quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Parábola das dez virgens


Tenho pensando em como, nos últimos anos, o mundo mudou para pior. Em qualquer direção que olharmos, veremos atitudes que golpeiam crenças milenares (certas e erradas); e que banalizam a vida humana - vítima indefesa de uma violência sem guerra declarada - sem o menor respeito à criança e ao idoso. São tantos aqueles que aplaudem a impiedade e a obscenidade, sem o menor pudor ou recato, e que desprezam a moral e a honestidade; que devemos considerar, ainda que relutantes, que o fim está mesmo próximo. Serão estes os dias do fim? Será este o tempo, sobre o qual jesus recomendou que orássemos para que os dias fossem abreviados? Creio eu que sim!

Ultimamente vejo aumentar a minha certeza, que o cristão professo e firmado em Deus e suas promessas (estou me referindo ao que está realmente alicerçado em Jesus), precisa ser firme e constante em sua fé e em seu testemunho. Portanto, neste dia que se chama hoje, precisamos aproveitar o tempo da graça que ainda atua em nosso favor; pois este tempo está se esgotando tão rapidamente, que muitos serão tragicamente surpreendidos pelo som da trombeta e pelo arrebatamento dos fiéis. Alias... Não devemos perder de vista a parábola das dez virgens; pois ela é uma mostragem do que vai se dar no dia do arrebatamento. Portanto... Devemos orar e vigiar, amados irmãos!

Minha postagem tem tudo a ver com este texto:

"Então o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao encontro do esposo. E cinco delas eram prudentes, e cinco loucas. As loucas, tomando as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo. Mas as prudentes levaram azeite em suas vasilhas, com as suas lâmpadas. E, tardando o esposo, tosquenejaram todas, e adormeceram. Mas à meia-noite ouviu-se um clamor: Aí vem o esposo, saí-lhe ao encontro. Então todas aquelas virgens se levantaram, e prepararam as suas lâmpadas. E as loucas disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas se apagam. Mas as prudentes responderam, dizendo: Não seja caso que nos falte a nós e a vós, ide antes aos que o vendem, e comprai-o para vós. E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o esposo, e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta. E depois chegaram também as outras virgens, dizendo: Senhor, Senhor, abre-nos. E ele, respondendo, disse: Em verdade vos digo que vos não conheço. Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir."
(Mateus 25:1-13)

Precisamos manter a nossa reserva de azeite.

Perdi a conta, das vezes que fui edificado com este antigo hino:
https://youtu.be/cihEIXGXw1Y

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário