol, e a lua, e onze estrelas se inclinavam a mim. E contando-o a seu pai e a seus irmãos, repreendeu-o seu pai, e disse-lhe: Que sonho é este que tiveste? Porventura viremos, eu e tua mãe, e teus irmãos, a inclinar-nos perante ti em terra? Seus irmãos, pois, o invejavam; seu pai porém guardava este negócio no seu coração." (Gênesis 37:8-11). Todavia, não impediu o propósito de Deus em sua vida.

Achei por bem encerrar este período ouvindo esta bela canção entoada por Aline Barros:
https://www.youtube.com/watch?v=PsdOFECO62Y

Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 23 de janeiro de 2016

Quando Deus nos fala


Estou pensando na linda experiência que tive nesta manhã... Ainda cedo o Senhor começou a falar comigo, nas profundezas do meu espírito, antes que eu estivesse orando. Realmente, algo incomum! Louvo a Deus por Seu grande amor! Tenho aprendido, em minha jornada como servo do Senhor, que quando Deus nos fala; ou é para pedir algo; ou para dar algo; ou, então, para nos advertir. Mas nesta manhã, foi para me dar algo... Aleluia! Não algo para o meu próprio proveito; mas, sim, para a edificação de Seu povo. E que ninguém me pergunte como ou por que Deus falou! Eu não saberia responder, sabendo que não tenho dignidade para estar em Sua Presença... Sei que sou pequeno demais! Então... O que mais posso dizer; a não ser dar-lhe louvor e ações de graças. Glória ao Deus eterno!

Estou plenamente convencido, de que aquilo que o Senhor me falou tem tudo a ver com o meu trabalho ao longo deste ano que mal se inicia. Aproveito, para dizer que tenho andado com Deus tempo suficiente para saber que, nesta vida, existem duas coisas que se sobrepõem às demais coisas: Vida com Deus e vida com a família. O servo de Deus Josué resumiu muito bem esta relação, ao dizer: "Eu e a minha casa serviremos ao Senhor." (Josué 24:15). Que testemunho, deste guerreiro chamado Josué! Que comprometimento! Sou grato pela vida deste homem de Deus, que deixou tão importante legado. Na verdade, um homem de Deus é homem de família. Portanto, o modo como lidamos com nossa família - mesmo não dizendo tudo - diz muito sobre o modo como tratamos nossa vida com Deus.

Este texto sempre me atraiu: "E, se o Espírito daquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dentre os mortos ressuscitou a Cristo também vivificará os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita. De maneira que, irmãos, somos devedores, não à carne para viver segundo a carne. Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus esses são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai. O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus." (Romanos 8:11-16). Textos assim me comprometem!

Sugiro ouvir esta canção - "Lugar seguro" - entoada por Aline Barros:
https://youtu.be/Zp0lUIIii1U

Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Orando por mim mesmo


Nesta madrugada, enquanto eu orava; de repente me dei conta que gastei uma boa parte do tempo orando por mim mesmo... Pedindo a Deus que me guarde em meio às dores e ofensas sofridas; e que me guarde daqueles sentimentos impróprios que estão sempre à espreita, esperando brecha para poderem se infiltrar em nosso interior. Neste momento, o Senhor me fez entender que Ele tem me guardado; mas, me fez saber que a guarda do meu coração é algo de minha responsabilidade. Portanto, me cabe manter a integridade do meu coração e dos meus pensamentos, descartando fatos e ofensas que possam comprometer meu espírito. Senti paz neste momento.

Na verdade, em meio a oração, tentei lembrar os muitos motivos de louvor... Não consegui me lembrar de todos (quem conseguiria?). Então, passei a interceder por cristãos espalhados pelo mundo inteiro; muitos deles, sob perseguição atroz, feridos e humilhados por seus algozes. E pedi ao Senhor que os guardasse de um mal maior do que suas dores sofridas; que é a ruína da sensibilidade espiritual. Dano este, que pode nos levar a perder o espírito de perdão e de compaixão; dando então lugar ao espírito de ressentimento e de amargura. Prostrado, agradeci a Deus por ter me guardado até aqui; e adorei ao Pai que me deu vida e paz em Seu Filho Jesus, o Senhor!

A Palavra de Deus é fiel: "Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus. Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai. O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei; e o Deus de paz será convosco." (Filipenses 4:6-9). Ela a tudo responde!

Recomendo ouvir até o fim, está linda canção do Adhemar de Campos:
https://youtu.be/fTtvs1RJwzc

Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Senti o favor do Senhor


Graças a Deus, senti o favor do Senhor logo nas primeiras horas do novo dia, que ainda cobre a terra com este manto escuro chamado noite. Tenho procurado aproveitar bem, momentos como este. Glória a Deus! Tenho plena consciência de que o Senhor mantém nossa vida em seu curso; e que envia o brilho de Sua glória, para banhar nosso mundo de luz e calor. E não me refiro à luz do sol, nem à luz artificial criada pela engenhosidade humana; e sim, à luz e calor de Sua presença entre nós, pelo Seu Espírito que envolve a terra. Tenho plena convicção, que o Seu Filho Jesus foi enviado ao mundo para "buscar e salvar o que se havia perdido." (Lucas 19.10). É bênção gloriosa!

Em dias assim, em que o céu parece estar mais perto; podemos aproveitar para buscar algumas respostas; e também, pra renovar e fortalecer nossa aliança com o Senhor. Nesta manhã (ainda escura), tenho entoado esta canção de louvor que cai muito bem em meu espírito: "Render a ti, adoração E derramar meu ser; É o que meu coração deseja toda manhã. Te imaginar, é me inspirar Pra te dizer: Estou apaixonado cada vez mais por ti! Senhor Tu és incomparável! Teu Nome é maravilhoso! Leva-me alem, Leva-me alem, A um nível mais profundo De intimidade contigo ó Senhor! Leva-me alem, Leva-me alem, Que minha a vida flua mais da tua unção mais do teu poder."

Sempre que medito neste texto bíblico, aprendo um pouco mais sobre a grandeza de Deus: "Porque Deus encerrou a todos debaixo da desobediência, para com todos usar de misericórdia. Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Por que quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém." (Romanos 11:32-36). É que este texto traz ao espírito adorador, um maior conhecimento sobre Deus.

Na verdade, tenho experimentado um deleite especial através desta canção entoada pelo "Toque no Altar":
https://youtu.be/LfLdw5i2aFE

Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Se quisermos vencer


Existem dias, em que a inspiração chega mais tarde; como se dormisse um pouco mais do que aquele a quem pretende motivar. Estou convencido de que isto acontece com toda gente. Todavia, os desafios do dia a dia são de uma pontualidade britânica... E marcam sua presença, mesmo quando nos sentimos despreparados para lidar com eles. São aqueles dias, em que nos sentimos sós; nos quais, o sobrenatural parece estar ausente; e os amigos parecem estar mais distantes. No entanto, Deus sempre se faz presente, quando alguém quebrantado e contrito se dispõe a orar. Já perdi a conta, dos dias em que me senti deste modo - como uma pequena ilha em pleno oceano e um pequeno oásis no meio do deserto; todavia, tenho a promessa da presença de Deus. Assim eu penso e creio! E isto, pra mim, é bastante!

Dias assim, tornam mais penosa a jornada até o lugar de oração; como se este santo lugar estivesse no topo da mais alta montanha. São dias, em que toda e qualquer atividade de oração se torna um pesado esforço. Talvez por isto, tantos desistam de orar. Me vem à lembrança a presença de Jesus no Getsêmani -  lugar bucólico, convidativo à oração - todavia, palco de grande batalha travada pelo Senhor, para permanecer em oração (Marcos 14.32-34). Assim, neste texto bíblico, vemos Jesus travar a luta que anteciparia sua vitória na cruz. Portanto, ele revela que foi necessária a oração do Getsêmani, para que houvesse a vitória do Calvário. E assim, se quisermos vencer precisamos orar... E isto implica em fazer sacrifício; pois existem dias que são favoráveis e dias que são desfavoráveis à oração.

Jesus orou em um dia mau: "E foram a um lugar chamado Getsêmani, e disse aos seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto eu oro.E tomou consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, e começou a ter pavor, e a angustiar-se. E disse-lhes: A minha alma está profundamente triste até a morte; ficai aqui, e vigiai. E, tendo ido um pouco mais adiante, prostrou-se em terra; e orou para que, se fosse possível, passasse dele aquela hora. E disse: Aba, Pai, todas as coisas te são possíveis; afasta de mim este cálice; não seja, porém, o que eu quero, mas o que tu queres. E, chegando, achou-os dormindo; e disse a Pedro: Simão, dormes? não podes vigiar uma hora? Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca." (Marcos 14:32-38). Devemos orar sempre!

Glória a Deus! Como me faz bem ouvir esta canção entoada por Beatriz Andrade:
https://youtu.be/nLgOx-mzgrc

Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Pensando no amor de Deus


Que bom! Acordei pensando no amor de Deus por nós. Realmente... Não há como mensurar este tão grande e profundo amor! A maioria das pessoas (dentre as quais eu me incluo) que procuram salvação, paz e descanso no Senhor Jesus; não teriam a menor chance de obter estas dádivas, caso o amor de Deus não agisse em seu favor. Na verdade, o pecado de cada um de nós já nos teria reduzido a pó; sem o amor de Deus que nos entregou o Seu Filho e sacrifício de Cristo que promoveu o nosso resgate. Ainda que tal ato de amor nos tenha contemplado com redenção eterna; a grande maioria dos homens continua respondendo ao Senhor com rejeição. Lamentável.

Sempre que penso no amor de Deus por nós; penso também no quanto os seres humanos perdem por não se renderem a este amor tão vasto. Para aqueles, que a ele se rendem gratos e submissos, este amor contempla com bênçãos, sem medida que se estendem pela vida terrena abrangendo família, negócios e relacionamentos; e se consumam na eternidade, com vista privilegiada do lugar de delícias para nós preparado. Porém, aos que o recusam, fica terrível sensação de inexplicável vazio, com desdobramentos confusos e conflitantes na vida familiar e moral, indicando que o futuro será bem pior. Enfim, se o Dom do amor de Deus é glorioso; sua recusa é trágica.

Que amor tão grande nos foi concedido: "E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, E a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Porque apenas alguém morrerá por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém ouse morrer. Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores." (Romanos 5:3-8). Este é o amor de Deus por nós!

Em certas ocasiões, me surpreendo a mim mesmo cantando esta bela canção entoada por Ozeias de Paula:
https://youtu.be/8lDidhDIjQg

Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Este tempo está findando


Ao orar nesta madrugada, senti assustado o juízo de Deus sobre a nação brasileira... Algo que já me havia sido mostrado desde o fim do ano de 2014. Todavia, desde então, as atitudes - de governantes e governados - só piora. Vemos o governo desta nação desprezar Israel e abraçar os seus inimigos; desprezar a Palavra de Deus e abraçar leis injustas; desprezar a causa do indefeso e desviar recursos desta pobre/rica nação. E usam seus artifícios, para enganar os que ignoram suas manobras e seduzir a quem se beneficia com elas. Enfim, o povo arca com suas dores... Enquanto seus governantes, legisladores e magistrados vivem encastelados, distantes de suas aflições.

Enquanto eu orava, percebi que o juízo de Deus se estende aos líderes religiosos desta nação... Muitos dos quais profanam símbolos sagrados (judeus e cristãos), com a finalidade de arrecadar dinheiro e mais dinheiro... Enquanto, em contrapartida, contaminam a fonte em que o povo procura saciar sua sede da Palavra de Deus. E, os que assim procedem, estão se distanciando dos reais interesses daqueles que são por eles apascentados. E eu me pergunto: Até quando? E a resposta seria óbvia, caso não fosse profética: Até que o cálice da ira transborde! Enfim; sou admoestado pela Palavra, a orar e trabalhar enquanto é dia; pois, os sinais demonstram que este tempo está se findando.

Este é um tempo de sofrimento e engano:

"Por isso, amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz. E tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada; Falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição. Vós, portanto, amados, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que, pelo engano dos homens abomináveis, sejais juntamente arrebatados, e descaiais da vossa firmeza; Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém."
(2 Pedro 3:14-18)

Que o Senhor nos guarde neste tempo!

Me lembro da sentimento provocado em meu espírito, quando ouvi este hino pela primeira vez:
https://youtu.be/rEQ9vtjfzx0

Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 17 de janeiro de 2016

Me causa espanto


Estou preocupado com o nível de maldade a que este mundo chegou... É assustador o estado de desordem e degeneração que se vê na conduta, no pensamento, nas crenças e nos relacionamentos que os seres humanos estão desenvolvendo em nossos dias. É lógico, isto não se refere a todos; pois, se assim fosse, não haveria mais civilização. No entanto, me inquieta o número cada vez menor, daqueles que se pautam sobre valores e tradições aceitáveis; e que procuram se guardar da corrupção do mundo. Olhando à nossa volta, deparamos com distorções; e de tal modo, que estão tirando a inocência das crianças, adulterando as visões dos jovens e desfigurando os sonhos dos velhos. E digo, não nego! Que me causa espanto o que ainda vem por aí.

O que me traz conforto é saber que a Igreja do Senhor Jesus está presente no mundo, exercendo sua função de sal e luz. Ela tem a missão de viver e pregar a Palavra de Deus à uma geração sem futuro, que navega em um barco sem rumo, correndo o risco de naufragar no grande mar da história. O grande perigo que a Igreja corre é com a onda de conformismo e com as mutações decorrentes do mesmo. É, meus irmãos... Vivemos um tempo de engano; o qual promove o princípio de dores, antes que venha a grande tribulação. Portanto, nesta dispensação, não devemos esperar paraíso na terra; nem abrandamento das provações que nos sobrevêm; pois o quadro profético não indica isto; nem mesmo, algo que seja parecido com isto. Maranata!

Estou entre aqueles que acreditam, que esta profecia não está longe de se cumprir: "Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver. E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias. Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui, ou ali, não lhe deis crédito; Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. Eis que eu vô-lo tenho predito." (Mateus 24:21-25). Na verdade, são várias as profecias bíblicas, quanto ao tempo do fim. Elas estão distribuídas entre o Antigo e o Novo Testamento.

Sempre fui um admirador do Élson Rodrigues, o "cantor do apocalipse". Este é um de seus hinos:
https://youtu.be/ocSaQnm-PPg

Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 16 de janeiro de 2016

Deixar de orar nunca


Sempre que um cristão se dispuser a orar; inúmeras forças, sob os mais variados pretextos, procurarão impedi-lo. Algumas dessas forças serão de cunho hostil; dispostas a bloquear, por todos os meios, o nosso caminho em direção ao lugar de oração. Mais também soarão vozes amigas que, sem se darem conta, tentarão nos demover de orar a Deus. Algumas vezes, a voz amiga que questiona nossa ida à oração, até poderá ter alguma razão... Me refiro aos que não conseguem dosar suas ocupações, entre afazeres e devoções; os quais deixam de cumprir obrigações, sob a alegação de que vão orar. Aos tais, eu digo: A vida de um crente que ora, transpira oração até quando trabalha. Todavia, deixar de orar usando o trabalho como pretexto é errado.

Quando mantemos uma jornada normal de oração, independente  do tempo gasto ou dos períodos utilizados; a nossa vida de oração se estenderá, tal e qual um manto, sobre as diversas atividades que nos ocupam ao longo do dia. Isto tem acontecido comigo... Algo, como sensação de que o meu local de trabalho se transformou em lugar de oração. Mas não devemos inverter esta ordem; até ao ponto de substituir o lugar de oração por uma cadeira de escritório ou um balcão de negócios. Até porque, quando esta ordem se inverte; corremos o risco de ver objetivos, de nosso orar e trabalhar, também se inverterem; transformando soluções em problemas e agravando algumas dificuldades do dia a dia. Portanto, trabalhar sempre! Deixar de orar, nunca!

Este texto nos ensina que devemos perseverar em oração. E deixa implícito, que as demais pessoas e coisas serão edificadas pelo nosso orar: "Vós, senhores, fazei o que for de justiça e equidade a vossos servos, sabendo que também tendes um Senhor nos céus. Perseverai em oração, velando nela com ação de graças; Orando também juntamente por nós, para que Deus nos abra a porta da palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual estou também preso; Para que o manifeste, como me convém falar. Andai com sabedoria para com os que estão de fora, remindo o tempo. A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um." (Colossenses 4:1-6). Então, devemos orar!

Este é um bom momento para ouvir esta canção entoada por Beatriz:
https://youtu.be/olpyn4-_upM

Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Revisão periódica


Senti necessidade de fazer uma revisão de vida e propósito. Não sei se a maioria dos crentes faz esta revisão periódica; quanto a mim, vez por outra costumo faze-la. É algo tão importante quanto a bateria periódica de exames que, ao menos uma vez a cada ano, todos nós devemos fazer. A bem da verdade; é próprio das pessoas adiarem tais procedimentos; deixando para mais tarde, obrigações preventivas que deveriam ser rotineiras. Então, como eu estava dizendo, achei por bem fazer minha revisão. É um procedimento bem simples; todavia, ele pode nos livrar de certos males, do corpo de da alma.

Em minha revisão de vida e propósito; procurei avaliar primeiro a minha condição de homem de Deus... Se tenho procurado pautar minha vida moral e espiritual na sã doutrina da Palavra de Deus; e não nos costumes pagãos de muitos povos e culturas, que nos assediam constantemente. Isto implica em ter postura cristã baseada em princípios bíblicos e tradições evangélicas consagradas ao longo da história. Também pensei em meu perfil de homem de missão... Chamado por Deus para amar, servir e abençoar. Então, mais uma vez, me vi a pensar nestas duas raras grandes virtudes: Renúncia e humildade.

Este é, de longe, o melhor, auto exame: "Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha. Portanto, qualquer que comer este pão, ou beber o cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor. Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão e beba deste cálice. Porque o que come e bebe indignamente, come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor. Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem." (1 Coríntios 11:26-30). Isto sim é revisão!

O momento de revisão é um bom momento para ouvir esta canção do Anderson Freire:
https://youtu.be/pHtb11d-Glw

Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Importância da família


Alguns dias atrás, ouvi uma mulher idosa dizer, que seria capaz de vender sua casa - fonte de sua renda e local onde a maior parte de sua vida foi vivida - se disto dependesse a salvação de um filho. Enquanto eu a ouvia, pensei na importância da família, núcleo da humanidade inteira; que julgo ser o melhor laboratório de provas, para a formação de homens e mulheres ao longo de toda a história humana. Então, me compadeci por aqueles que se descuidam deste tão importante patrimônio; mesmo sabendo das terríveis dores que sofrerá, no caso de sua total ruptura. Tal consideração me levou a pensar na importância da oração como a melhor relação de causa e efeito na construção de um lar estável e duradouro, preparado a resistir às intempéries.

Nem precisaria dizer que me prostrei aos pés do Senhor; e o fiz, por duas razões principais: A primeira delas, para expressar minha eterna gratidão a Deus, por ter guardado minha pequena casa - em meio aos conflitos da vida - mantendo-a de pé, frente aos trancos e solavancos deste mundo. E a outra, foi manter minha intercessão em dia; pois, enquanto aqui vivermos, perigos e provações sempre rondarão nossa família; ante os quais, não conheço um melhor instrumento de defesa, do que a intercessão gemida conjugada com a oração de guerra. Perdi a conta das vezes, em que vi minha pequena casa - cercada por adversidades cruéis - adentrar o túnel do tempo e sair do outro lado, como se estivesse em outro lugar... Lugar de delícia e de paz. Louvado seja Deus!

A Palavra de Deus nos exorta a deixar pecados e embaraços, e a manter os olhos em Jesus: "Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus. Considerai, pois, aquele que suportou tais contradições dos pecadores contra si mesmo, para que não enfraqueçais, desfalecendo em vossos ânimos." (Hebreus 12:1-3). E nela, somos instados a pensar em seu sacrifício por nós; para que em tempo algum venhamos a esmorecer.

Muito bonita e pertinente, esta canção de Raquel Melo, "Oração da Família":
https://youtu.be/ChMsWEfDSpk

Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Jesus - esperança nossa


Tenho pensado nas surpresas reservadas à todos nós, neste ano de 2016... E então, mesmo estando ainda em seu início; sinto que se ele estivesse terminando agora seria bem melhor para todos nós. Todavia, sempre existe a esperança de sonhos e realizações a se concretizarem em um ano que se inicia; mesmo que as previsões concernentes ao mesmo, sejam de um tom pessimista. Percebo que uma grande maioria vive sem projetos compatíveis com sua existência... Isto sempre aconteceu; mas, em nossos dias, em uma proporção assustadora! Na verdade, vivemos um tempo de motivações subversivas; e de forte tendência ao desamor; e de uma esperança muito enfraquecida.

Ainda bem, estou entre os que acreditam que sempre haverá razão para a sementeira da fé, esperança e amor; ainda que o solo não favoreça o seu cultivo. E assim, vamos caminhando ao longo de mais um ano de desafios, sabendo em Quem temos crido e Quem age em nosso favor. Procuremos ter e manter nossos sonhos, mesmo se não houver razões aparentes para sonhar. Mas crendo na bondade de Deus e em seu propósito para conosco; devemos seguir em frente, inspirados no Alvo mor de nossa jornada: Cristo, o autor e consumador da fé. Aleluia! Sabendo, sobretudo, que sempre haverá razão de ser e existir, para aquele que tem fé em Jesus - esperança nossa. Amém!

Este é um excelente texto da Bíblia, para ser examinado em tempo de crise e desesperança: "Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação. O Senhor Deus é a minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas. (Para o cantor-mor sobre os meus instrumentos de corda)." (Habacuque 3:17-19). É verdade! Sempre haverá luta; todavia, temos ao nosso lado o eterno Deus de amor!

Nunca me canso de ouvir este belo cântico, do Ministério Sarando a Terra Ferida:
https://youtu.be/k0fanYKKk7I

Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Uma resposta de Deus


Na grande maioria das vezes, nossos passos até o lugar de oração exige um grande esforço da nossa parte (se orar fosse fácil e prazeroso, todos os crentes orariam com frequência). Enquanto eu lutava para buscar a Deus, fui confrontado com esta indagação: Quanto vale uma resposta de Deus? Então eu me dei conta que a saúde, alegria e paz na vida ou na família, são bens tão preciosos, quanto indispensáveis. E, ao mesmo tempo, eu pude entender que existem situações, em que estes e outros recursos tão necessários vão depender de uma resposta de Deus. Daí, até chegarmos ao ponto de compreender a necessidade vital de orar, ainda que com esforço, é uma simples questão de tempo.

Nesta manhã, ao me debruçar para orar ao Pai; o meu espírito se rendeu à adoração. Enquanto eu estava em Sua presença, cresceu em mim a certeza, que adoração à Deus é, a um só tempo, direito e dever de todo ser vivente. Direito, porque o Senhor Jesus pagou um alto preço por ele; e dever, porque não há um ser vivente fora deste imperativo (talvez seja esta a razão, pela qual os próprios demônios o adorem). Todavia, a expressão de adoração que não seja pura e verdadeira (mesmo sendo obrigatória) será desqualificada; pois o que alegra o coração do Pai; é encontrar o verdadeiro adorador, pelo qual está sempre a procurar. E o encontro entre ambos é sempre celebrado!

Que feliz encontro este, do adorador com o Criador: "Disse-lhe a mulher: Senhor, vejo que és profeta. Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade." (João 4:19-24). Encontro sempre festejado!

Que canção linda - "Perto quero estar" - esta que é entoada pelo "Toque no Altar":
https://youtu.be/9F4sWydfXGo

Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Cálice do sofrimento


Existem dias, em que nos sentimos tão frágeis e cansados... algo, como se fôssemos tombar ao primeiro soprar do vento forte. São aqueles dias, nos quais acontece tudo que não devia acontecer. Creio não existir um cristão - do forte ao frágil - que ainda não tenha passado por situações assim. E até mesmo nas Escrituras, encontramos exemplos de homens de Deus, cuja luta interior tornou-se tão aguda que provocou angústias, desmaios, enfim... São circunstâncias sazonais; como se o próprio Deus nos tangesse à momentos assim. E não estou me referindo aos grandes ataques, do adversário; mas, a certas provações do dia a dia, que vão transbordando o cálice do sofrimento; até que o mesmo, em um determinado dia, entorne e agrave a nossa cruz.

Se observarmos melhor a Palavra de Deus, vamos perceber que este é um dos processos que Deus utiliza, para aprimorar a nossa vida espiritual. Ele, geralmente, provoca uma crise de dependência e nos leva a buscar socorro no Senhor. Sinceramente, já perdi a conta das vezes em que isto aconteceu comigo. De quando em vez me lembro de uma antiga canção evangélica que aprendi ainda jovem; uma de suas estrofes diz assim: "Não há dor que seja sem divino fim, faça ó Deus que a igreja compreenda assim. E apesar das trevas; possa ver, Senhor, que tu mesmo a levas com imenso amor". Talvez tenha sido este entendimento que tenha levado a Igreja primitiva a se regozijar, ante as injúrias e perseguições que lhes estavam sendo impostas.

Este texto da Bíblia encerra um doloroso interrogatório imposto aos apóstolos: "E agora digo-vos: Dai de mão a estes homens, e deixai-os, porque, se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará, Mas, se é de Deus, não podereis desfazê-la; para que não aconteça serdes também achados combatendo contra Deus. E concordaram com ele. E, chamando os apóstolos, e tendo-os açoitado, mandaram que não falassem no nome de Jesus, e os deixaram ir. Retiraram-se, pois, da presença do conselho, regozijando-se de terem sido julgados dignos de padecer afronta pelo nome de Jesus. E todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar, e de anunciar a Jesus Cristo." (Atos 5:38-42). Portanto, o crente não deve temer a provação.

Esta canção do Grupo Logos ajuda bastante a aprimorar o nosso entendimento quanto a isto:
https://youtu.be/GKU_ErxDSoI

Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 10 de janeiro de 2016

Fui grandemente edificado


Hoje senti necessidade de levantar mais cedo; na verdade, o meu espírito foi despertado à buscar a Deus. Enquanto eu orava ao Senhor, precisei recorrer ao Seu Espírito, que me ajude a servir a Deus independente de títulos ou de reconhecimento... Servindo de coração! Seja no campo de batalha, seja na retaguarda. Tenho percebido em alguns cristãos, que sua vida devocional só tem sentido se estiverem envolvidos em algum ministério ou ocupação formal na igreja. Talvez esta seja a razão de tanto despreparo em líderes, no trato com as ovelhas; os quais se dedicam tanto ao "SEU" ministério, que acabam por esquecer a finalidade do mesmo, que é servir às pessoas. E nem se dão conta que amor e bons modos derivam de uma boa vida devocional.

Quanto a mim, posso dizer com certeza que minha vida devocional - ainda que precária - tem contribuído em muito, para aprimorar o meu trato com as pessoas. Inclusive, tenho percebido que se alguma razão - ainda que justa - afeta ou diminui o ritmo de minha vida devocional; meu nível de impaciência e irritabilidade aumenta na mesma proporção. Estou convencido que a nossa velha natureza, mesmo tendo sido cravada na cruz, deixou em nós alguns vestígios de sua antiga predominância em nosso jeito de pensar e viver. E os seus vestígios, se não forem devidamente tratados, podem se transformar em obras da carne. Neste caso, o tratamento mais apropriado é mantermos nossa devocional em dia; para que frutifiquem em nós os frutos do Santo Espírito.

Que lindo testemunho este, de Paulo, ao escrever aos filipenses: "Como tenho por justo sentir isto de vós todos, porque vos retenho em meu coração, pois todos vós fostes participantes da minha graça, tanto nas minhas prisões como na minha defesa e confirmação do evangelho. Porque Deus me é testemunha das saudades que de todos vós tenho, em entranhável afeição de Jesus Cristo. E peço isto: que o vosso amor cresça mais e mais em ciência e em todo o conhecimento, Para que aproveis as coisas excelentes, para que sejais sinceros, e sem escândalo algum até ao dia de Cristo; Cheios dos frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus." (Filipenses 1:7-11). Eu posso afirmar, sem a menor sombra de dúvida, que fui grandemente edificado por ele!

Também fui muito edificado por esta bela canção do Anderson Freire:
https://youtu.be/WUlLsmFSMPw

Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 9 de janeiro de 2016

Andando nos extremos


Nós, cristãos, vivendo em um mundo marcado por injustiça e indiferença; estamos sempre entre dois perigos reais: O risco de pensar que, em nossa condição de pecadores, não podemos nada. E o risco de pensar que nossa condição de filhos de Deus nos dá o direito de fazer qualquer coisa que nos apetecer fazer. Sei que pensar assim é natural; visto que o ser humano é propenso a andar nos extremos. Talvez seja esta a razão de vermos muitos cristãos - ora na antecâmara do céu, ora no limbo que antecede o inferno. Não são poucos os homens de Deus desceram às profundezas do fracasso moral, após terem deslumbrado seus seguidores com mensagens marcadas pelo sobrenatural de Deus.

Infelizmente, tais coisas acontecem por dois motivos: Um deles a ignorância existente, quanto aos ensinos da Bíblia; e o condicionamento bíblico equivocado em que muitos cristãos vivem. E assim, devido a isto; dois princípios bíblicos, que a graça não invalidou, são desprezados: O outro princípio é o da justa retribuição. Ele indica que - em caso de pecado ou litígio - aos olhos de Deus, o culpado não será tido por inocente (Naum 1.3). E o princípio do quebrantamento e contrição. Nele, se define que o Senhor estará sempre pronto a perdoar todo aquele que - arrependido e contrito - a Ele se dirigir em busca de absolvição (Salmo 51.17). Enfim, a graça de Deus deve ser desfrutada com sabedoria!

Devemos observar cuidadosamente este texto: "Dize-lhes: Vivo eu, diz o Senhor DEUS, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho, e viva. Convertei-vos, convertei-vos dos vossos maus caminhos; pois, por que razão morrereis, ó casa de Israel? Tu, pois, filho do homem, dize aos filhos do teu povo: A justiça do justo não o livrará no dia da sua transgressão; e, quanto à impiedade do ímpio, não cairá por ela, no dia em que se converter da sua impiedade; nem o justo poderá viver pela sua justiça no dia em que pecar." (Ezequiel 33:11,12). Mesmo estando inserido na Antiga Aliança; sua mensagem é um daqueles princípios que jamais perdem a validade.

Em momentos de dúvida ou incerteza, devemos por em prática esta bela canção do Asaph Borba:
https://youtu.be/6CL2Q1b7TQU

Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Sigamos em frente


Estive orando a Deus em busca de direção e provisão. No entanto, enquanto eu orava; comecei a pensar no modo como o Senhor conduz a nossa vida... Então cresceu em mim o sentimento, de que o Deus eterno tem o governo de tudo a nossa volta; e que nada escapa ao Seu absoluto controle. Assim, não precisamos nos angustiar com o "dia seguinte"; pois, Jesus nos exorta a não nos preocuparmos com o "dia de amanhã" (Mateus 6.34). Porem, devido à nossa inquietante maneira de ver as coisas, existem dias em que algumas preocupações afloram e procuram influenciar nossas palavras e ações (creio que todos, em um momento ou outro, passam por isto). Todavia, se nós mantivermos nossa mente firmada em Deus, a paz prevalecerá (Isaías 26:3).

Jamais devemos ignorar, que existem ocasiões, em que as circunstâncias a nossa volta, começam a se agitar e se desordenar de tal modo que a tensão em nosso interior começa a por em risco a paz que temos em Cristo Jesus. Entretanto, não devemos ceder à este estado de aparente descontrole; pois, importa saber e pensar que nem mesmo um folha cai, sem que o Senhor consinta; e que, quando Deus permite algum tipo de provação sempre existe um fim proveitoso para a mesma. Então, afirmo com certeza: Sempre haverá uma luz no fim do túnel, se perseverarmos em oração e não esmorecermos na fé. Afinal, a Palavra de Deus declara que, assim com a provação chega; vem com ela o livramento do Senhor (1 Coríntios 10:13). Então, sigamos em frente!

Vemos, por um lado, que este texto desnuda a intensidade de nossa luta: "Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte; Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós. Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo. E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus nos chamou à sua eterna glória, depois de havemos padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoe, confirme, fortifique e estabeleça." (1 Pedro 5:6-10). Todavia, por outro lado, este texto revela o livramento do Senhor, que é garantido aos fiéis.

Faz um grande bem ouvir esta canção entoada por Ozeias de Paula:
https://www.youtube.com/watch?v=BdLY3F5N5oo

Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

O melhor dos sentimentos


O salmista deixou bem claro, no Salmo 84, que um dia na presença de Deus vale muito mais do que mil dias em qualquer outro lugar. Jamais tiver alguma dúvida quanto a isto; todavia, existem ocasiões em que - num relance ou em demasiado tempo - nos esquecemos desta riqueza. Sim! Porque estar diante do Senhor é um tesouro de valor incalculável; que só a eternidade revelará a dimensão de seu valor. No entanto, vivendo como vivemos, entregues aos nossos próprios interesses mal dosados, tão contagiados por um mundo que está sempre a nos contaminar, seja por sua influência,seja por proximidade; somos tendentes a trocar a presença de Deus por prazeres e ocupações que nos impedem de desfrutar plenamente do Seu cuidado em nossa pobre vida.

Um texto que sempre vem à minha memória é este, do salmista Davi: "Mas eu sou pobre e necessitado; contudo o Senhor cuida de mim. Tu és o meu auxílio e o meu libertador; não te detenhas, ó meu Deus." (Salmo 40.17). Reconhecer a necessidade do Senhor na vida é o melhor dos sentimentos, perdendo em importância apenas para a sensação de te-Lo de fato na vida! Ouço com frequência, os gemidos das vidas mergulhadas em dor e angústia; no entanto, gemido algum se compara ao de uma alma marcada pela falta do Senhor. É assustador! O cientista e filósofo cristão Blaise Pascal afirmou que o ser humano tem em seu coração, um vazio que tem a forma exata de Deus... Portanto, só nos resta deixar Jesus ocupar o lugar vazio em nosso coração, que é Seu de direito!

Este salmo é muito lindo:

"Bem-aventurados os que habitam em tua casa; louvar-te-ão continuamente. (Selá.) Bem-aventurado o homem cuja força está em ti, em cujo coração estão os caminhos aplanados. Que, passando pelo vale de Baca, faz dele uma fonte; a chuva também enche os tanques. Vão indo de força em força; cada um deles em Sião aparece perante Deus. Senhor Deus dos Exércitos, escuta a minha oração; inclina os ouvidos, ó Deus de Jacó! (Selá.) Olha, ó Deus, escudo nosso, e contempla o rosto do teu ungido. Porque vale mais um dia nos teus átrios do que mil. Preferiria estar à porta da casa do meu Deus, a habitar nas tendas dos ímpios. Porque o Senhor Deus é um sol e escudo; o Senhor dará graça e glória; não retirará bem algum aos que andam na retidão. Senhor dos Exércitos, bem-aventurado o homem que em ti põe a sua confiança."
(Salmos 84:4-12)

Como tem me inspirado!

Esta canção, de Fernanda Brum, fez história na vida de muitos... E em minha vida:
https://youtu.be/ApfJiVQ5COQ

Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Até aqui cheguei


Estive orando ao Pai; de um jeito diferente do meu modo habitual de orar... O sentimento de gratidão estava à flor da pele. E tive razão para isto! Pois, nunca pensei chegar à idade que hoje tenho sentindo o prazer de admirar o desabrochar de uma flor; ouvir feliz o cantar de um pássaro, admirando sua linguagem canora; e, contemplar montanhas e vales, imaginando a mão de Deus lhes dando forma e cor. Nem sequer imaginei chegar à minha idade me preocupando com os meus amigos e meus adversários, ao pensar em seu estado e em seu futuro; nem mesmo imaginei, brincar com os meus netos, como hoje faço; e, de ter vigor suficiente para admirar a beleza de minha querida esposa, sentindo e dando prazer em nosso relacionamento.

É verdade! Nunca pensei chegar tão longe no caminho da vida; ainda mais, cultivando uma linguagem sã; refletindo sobre os reais valores desta vida; e cultuando a Deus com a mesma emoção que sempre senti, ao longo de todo tempo de minha existência. Realmente... Cheguei a uma idade que uns desejam e outros procuram a todo custo evitar! Quanto a mim, confesso... Nunca imaginei chegar! Na verdade, houve um tempo em que, ao olhar os meus filhos - ainda crianças - brincando com seus simples brinquedinhos; estive convencido que não os veria chegarem à idade adulta (só Deus sabe a razão de tais pensamentos e sentimentos). Todavia, aqui estou! Até aqui cheguei! E por tudo isto, não consegui me conter em minha oração desta manhã!

Este salmo, assim como todos os outros 149 salmos da Bíblia, sempre me trouxe valiosos recursos para uma boa reflexão: "Porém tu exaltarás o meu poder, como o do boi selvagem. Serei ungido com óleo fresco. Os meus olhos verão o meu desejo sobre os meus inimigos, e os meus ouvidos ouvirão o meu desejo acerca dos malfeitores que se levantam contra mim. O justo florescerá como a palmeira; crescerá como o cedro no Líbano. Os que estão plantados na casa do Senhor florescerão nos átrios do nosso Deus. Na velhice ainda darão frutos; serão viçosos e vigorosos, Para anunciar que o Senhor é reto. Ele é a minha rocha e nele não há injustiça." (Salmos 92:10-15). E, nesta manhã, ele fundamenta e explica aquilo que senti. Aleluia!

E, para terminar este momento; nada melhor do que ouvir esta bela canção dos "Vencedores por Cristo":
https://youtu.be/jwhQbRkCjjY

Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Provação do crente


Nesta manhã, estive refletindo sobre a provação do crente. E cheguei à conclusão, que um crente, quando sob dor e sofrimento; pode se tornar um revoltado ou um poeta, dependendo do modo como lida com suas  dores e tribulações. Tentei pensar em Daniel na cova dos leões; nos três rapazes na fornalha ardente, e em Paulo e Silas no cárcere... E me dei conta, que o denominador comum entre eles e outros servos de Deus que passaram por situação parecida, foi o fato de terem sabido entrar e sair de suas prisões; sem perder o foco da Verdade; nem do propósito de Deus através da dor que lhes fora imposta. Nós, crentes, precisamos aprender a lidar com a provação.

Deus me fez lembrar de um hino congregacional antigo, que cantei muitas vezes... Ele diz numa estrofe: "os mais belos hinos e poesias foram escritos em tribulação; e do céu as lindas melodias se ouviram na escuridão". Muitas vezes, lembrar experiências antigas pode revitalizar a fé. Glória a Deus! Isto tem acontecido comigo... Muitas vezes! Não é de hoje, tenho percebido que a diferença entre um reclamante e um profeta está no modo como ambos reagem às provações que enfrentam. Enquanto um procura ouvir a voz de sua alma queixosa e encontrar seu culpado; o outro procura ouvir a voz do Senhor e entender o Seu propósito; sem jamais perder a esperança do céu.

Gosto muito de meditar na epístola aos Filipenses. E este texto me ensina e conforta: "Ora, muito me regozijei no Senhor por finalmente reviver a vossa lembrança de mim; pois já vos tínheis lembrado, mas não tínheis tido oportunidade. Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece." (Filipenses 4:10-13). Ela é a epístola do louvor! E foi escrita por Paulo, o mais experiente apóstolo de Deus!

Eu me deleito com esta doce canção - "Mais que um sonho" - entoada pelo Grupo Hagios:
https://youtu.be/EI3qXbpGrxM

Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Uma santa rotina


Quando me levanto para orar, sigo uma santa rotina. Sei muito bem, que o novo ano será como nos anos anteriores; ou, melhor dizendo, meus passos iniciarão em meu quarto de dormir e terminarão em meu lugar de oração. Enquanto eu buscava a face do Senhor, me senti um tanto enfraquecido; e comecei a louvar com algumas antigas canções... Ali, no lugar de oração, adorei Aquele que vive e reina para todo o sempre! E reforcei uma decisão antiga; de não admitir falha em meu caráter; ou mágoa em meu coração; nem impureza em minha mente. Na verdade, de tão vulneráveis que somos, precisamos estar sempre recorrendo ao Senhor; pois, não teremos a menor chance de vencer este tipo de combate lutando com as nossas próprias forças.

Além da armadura de Deus, definida em Efésios 6; precisamos também nos vestir de vestes de louvor e de unção do Espírito, para fazermos frente aos ardis de Satanás. Embora ele utilize sempre as mesmas operações e armas contra nós; todavia, por ter aliados entre os homens e em nossa própria natureza carnal, ele consegue sucesso na vida de muitos crentes; os quais, ainda que sinceros, acabam por sucumbir aos seus encantos; por estarem despojados do sagrado armamento. Pois nesta guerra, as nossas armas só serão eficazes, se forem espirituais; "Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas" (2 Coríntios 10:4). Então, na fé de Deus, vamos nos armar para o combate!

Este texto traz grandes ensinamentos: "Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas, e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão. Milita a boa milícia da fé, toma posse da vida eterna, para a qual também foste chamado, tendo já feito boa confissão diante de muitas testemunhas." (1 Timóteo 6:9-12). Ele nos alerta quanto ao perigo das riquezas e do amor ao dinheiro; e ainda nos encoraja ao bom combate da fé.

Gosto muito de ouvir o Ministério Apascentar cantando esta inspirada canção:
https://youtu.be/s6871xx3LBk

Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 3 de janeiro de 2016

Visão do Deus eterno


Uma das boas coisas que acontecem, quando estamos na presença de Deus; é experimentarmos o refinamento de nossa capacidade de autocrítica. O profeta Isaías, quando viu o Senhor, enxergou sua própria miséria (Isaías 6.5); e também Jó que, ao ver o Senhor, se deu conta de seu estado (Jó 42.5-6). Tenho concluído que, em nossas relações, de família ou de trabalho, não existe culpa que não nos inclua; portanto, não devemos ser tão severos com os erros de nosso cônjuge, ou dos nossos filhos; pois, seus pecados podem ter as nossas marcas. Talvez tenha sido esta visão que levou Jeremias a se incluir na culpa de seus pais (Jeremias 14.20; e até o próprio Daniel, homem de vida exemplar (Daniel 9.8). E nós não estamos excluídos desta triste relação, que denuncia o pecado de todos.

Uma das coisas mais comuns de se ver, quando lidamos com crises conjugais de quem busca ajuda; é a tendência natural dos cônjuges em conflito, de lançarem um contra o outro a culpa do seu desajuste. Então, não havendo uma mudança em seu modo de ver a crise; a rutura dos votos matrimoniais pode se tornar o passo seguinte. Tenho visto isto acontecer tantas vezes... Deixando um rastro de dor e sofrimento; que, na grande maioria dos casos, perdura por toda vida. Mas, ao nos voltamos para o Cristo da cruz; a sua visão ilumina os nossos olhos! De tal modo, que passamos a entender a realidade do nosso próprio pecado; bem como, a extensão de seus danos. Então, ali confrontados com a visão do Deus eterno; passamos a entender que não existem inocentes nesta guerra injusta.

Neste texto, Esdras desnuda o seu coração: "E perto do sacrifício da tarde me levantei da minha aflição, havendo já rasgado as minhas vestes e o meu manto, e me pus de joelhos, e estendi as minhas mãos para o Senhor meu Deus; E disse: Meu Deus! Estou confuso e envergonhado, para levantar a ti a minha face, meu Deus; porque as nossas iniquidades se multiplicaram sobre a nossa cabeça, e a nossa culpa tem crescido até aos céus. Desde os dias de nossos pais até ao dia de hoje estamos em grande culpa, e por causa das nossas iniquidades somos entregues, nós e nossos reis e os nossos sacerdotes, na mão dos reis das terras, à espada, ao cativeiro, e ao roubo, e à confusão do rosto, como hoje se vê." (Esdras 9:5-7). E, nele, vemos que o pecado que envergonha e destrói é o pecado de todos nós.

Creio nas promessas de Deus - do perdão à restauração - assim como me deleito em ouvir esta linda canção entoada pelo grupo "Sinal de Alerta":
https://youtu.be/VeNM5sTTqXQ

Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 2 de janeiro de 2016

Fui despertado para orar


Nesta manhã, fui despertado para orar... Coisa que sempre faço; mas, nem sempre do mesmo modo. Quer dizer... Seu fundamento é sempre o mesmo: A fé, a esperança e o amor; assim como sua fórmula: Dirigida ao Pai, por mediação do Filho, e intercessão do Espírito; e também, seus principais itens: Adoração, gratidão e intercessão. Todavia, os motivos estão sempre a variar, dependendo dos fatos e das circunstâncias. Hoje, por exemplo, senti necessidade de investir em minha preparação para lidar com os meus erros e os meus acertos. Então, busquei de Deus sabedoria para vibrar com os meus acertos e aprender com os meu erros, cometidos durante o ano que se findou.

Creio não haver nada mais frustrante do que viver a repetir os mesmos erros, que vão se fixando em nosso "modus vivendi" e em nosso "modus operandi". Na maioria das vezes, isto acontece porque insistimos em ignorar as lições trazidas por nossos erros. Infelizmente, costumamos tentar silenciar a voz de nossa consciência; com a perigosa alegação, de que fizemos ou dissemos tal coisa "porque Deus mandou". Isto é algo comum de se ver em bons crentes; que seriam ainda melhores; se não atribuíssem a si mesmos uma grandeza que ainda não possuem; ou um mérito que ainda estão longe de alcançar. Nada como orar e buscar ajuda de Deus, para saber lidar com o próprio ego.

Maravilhoso testemunho este:

"Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo. E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo, E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé; Para conhecê-lo, e à virtude da sua ressurreição, e à comunicação de suas aflições, sendo feito conforme à sua morte; Para ver se de alguma maneira posso chegar à ressurreição dentre os mortos. Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus."
(Filipenses 3:7-14)

Creio que é assim que deve ser!

É sempre oportuno ouvir a canção "Imperfeito", do meu amigo e irmão Anderson Freire:
https://youtu.be/Y8QWKwo5Vw8

Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Enfim o ano novo chegou


Enfim, o ano novo chegou, sob aplausos e foguetórios. Nós optamos por estar com os irmãos da IMW de Duarte da Silveira, em um culto marcado por temor e quebrantamento. A Ceia do Senhor foi seguida de uma palavra poderosa da parte de Deus, trazida pelo Pastor Calegari​, fazendo grande bem a todos nós que ali estávamos. Logo após, as famílias começaram a orar, sendo marcante o mover do Espírito em nosso meio. Glória a Deus! Não pude deixar de pensar no modo como o ano de 2015 passou ligeiro... Devastando em seu trajeto, povos e nações, culturas e tradições. Todavia, seus dias ontem se findaram. E entramos em mais um ano de oportunidade.

Então, devemos orar e trabalhar por dias melhores; mas, preparados para lidar com tempos difíceis. E na justa medida em que os problemas forem surgindo, a Palavra de Deus apresentará propostas para uma vida melhor em Cristo Jesus; bem como, quando provações invadirem o nosso quintal, a Palavra responderá com promessas feitas por Deus, na medida exata de nossas aflições. E assim, saberemos que o Deus de Daniel, de Sadraque, Mesaque e Abednego, estará conosco - seja na fornalha, seja na caverna - e não nos deixará sem o testemunho do Seu Espírito; nos edificando, nos exortando, nos consolando. Pois Deus é fiel! Isto nos será essencial em 2016.

Este texto é de grande valor para este início de ano: "Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus. Considerai, pois, aquele que suportou tais contradições dos pecadores contra si mesmo, para que não enfraqueçais, desfalecendo em vossos ânimos." (Hebreus 12:1-3). Devemos pratica-lo cada dia do novo ano!

Será edificante ouvir, nesta virada de ano, esta canção entoada por Eyshila:

Cordialmente;
Bispo Calegari