domingo, 4 de dezembro de 2016

Que grande amor é este


Deus nos deu a graça de conhecer seu amado Filho, Cristo Jesus, nosso amado Salvador. Em função desta dádiva suprema; o Verbo virou gente, como nós - todavia, sem pecado - capaz de salvar todo aquele que nele depositar sua fé e esperança. Glória a Deus! Não houve uma só ferida em seu corpo e alma, que - longe de ter sido causada por palavra impensada e atitude irrefletida - não tenha sido causada por minha queda e meu fracasso. Que grande amor este... Que tomou sobre si a dor da cruz e a maldade do meu pecado? É o amor de Deus que, para nos dar vida, aceitou morrer a nossa morte.

Enquanto eu reflito sobre a relação de causa e efeito (o sacrifício de Cristo e a minha salvação) que redundou em minha redenção; vejo o modo como Deus restaurou minha vida; ao mudar meu ser por inteiro e me guardar de mim mesmo (de minha fértil razão e de minha farta emoção); pois, em caso contrário, o meu ser interior não resistiria aos desatinos do meu ser exterior (ainda que ambos constituam uma só pessoa). Pois, enquanto meu ser material busca conforto e segurança em coisas perecíveis; o meu ser espiritual se satisfaz com a paz e o descanso, somente encontrados em Jesus.

Que bênção mravilhosa esta: "Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo; Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus. E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, E a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado." (Romanos 5:1-5). Obrigado Pai!

Ao refletir; mais uma vez recorro a esta maravilhosa canção:
https://youtu.be/_tOQmTJflYA

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário